SlideShare uma empresa Scribd logo

Toxoplasmose

1. Toxoplasmose é causada pelo parasita Toxoplasma gondii e pode ser transmitida de mãe para filho durante a gravidez, causando complicações como hidrocefalia e retardo mental na criança. 2. O diagnóstico da infecção na gestante é feito por testes sorológicos e na criança por exames de sangue e ultrassom. 3. O tratamento da gestante infectada evita a transmissão ao feto e diminui as sequelas na criança, enquanto o acompanhamento do recém

1 de 28
Baixar para ler offline
Toxoplasmose e gravidez Interno: Paulo Mergulhão Belém- PA 2009 Universidade Federal do Pará Instituto de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Internato ginecologia e obstetrícia
Toxoplasmose e gravidez ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Toxoplasmose e gravidez Agente etiológico da  Toxoplasmose   IMPORTÂNCIA : Altamente prevalente no mundo – 15 a 60% de acordo com a população Pode provocar doença congênita grave  Importante causa de doença oportunista em pacientes infectados pelo HIV Causa comum de uveíte podendo levar à perda da visão
Toxoplasmose e gravidez Parasita intracelular obrigatório, eurixeno Classificação : esporozoário pertencente ao filo  Apicomplexa  – classe Sporozoa Hospedeiros : é uma zoonose de felinos porém infecta inúmeros vertebrados inclusive o Homem Formas ciclo evolutivo Taquizoíto (a forma invasiva encontrada na infecção aguda) Oocisto (contém os esporozoítos; encontrados no solo e fezes exclusivamente na família dos felinos) Cisto (contém os bradizoítos; encontrados nos tecidos)
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez Transmissão vertical: Taquizoítas atravessam a barreira placentária Primoinfecção ou reativação de infecção latente em imunodeprimidas. Fatores determinantes na transmissão: Parasitemia materna IG Competência do sistema imunológico. Incidência da infecção neonatal - Primeiro trimestre: 10% a 15% - Segundo trimestre: 30% - Terceiro trimestre 60% Intervalo de segurança entre a primo infecção e a gestação é de 6 meses.
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção materna Testes sorológicos: ELISA, IFI, Hemaglutinação passiva e teste de sabin-Feldmam. Imunoglobulinas: IgM : se eleva em alguns dias e permanece positiva por 6m a 2a. Pouco útil para determinar o momento da infecção. IgG : positiva em 2 sem, mantém-se elevada por 1- 2 a e decresce. Permanece positiva por toda a vida IgA : permanece positiva por 4- 5 m IgE : menos usada e pouco útil.
Toxoplasmose e gravidez Diagnostico de infecção materna Interpretação clinica das sorologias para IgM e IgG IgG  IgM  Interpretação Negativa  Negativa  Susceptibilidade Positiva  Negativa  Imunidade Negativa ou positiva  Positiva  Possibilidade de doença ativa
Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção materna IgM positiva - como fechar o diagnóstico? Soroconversão Sorologia anterior conhecida = suscetibilidade Ao longo da gestação a IgM positiva Diagnostico indiscutível de toxoplasmose na gestação Teste ELISA-IgG para avidez Avalia afinidade da ligação do Ag à IgG Avidez <30%= IgG de baixa afinidade – infecção recente< 16 sem Avidez >60% = IgG de alta afinidade – infecção antiga > 16 sem Avidez entre 30 – 60% = inconclusivo
Toxoplasmose e gravidez Investigação do comprometimento fetal USG morfológica do 1 e 3 trim Microcefalia ou hidrocefalia,  Hidropsia Hepatoesplenomegalia Placentomegalia Oligo ou polidrâmnio Ecocardiograma fetal após 20 sem Anomalias cardíacas
Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção fetal Amniocentese Após 18 sem( < sensibilidade abaixo de 18 sem) PCR no LA -  DNA de  toxoplasma gondii Cordocentese Pesquisa de IgM pata toxo no sangue fetal Estudo multicêntrico europeu(foulon et al, 1999) Amniocentese: com alta especificidade e alta sensibilidade Cordocentese: papel limitado(>risco à gestação)
Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção no período neonatal Quadro clinico variado e inespecífico: Microcefalia, hidrocefalia,convulsão Coriorretinite, catarata, glaucoma, microftalmia Hepatomegalia, esplenomegalia Anemia, púrpura, hidropsia USG e TC de crânio Calcificações intra-cranianas Laboratorial(sangue periférico do RN) IgG: AC maternos passam da mãe para o feto IgM, IgA ou PCR: especificidade e sensibilidade - confirma o diagnostico
Toxoplasmose e gravidez Toxoplasmose Congênita Infecção materna no primeiro trimestre : A infecção fetal  Aborto Natimorto Prematuridade Encefalite Pneumonite Convulsões Miocardite Hidrocefalia, calcificações cerebrais, coriorretinite, retardo mental  (tétrade de Sabin) Infecção materna no segundo e terceiro trimestres Pode ser assintomática para o  feto com manifestação tardia da doença, geralmente causa micropoliadenopatia, hepatoesplenomegalia, lesões oculares (cegueira)
Toxoplasmose e gravidez 85% dos recém-nascidos aparentemente normais ao nascimento.  10% a 30% irão desenvolver perda de audição 20% a 75% apresentarão retardo no desenvolvimento  Criança sintomática ao nascimento:   SNC  * Hidrocefalia, microcefalia, convulsões,  opistótono, paralisia de extremidades, dificuldade de sucção, letargia, distúrbios respiratórios e calcificações cerebrais.  * Gravidade maior se a criança nasceu prematura  Manifestações sistêmicas   hepatoesplenomegalia, icterícia, linfadenomegalia, febre, hipotermia, anemia, petéquias, equimoses, alterações liquóricas, eosinofilia e trombocitopenia.  Manifestações oculares * Retinocoroidite * Microftalmia, estrabismo, nistagmo, catarata, atrofia óptica...
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez Transmissão   Transplacentária Aproximadamente 40% dessas mulheres, se não tratadas, transmitirão a infecção No Brasil, entre 25 e 40% das gestantes são soronegativas para a toxoplasmose.  O risco de infecção aguda durante a gestação é de aproximadamente 1% e a transmissão fetal ocorre em 30% dos casos, levando a infecção fetal de gravidade variável.
Toxoplasmose e gravidez Tratamento Tratamento da gestante com toxoplasmose aguda sem infecção fetal Espiramicina  500mg ou 1.5 milhões de UI 2 comp. 8/8 h por toda a gestação Tratamento da gestante com toxoplasmose aguda com infecção fetal Pirimetamina  50mg de 12/12 h +  Sulfadiazina  500mg 6/6 h +  Ácido folÍnico  10mg 1Xdia.(esquema tóxico)  Deve ser alternado com Espiramicina a cada 3 semanas Está contra-indicado o uso de Pirimetamina no 1º trimestre de gravidez, pois é teratogênica, e de Sulfadiazina, no 3º trimestre, pelo risco de desenvolver kernicterus.   Clinda, azitro e a claritro podem substituir a sulfa
Toxoplasmose e gravidez Tratamento Indicado apenas  nas seguintes situações : Infecção aguda na gravidez (conversão sorológica) Uveítes Doença congênita Doença no imunodeprimido Drogas utilizadas : Na gravidez – Espiramicina, clindamicina; Nos demais casos – sulfa e Pirimetamina por 2 a  4 meses – inibem a dihidrofolato-redutase impedindo a síntese de folato e do DNA parasitário
Toxoplasmose e gravidez
Toxoplasmose e gravidez Profilaxia da toxoplasmose Evitar o consumo de carnes cruas ou mal cozidas Evitar manipular terra ou fazer serviços de jardinagem Evitar comer alimentos crus ou mal lavados Evitar o contato com gatos filhotes de procedência ignorada Gestantes devem realizar o teste sorológico para toxoplasmose, com dosagem de IgM e IgG mensalmente(Zugaib) Prevenção secundária: evitar a infecção fetal – Espiramicina Prevenção terciária: diminuir seqüelas em fetos infectados- Pirimetamina/ Sulfadiazina Prevenção primária Prevenção secundária
Toxoplasmose e gravidez ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Toxoplasmose e gravidez 6. Vaz AJ, Guerra EM, Ferratto LCC, Toledo LAS, Azevedo Neto RS. Sorologia positiva para sífilis, toxoplasmose e doença de Chagas em gestantes de primeira consulta em centros de saúde da área metropolitana, Brasil. Rev Saúde Pública 1990; 24:373-9 7. Beazley DM, Egerman RS. Toxoplasmosis. Semin Perinatol 1998; 22: 332-8 8. Guerina NG, Hsu Ho-Wen, Meissner C et al. Neonatal serologic screening and early  treatment for congenita Toxoplasma gondii infection. N Engl J Med 1994; 330: 1858-63  9. Toxoplasmosis awareness, causes and prevention, Disponivel em: << http://nileherb.blogspot.com/2008/11/toxoplasmosis-awareness-causes-and.html >> 10. Toxoplasmosis- na Infection Resulting From Microscopic Parasite, Disponivel em: < < www.thepregnancyzone.com >> 11. Medicina Fetal - Marcelo Zugaib - 2ª edição
Toxoplasmose e gravidez 12. Cecil, tratado de medicina interna, editores Lee Goldman, Dennis Ausiello, 22 ed., Elsevier, 2005 13. Rotinas de diagnóstico e tratamento das doenças infecciosas e parasitárias, editores Walter Tavares, Luiz Alberto Carneiro Marinho, 2 ed., 2007

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Toxoplasmose e Rúbeola
Toxoplasmose e RúbeolaToxoplasmose e Rúbeola
Toxoplasmose e Rúbeola
 
Toxoplasmose na Gestação
Toxoplasmose na GestaçãoToxoplasmose na Gestação
Toxoplasmose na Gestação
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Toxoplasmose!
Toxoplasmose!Toxoplasmose!
Toxoplasmose!
 
Toxoplasmose
Toxoplasmose Toxoplasmose
Toxoplasmose
 
Leishmaniose
LeishmanioseLeishmaniose
Leishmaniose
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
TUBERCULOSE
TUBERCULOSETUBERCULOSE
TUBERCULOSE
 
Doença de chagas
Doença de chagasDoença de chagas
Doença de chagas
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Aula n° 4 leishmaniose
Aula n° 4   leishmanioseAula n° 4   leishmaniose
Aula n° 4 leishmaniose
 
Síndrome da rubéola congênita
Síndrome da rubéola congênitaSíndrome da rubéola congênita
Síndrome da rubéola congênita
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.
Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.
Trabalho de parasitologia: Toxoplasma gondii.
 
Toxoplasmose
ToxoplasmoseToxoplasmose
Toxoplasmose
 
Leishmaniose visceral completo
Leishmaniose visceral completoLeishmaniose visceral completo
Leishmaniose visceral completo
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
 
Micoses superficiais
Micoses superficiais Micoses superficiais
Micoses superficiais
 
Citomegalovírus: Patologia
Citomegalovírus: PatologiaCitomegalovírus: Patologia
Citomegalovírus: Patologia
 
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
 

Semelhante a Toxoplasmose

1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...
1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...
1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...Pelo Siro
 
Aainfecções na gestação
Aainfecções na gestaçãoAainfecções na gestação
Aainfecções na gestaçãoRafael Ghisi
 
Aula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasAula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasGustavo Henrique
 
Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1
Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1
Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1Isadora Melo Franco
 
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptx
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptxEPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptx
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptxJessiellyGuimares
 
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte ii
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte iiLurdesmartins17
 
Sífilis Congênita - Rodrigo Mont'Alverne
Sífilis Congênita - Rodrigo Mont'AlverneSífilis Congênita - Rodrigo Mont'Alverne
Sífilis Congênita - Rodrigo Mont'AlverneRodrigo Mont'Alverne
 
Sifilis para treinameto no jubim
Sifilis para treinameto no jubimSifilis para treinameto no jubim
Sifilis para treinameto no jubimFátima Monteiro
 
PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...
PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...
PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...Centro Universitário Ages
 
Relato de caso ped 2023.pptx
Relato de caso ped 2023.pptxRelato de caso ped 2023.pptx
Relato de caso ped 2023.pptxFlviaFranchin
 
Sífilis diagnóstico clínico e laboratorial
Sífilis diagnóstico clínico e laboratorialSífilis diagnóstico clínico e laboratorial
Sífilis diagnóstico clínico e laboratorialitsufpr
 
Tv da sífilis
Tv da sífilisTv da sífilis
Tv da sífilistvf
 

Semelhante a Toxoplasmose (20)

1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...
1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...
1188746976 saude reprodutiva-doencas_infecciosas_e_gravidez_orientacoes_tecni...
 
apresentação toxoplasmose.pptx
apresentação toxoplasmose.pptxapresentação toxoplasmose.pptx
apresentação toxoplasmose.pptx
 
Toxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênitaToxoplasmose congênita
Toxoplasmose congênita
 
Aainfecções na gestação
Aainfecções na gestaçãoAainfecções na gestação
Aainfecções na gestação
 
Aula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosasAula 3 -_doencas_infecciosas
Aula 3 -_doencas_infecciosas
 
Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1
Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1
Diagnóstico laboratorial-da-toxoplasmose-congênita1
 
Dst
DstDst
Dst
 
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptx
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptxEPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptx
EPIDEMIOLOGIA E CONTROLE DAS ENDEMIAS DE TRANSMISSÃO VERTICAL 4.pptx
 
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte ii
3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii3  a importancia da vigilancia da saude materna   parte ii
3 a importancia da vigilancia da saude materna parte ii
 
Sífilis Congênita - Rodrigo Mont'Alverne
Sífilis Congênita - Rodrigo Mont'AlverneSífilis Congênita - Rodrigo Mont'Alverne
Sífilis Congênita - Rodrigo Mont'Alverne
 
Sifilis para treinameto no jubim
Sifilis para treinameto no jubimSifilis para treinameto no jubim
Sifilis para treinameto no jubim
 
Rubéola na Gestação
Rubéola na GestaçãoRubéola na Gestação
Rubéola na Gestação
 
PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...
PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...
PROTOCOLO PARA VIGILÂNCIA E ASSISTÊNCIA DE CASOS SUSPEITOS OU CONFIRMADOS DE ...
 
Relato de caso ped 2023.pptx
Relato de caso ped 2023.pptxRelato de caso ped 2023.pptx
Relato de caso ped 2023.pptx
 
Varicela 4
Varicela 4Varicela 4
Varicela 4
 
Sífilis diagnóstico clínico e laboratorial
Sífilis diagnóstico clínico e laboratorialSífilis diagnóstico clínico e laboratorial
Sífilis diagnóstico clínico e laboratorial
 
Infeccoes perinatais torch
Infeccoes perinatais torchInfeccoes perinatais torch
Infeccoes perinatais torch
 
Tv da sífilis
Tv da sífilisTv da sífilis
Tv da sífilis
 
Atualizações no Ciclo Gravídico Puerperal e Aleitamento - COVID - 19
Atualizações no Ciclo Gravídico Puerperal e Aleitamento - COVID - 19Atualizações no Ciclo Gravídico Puerperal e Aleitamento - COVID - 19
Atualizações no Ciclo Gravídico Puerperal e Aleitamento - COVID - 19
 
TOXOPLAMOSE
TOXOPLAMOSETOXOPLAMOSE
TOXOPLAMOSE
 

Toxoplasmose

  • 1. Toxoplasmose e gravidez Interno: Paulo Mergulhão Belém- PA 2009 Universidade Federal do Pará Instituto de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Internato ginecologia e obstetrícia
  • 2.
  • 3. Toxoplasmose e gravidez Agente etiológico da Toxoplasmose IMPORTÂNCIA : Altamente prevalente no mundo – 15 a 60% de acordo com a população Pode provocar doença congênita grave Importante causa de doença oportunista em pacientes infectados pelo HIV Causa comum de uveíte podendo levar à perda da visão
  • 4. Toxoplasmose e gravidez Parasita intracelular obrigatório, eurixeno Classificação : esporozoário pertencente ao filo Apicomplexa – classe Sporozoa Hospedeiros : é uma zoonose de felinos porém infecta inúmeros vertebrados inclusive o Homem Formas ciclo evolutivo Taquizoíto (a forma invasiva encontrada na infecção aguda) Oocisto (contém os esporozoítos; encontrados no solo e fezes exclusivamente na família dos felinos) Cisto (contém os bradizoítos; encontrados nos tecidos)
  • 6. Toxoplasmose e gravidez Transmissão vertical: Taquizoítas atravessam a barreira placentária Primoinfecção ou reativação de infecção latente em imunodeprimidas. Fatores determinantes na transmissão: Parasitemia materna IG Competência do sistema imunológico. Incidência da infecção neonatal - Primeiro trimestre: 10% a 15% - Segundo trimestre: 30% - Terceiro trimestre 60% Intervalo de segurança entre a primo infecção e a gestação é de 6 meses.
  • 8. Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção materna Testes sorológicos: ELISA, IFI, Hemaglutinação passiva e teste de sabin-Feldmam. Imunoglobulinas: IgM : se eleva em alguns dias e permanece positiva por 6m a 2a. Pouco útil para determinar o momento da infecção. IgG : positiva em 2 sem, mantém-se elevada por 1- 2 a e decresce. Permanece positiva por toda a vida IgA : permanece positiva por 4- 5 m IgE : menos usada e pouco útil.
  • 9. Toxoplasmose e gravidez Diagnostico de infecção materna Interpretação clinica das sorologias para IgM e IgG IgG IgM Interpretação Negativa Negativa Susceptibilidade Positiva Negativa Imunidade Negativa ou positiva Positiva Possibilidade de doença ativa
  • 10. Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção materna IgM positiva - como fechar o diagnóstico? Soroconversão Sorologia anterior conhecida = suscetibilidade Ao longo da gestação a IgM positiva Diagnostico indiscutível de toxoplasmose na gestação Teste ELISA-IgG para avidez Avalia afinidade da ligação do Ag à IgG Avidez <30%= IgG de baixa afinidade – infecção recente< 16 sem Avidez >60% = IgG de alta afinidade – infecção antiga > 16 sem Avidez entre 30 – 60% = inconclusivo
  • 11. Toxoplasmose e gravidez Investigação do comprometimento fetal USG morfológica do 1 e 3 trim Microcefalia ou hidrocefalia, Hidropsia Hepatoesplenomegalia Placentomegalia Oligo ou polidrâmnio Ecocardiograma fetal após 20 sem Anomalias cardíacas
  • 12. Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção fetal Amniocentese Após 18 sem( < sensibilidade abaixo de 18 sem) PCR no LA - DNA de toxoplasma gondii Cordocentese Pesquisa de IgM pata toxo no sangue fetal Estudo multicêntrico europeu(foulon et al, 1999) Amniocentese: com alta especificidade e alta sensibilidade Cordocentese: papel limitado(>risco à gestação)
  • 13. Toxoplasmose e gravidez Diagnostico da infecção no período neonatal Quadro clinico variado e inespecífico: Microcefalia, hidrocefalia,convulsão Coriorretinite, catarata, glaucoma, microftalmia Hepatomegalia, esplenomegalia Anemia, púrpura, hidropsia USG e TC de crânio Calcificações intra-cranianas Laboratorial(sangue periférico do RN) IgG: AC maternos passam da mãe para o feto IgM, IgA ou PCR: especificidade e sensibilidade - confirma o diagnostico
  • 14. Toxoplasmose e gravidez Toxoplasmose Congênita Infecção materna no primeiro trimestre : A infecção fetal Aborto Natimorto Prematuridade Encefalite Pneumonite Convulsões Miocardite Hidrocefalia, calcificações cerebrais, coriorretinite, retardo mental (tétrade de Sabin) Infecção materna no segundo e terceiro trimestres Pode ser assintomática para o feto com manifestação tardia da doença, geralmente causa micropoliadenopatia, hepatoesplenomegalia, lesões oculares (cegueira)
  • 15. Toxoplasmose e gravidez 85% dos recém-nascidos aparentemente normais ao nascimento. 10% a 30% irão desenvolver perda de audição 20% a 75% apresentarão retardo no desenvolvimento Criança sintomática ao nascimento: SNC * Hidrocefalia, microcefalia, convulsões, opistótono, paralisia de extremidades, dificuldade de sucção, letargia, distúrbios respiratórios e calcificações cerebrais. * Gravidade maior se a criança nasceu prematura Manifestações sistêmicas hepatoesplenomegalia, icterícia, linfadenomegalia, febre, hipotermia, anemia, petéquias, equimoses, alterações liquóricas, eosinofilia e trombocitopenia. Manifestações oculares * Retinocoroidite * Microftalmia, estrabismo, nistagmo, catarata, atrofia óptica...
  • 21. Toxoplasmose e gravidez Transmissão Transplacentária Aproximadamente 40% dessas mulheres, se não tratadas, transmitirão a infecção No Brasil, entre 25 e 40% das gestantes são soronegativas para a toxoplasmose. O risco de infecção aguda durante a gestação é de aproximadamente 1% e a transmissão fetal ocorre em 30% dos casos, levando a infecção fetal de gravidade variável.
  • 22. Toxoplasmose e gravidez Tratamento Tratamento da gestante com toxoplasmose aguda sem infecção fetal Espiramicina 500mg ou 1.5 milhões de UI 2 comp. 8/8 h por toda a gestação Tratamento da gestante com toxoplasmose aguda com infecção fetal Pirimetamina 50mg de 12/12 h + Sulfadiazina 500mg 6/6 h + Ácido folÍnico 10mg 1Xdia.(esquema tóxico) Deve ser alternado com Espiramicina a cada 3 semanas Está contra-indicado o uso de Pirimetamina no 1º trimestre de gravidez, pois é teratogênica, e de Sulfadiazina, no 3º trimestre, pelo risco de desenvolver kernicterus. Clinda, azitro e a claritro podem substituir a sulfa
  • 23. Toxoplasmose e gravidez Tratamento Indicado apenas nas seguintes situações : Infecção aguda na gravidez (conversão sorológica) Uveítes Doença congênita Doença no imunodeprimido Drogas utilizadas : Na gravidez – Espiramicina, clindamicina; Nos demais casos – sulfa e Pirimetamina por 2 a 4 meses – inibem a dihidrofolato-redutase impedindo a síntese de folato e do DNA parasitário
  • 25. Toxoplasmose e gravidez Profilaxia da toxoplasmose Evitar o consumo de carnes cruas ou mal cozidas Evitar manipular terra ou fazer serviços de jardinagem Evitar comer alimentos crus ou mal lavados Evitar o contato com gatos filhotes de procedência ignorada Gestantes devem realizar o teste sorológico para toxoplasmose, com dosagem de IgM e IgG mensalmente(Zugaib) Prevenção secundária: evitar a infecção fetal – Espiramicina Prevenção terciária: diminuir seqüelas em fetos infectados- Pirimetamina/ Sulfadiazina Prevenção primária Prevenção secundária
  • 26.
  • 27. Toxoplasmose e gravidez 6. Vaz AJ, Guerra EM, Ferratto LCC, Toledo LAS, Azevedo Neto RS. Sorologia positiva para sífilis, toxoplasmose e doença de Chagas em gestantes de primeira consulta em centros de saúde da área metropolitana, Brasil. Rev Saúde Pública 1990; 24:373-9 7. Beazley DM, Egerman RS. Toxoplasmosis. Semin Perinatol 1998; 22: 332-8 8. Guerina NG, Hsu Ho-Wen, Meissner C et al. Neonatal serologic screening and early treatment for congenita Toxoplasma gondii infection. N Engl J Med 1994; 330: 1858-63 9. Toxoplasmosis awareness, causes and prevention, Disponivel em: << http://nileherb.blogspot.com/2008/11/toxoplasmosis-awareness-causes-and.html >> 10. Toxoplasmosis- na Infection Resulting From Microscopic Parasite, Disponivel em: < < www.thepregnancyzone.com >> 11. Medicina Fetal - Marcelo Zugaib - 2ª edição
  • 28. Toxoplasmose e gravidez 12. Cecil, tratado de medicina interna, editores Lee Goldman, Dennis Ausiello, 22 ed., Elsevier, 2005 13. Rotinas de diagnóstico e tratamento das doenças infecciosas e parasitárias, editores Walter Tavares, Luiz Alberto Carneiro Marinho, 2 ed., 2007