METABOLISMO ENERGÉTICO 
DAS CÉLULAS 
BIOLOGIA CELULAR (Parte 2) 
LIVRO 2, CAPÍTULO 1
O QUE VEM À NOSSA MENTE QUANDO OBSERVAMOS ESTA FIGURA? 
 Que processos metabólicos estão 
representados na figura? 
Por ...
METABOLISMO 
 É o conjunto de transformações que as substâncias químicas 
sofrem no interior dos organismos vivos. 
 São...
Os Seres Vivos e a Energia 
 Os organismos vivos são sistemas complexos 
e organizados que necessitam de uma grande 
quan...
Os Seres Vivos e a Energia 
 AA ffoonnttee ddee eenneerrggiiaa mmaaiiss 
iimmppoorrttaannttee ppaarraa ooss sseerreess 
v...
Fluxo de matéria e de energia nos 
ecossistemas
Tipos de reações químicas que fazem parte do metabolismo celular 
RReeaaççõõeess eexxoottéérrmmiiccaass 
oouu eexxeerrggôô...
A MOLÉCULA DE ATP (trifosfato de adenosina) 
 Todos os processos celulares dependem de energia para 
acontecer. 
 Essa e...
A MOLÉCULA DE ATP (trifosfato de adenosina) 
 Participa de todos os processos energéticos da célula: 
 Necessidade de en...
FORMAS DE OBTENÇÃO DE ENERGIA 
(Produção de ATP ) 
A quebra da molécula orgânica para liberar 
energia pode se dar de duas...
Respiração Celular 
 A rreessppiirraaççããoo ccoorrrreessppoonnddee àà ddeeggrraaddaaççããoo ccoommpplleettaa 
ddaa mmoollé...
Respiração Celular 
A presença de átomos de oxigênio é condição básica 
para a respiração e a origem dos mesmos permite 
...
CICLO DO NITROGÊNIO E A 
DESNITRIFICAÇÃO 
A Respiração Anaeróbica é utilizada por bactérias que vivem no solo 
ou em águas...
FERMENTAÇÃO 
 Processo mais simples de produção de energia. 
 Processo ANAERÓBICO (ausência de O2). 
 Ocorre no CITOPLA...
FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA 
 O açúcar é degradado em álcool etílico (etanol), liberando 
também gás carbônico e energia. 
 Fa...
Reação ocorre no citoplasma. 
Rendimento energético: 2 ATP 
1 molécula açúcar  2 ATP 
Consumo 
Produção Produção
FERMENTAÇÃO LÁTICA 
 O açúcar do leite (lactose) é degradado, formando ácido lático e 
liberando energia. 
 Ácido lático...
FERMENTAÇÃO LÁTICA 
 Ocorre também em nossas células musculares, em situações de 
grande demanda energética, quando fazem...
FERMENTAÇÃO 
Sem Oxigênio 
ALCOÓLICA LÁTICA 
Álcool Etílico 
Gás Carbônico 
2 ATP de 
Energia 
Ácido Lático 
2 ATP de 
Ene...
FERMENTAÇÃO ACÉTICA 
 Realizada por alguns tipos de bactérias que fermentam o açúcar, 
produzindo ácido acético, gás carb...
RESPIRAÇÃO CELULAR AERÓBICA 
 Processo mais complexo de produção de energia. 
 Ocorre em eucariontes (citoplasma e nas m...
TROCA DE GASES ATRAVÉS DE MEMBRANAS 
RESPIRATÓRIAS 
 Através de finas membranas que devem estar sempre úmidas, 
para perm...
TROCA DE GASES ATRAVÉS DE MEMBRANAS 
RESPIRATÓRIAS 
 HEMATOSE  processo em que ocorre a troca de gases, nos 
alvéolos pu...
 O processo de difusão simples para as trocas gasosas ocorre em outros 
tipos de respiração
 Nos vegetais, as trocas gasosas ocorrem em estruturas presentes nas 
superfícies das folhas, denominadas ESTÔMATOS.
A respiração aeróbia, libera a totalidade da energia contida na 
molécula de glicose, como se pode comprovar analisando os...
RESPIRAÇÃO CELULAR 
GLICÓLISE 
 Quebra da molécula de glicose (6C - hexose) em duas moléculas 
de ácido pirúvico (3C -tri...
RESPIRAÇÃO CELULAR 
GLICÓLISE
RESPIRAÇÃO CELULAR 
CICLO DE KREBS 
(CICLO DO ÁCIDO CÍTRICO) 
Ocorre na matriz mitocondrial. 
Quebra das moléculas de ác...
RESPIRAÇÃO CELULAR 
CICLO DE KREBS 
(CICLO DO ÁCIDO CÍTRICO)
RESPIRAÇÃO CELULAR 
CADEIA RESPIRATÓRIA 
Ocorre nas cristas mitocondriais. 
Os hidrogênios do NADH2 (produzidos na glicó...
RESPIRAÇÃO CELULAR 
RENDIMENTO ENERGÉTICO TOTAL 
2 ATP 
(GLICÓLISE) 
+ 2 ATP 
(CICLO KREBS) 
+ 34 ATP 
(CADEIA RESPIRATÓRI...
RESPIRAÇÃO CELULAR 
ATENÇÃO 
Na ausência de glicose, a célula pode utilizar outras moléculas 
para a realização da respira...
Quadro comparativo entre Respiração Aeróbia e Fermentação 
Respiração Aeróbica Fermentação 
• Quebra completa de glicose. ...
REAÇÕES QUE CONSOMEM ENERGIA 
(ENDOTÉRMICAS) 
FOTOSSÍNTESE 
 Processo pelo qual algas e plantas absorvem a energia da luz...
FOTOSSÍNTESE
FOTOSSÍNTESE
FOTOSSÍNTESE 
De onde vem a energia para que esta 
reação ocorra ? 
 Vem do Sol. 
É captada pela clorofila, um 
pigmento...
FOTOSSÍNTESE 
Para onde vai a glicose sintetizada no processo? 
1)Glicose é usada como fonte de alimento e de energia, pel...
AS FASES DA FOTOSSÍNTESE 
FASE CLARA 
(Presença de luz) 
1ª: Fotofosforilação cíclica 
2ª: Fotofosforilação acíclica 
3ª: ...
FASE CLARA 
1ª) FOTOFOSFORILAÇÃO CÍCLICA 
Ocorre nos tilacóides do cloroplasto. 
Luz solar, ao incidir nas partes verdes...
1ª) FOTOFOSFORILAÇÃO CÍCLICA
2ª) FOTOFOSFORILAÇÃO ACÍCLICA 
Ocorre nos tilacóides do cloroplasto. 
Ocorre excitação da clorofila b, transporte de elé...
3ª) FOTÓLISE DA ÁGUA 
Ocorre quebra das moléculas de água, na presença de luz , consumindo 
ATP. 
As moléculas de água (...
3ª) FOTÓLISE DA ÁGUA
3ª) FOTÓLISE DA ÁGUA
RESUMO DA FASE CLARA 
1) A energia liberada formará moléculas de ATP; 
2) Parte do oxigênio (O2) liberado será usado na re...
FASE ESCURA 
(Ciclo das Pentoses ou Ciclo de Calvin) 
 Ocorre no estroma do cloroplasto. 
Não depende de luz, nem de clo...
FASE ESCURA 
(Ciclo das Pentoses ou Ciclo de Calvin)
EQUAÇÃO DA FOTOSSÍNTESE 
Todo o processo da fotossíntese pode der representado pela seguinte 
equação química: 
Esta reaçã...
RESUMO DAS FASES DA FOTOSSÍNTESE
FOTOSSÍNTESE 
FATORES LIMITANTES 
Clorofila 
Luz solar 
 Água 
 CO2 
Temperatura
INFLUÊNCIA DA CONCENTRAÇÃO DE CO2 
À medida que a concentração de CO2 aumenta, aumenta a 
taxa de fotossíntese, até certo ...
INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA 
As reações enzimáticas dependem da temperatura. 
Entretanto, em altas temperaturas, as enzimas ...
INTENSIDADE LUMINOSA
PONTO DE COMPENSAÇÃO 
 As plantas só realizam a fotossíntese em presença de luz, mas respiram 
o tempo todo, estando clar...
Taxas de fotossíntese e da respiração celular aeróbia em 
função da intensidade luminosa.
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Metabolismo energético das células
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Metabolismo energético das células

1.721 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.721
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.031
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Como as células procarióticas são desprovidas de mitocôndrias (organela citoplasmática), tanto a glicólise quanto o ciclo de Krebs ocorrem no hialoplasma da célula, enquanto a cadeia respiratória acontece próximo à face interna da membrana plasmática (mesossomo). 
  • Metabolismo energético das células

    1. 1. METABOLISMO ENERGÉTICO DAS CÉLULAS BIOLOGIA CELULAR (Parte 2) LIVRO 2, CAPÍTULO 1
    2. 2. O QUE VEM À NOSSA MENTE QUANDO OBSERVAMOS ESTA FIGURA?  Que processos metabólicos estão representados na figura? Por que dizemos que os dois processos representados na figura são complementares?  Qual é a fonte de energia representada na figura?  O que aconteceria se essa fonte fosse suprimida do ambiente?  Todos os seres vivos obtêm energia na mesma forma?
    3. 3. METABOLISMO  É o conjunto de transformações que as substâncias químicas sofrem no interior dos organismos vivos.  São essas reações que permitem a uma célula ou um sistema transformar os alimentos em energia, que será utilizada pelas células para que as mesmas se multipliquem, cresçam, movimentem-se, etc.  O metabolismo é o conjunto de reações químicas responsáveis pelos processos de síntese e degradação dos nutrientes na célula.  Divide-se em 2 etapas:  Catabolismo  Degradação, quebra de moléculas, com consequente produção de energia. Ex: quebra da glicose  Anabolismo  Síntese, formação de moléculas, envolvendo consumo de energia. Ex: união de várias moléculas de glicose para a síntese de glicogênio.
    4. 4. Os Seres Vivos e a Energia  Os organismos vivos são sistemas complexos e organizados que necessitam de uma grande quantidade de energia para manter seus processos vitais.  ÉÉ ddooss aalliimmeennttooss,, mmaaiiss eexxaattaammeennttee ddaass mmoollééccuullaass oorrggâânniiccaass qquuee ooss ccoommppõõeemm,, qquuee ooss sseerreess vviivvooss oobbttéémm eenneerrggiiaa..
    5. 5. Os Seres Vivos e a Energia  AA ffoonnttee ddee eenneerrggiiaa mmaaiiss iimmppoorrttaannttee ppaarraa ooss sseerreess vviivvooss éé aa lluuzz ssoollaarr..  AA eenneerrggiiaa lluummiinnoossaa éé ccoonnvveerrttiiddaa eemm eenneerrggiiaa qquuíímmiiccaa pprreesseennttee eemm mmoollééccuullaass oorrggâânniiccaass,, qquuee ppooddeemm sseerr eessttooccaaddaass ppaarraa uussoo ppoosstteerriioorr..
    6. 6. Fluxo de matéria e de energia nos ecossistemas
    7. 7. Tipos de reações químicas que fazem parte do metabolismo celular RReeaaççõõeess eexxoottéérrmmiiccaass oouu eexxeerrggôônniiccaass Liberam energia para o ambiente RReeaaççõõeess eennddoottéérrmmiiccaass oouu eennddeerrggôônniiccaass Absorvem energia do ambiente EExx..:: FFoottoossssíínntteessee EExx..:: RReessppiirraaççããoo CCeelluullaarr
    8. 8. A MOLÉCULA DE ATP (trifosfato de adenosina)  Todos os processos celulares dependem de energia para acontecer.  Essa energia é obtida dos alimentos e pode ser prontamente utilizada pela célula ou armazenada em uma molécula especial chamada de ATP.  O ATP é a molécula armazenadora de energia na célula.  Constituição química:
    9. 9. A MOLÉCULA DE ATP (trifosfato de adenosina)  Participa de todos os processos energéticos da célula:  Necessidade de energia  Quebra do ATP, liberando um fosfato e formando ADP (difosfato de adenosina). ATP  ADP + P Obs: ligações entre os 2 fosfatos (ADP) podem, ainda, ser quebradas, formando AMP (monofosfato de adenosina) e liberando mais energia.  Não há demanda energética  Síntese de ATP, através da união de um fosfato ao ADP. ADP + P  ATP  Reações reversíveis. Acontecem o tempo todo na célula.  Objetivo: liberar ou armazenar energia
    10. 10. FORMAS DE OBTENÇÃO DE ENERGIA (Produção de ATP ) A quebra da molécula orgânica para liberar energia pode se dar de duas maneiras: • Respiração celular: quebra completa da molécula de glicose na presença de oxigênio. • Fermentação: quebra parcial da molécula de glicose na ausência de oxigênio.
    11. 11. Respiração Celular  A rreessppiirraaççããoo ccoorrrreessppoonnddee àà ddeeggrraaddaaççããoo ccoommpplleettaa ddaa mmoollééccuullaa ddee gglliiccoossee oorriiggiinnaannddoo ggááss ccaarrbbôônniiccoo ee áágguuaa..  OO ssaallddoo eenneerrggééttiiccoo éé eelleevvaaddoo..  AA rreessppiirraaççããoo aaccoonntteeccee nnoo cciittooppllaassmmaa ddooss sseerreess pprrooccaarriioonntteess.. NNooss eeuuccaarriioonntteess,, tteemm iinníícciioo nnoo cciittooppllaassmmaa,, ccoonnttiinnuuaa ee tteerrmmiinnaa nnaass mmiittooccôônnddrriiaass ..
    12. 12. Respiração Celular A presença de átomos de oxigênio é condição básica para a respiração e a origem dos mesmos permite identificar dois tipos diferentes desse processo: 1) Respiração Aeróbia – quando o oxigênio consumido é o O(gás oxigênio). Realizada por muitos procariontes, 2 protistas, fungos e pelas plantas e animais. 2) Respiração Anaeróbia – quando o oxigênio consumido tem origem de substâncias inorgânicas como carbonatos (CO- 2), nitratos (NO−), sulfatos (SO3 3 4 2- )etc. Realizada apenas por alguns tipos de bactérias.
    13. 13. CICLO DO NITROGÊNIO E A DESNITRIFICAÇÃO A Respiração Anaeróbica é utilizada por bactérias que vivem no solo ou em águas estagnadas, onde o suprimento de oxigênio é escasso. Os produtos finais da respiração anaeróbica são o gás carbônico (CO2) e uma substância inorgânica, que varia de acordo com a espécie de bactéria.
    14. 14. FERMENTAÇÃO  Processo mais simples de produção de energia.  Processo ANAERÓBICO (ausência de O2).  Ocorre no CITOPLASMA.  Realizado naturalmente por fungos, bactérias, e, em algumas situações, por nossas células musculares.  O homem há décadas utiliza este processo natural para produção de alimentos, bebidas (iogurtes, leites, fermentados, pães, cervejas, vinhos...). Tipos de Fermentação: •Alcoólica •Lática •Acética
    15. 15. FERMENTAÇÃO ALCOÓLICA  O açúcar é degradado em álcool etílico (etanol), liberando também gás carbônico e energia.  Fabricação de pães, vinhos, cervejas, álcool combustível. AÇÚCAR  ÁLCOOL + CO2 + ENERGIA
    16. 16. Reação ocorre no citoplasma. Rendimento energético: 2 ATP 1 molécula açúcar  2 ATP Consumo Produção Produção
    17. 17. FERMENTAÇÃO LÁTICA  O açúcar do leite (lactose) é degradado, formando ácido lático e liberando energia.  Ácido lático: coagulação de proteínas.  Fabricação de queijos, iogurtes e coalhadas. AÇÚCAR  ÁCIDO LÁTICO + ENERGIA
    18. 18. FERMENTAÇÃO LÁTICA  Ocorre também em nossas células musculares, em situações de grande demanda energética, quando fazemos um esforço muscular intenso, como nos exercícios físicos prolongados.  A quantidade de energia que chega aos nossos músculos é insuficiente para fornecer toda a energia necessária à atividade desenvolvida.  As células musculares passam a realizar o processo mais simples de obtenção de energia, que é a fermentação. AÇÚCAR  ÁCIDO LÁTICO + ENERGIA  O acúmulo de ácido lático nas fibras musculares (células musculares) causa dores, cansaço e cãibras.
    19. 19. FERMENTAÇÃO Sem Oxigênio ALCOÓLICA LÁTICA Álcool Etílico Gás Carbônico 2 ATP de Energia Ácido Lático 2 ATP de Energia
    20. 20. FERMENTAÇÃO ACÉTICA  Realizada por alguns tipos de bactérias que fermentam o açúcar, produzindo ácido acético, gás carbônico e energia.  Fabricação de vinagres. AÇÚCAR  ÁCIDO ACÉTICO + CO2 + ENERGIA  Expressão popular: “O vinho virou vinagre!” Etanol, em contato com O2 forma ácido acético.  Garrafas de vinho devem ser mantidas bem fechadas para evitar o acúmulo deste ácido acético, que altera o sabor do vinho.
    21. 21. RESPIRAÇÃO CELULAR AERÓBICA  Processo mais complexo de produção de energia.  Ocorre em eucariontes (citoplasma e nas mitocôndrias) e em procariontes (citoplasma e na parte interna da membrana plasmática). Processo AERÓBICO (há participação de O2).  Rendimento energético muito maior que o da fermentação !!! 1 molécula açúcar  38 ATP  Respiração aeróbica envolve 2 fases: • Troca de gases através de membranas respiratórias; • Respiração celular.
    22. 22. TROCA DE GASES ATRAVÉS DE MEMBRANAS RESPIRATÓRIAS  Através de finas membranas que devem estar sempre úmidas, para permitir a passagem dos gases.  Transporte se dá por DIFUSÃO SIMPLES.  Depende das diferenças nas concentrações dos gases dentro e fora das membranas.
    23. 23. TROCA DE GASES ATRAVÉS DE MEMBRANAS RESPIRATÓRIAS  HEMATOSE  processo em que ocorre a troca de gases, nos alvéolos pulmonares e o O2 atravessa as membranas dos alvéolos e chega até às hemácias.
    24. 24.  O processo de difusão simples para as trocas gasosas ocorre em outros tipos de respiração
    25. 25.  Nos vegetais, as trocas gasosas ocorrem em estruturas presentes nas superfícies das folhas, denominadas ESTÔMATOS.
    26. 26. A respiração aeróbia, libera a totalidade da energia contida na molécula de glicose, como se pode comprovar analisando os produtos finais deste processo (água e dióxido de carbono), que são exatamente os mesmos utilizados na sua síntese (fotossíntese). C6H12O6 + 6O2 → 6CO2 + 6H2O + energia (ATP) O conjunto das reações da respiração celular aeróbia é extremamente complexo, tendo sido uma das maiores conquistas da bioquímica moderna a sua compreensão. Por esse motivo, consideram-se geralmente as seguintes etapas: GLICÓLISE CICLO DE KREBS (ÁCIDO CÍTRICO) CADEIA RESPIRATÓRIA RESPIRAÇÃO CELULAR
    27. 27. RESPIRAÇÃO CELULAR GLICÓLISE  Quebra da molécula de glicose (6C - hexose) em duas moléculas de ácido pirúvico (3C -triose). Ocorre no citoplasma, na ausência de oxigênio (anaerobiose).  Mesmo processo que ocorre na fermentação.  Rendimento energético: 2 ATP  Há perda de 2 hidrogênios na molécula de ácido pirúvico, os quais são capturados por uma substância encontrada no citoplasma: o NAD (nicotinamida adenina nucleotídeo).  O NAD funciona como um transportador de hidrogênios.  Formação de 2 moléculas de NADH2.
    28. 28. RESPIRAÇÃO CELULAR GLICÓLISE
    29. 29. RESPIRAÇÃO CELULAR CICLO DE KREBS (CICLO DO ÁCIDO CÍTRICO) Ocorre na matriz mitocondrial. Quebra das moléculas de ácido pirúvico.  Produção de CO2, que é liberado da célula e eliminado para o ambiente.  Produção de mais moléculas de NADH2 (capturam os hidrogênios liberados).  Rendimento energético: 2 ATP
    30. 30. RESPIRAÇÃO CELULAR CICLO DE KREBS (CICLO DO ÁCIDO CÍTRICO)
    31. 31. RESPIRAÇÃO CELULAR CADEIA RESPIRATÓRIA Ocorre nas cristas mitocondriais. Os hidrogênios do NADH2 (produzidos na glicólise e no ciclo de Krebs) passam através de várias substâncias, liberando elétrons.  Envolve um conjunto de reações químicas, onde participam substâncias chamadas de citocromos.  A passagem dos elétrons pelos citocromos na cadeira respiratória, libera energia suficiente para a síntese 26 moléculas de ATP.  Elétrons atravessam a cadeia e chegam até o aceptor final, que é o oxigênio.  Oxigênio se combina com os hidrogênios, formando água.  Rendimento energético: 34 ATP
    32. 32. RESPIRAÇÃO CELULAR RENDIMENTO ENERGÉTICO TOTAL 2 ATP (GLICÓLISE) + 2 ATP (CICLO KREBS) + 34 ATP (CADEIA RESPIRATÓRIA) = 38 ATP EQUAÇÃO GERAL C6H12O6 + 6O2 → 6CO2 + 6H2O + energia (38 ATP) Aceptor final de elétrons Ciclo de Krebs Resultado da combinação dos elétrons com o oxigênio, ao final da cadeia respiratória
    33. 33. RESPIRAÇÃO CELULAR ATENÇÃO Na ausência de glicose, a célula pode utilizar outras moléculas para a realização da respiração celular, como aminoácidos (proteínas) e ácidos graxos (lipídios), com a participação da Coenzima- A. Os compostos intermediários obtidos a partir dessas moléculas entrarão no ciclo de Krebs.
    34. 34. Quadro comparativo entre Respiração Aeróbia e Fermentação Respiração Aeróbica Fermentação • Quebra completa de glicose. • Exige a presença de O² • Há formação de água como produto final. • Produto oxidado totalmente decomposto em CO² e H²O, liberando muita energia. • Formação de grande número de moléculas de ATP que armazenam essa energia. • Glicólise, ciclo de Krebs e cadeia respiratória. • Ocorre com a maioria dos seres vivos. • Quebra incompleta de glicose. • Não utiliza O² • Não há formação de água. • Produto parcialmente decomposto, não liberando toda a energia disponível, sobram resíduos energéticos. • Formação de pequeno número de moléculas de ATP. • Glicólise apenas (ácido pirúvico se decompõe em ácido láctico, etanol ou em ácido acético). • Ocorre com algumas bactérias, leveduras, vermes intestinais e células musculares.
    35. 35. REAÇÕES QUE CONSOMEM ENERGIA (ENDOTÉRMICAS) FOTOSSÍNTESE  Processo pelo qual algas e plantas absorvem a energia da luz solar e o CO2 da atmosfera para a síntese de moléculas orgânicas (glicose) que serão usadas posteriormente pela própria célula para obtenção de energia. Organela responsável nos eucariontes: CLOROPLASTOS.  Para que ocorra é necessário: • Clorofila • Luz solar • Água • CO2 • Temperatura Fatores limitantes da fotossíntese
    36. 36. FOTOSSÍNTESE
    37. 37. FOTOSSÍNTESE
    38. 38. FOTOSSÍNTESE De onde vem a energia para que esta reação ocorra ?  Vem do Sol. É captada pela clorofila, um pigmento verde, presente nos cloroplastos das folhas da planta.  Há dois tipos de clorofila que participam do processo: a clorofila a e a clorofila b.
    39. 39. FOTOSSÍNTESE Para onde vai a glicose sintetizada no processo? 1)Glicose é usada como fonte de alimento e de energia, pela própria célula vegetal, ou por outros seres da cadeia alimentar; 2) Glicose é usada na síntese de celulose, que compõe a parede celular dos vegetais; 3) Glicose é usada como matéria-prima para a síntese de outras moléculas (outros carboidratos, aminoácidos e ácidos graxos); 4)Glicose é armazenada como fonte de reserva energética: AMIDO nos vegetais GLICOGÊNIO nos animais
    40. 40. AS FASES DA FOTOSSÍNTESE FASE CLARA (Presença de luz) 1ª: Fotofosforilação cíclica 2ª: Fotofosforilação acíclica 3ª: Fotólise da água FASE ESCURA (Ausência de luz) Ciclo das Pentoses ou Ciclo de Calvin (Síntese da molécula de glicose)
    41. 41. FASE CLARA 1ª) FOTOFOSFORILAÇÃO CÍCLICA Ocorre nos tilacóides do cloroplasto. Luz solar, ao incidir nas partes verdes da planta, atinge a molécula de clorofila a, excitando-a.  Ocorre a liberação de elétrons, os quais passam por uma cadeia transportadora, promovendo a síntese de ATP.  É chamada de cíclica porque os elétrons passam pela cadeia transportadora e retornam à clorofila a.
    42. 42. 1ª) FOTOFOSFORILAÇÃO CÍCLICA
    43. 43. 2ª) FOTOFOSFORILAÇÃO ACÍCLICA Ocorre nos tilacóides do cloroplasto. Ocorre excitação da clorofila b, transporte de elétrons por uma cadeia transportadora e captura de elétrons pela clorofila a. A liberação e o transporte de elétrons pela cadeia transportadora promove a síntese de ATP.  É chamada de acíclica porque os elétrons passam pela cadeia transportadora e não retornam à clorofila b , mas são enviados à clorofila a.  Da clorofila a, os elétrons são transferidos ao NADP, formando NADPH2.
    44. 44. 3ª) FOTÓLISE DA ÁGUA Ocorre quebra das moléculas de água, na presença de luz , consumindo ATP. As moléculas de água (H2O) serão quebradas, formando oxigênio e íons hidrogênio. Parte do oxigênio é utilizado pela própria planta (respiração celular).  Outra parte do oxigênio é liberada para ambiente.  Os íons hidrogênios serão capturados pelo NADP e os elétrons resultantes retornam à clorofila b. 2 H2O  4 H+ + O2 + 4 e- Obs: O oxigênio (O2 ) que é produzido na fotossíntese surge das moléculas de água (H2O), que são quebradas ao final da fase clara, durante a fotólise da água.
    45. 45. 3ª) FOTÓLISE DA ÁGUA
    46. 46. 3ª) FOTÓLISE DA ÁGUA
    47. 47. RESUMO DA FASE CLARA 1) A energia liberada formará moléculas de ATP; 2) Parte do oxigênio (O2) liberado será usado na respiração celular da própria célula vegetal; 3) Os hidrogênios serão capturados pelo NADP, formando NADPH2; 4) As moléculas de ATP e de NADPH2 serão usadas na próxima etapa da fotossíntese, que é a FASE ESCURA.
    48. 48. FASE ESCURA (Ciclo das Pentoses ou Ciclo de Calvin)  Ocorre no estroma do cloroplasto. Não depende de luz, nem de clorofila, mas depende da fase clara.  Nesta fase serão usadas substâncias formadas durante a fase clara (ATP e NADPH2).  O CO2 absorvido pela planta, a partir da atmosfera, combina-se com os hidrogênios do NADPH2, formando a molécula se glicose. Como é uma reação de síntese, há consumo do ATP que foi produzido durante a fase clara.
    49. 49. FASE ESCURA (Ciclo das Pentoses ou Ciclo de Calvin)
    50. 50. EQUAÇÃO DA FOTOSSÍNTESE Todo o processo da fotossíntese pode der representado pela seguinte equação química: Esta reação pode ser simplificada da seguinte maneira:
    51. 51. RESUMO DAS FASES DA FOTOSSÍNTESE
    52. 52. FOTOSSÍNTESE FATORES LIMITANTES Clorofila Luz solar  Água  CO2 Temperatura
    53. 53. INFLUÊNCIA DA CONCENTRAÇÃO DE CO2 À medida que a concentração de CO2 aumenta, aumenta a taxa de fotossíntese, até certo ponto, quando se estabiliza. Sendo uma reação enzimática, a partir daquele ponto, as enzimas estarão todas em funcionamento, não permitindo, portanto, uma elevação da taxa de fotossíntese.
    54. 54. INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA As reações enzimáticas dependem da temperatura. Entretanto, em altas temperaturas, as enzimas se desnaturam, perdendo sua atividade e impedindo a formação do complexo enzima-substrato.
    55. 55. INTENSIDADE LUMINOSA
    56. 56. PONTO DE COMPENSAÇÃO  As plantas só realizam a fotossíntese em presença de luz, mas respiram o tempo todo, estando claro ou escuro. Ponto de compensação é a intensidade luminosa na qual a taxa de fotossíntese é igual à taxa de respiração.  Indica o ponto em que todo o oxigênio produzido na fotossíntese está sendo consumido na respiração. PONTO DE COMPENSAÇÃO: Intensidade luminosa na qual TF = TR
    57. 57. Taxas de fotossíntese e da respiração celular aeróbia em função da intensidade luminosa.

    ×