Handebol Defesa Individual

3.346 visualizações

Publicada em

Handebol defesa individual

Publicada em: Esportes
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.346
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Handebol Defesa Individual

  1. 1. FACULDADE SANTO AGOSTINHO CURSO: BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA DISCIPLINA: TEORIA E METODOLOGIA DO HANDEBOL PROFESSOR: ROBERT MAURÍCIO Defesa Individual Componentes: Álvaro Diógenes Camila Lima Carlos Leite Francielly Farias Igor Machado Patrícia Ferreira
  2. 2. Objetivos
  3. 3. Definições e Características O sistema de defesa individual é aquele em que o cada defensor se encarrega de um atacante. Finalidade  Dificultar o ritmo de ataque.  Levar o ataque para zonas não perigosa.  Recuperar a posse de bola, após roubo ou finalização do ataque.
  4. 4. Classificação 1. Defesa individual na quadra inteira
  5. 5. Faz-se: • Encontrar o seu oponente para realizar a marcação pela quadra, independente da zona do adversário e dar atenção a bola. Objetivo: • Abalar a colaboração do ataque e provocar erros.
  6. 6. 2. Defesa individual na metade da quadra
  7. 7. Faz-se: • Encontrar o seu oponente para realizar a marcação, fazendo-se o emparelhamento de meia quadra. Objetivo: • Abalar a colaboração do ataque e provocar erros. .
  8. 8. 3. Defesa individual por Aglomeração Faz-se: • O emparelhamento parte da zona e não passa dos 10-11 m para evitar penetração. As marcações são mais estritas sobre os jogadores com bola e sobre os jogadores mais perigosos.
  9. 9. Objetivo: • Anular os jogadores mais perigosos, ilhar as coordenações de ataque, garantir a ajuda e impedir as penetrações. Formas de emparelhamento: • Nominal: Os jogadores devem saber que adversário defenderá de forma direta. • Zonal: A responsabilidade é em função do posto ocupado pelo atacante, organizando-se em sistema de contagem iniciada pelas pontas.
  10. 10. 4. Função dos jogadores As funções estarão relacionadas com a variante do sistema defensivo individual eleito; em geral as prioridades de atuação defensiva que são: Bola (evitar o passe, a recepção e buscar a interceptação ou tomada da posse da bola Oponente direto (evitar ser superado por ele). Deslocamentos dos outros atacantes (dissuadir o jogador com bola, evitar bloqueios etc.).
  11. 11. 5. Aspectos táticos A vantagem surge na surpresa que pode ocasionar esta medida tática, provocando erros técnicos do ataque que aumentam a ansiedade pela posse de bola. A vantagem surge na surpresa que pode ocasionar esta medida tática, provocando erros técnicos do ataque que aumentam a ansiedade pela posse de bola Alguns aspectos que o técnico deverá ter em conta para ordenar a marcação individual que são: Qualidade individual da equipe para essa ação. As reservas físicas da equipe. A reação que se espera do rival, refletir se este tem jogadores habilidosos, se tem experiência contra esse tipo de marcação, como se comportaria o goleiro rival etc.
  12. 12. 6. Capacidades táticas do defensor Capacidade de percepção de jogo. • Capacidade de antecipação à ação do rival e a situação do jogo. Visão periférica da situação de jogo. • Capacidade de decisão: tomar decisões em velocidade. Capacidades do defensor na marcação individual, que são as seguintes:
  13. 13. 7. Princípios para a utilização da marcação individual Devem ser exercitados sistemática e metodologicamente por meio de trabalhos especiais em treinamento. E alguns princípios são: Posição frente ao atacante: entre ele e o gol e orientado sobre seu braço de lançamento; Atitude frente ao rival: em possessão da bola, pressionando-o; sem possessão da bola, em pré-ação; Adaptar-se à corrida do rival e às suas mudanças de direção; Forçar a corrida do rival para posições desfavoráveis;
  14. 14. 8. Conclusão Concluímos que , as atividades envolvidas nesse processo devem apresentar como objetivo central a dinâmica do jogo de handebol, principalmente nas questões que envolvem as relações entre atacantes e defensores, nas diferentes fases do jogo (ofensiva, defensiva e suas respectivas transições).
  15. 15. Handebol, não se joga com as mãos, se joga com coração!
  16. 16. OBRIGADO!!!

×