Gestão de mudança com hamonia [Palestra Papo de Consultor]

402 visualizações

Publicada em

O Consultor e Palestrante Silvério de Souza falando sobre Gestão de Mudanças com Harmonia, com Teoria das Restrições - TOC.

Silvério de Souza é Engagement Director da Goldratt Consulting, Sócio-diretor da Solução Project Consultoria e Assessoria com mais de 20 anos de atuação em gestão industrial, gerenciamento de projetos e consultoria empresarial de empresas nacionais e multinacionais com foco em implantação de Teoria das Restrições. É administrador de empresas com MBA Executivo (COPPEAD – UFRJ), especialista em Gerenciamento de Projetos (Politécnica – UFRJ), PMP – Project Mangement Professional – PMI e TOCICO Certified in Supply-Chain Logistics.

Publicada em: Negócios
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
402
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Gestão de mudança com hamonia [Palestra Papo de Consultor]

  1. 1. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 1 ©   Gestão  de  Mudança  com  Harmonia   Teoria  das  Restrições     g r o u p © SILVÉRIO  DE  SOUZA   §  MPM  –  Master  in  Project  Management  pela  Politécnica  –  UFRJ   §  MBA  –  ExecuLvo  pelo  Coppead  –  UFRJ   §  Administrador  de  Empresas   §  TOCICO  CerLfied  in  Fudamentals  e  Supply-­‐Chain  LogisLcs   §  PMP  -­‐  Project  Management  Professional  -­‐  PMI   §  Facilitador  do  Programa  Webcast  on  Project  Management  da  GoldraV  ConsulLng   Internacional   §  Experiência  de  16  anos  em  gestão  industrial,  8  anos  em  gerenciamento  de   projetos  e  há  10  anos  atuando  como  consultor  de  empresas   §  Atua  em  implantações  de  Teoria  das  Restrições  em  vários  estados  do  Brasil,  e  na   América  do  Sul   §  Sócio-­‐diretor  da  Solução  Project  Consultoria  e  Assessoria   §  Consultor  da  GoldraV  ConsulLng  InternaLonal   © 1985 1990 1995 2000 2005 2008 TOC para Produção, Contabilidade de Ganhos – OPT, A Meta, A Corrida, A Síndrome do Palheiro Os Processos de Raciocínio – Jonah Program Distribuição, Marketing, Técnicas de Gerenciamento –Não é sorte Gerenciamento de Projetos – Corrente Crítica Visão holística TOC – 8 Sessões de Vídeo SLP TOC & Tecnologia - Necessária, sim mas não suficiente Estratégia de Negócios TOC a Visão Viável Árvores S&T -Webcast -The Choice TEORIA  DAS  RESTRIÇÕES  -­‐  TOC   © O  QUE  É  A  TOC  ???   Filosofias  e  técnicas   das  ciências  exatas   Organizações   Humanas   © Princípios Processos Ferramentas Aplicações (Soluções) Convergência Consistência Respeito 5 Passos de Focalização (POOGI) 3 Perguntas Estratégicas Processos de Raciocínio Árvore de Estratégia & Tática 6 Camadas de Resistência a Mudança Operações/Produção Distribuição Finanças e Medidores Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Pessoas Vendas Marketing Estratégia A  ESTRUTURA  GERAL   Educação Sistemas de Saúde Nunca diga eu sei © PRINCÍPIOS   Teoria  das  Restrições  -­‐  TOC    
  2. 2. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 2 © PILARES  DA  TOC   SIMPLICIDADE INERENTE Convergência © PILARES  DA  TOC   HARMONIA SIMPLICIDADE INERENTE Convergência Consistência © PILARES  DA  TOC   PESSOAS SÃO BOAS HARMONIA SIMPLICIDADE INERENTE Convergência Consistência Respeito © MUITOS  REFLEXOS  DA  MESMA  REALIDADE   © PILARES  DA  TOC   PESSOAS SÃO BOAS HARMONIA NUNCA DIGA EU SEI SIMPLICIDADE INERENTE Convergência Consistência Respeito Humildade © EM  SÍNTESE….   FAZER  O  QUE  DEVE  SER  FEITO   E    NÃO  FAZER  O  QUE  NÃO  DEVE  SER  FEITO  
  3. 3. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 3 © PASSOS  DE  FOCALIZAÇÃO   1.  IDENTIFICAR  a(s)  restrição(ões)  do  sistema   2.  Decidir  como  EXPLORAR  a(s)  restrição(ões)   3.  SUBORDINAR  todo  o  resto    à  decisão  acima   4.  ELEVAR  a(s)  restrição(ões)   5.  ATENÇÃO!!!!  Se  nos  passos  anteriores  uma  restrição  foi  quebrada   volte  ao  passo  1,  mas  não  permita  que  a  INÉRCIA  cause  uma   restrição  ao  sistema   © RESISTÊNCIA  A  MUDANÇA   Teoria  das  Restrições  -­‐  TOC     © 1 2 3 4 56 CAMADAS  DE  RESISTÊNCIA  À  MUDANÇA   Camada #5: Sim, MAS existem obstáculos para implementar a solução… Camada #4: Sim, MAS a solução gera consequências negativas… Camada #3: A solução não resolve totalmente o problema! Camada #2: Eu tenho uma direção para a solução diferente! Camada #1: Discordância do problema (não existe, é diferente) Camada #6: Medos não verbalizados © RESISTÊNCIA  A  MUDANÇA   © Se Mudar perco o conforto da realidade atual Se Não mudar continuo com os problemas atuais Para Mudar terei que correr riscos Se Mudar irei consegir o que desejo Por que eu gostaria de mudar? Por que eu não gostaria de mudar? MUDAR...  OU  NÃO  MUDAR...?   © • Descreva os ganhos que irá obter com a mudança • Explique porque se fizer a mudança obterá estes resultados Mudar _ NãoMudar + • Descreva os riscos gerados pela mudança • Explique porque implementar a mudança trará estes risco • Descreva os problemas da realidade atual que lhe motivam a mudar • Explique porque mudar irá minimizar ou eliminar estes problemas • Descreva os pontos positivos atuais que poderão ser perdidos mudando • Explique porque a mudança irá gerar estas perdas MUDAR...  OU  NÃO  MUDAR...?   Se estiver propondo a mudança a alguém, pense na realidade do outro e não na sua.
  4. 4. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 4 © PARA  O  QUE  MUDAR?   DE 1 DE  2   ED 3 ED 4 ED 5 Novo  Ganha/Ganha   CN  CN   Meta   COMECE   EIP COMECE   Árvore de Realidade Futura - ARF Sim,  mas…   PARE LEGENDA EI = Efeito Indesejado CN= Condição Necessária PEI = Efeito Indesejado Potencial DE = Efeito Desejadoc PARE = Velhas “Regras” que devemos PARAR de usar COMECE = Novas “Regras” que devemos COMEÇAR a usar OBS = Obstáculo IO = Objetivo Intermediário EI 1 EI 2 EI 5 EI 4 EI 3 O  QUE  MUDAR?   Ação   Ação  CN   CN   Meta   Ação   Ação  CN   CN   Meta   Ação   Ação   CN   CN   Meta   Ação   Ação   CN  CN   Meta   Conflito  Raiz   Árvore  de  Realidade  Atual  -­‐ARA   Conflito EI 3 Conflito EI 1 Conflito EI 2 PARE EI 1 (20%) EI 2 (15%) EI 3 (!0%) EI 4 (3%) EI 5 (2%) Nível  Atual   Nível  Alvo   DEFINIR SISTEMA, META & GAPS POR  QUE  MUDAR?   GAP? Sim,  mas…   Sim,  mas…   COMO  CAUSAR  A  MUDANÇA?   Nova Soluçnao Ganha/Ganha (e novas regras COMECE & PARE) implementadas Aonde  estamos  agora?   OBS  1   OBS  2   OBS  3   OBS  4   OBS  5   OI 1 OI 2 OI 4 OI 3 OI 5 Sim,  mas…   Sim,  mas…   Sim,  mas…   Árvore de Pré- Requisito/ Mapa de Objetivos Intermediários - APR/ MOI PROCESSO  DE  RACIOCÍNIO  –  VISÃO  GERAL   © GERENCIAMENTO  DE  TEMPO   EM  PROJETOS   Modelo  Atual   © COMO  O  TEMPO  É  GERENCIADO  EM  PROJETOS?   §  Prazos  viáveis  são  solicitados  para  cada  aLvidade.   §  A  conclusão  de  cada  aLvidade  no  prazo  é   fortemente  cobrada.   §  A  competência  profissional  está  fortemente   relacionada  com  o  cumprimento  dos  prazos   individuais.   §  Se  todas  as  tarefas  do  projeto  terminarem  no   prazo,  o  projeto  termina  no  prazo.   © CURVA  BETA  –  TAREFAS  INDIVIDUAIS   Probabilidade Duração da tarefa Segurança Tempo Típico (50%) Tempo Seguro (>80%) © Probabilidade Duração da tarefa 50% >80% Segurança Menor Variabilidade Probabilidade Duração da tarefa 50% >80% Segurança Maior Variabilidade © ESTIMATIVA  DE  DURAÇÃO  DAS  ATIVIDADES   §  As altas incertezas em projetos fazem com que os prazos não possam ser determinados, apenas estimados. §  Estimativas realistas significam que realmente levamos em consideração que algumas coisas não irão tão bem. §  Portanto estimativas realistas, acima de 50% de chances de ser cumprida (duração típica), inclui um nível de segurança significativo. §  Em cada tarefa usamos a experiência mais pessimista para determinar a estimativa. §  Recursos são cobrados individualmente de acordo com as estimativas fornecidas para cada tarefa.
  5. 5. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 5 © O  trabalho  aumenta  de  modo   a  preencher  o  tempo   disponível  para  a  sua   conclusão   O  IMPACTO  DO  COMPORTAMENTO  HUMANO   © Data  planejada  do   Início  da  aLvidade   Tempo   Esforço   Data  planejada  do   Final  da  aLvidade   SÍNDROME  DO  ESTUDANTE   © Data  promeLda         Probabilidade   Duração da tarefa 50%     Esperado   Real   COMPROMISSO  =>  PROFECIA  AUTO  REALIZÁVEL   © POLINDO  A  MAÇÃ   Consegui  terminar  o  trabalho  antes  do  prazo!  E  agora???   §  Entrego  o  trabalho  mais  antes?   §  O  que  vai  acontecer  quando  for  negociar  prazo   novamente?   §  Creio  que  não  vou  poder  cobrar  pelas  horas  esLmadas   antes!   §  Ainda  posso  melhorar  o  trabalho,  vou  uLlizar  este  tempo.   §  O  cliente  ficará  mais  saLsfeito  com  as                                 funcionalidades  adicionais.   §  Vamos  polir  a  maçã!!!   © IMPACTO  NA  INTERDEPENDÊNCIA   §  Atrasos  se  acumulam.   §  Antecipações  tende  a  ser  desperdiçadas!   © MULTITAREFA   §  O  dinamismo  do  mundo  atual  nos  impele  a   realizar  muitas  diferentes  aLvidades  ao  mesmo   tempo.   §  Diferentes  aLvidades  geralmente  são  demandadas   por  diferentes  clientes  e/ou  partes  interessadas.   §  Diferentes  demandas  disputam  o  mesmo  recurso.  
  6. 6. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 6 © © PREMISSAS  DA  MULTITAREFA   §  Quanto  antes  iniciarmos  uma  trabalho,  mais  cedo   este  trabalho  termina.   §  Quanto  mais  aLvidades  realizamos  ao  mesmo   tempo,  mas  eficiente  nos  tornamos.     Será  que  estas  premissas  sempre  são  válidas?   © PLANEJANDO  A  MULTITAREFA   0 15 30 45 60 75 90 C1 B1 A1 C2 B2 A2 C3 B3 A3 C4 B4 A4 C5 B5 A5 C6 B6 A6 C7 B7 A7 C8 B8 A8 C9 B9 A9 C10 B10 A10 C11 B11 A11 C12 B12 A12 C13 B13 A13 C14 B14 A14 C15 B15 A15 C16 B16 A16 C17 B17 A17 C18 B18 A18 C19 B19 A19 C20 B20 A20 PLANO Projeto A Terminado Projeto A Terminado Projeto A Terminado © EXECUTANDO  EM  MULTITAREFA   0 15 30 45 60 75 90 C1 B1 A1 C2 B2 A2 C3 B3 A3 C4 B4 A4 C5 B5 A5 C6 B6 A6 C7 B7 A7 C8 B8 A8 C9 B9 A9 C10 B10 A10 C11 B11 A11 C12 B12 A12 C13 B13 A13 C14 B14 A14 C15 B15 A15 C16 B16 A16 C17 B17 A17 C18 B18 A18 C19 B19 A19 C20 B20 A20 PLANO Projeto A Terminado Projeto A Terminado Projeto A Terminado C1 B1 A1 C2 B2 A2 C3 B3 A3 C4 B4 A4 C5 B5 A5 C6 B6 A6 C7 B7 A7 C8 B8 A8 C9 B9 A9 C10 B10 A10 C11 B11 A11 C12 B12 A12 C13 B13 A13 C14 B14 A14 C15 B15 A15 C16 B16 A16 C17 B17 A17 C18 B18 A18 C19 B19 A19 C20 B20 A20 REAL Projeto A Terminado Projeto A Terminado Projeto A Terminado © INCERTEZAS § De-sincronização § Multitarefa § Filas/Espera § Mudança de prioridades § Re-trabalhos Todo trabalho é forçado a iniciar ASAP Mais trabalho em aberto Segurança embutida / SILOS Lei de Parkinson Cronogramas locais para tudo e para todos Atrasos (?) Esforço dos recursos críticos é pulverizado Elevado tempo de resposta das áreas suporte CICLO  VICIOSO   © GESTÃO  DE  PROJETOS   Corrente  CríLca  
  7. 7. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 7 © Não é importante completar cada tarefa no prazo, porém é essencial completar o projeto no prazo. Eli Goldratt © IDENTIFICAR  DA  RESTRIÇÃO   © ESCALONAR  O  RECURSO  MAIS  RESTRITO   © Trabalho Desperdício Natural Tempo Total Desperdício evitável ? AFINAL,  QUANTA  SEGURANÇA  EXISTE  NA  TAREFA?   © AGREGAÇÃO  ESTATÍSTICA   §  Porque  uma  companhia  de  seguros  é  um  bom  negócio?   §  Ou  porque  os  donos  de  RomiIseVas  gostam  de  sair  em   RomiIseVatas?   © QUANTOS  ESTEPES  PARA  10  ROMIISETTAS?   São Paulo Guarujá Imigrantes Anchieta EstradaVelha 22:00   14:00   08:00   20:00   15:00   10:00   21:00   19:00   12:00   10:00   São Paulo Guarujá Imigrantes Anchieta EstradaVelha 12:00  
  8. 8. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 8 © AGREGAR  A  SEGURANÇA  DAS  TAREFAS  NOS  PULMÕES   §  Cortando  a  duração  das  aLvidades     §  Agregando  a  segurança  no  pulmão     §  Usando  a  agregação  esta}sLca  a  nosso  favor   §  Podemos  cobrar  os  recursos  por  cumprir  as  durações   reduzidas?   §  Recursos  não  são  mais  julgados  pelo  cumprimento  de   suas  esLmaLvas!!!   T1 T2 T3 T4 T1 T2 T3 T4 Seg. Coletiva T1 T2 T3 T4 Segurança Coletiva © ELIMINANDO  A  MULTITAREFA   25% da carga Velocidade  do   fluxo  (taxa  de   entrega)   Número  de     projetos  em  aberto   Atual  Novo   © ELIMINANDO  A  MULTITAREFA   0 15 30 45 60 75 90 0 15 30 45 60 75 90 C1 B1 A1 C2 B2 A2 C3 B3 A3 C4 B4 A4 C5 B5 A5 C6 B6 A6 C7 B7 A7 C8 B8 A8 C9 B9 A9 C10 B10 A10 C11 B11 A11 C12 B12 A12 C13 B13 A13 C14 B14 A14 C15 B15 A15 C16 B16 A16 C17 B17 A17 C18 B18 A18 C19 B19 A19 C20 B20 A20 PLANO Projeto A Terminado Projeto A Terminado Projeto A Terminado C1 B1 A1 C2 B2 A2 C3 B3 A3 C4 B4 A4 C5 B5 A5 C6 B6 A6 C7 B7 A7 C8 B8 A8 C9 B9 A9 C10 B10 A10 C11 B11 A11 C12 B12 A12 C13 B13 A13 C14 B14 A14 C15 B15 A15 C16 B16 A16 C17 B17 A17 C18 B18 A18 C19 B19 A19 C20 B20 A20 REAL Projeto A Terminado Projeto A Terminado Projeto A Terminado Projeto A Terminado C1 B1 A1 C2 B2 A2 C3 B3 A3 C4 B4 A4 C5 B5 A5 C6 B6 A6 C7 B7 A7 C8 B8 A8 C9 B9 A9 C10 B10 A10 C11 B11 A11 C12 B12 A12 C13 B13 A13 C14 B14 A14 C15 B15 A15 C16 B16 A16 C17 B17 A17 C18 B18 A18 C19 B19 A19 C20 B20 A20 PLANO CCPM Projeto A Terminado Projeto A Terminado © AS  TRÊS  REGRAS  DA  CORRENTE  CRÍTICA   Prioridade 1 Lista de Tarefas Prioridade 2 Prioridade 3 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% Status dos pulmões R3 à GERENCIAMENTO DA EXECUÇÃO Usar os mecanismos de gerenciamento do pulmão para definir prioridades das tarefas e para antecipar problemas. R2 à SEQUENCIAMENTO Limitar WIP seqüenciando a liberação dos projetos baseado na restrição do pipeline, utilizando o tambor virtual. Pulmão Pulmão R1 à PLANEJAMENTO ENXUTO Reduzir o tempo de ciclo dos projetos movendo as seguranças individuais das atividades para pulmões de tempo agregados. © EXECUÇÃO   O  elo  esquecido  entre  as  aspirações   do  projeto  e  os  resultados   © EXECUÇÃO - PULMÃO DO PROJETO 10d 10d10d10d10d 10d 10d10d 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% CC Completada ConsumoPulmão D0 10d 10d10d Pulmão Pulmão Pulmão 10d 30d 15d
  9. 9. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 9 © 10d 10d10d10d15d 10d 10d12d D11 8d 25d 10d 10d10d 10d CC Completada = (60-55)/60 = 8% Consumo Pulmão = 5/30 = 17% 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% CC Completada ConsumoPulmão EXECUÇÃO - PULMÃO DO PROJETO © 10d 10d10d10d15d 10d 25d12d D26 -7d 22d 10d 10d10d 10d CC Completada = (60-45)/60 = 25% Consumo Pulmão = 8/30 = 27% 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% CC Completada ConsumoPulmão EXECUÇÃO - PULMÃO DO PROJETO © 10d 10d20d10d15d 10d 25d12d D36 -7d 15d 10d 10d10d 10d CC Completada = (60-40)/60 = 33% Consumo Pulmão = 15/30 50% 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% CC Completada ConsumoPulmão EXECUÇÃO - PULMÃO DO PROJETO © 10d 20d15d10d15d 10d 25d12d D51 -7d 10d 10d 12d10d 8d CC Completada = (60-30)/60 = 50% Consumo Pulmão = 20/30 = 67% 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% CC Completada ConsumoPulmão EXECUÇÃO - PULMÃO DO PROJETO © PULMÃO DE PORTFÓLIO   1 2 3 50% completado 30% consumido 75% completado 75% consumido 25% completado 60% consumido 0% 25% 50% 75% 100% 0% 25% 50% 75% 100% CC Completada PulmãoConsumido 3 1 2 A A A © REFERÊNCIAS   •  Livros §  Não é Sorte (Eli Goldratt) §  Corrente Crítica (Eli Goldratt) §  WA Gestão de Mudança com Harmonia (Yuji Kishira) §  Thinking for a Change (Lisa Scheinkopf) §  The Layers of Resistance (Efrat Goldratt-Ashlag) TOC Handbook #20 •  SLP Gestão de Pessoas (www.toc-goldratt.com)
  10. 10. Gestão de Mudança com Harmonia - TOC 12/dez/2013 10 © g r o u p www.GoldrattGroup.com www.GoldratConsulting.com www.GoldrattSchools.org www.TOC-Goldratt.com (TOC.tv) www.GoldrattResearchLabs.com www.TOCICO.org www.TOCICO.com.br Silvério de Souza silverio.desouza@goldrattgroup.com skype: silveriodesouza +55 85 8766-2814

×