SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 29
Baixar para ler offline
FATOR CELULAR
1.Célula de capacitação
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
O quê é Célula
de
Capacitação?
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Essa célula é semanal nos horários das 15h00 e as 20h00
Duração 1h30
O quê é célula de capacitação?
É reunião semanal de todos os
discípulos (as) para serem
ensinados na igreja (templo).
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
A CÉLULA DE CONSOLIDAÇÃO E LIDERANÇA
Trás ensinamento, porém também trata de
assuntos sobre projetos, metas e o que
vamos realizar na igreja.
A CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Trata apenas do ensino da palavra e está
dividida em temas para facilitar a
compreensão .
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
A IMPORTÂNCIA DA CAPACITAÇÃO
CAPACITAÇÃO SIGNIFICA TORNAR-SE APITO
PARA REALIZAÇÃO DE ALGO ATRAVÉS DO
ENSINO E PRÁTICA.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Aula anterior:
O OBJETIVO DA CÉLULA DE
EVANGELISMO – Parte II
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Lemos a Palavra em 1 Tessalonessenses 3.02-13
Meditamos que a:
A célula de Evangelismo é muito mais do que apenas uma
reunião semanal de irmãos numa casa (ou outro local), seu
objetivo é edificação em todos os sentidos
DOS QUATRO OBJETIVOS IMPORTANTES
MEDITAMOS NOS DOIS ÚLTIMOS QUE SÃO:
3. MULTIPLICAÇÃO (Abrir outra célula);
a) crescimento; b) envolvimento.
4. TRABALHO/SERVIÇO CRISTÃO;
a) Evangelismo; b) participação.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
CONCLUÍMOS QUE:
A célula de evangelismo atingindo os
QUATRO OBJETIVOS IMPORTANTES QUE É:
1. COMUNHÃO : a) cuidado; b) integração; c) gerar fé.
2. ENSINO: a) Pastoreamento; b) discipulado; c) Treinamento de líderes.
3. MULTIPLICAÇÃO (Abrir outra célula): a) crescimento; b) envolvimento.
4. TRABALHO/SERVIÇO CRISTÃO: a) Evangelismo; b) participação.
GERA ENTRE OS IRMÃOS E IRMÃS A UNIDADE
6 Se der esses conselhos aos irmãos na fé, você será um bom servo de
Cristo Jesus, alimentando-se espiritualmente com as doutrinas da fé e
com o verdadeiro ensinamento que você tem seguido.
7 Mas não tenha nada a ver com as lendas pagãs e tolas. Para progredir
na vida cristã, faça sempre exercícios espirituais.
8 Pois os exercícios físicos têm alguma utilidade, mas o exercício
espiritual tem valor para tudo porque o seu resultado é a vida, tanto
agora como no futuro.
9 Esse ensinamento é verdadeiro e deve ser crido e aceito de todo o
coração.
10 É por isso que lutamos e trabalhamos muito, pois temos posto a
nossa esperança no Deus vivo, que é o Salvador de todos,
especialmente dos que crêem.
11 Recomende e ensine estas coisas.
.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
1 Timóteo 4.06-16
Versículos abaixo: 06 ao 11
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
12 Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem. Mas, para os
que crêem, seja um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir,
no amor, na fé e na pureza.
13 Enquanto você espera a minha chegada, dedique-se à leitura em
público das Escrituras Sagradas, à pregação do evangelho e ao ensino
cristão.
14 Não se descuide do dom que você tem, que Deus lhe deu quando os
profetas da Igreja falaram, e o grupo de presbíteros pôs as mãos sobre
a sua cabeça para dedicá-lo ao serviço do Senhor.
15 Pratique essas coisas e se dedique a elas a fim de que o seu
progresso seja visto por todos.
16 Cuide de você mesmo e tenha cuidado com o que ensina. Continue
fazendo isso, pois assim você salvará tanto você mesmo como os que o
escutam.
1 Timóteo 4.06-16
Versículos abaixo: 12 ao 16
TEMA DA AULA
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
ENTENDENDO A FUNÇÃO DE LÍDER
CÉLULA DE EVANGELISMO – Parte I
A função do Líder de Célula de Evangelismo
A palavra função designa a competência para realização
de algo, ou seja, quais são o pré-requisitos para exercê-
la, quais são seus objetivos, responsabilidades e sua
autoridade.
A função está ligada com a palavra realização, ou
propriamente o fazer e o como fazer na Célula de
Evangelismo.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
TEXTO REFLEXIVO
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Ser chamado (a) para liderar célula de Evangelismo
é mais que um “STATUS”, pois requer do (a) líder
uma vida de comunhão com o Senhor que pode
ser definida nas qualidades abaixo:
caráter irrepreensível, compromisso, lealdade,
responsabilidade, fidelidade, coração
ensinável, transparência, prestar contas,
submissão e aliança.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Pré-requisitos:
1.Aliança com sua liderança e a visão de trabalho
da igreja;
2.Vida de Comunhão com o Senhor;
3.Dedicação a oração, jejum, leitura bíblica e
aplicação dela no seu modo de viver;
4.Ser batizado (a) no Espírito Santo.
Reflexão sobre os pré-requisitos:
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
1.Aliança
O trabalho da obra de Deus deve ser realizado
debaixo da supervisão da liderança e conforme a visão
adotada pela igreja para que possa fluir e crescer.
Aliança com a liderança:
Toda liderança é constituída por Deus.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
“Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade
existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos
seus lugares por ele. Assim quem se revolta contra as autoridades está
se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo
serão condenados”
Romanos 13.01 e 02
“Obedeçam aos seus líderes e sigam as suas ordens, pois eles cuidam
sempre das necessidades espirituais de vocês porque sabem que vão
prestar contas disso a Deus. Se vocês obedecerem, eles farão o
trabalho com alegria; mas, se vocês não obedecerem, eles trabalharão
com tristeza, e isso não ajudará vocês em nada”
Hebreus 13.17
Aliança com a visão de trabalho:
A visão de trabalho é a forma que Deus concede
para que cada ministério desenvolva a comissão
dada por Jesus que é pregar, fazer discípulos e
envia-los para evangelizar o mundo.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
“ Existem tipos diferentes de dons espirituais, mas é um
só e o mesmo Espírito quem dá esses dons. Existem
maneiras diferentes de servir, mas o Senhor que
servimos é o mesmo. Há diferentes habilidades para
realizar o trabalho, mas é o mesmo Deus quem dá a cada
um a habilidade para fazê-lo.”
1 Coríntios 12.04-06
“O país que se divide em grupos que
lutam entre si certamente será destruído.”
Marcos 3.24 diz:
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
(lembre-se um país
divido será destruído)
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
2.Vida de comunhão com o Senhor
Uma vida de comunhão com o
Senhor mostra que
verdadeiramente a fé no
Evangelho é algo vivido e não
apenas falado, pois a pregação
deve coincidir com o prática.
Caráter irrepreensível: Deve ser alguém que não pode estar em desacordo com
a conduta cristã.
Compromisso: É colocar o dever como prioridade para realizar o chamado de
liderança que requer pontualidade, determinação e realização da Célula de
Evangelismo.
lealdade: Depende de uma escolha individual que direciona para amar e servir
a pessoa ou convicção que decidi seguir.
Responsabilidade: Significa assumir o encargo de liderar e fazer com que a
Célula de Evangelismo seja realizada.
Fidelidade: Mostra o que é ser íntegro e como se comportar diante da aliança
que exige ser fiel.
Coração ensinável: Deve estar disposto(a) sempre a aprender e ser orientado.
Transparência: Ser sincero(a), revelar dificuldades, angustias etc.
Prestar contas: Relatar aos discipulador (a) falhas e buscar restauração.
Submissão: A obediência gera benção e mostra o caminho da excelência. Ser
submisso significa compreender que Deus está sob o controle e que Ele
constituiu a liderança para ensinar e conduzir.
Aliança: Ter aliança significa estar unido a um propósito maior.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
3.Dedicação a oração, jejum, leitura bíblica e
aplicação dela no seu modo de viver;
Uma pessoa cristã sabe que em dois
mil anos de história de igreja as
armas da fé permanecem as mesmas
e isso é importantíssimo, pois, todos
aqueles que as usaram triunfaram e
isto, revela que nós também
triunfaremos se as utilizarmos.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
4.Ser batizado (a) no Espírito Santo.
O batismo no Espírito Santo é o
revestimento de poder para realizar
aquilo que o Senhor nos comissionou, ou
seja, ser testemunhas do Evangelho.
“Porém, quando o Espírito Santo descer sobre
vocês, vocês receberão poder e serão minhas
testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e
Samaria e até nos lugares mais distantes da terra.”
Atos dos Apóstolos 1.08
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
CONCLUSÃO
Os pré-requisitos que foram
estabelecidos para os pretendentes a
liderança de uma célula de
evangelismo não são desanimadores
ou opositores ao chamado, mas um
modelo a ser seguido e um alvo
estabelecido para que ser alcançado.
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
Atividade interativa na sala de aula
Em grupo de até 04 (quatro) pessoas:
Juntos reflitam e respondam:
No quê os pré-requisitos para liderar a Célula de
Evangelismo contribuem? Vocês concordam que eles
são realmente necessários? Por que?
CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
NÃO SE ESQUEÇA VOCÊS TEM OS SEGUINTES
TRABALHOS INTERDISCIPLINARES:
LER O CAPITULO 03 DE 1 TIMOTEO e FAZER RESUMO DIZENDO O QUE
ENTENDEU.
LER O CAPITULO 18 DE ÊXODO DO VERSÍCULO 1 AO 17 (ÊX. 18.1-17) e FAZER
RESUMO e ESCREVER EM SEGUIDA O QUE ENTENDEU.
OBS: “ESSES TRABALHOS EQUIVALEM A 5
(CINCO) HORAS CADA, SOMANDO 10 HORAS”
Aula de 07. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo - Parte I

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Postila para igreja em células
Postila para igreja em célulasPostila para igreja em células
Postila para igreja em célulasJoao Rumpel
 
Minha Vida na Célula
Minha Vida na CélulaMinha Vida na Célula
Minha Vida na CélulaViva a Igreja
 
As Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da IgrejaAs Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da Igrejafgondim
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igrejaboasnovassena
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igrejaboasnovassena
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Robson Santana
 
Slide conferencia celulas
Slide conferencia   celulasSlide conferencia   celulas
Slide conferencia celulasVinha Editora
 
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULASCAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULASIdpb São Jose I
 
A igreja em casas atos
A igreja em casas   atosA igreja em casas   atos
A igreja em casas atosmfb_tati
 
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi DiscipularTreinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipularrevolucaoaje
 
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igrejaDiscipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igrejaJosue Lima
 
5 funções-da-célula-mda
5 funções-da-célula-mda5 funções-da-célula-mda
5 funções-da-célula-mdaGeise Lacerda
 
9 marcas uma_igreja_sauldavel
9 marcas uma_igreja_sauldavel9 marcas uma_igreja_sauldavel
9 marcas uma_igreja_sauldavelEdma Simão
 

Mais procurados (20)

Postila para igreja em células
Postila para igreja em célulasPostila para igreja em células
Postila para igreja em células
 
Minha Vida na Célula
Minha Vida na CélulaMinha Vida na Célula
Minha Vida na Célula
 
As Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da IgrejaAs Duas Asas Da Igreja
As Duas Asas Da Igreja
 
A função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igrejaA função de discipulado da igreja
A função de discipulado da igreja
 
Lbj lição 3 a organização da igreja
Lbj lição 3   a organização da igrejaLbj lição 3   a organização da igreja
Lbj lição 3 a organização da igreja
 
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da IgrejaLBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
LBJ LIÇÃO 2 - O real proposito da Igreja
 
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
Evangelização - como criar uma cultura de evangelização na igreja local - J. ...
 
Slide conferencia celulas
Slide conferencia   celulasSlide conferencia   celulas
Slide conferencia celulas
 
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULASCAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
CAPTANDO A VISÃO DE CÉLULAS
 
O líder de célula
O líder de célula O líder de célula
O líder de célula
 
A visao-do-mda
A visao-do-mdaA visao-do-mda
A visao-do-mda
 
Igreja saudavel
Igreja saudavelIgreja saudavel
Igreja saudavel
 
Visão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionistaVisão celular- unificacionista
Visão celular- unificacionista
 
Visao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulasVisao e pratica de celulas
Visao e pratica de celulas
 
A igreja em casas atos
A igreja em casas   atosA igreja em casas   atos
A igreja em casas atos
 
Apostila edl mdulo_2
Apostila edl mdulo_2Apostila edl mdulo_2
Apostila edl mdulo_2
 
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi DiscipularTreinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
Treinamento MDA - Eu Escolhi Discipular
 
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igrejaDiscipulado lição 4 conhecendo a igreja
Discipulado lição 4 conhecendo a igreja
 
5 funções-da-célula-mda
5 funções-da-célula-mda5 funções-da-célula-mda
5 funções-da-célula-mda
 
9 marcas uma_igreja_sauldavel
9 marcas uma_igreja_sauldavel9 marcas uma_igreja_sauldavel
9 marcas uma_igreja_sauldavel
 

Semelhante a Aula de 07. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo - Parte I

Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...
Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...
Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...Pastor Paulo Francisco
 
Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...
Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...
Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...Pastor Paulo Francisco
 
Aula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IV
Aula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IVAula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IV
Aula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IVPastor Paulo Francisco
 
Aula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismoAula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismoPastor Paulo Francisco
 
Aula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismoAula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismoPastor Paulo Francisco
 
Aula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte III
Aula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte IIIAula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte III
Aula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte IIIPastor Paulo Francisco
 
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte IAula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte IPastor Paulo Francisco
 
Aula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismoAula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismoPastor Paulo Francisco
 
Aula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismoAula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismoPastor Paulo Francisco
 
Aula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte II
Aula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte IIAula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte II
Aula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte IIPastor Paulo Francisco
 
Aula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte II
Aula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte IIAula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte II
Aula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte IIPastor Paulo Francisco
 
Aula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte i
Aula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte iAula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte i
Aula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte iPastor Paulo Francisco
 
Aula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte I
Aula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte IAula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte I
Aula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte IPastor Paulo Francisco
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parteCassio Felipe
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parteCassio Felipe
 
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicaçãoAula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicaçãoPastor Paulo Francisco
 
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicaçãoAula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicaçãoPastor Paulo Francisco
 
ESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docx
ESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docxESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docx
ESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docxssusere38a4a
 
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismoAula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismoPastor Paulo Francisco
 
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismoAula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismoPastor Paulo Francisco
 

Semelhante a Aula de 07. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo - Parte I (20)

Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...
Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...
Aula de 08. modulo I. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...
 
Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...
Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo  ...
Aula de 08. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo ...
 
Aula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IV
Aula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IVAula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IV
Aula de 16. modulo I. A célula de evangelismo e sua estrutura. Parte IV
 
Aula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismoAula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo i. o perfil do líder de célula de evangelismo
 
Aula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismoAula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismo
Aula de 04. modulo I. o perfil do líder de célula de evangelismo
 
Aula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte III
Aula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte IIIAula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte III
Aula de 15. modulo I. a célula de evangelismo e sua estrutura. parte III
 
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte IAula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
Aula de 17. Modulo I. Ações de Apoio a Célula de Evangelismo. Parte I
 
Aula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismoAula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo i. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
 
Aula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismoAula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
Aula de 03. modulo I. a importância da célula macro e da célula de evangelismo
 
Aula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte II
Aula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte IIAula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte II
Aula de 06. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte II
 
Aula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte II
Aula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte IIAula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte II
Aula de 06. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte II
 
Aula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte i
Aula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte iAula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo   parte i
Aula de 05. modulo i. o objetivo da célula de evangelismo parte i
 
Aula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte I
Aula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte IAula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo   parte I
Aula de 05. modulo I. o objetivo da célula de evangelismo parte I
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
 
Querigma parte por parte
Querigma parte por parteQuerigma parte por parte
Querigma parte por parte
 
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicaçãoAula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
 
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicaçãoAula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
Aula de 12. modulo I. ampliando a visão sobre a multiplicação
 
ESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docx
ESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docxESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docx
ESTUDO 02 - A IGREJA - DIVERSIDADE NA UNIDADE.docx
 
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismoAula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
 
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismoAula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
Aula de 09. modulo I. levantando líderes em treinamento na célula de evangelismo
 

Mais de Pastor Paulo Francisco

Resultado do discipulado. altura espiritual de cristo
Resultado do discipulado. altura espiritual de cristoResultado do discipulado. altura espiritual de cristo
Resultado do discipulado. altura espiritual de cristoPastor Paulo Francisco
 
A atualidade da alegria eterna. parte 02
A atualidade da alegria eterna. parte 02A atualidade da alegria eterna. parte 02
A atualidade da alegria eterna. parte 02Pastor Paulo Francisco
 
A atualidade da alegria eterna. parte 01
A atualidade da alegria eterna. parte 01A atualidade da alegria eterna. parte 01
A atualidade da alegria eterna. parte 01Pastor Paulo Francisco
 
Mergulhando na benção da oração. parte 03
Mergulhando na benção da oração. parte 03Mergulhando na benção da oração. parte 03
Mergulhando na benção da oração. parte 03Pastor Paulo Francisco
 
Mergulhando na benção da oração. parte 02
Mergulhando na benção da oração. parte 02Mergulhando na benção da oração. parte 02
Mergulhando na benção da oração. parte 02Pastor Paulo Francisco
 
Mergulhando na benção da oração. parte 01
Mergulhando na benção da oração. parte 01Mergulhando na benção da oração. parte 01
Mergulhando na benção da oração. parte 01Pastor Paulo Francisco
 

Mais de Pastor Paulo Francisco (20)

Inumanos e o caso neymar
Inumanos e o caso neymarInumanos e o caso neymar
Inumanos e o caso neymar
 
A diminuição de deus
A diminuição de deusA diminuição de deus
A diminuição de deus
 
Senso de direção
Senso de direçãoSenso de direção
Senso de direção
 
Construtora celeste
Construtora celesteConstrutora celeste
Construtora celeste
 
Multiplicação da luz
Multiplicação da luzMultiplicação da luz
Multiplicação da luz
 
O futuro chegou
O futuro chegouO futuro chegou
O futuro chegou
 
Espelho, espelho seu...
Espelho, espelho seu...Espelho, espelho seu...
Espelho, espelho seu...
 
Família. modelo humano ou divino.
Família. modelo humano ou divino.Família. modelo humano ou divino.
Família. modelo humano ou divino.
 
Resultado do discipulado. altura espiritual de cristo
Resultado do discipulado. altura espiritual de cristoResultado do discipulado. altura espiritual de cristo
Resultado do discipulado. altura espiritual de cristo
 
A atualidade da alegria eterna. parte 02
A atualidade da alegria eterna. parte 02A atualidade da alegria eterna. parte 02
A atualidade da alegria eterna. parte 02
 
A atualidade da alegria eterna. parte 01
A atualidade da alegria eterna. parte 01A atualidade da alegria eterna. parte 01
A atualidade da alegria eterna. parte 01
 
Mergulhando na benção da oração. parte 03
Mergulhando na benção da oração. parte 03Mergulhando na benção da oração. parte 03
Mergulhando na benção da oração. parte 03
 
Mergulhando na benção da oração. parte 02
Mergulhando na benção da oração. parte 02Mergulhando na benção da oração. parte 02
Mergulhando na benção da oração. parte 02
 
Mergulhando na benção da oração. parte 01
Mergulhando na benção da oração. parte 01Mergulhando na benção da oração. parte 01
Mergulhando na benção da oração. parte 01
 
Superando a mim mesmo. parte 02
Superando a mim mesmo. parte 02Superando a mim mesmo. parte 02
Superando a mim mesmo. parte 02
 
Superando a mim mesmo. parte 01
Superando a mim mesmo. parte 01Superando a mim mesmo. parte 01
Superando a mim mesmo. parte 01
 
Livrai nos do mal. parte 02
Livrai nos do mal. parte 02Livrai nos do mal. parte 02
Livrai nos do mal. parte 02
 
Livrai nos do mal. parte 01
Livrai nos do mal. parte 01Livrai nos do mal. parte 01
Livrai nos do mal. parte 01
 
A fé que quero ter. parte 03
A fé que quero ter. parte 03A fé que quero ter. parte 03
A fé que quero ter. parte 03
 
Vamos orar!?
Vamos orar!?Vamos orar!?
Vamos orar!?
 

Último

MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisIlda Bicacro
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasMonizeEvellin2
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...LuizHenriquedeAlmeid6
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.HandersonFabio
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Mary Alvarenga
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarDouglasVasconcelosMa
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.FLAVIA LEZAN
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfcarloseduardogonalve36
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaHenrique Santos
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdfaulasgege
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-criançasLivro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
Livro infantil: A onda da raiva. pdf-crianças
 
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolarMODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
MODELO Resumo esquemático de Relatório escolar
 
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
TAMPINHAS Sílabas. Para fazer e trabalhar com as crianças.
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
O que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de InfânciaO que é, de facto, a Educação de Infância
O que é, de facto, a Educação de Infância
 
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
1. Aula de sociologia - 1º Ano - Émile Durkheim.pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 

Aula de 07. modulo i. entendendo a função de líder de célula de evangelismo - Parte I

  • 1.
  • 2.
  • 3.
  • 4. FATOR CELULAR 1.Célula de capacitação CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 5. O quê é Célula de Capacitação? CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 6. Essa célula é semanal nos horários das 15h00 e as 20h00 Duração 1h30 O quê é célula de capacitação? É reunião semanal de todos os discípulos (as) para serem ensinados na igreja (templo). CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 7. A CÉLULA DE CONSOLIDAÇÃO E LIDERANÇA Trás ensinamento, porém também trata de assuntos sobre projetos, metas e o que vamos realizar na igreja. A CÉLULA DE CAPACITAÇÃO Trata apenas do ensino da palavra e está dividida em temas para facilitar a compreensão . CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 8. A IMPORTÂNCIA DA CAPACITAÇÃO CAPACITAÇÃO SIGNIFICA TORNAR-SE APITO PARA REALIZAÇÃO DE ALGO ATRAVÉS DO ENSINO E PRÁTICA. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 9. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO Aula anterior: O OBJETIVO DA CÉLULA DE EVANGELISMO – Parte II
  • 10. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO Lemos a Palavra em 1 Tessalonessenses 3.02-13 Meditamos que a: A célula de Evangelismo é muito mais do que apenas uma reunião semanal de irmãos numa casa (ou outro local), seu objetivo é edificação em todos os sentidos DOS QUATRO OBJETIVOS IMPORTANTES MEDITAMOS NOS DOIS ÚLTIMOS QUE SÃO: 3. MULTIPLICAÇÃO (Abrir outra célula); a) crescimento; b) envolvimento. 4. TRABALHO/SERVIÇO CRISTÃO; a) Evangelismo; b) participação.
  • 11. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO CONCLUÍMOS QUE: A célula de evangelismo atingindo os QUATRO OBJETIVOS IMPORTANTES QUE É: 1. COMUNHÃO : a) cuidado; b) integração; c) gerar fé. 2. ENSINO: a) Pastoreamento; b) discipulado; c) Treinamento de líderes. 3. MULTIPLICAÇÃO (Abrir outra célula): a) crescimento; b) envolvimento. 4. TRABALHO/SERVIÇO CRISTÃO: a) Evangelismo; b) participação. GERA ENTRE OS IRMÃOS E IRMÃS A UNIDADE
  • 12. 6 Se der esses conselhos aos irmãos na fé, você será um bom servo de Cristo Jesus, alimentando-se espiritualmente com as doutrinas da fé e com o verdadeiro ensinamento que você tem seguido. 7 Mas não tenha nada a ver com as lendas pagãs e tolas. Para progredir na vida cristã, faça sempre exercícios espirituais. 8 Pois os exercícios físicos têm alguma utilidade, mas o exercício espiritual tem valor para tudo porque o seu resultado é a vida, tanto agora como no futuro. 9 Esse ensinamento é verdadeiro e deve ser crido e aceito de todo o coração. 10 É por isso que lutamos e trabalhamos muito, pois temos posto a nossa esperança no Deus vivo, que é o Salvador de todos, especialmente dos que crêem. 11 Recomende e ensine estas coisas. . CÉLULA DE CAPACITAÇÃO 1 Timóteo 4.06-16 Versículos abaixo: 06 ao 11
  • 13. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO 12 Não deixe que ninguém o despreze por você ser jovem. Mas, para os que crêem, seja um exemplo na maneira de falar, na maneira de agir, no amor, na fé e na pureza. 13 Enquanto você espera a minha chegada, dedique-se à leitura em público das Escrituras Sagradas, à pregação do evangelho e ao ensino cristão. 14 Não se descuide do dom que você tem, que Deus lhe deu quando os profetas da Igreja falaram, e o grupo de presbíteros pôs as mãos sobre a sua cabeça para dedicá-lo ao serviço do Senhor. 15 Pratique essas coisas e se dedique a elas a fim de que o seu progresso seja visto por todos. 16 Cuide de você mesmo e tenha cuidado com o que ensina. Continue fazendo isso, pois assim você salvará tanto você mesmo como os que o escutam. 1 Timóteo 4.06-16 Versículos abaixo: 12 ao 16
  • 14. TEMA DA AULA CÉLULA DE CAPACITAÇÃO ENTENDENDO A FUNÇÃO DE LÍDER CÉLULA DE EVANGELISMO – Parte I
  • 15. A função do Líder de Célula de Evangelismo A palavra função designa a competência para realização de algo, ou seja, quais são o pré-requisitos para exercê- la, quais são seus objetivos, responsabilidades e sua autoridade. A função está ligada com a palavra realização, ou propriamente o fazer e o como fazer na Célula de Evangelismo. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 16. TEXTO REFLEXIVO CÉLULA DE CAPACITAÇÃO Ser chamado (a) para liderar célula de Evangelismo é mais que um “STATUS”, pois requer do (a) líder uma vida de comunhão com o Senhor que pode ser definida nas qualidades abaixo: caráter irrepreensível, compromisso, lealdade, responsabilidade, fidelidade, coração ensinável, transparência, prestar contas, submissão e aliança.
  • 17. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO Pré-requisitos: 1.Aliança com sua liderança e a visão de trabalho da igreja; 2.Vida de Comunhão com o Senhor; 3.Dedicação a oração, jejum, leitura bíblica e aplicação dela no seu modo de viver; 4.Ser batizado (a) no Espírito Santo.
  • 18. Reflexão sobre os pré-requisitos: CÉLULA DE CAPACITAÇÃO 1.Aliança O trabalho da obra de Deus deve ser realizado debaixo da supervisão da liderança e conforme a visão adotada pela igreja para que possa fluir e crescer.
  • 19. Aliança com a liderança: Toda liderança é constituída por Deus. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO “Obedeçam às autoridades, todos vocês. Pois nenhuma autoridade existe sem a permissão de Deus, e as que existem foram colocadas nos seus lugares por ele. Assim quem se revolta contra as autoridades está se revoltando contra o que Deus ordenou, e os que agem desse modo serão condenados” Romanos 13.01 e 02 “Obedeçam aos seus líderes e sigam as suas ordens, pois eles cuidam sempre das necessidades espirituais de vocês porque sabem que vão prestar contas disso a Deus. Se vocês obedecerem, eles farão o trabalho com alegria; mas, se vocês não obedecerem, eles trabalharão com tristeza, e isso não ajudará vocês em nada” Hebreus 13.17
  • 20. Aliança com a visão de trabalho: A visão de trabalho é a forma que Deus concede para que cada ministério desenvolva a comissão dada por Jesus que é pregar, fazer discípulos e envia-los para evangelizar o mundo. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO “ Existem tipos diferentes de dons espirituais, mas é um só e o mesmo Espírito quem dá esses dons. Existem maneiras diferentes de servir, mas o Senhor que servimos é o mesmo. Há diferentes habilidades para realizar o trabalho, mas é o mesmo Deus quem dá a cada um a habilidade para fazê-lo.” 1 Coríntios 12.04-06
  • 21. “O país que se divide em grupos que lutam entre si certamente será destruído.” Marcos 3.24 diz: CÉLULA DE CAPACITAÇÃO (lembre-se um país divido será destruído)
  • 22. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO 2.Vida de comunhão com o Senhor Uma vida de comunhão com o Senhor mostra que verdadeiramente a fé no Evangelho é algo vivido e não apenas falado, pois a pregação deve coincidir com o prática.
  • 23. Caráter irrepreensível: Deve ser alguém que não pode estar em desacordo com a conduta cristã. Compromisso: É colocar o dever como prioridade para realizar o chamado de liderança que requer pontualidade, determinação e realização da Célula de Evangelismo. lealdade: Depende de uma escolha individual que direciona para amar e servir a pessoa ou convicção que decidi seguir. Responsabilidade: Significa assumir o encargo de liderar e fazer com que a Célula de Evangelismo seja realizada. Fidelidade: Mostra o que é ser íntegro e como se comportar diante da aliança que exige ser fiel. Coração ensinável: Deve estar disposto(a) sempre a aprender e ser orientado. Transparência: Ser sincero(a), revelar dificuldades, angustias etc. Prestar contas: Relatar aos discipulador (a) falhas e buscar restauração. Submissão: A obediência gera benção e mostra o caminho da excelência. Ser submisso significa compreender que Deus está sob o controle e que Ele constituiu a liderança para ensinar e conduzir. Aliança: Ter aliança significa estar unido a um propósito maior. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO
  • 24. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO 3.Dedicação a oração, jejum, leitura bíblica e aplicação dela no seu modo de viver; Uma pessoa cristã sabe que em dois mil anos de história de igreja as armas da fé permanecem as mesmas e isso é importantíssimo, pois, todos aqueles que as usaram triunfaram e isto, revela que nós também triunfaremos se as utilizarmos.
  • 25. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO 4.Ser batizado (a) no Espírito Santo. O batismo no Espírito Santo é o revestimento de poder para realizar aquilo que o Senhor nos comissionou, ou seja, ser testemunhas do Evangelho. “Porém, quando o Espírito Santo descer sobre vocês, vocês receberão poder e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria e até nos lugares mais distantes da terra.” Atos dos Apóstolos 1.08
  • 26. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO CONCLUSÃO Os pré-requisitos que foram estabelecidos para os pretendentes a liderança de uma célula de evangelismo não são desanimadores ou opositores ao chamado, mas um modelo a ser seguido e um alvo estabelecido para que ser alcançado.
  • 27. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO Atividade interativa na sala de aula Em grupo de até 04 (quatro) pessoas: Juntos reflitam e respondam: No quê os pré-requisitos para liderar a Célula de Evangelismo contribuem? Vocês concordam que eles são realmente necessários? Por que?
  • 28. CÉLULA DE CAPACITAÇÃO NÃO SE ESQUEÇA VOCÊS TEM OS SEGUINTES TRABALHOS INTERDISCIPLINARES: LER O CAPITULO 03 DE 1 TIMOTEO e FAZER RESUMO DIZENDO O QUE ENTENDEU. LER O CAPITULO 18 DE ÊXODO DO VERSÍCULO 1 AO 17 (ÊX. 18.1-17) e FAZER RESUMO e ESCREVER EM SEGUIDA O QUE ENTENDEU. OBS: “ESSES TRABALHOS EQUIVALEM A 5 (CINCO) HORAS CADA, SOMANDO 10 HORAS”