Exmo Sr. Dr. Juiz do Trabalho da Vara de Paulista=PE 
JANIERE CRISTINA FERREIRA GOUVEIA DA 
SILVA, brasileira, casada, dem...
de Supermercados localizados na área metropolitana 
do Recife. Nesta função o labor era realizado 
durante três dias na se...
Diante do Exposto, pede e requer V. Exa., a 
condenação do recdo nos seguintes títulos: 
a) Aviso Prévio R$ 800,00; 
b) Fé...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Exmo janiere

154 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
154
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Exmo janiere

  1. 1. Exmo Sr. Dr. Juiz do Trabalho da Vara de Paulista=PE JANIERE CRISTINA FERREIRA GOUVEIA DA SILVA, brasileira, casada, demonstradora, RG nº 7417049 SSP-PE, CPF nº 069841564-75, CTPS nº 89405/00114, residente e domiciliada à rua Corrego do Abdias, 39, Linha do Tiro, nesta, Cep. nº 52.131-240, vem por seu advogado subscritor, propor Ação Trabalhista ,em seu rito sumário, contra o GRUPO RIPOM, estabelecido à rua José Alberto Brazão Ferreira, 103, Galpão M e Q – Paratibe – Paulista, Cep. nº 53.413-235, pelos motivos abaixo narrados: 1. Inicialmente de bom alvitre esclarecer que a recte foi contratada pelo Grupo Ripom, responsável pelos contratos de demonstradores da Purelac, Litoral e outros, todos do mesmo grupo empresarial do recdo. 2. Em 07/02/2013, a recte iniciou o seu labor para o recdo, exercendo as funções de demonstradora de produtos das Empresas do Grupo do Recdo dentro
  2. 2. de Supermercados localizados na área metropolitana do Recife. Nesta função o labor era realizado durante três dias na semana durante o horário comercial e sempre dentro dos supermercados relacionados pelo recdo para a reclamante trabalhar, conforme pode se vislumbrar pelas fotos doc. 04 a doc. 06. De se esclarecer que o labor era clandestino, pois a recte não tinha sua CTPS anotada. 3. A recte auferia salário mensal a quem do mínimo e a quem da categoria funcional de comerciária, uma vez que apenas recebia o importe de R$ 480,00(Quatrocentos e Oitenta Reais), quando a categoria dos comerciários estabeleceu de janeiro a junho de 2013, piso de R$ 726,00 (Setecentos e Vinte e Seis Reais) e, de julho a dezembro de 2013, piso de R$ 800,00(Oitocentos Reais), conforme boletim informativo salarial e Convenção Coletiva dos Comerciários, Claúsula 3º Terceira ( doc. 02 e doc. 03 ) 4. Durante o período de labor não foi percebida as cotas dos salários-famílias dos dois filhos menores da recte (do. 07 e 08). 5. Em face do descumprimento das obrigações da categoria, a recte faz jus a multa da Convenção Coletiva, Claúsula 73.
  3. 3. Diante do Exposto, pede e requer V. Exa., a condenação do recdo nos seguintes títulos: a) Aviso Prévio R$ 800,00; b) Férais Vencidas Simples R$ 1040,00; c) 13º Salário R$ 733,00; d) Fgts + Multa 40% R$ 985,00; e) Dif. Salarial Fev/ junho (Piso R$ 726,00) R$ 1230,00; f) Dif. Salarial julho/dezembro( Piso R$ 800,00) R$ 1920,00; g) Honorários Advocatícios R$ 1341,60. h) Anotação da CTPS; i) Multa por Inadimplemento de Obrigações (Claúsula 73 da Convenção Coletiva). Protesta provar o alegado por toda espécie de provas em direito admitidas. Dá- se a causa o Valor de R$ 8049,60 (Oito mil e Quarenta e Nove Reais e Sessenta Centavos). E. Deferimento. Recife, 17/12/2013. Ricardo Henrique de Jesus OAB-PE 11088

×