Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo
www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – ...
Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo
www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – ...
Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo
www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – ...
Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo
www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Prévia - Apostila Pneumática Avançada Partners Treinamentos - Resumida

495 visualizações

Publicada em

Prévia - Apostila Pneumática Avançada Partners Treinamentos - Resumida

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
495
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prévia - Apostila Pneumática Avançada Partners Treinamentos - Resumida

  1. 1. Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – 9909-8837 2 TÉCNICAS E MÉTODOS DE COMANDOS PNEUMÁTICOS METODOS DE COMPOSIÇÃO DE ESQUEMAS Em princípio pode-se apresentar duas possibilidades principais para a composição de esquemas. 1. Os métodos conhecidos como “intuitivos” também denominados de métodos convencionais ou métodos de experimentação . 2. A composição metódica de esquemas segundo prescrições e diretrizes estabelecidas A seguir considere-se como pertinentes ao primeiro grupo, todos os tipos de composição de esquemas nos quais se trabalha segundo a intuição ou a experiência. Isto porém não exclui a possibilidade de existir mesmo neste caso uma certa sistemática, a qual em muitos casos até é indispensável. Entretanto, neste tipo de composição a influência da sistemática será sempre menor do que as influências pessoais do projetista. Enquanto que no primeiro caso são necessários muita experiência, intuição e principalmente, em circuitos complexos, bastante tempo, as composições de esquemas conforme o segundo tipo, necessitam de um trabalho sistemático assim como um certo conhecimento teórico fundamental. O objetivo, independente do tipo de composição do esquema, é de se obter no final, um comando que apresenta bom funcionamento e transcurso seguro. Enquanto que antigamente se dava valor à solução de maior vantagem econômica, hoje situam-se em primeiro lugar a segurança de transcurso, a simplicidade de manutenção e com isto também a facilidade de supervisão. Isto leva necessáriamente mais e mais à composição metódica de esquemas, sempre segundo a sistemática estabelecida, sendo portanto facilmente compreencível e possível de ser verificado por outras pessoas que necessitem ocupar-se com o mesmo. Entretanto, o volume tecnológico de um comando dêste tipo na maioria dos casos será maior do que o de um comando desenvolvido segundo o método intuitivo. Em muitos casos porém êste volume adicional de material é compensado rapidamente através da economia de tempo no projeto e em seguida também na manutenção.
  2. 2. Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – 9909-8837 3 Exemplo: dispositivo de dobra e estampagem Manualmente, são colocadas chapas de metal no dispositivo e, mediante um cilindro pneumático, a chapa e fixada. Com outros dois cilindros, a chapa e dobrada e outro efetua a estampagem. Esboço do dispositivo: FORMAS DE REPRESENTAÇÃO Seqüência cronológica Cilindro 1 – avança e fixa a peça. Cilindro 2 – avança, primeira fase de dobra. Cilindro 3 – avança, segunda fase de dobra. Cilindro 3 – retorna à posição inicial. Cilindro 4 – avança e executa um furo de 4 mm. Cilindro 4 – retorna à posição inicial. Cilindro 2 – retorna à posição inicial. Cilindro 1 – retorna e solta à peça. ANOTAÇÕES EM TABELA Trabalho Cilindro 1 Cilindro 2 Cilindro 3 Cilindro 4 1 Avança - - - 2 - Avança - - 3 - - Avança - 4 - - Retorna - 5 - - - Avança 6 - - - Retorna 7 - Retorna - - 8 Retorna - - -
  3. 3. Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – 9909-8837 4 INDICAÇÃO VETORIAL Cilindro 1 → Cilindro 2 → Cilindro 3 → Cilindro 3 ← Cilindro 4 → Cilindro 4 ← Cilindro 2 ← Cilindro 1 ← REPRESENTAÇÃO ABREVIADA Cilindro 1 + Cilindro 2 + Cilindro 3 + Cilindro 3 - Cilindro 4 + Cilindro 4 - Cilindro 2 - Cilindro 1 - PLANO DE SEQUÊNCIA Passo Válvula de sinal acionada Por Comutação das válvulas de comando Elementos de Trabalho Observações Avança Recua 1 1.2 Man. 1.1 Z 1.0 - - 1.4 1.0 - - - - 2 2.2 1.0 2.1 Z 2.0 - - 3 3.2 2.0 3.1 Z 3.0 - - 4 3.3 3.0 3.1 Y - 3.0 - 5 4.2 3.0 4.1 Z 4.0 - - 6 4.3 4.0 4.1 Y - 4.0 - 7 3.2 4.0 2.1 Y - 2.0 - 8 1.3 2.0 1.1 Y - 1.0 - REPRESENTAÇÃO GRÁFICA Diagrama de movimentos No diagrama de movimentos, são indicados os movimentos e as condições operacionais dos elementos de trabalho (cilindro, unidades hidropneumáticas, etc.). Isto feito através de suas coordenadas: uma representa o trajeto dos elementos de trabalho e a outra, o passo (diagrama trajeto passo). Adicionalmente a este diagrama, existe a possibilidade de indicar também o tempo (diagrama trajeto tempo). Avança → Recua ← Avança + Recua -
  4. 4. Pneumática Avançada – Prof. Luiz Sérgio M. Rabelo www.partnerstreina.com.br - contato@partnerstreina.com.br – 2564-5623 – 9909-8837 5 MICROSEQUENCIADOR FESTO FSS-12-C Vista Frontal do Microsequenciador pneumático Fig. xxx 1. Indicador de passos 2. Indicador branco (P), acionado quando a saída coordenada com o passo indicado estiver sob pressão. 3. Indicador azul indica o sinal de confirmação do último passo executado 4. Botão para acionamento manual passo a passo 5. Chave selecionadora: Na posição “0” desligado na posição “1” funciona automático e manual passo a passo A figura 2 mostra as conexões do dispositivo na parte trazeira onde se verifica as conexões de entrada de sinais, saída das informações, alimentação de ar comprimido, sinal de partida e o rearme (RESET). Vista Trazeira do Microsequenciador pneumático. 1 2 3 4 5 ENTRADAS X1 – X12 SAÍDAS A1 – A12 PARTIDA (START)AUTOMATICO OU MANUAL ALIMENTAÇÃO REPOSIÇÃO (RESET)

×