1Business WritingCarga horária: 01 horaPalestrante: José Paulo Moreira de OliveiraSócio-diretor do Grupo Independente de P...
21. IntroduçãoOlá!Seja bem-vindo (a) ao curso Escrita para Negócios!Esperamos que no final deste curso, você possa teragre...
3publicou os dados de pesquisa da Fundação doServiço Estadual de Análise de Dados, apontando adeficiência dos trabalhadore...
42. A Motivação da Escrita: Por que Escrever e Para Que Escrever?Quem nunca foi pego por um lapso de esquecimento? Todos n...
5enfim, praticamente toda grande parte da vida corporativa vem por meio dacomunicação escrita. Imagine se para todas as in...
6Do mesmo modo, se o texto produzido dirige-se a um público jovem alinguagem usada deve provocar identificação.Assim, a es...
7etapas de uma comunicação escrita:“ Assumindo que a linguagem é construída pela interação (trocas) entreos sujeitos, ente...
8As situações de reescrita podem ocorrer também durante a escrita. Noentanto, consideramos o estudo da revisão que ocorre ...
9Observe que durante a reescrita do texto 1, alguns dados foram incluídos. Oque garantiu a clareza do texto 2, o reescrito...
101. Um dos grandes erros que uma pessoa comete ao escrever é escreverpara __________próprio.2. Um texto nunca fica pronto...
11Vamos conhecer as características que distinguem a fala da escrita para queevitemos equívocos. Observe a distinção entre...
12jerimum, o texto escrito precisa “uniformizar” a língua. Por isso, dizemosque bons textos seguem o padrão da norma culta...
13Vamos rever a tabela de diferenças entre a fala e a escrita, para nosaprofundarmos no conteúdo do segundo item:Frases cu...
14que um bom texto é aquele que se apropria de uma retórica sofisticada,pouco compreensível?Vamos conhecer as sete caracte...
151. Se inicio o texto no modo pessoal e termino no impessoal é sinal quefaltou___________2. Convenções da língua signific...
16escrever bem. A eficiência na interpretação e na produção de textos nãodepende exclusivamente da correção gramatical. El...
17Observe que apenas mudando a proposição,criamos vários sentidos para a mesma frase. Estaé também a função dos conectivos...
18inovativo e até o Terceiro Setor, por meio de Organizações Não-Governamentais (ONGs), também inova. Porém, de acordo com...
19Vamos nos divertir um pouco? Encontre as incoerências presentes no exemplo.Vitório era gordinho, atarracado e briguento....
20Num caso como esse, a ambigüidade é extremamente prejudicial, pois leva oleitor a uma duplicidade de sentidos que prejud...
212) Aperte o botão verde “start”.9. Utilize um discurso de tom positivo: “Quando vocêconcluir o relatório...” é melhor do...
223. Procure utilizar imagens que permitam uma associação e, portanto,uma melhor memorização ou ilustração do conteúdo apr...
23
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Como escrever bem business writing

745 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
745
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como escrever bem business writing

  1. 1. 1Business WritingCarga horária: 01 horaPalestrante: José Paulo Moreira de OliveiraSócio-diretor do Grupo Independente de Português e da José Paulo,consultoria em comunicação (ZPC).Tutor: Rubiana Silva PereiraPós-graduada em Lingüística Aplicada pela UFPR, professora de LínguaPortuguesa e Literatura para o Ensino Médio e Pré-vestibular, corretora dasredações do ENEM, capacitadora e palestrante em cursos de capacitação eaperfeiçoamento profissional na área de Língua Portuguesa.Neste curso, abordaremos alguns aspectos que compõem a boa escrita.Trataremos de sua aquisição e/ou aperfeiçoamento.Objetivos de Aprendizagem• Compreender que a boa escrita é aquela que atinge o enunciadocomunicativo;• Identificar as três condições para escrever: ter o que dizer, ter paraquem dizer e saber como dizer;• Identificar os elementos que compõem a escrita de bons textos:clareza, coesão e coerência;• Identificar que a escrita é diferente da fala, é sistemática e precisa seraprendida;• Conhecer alguns elementos que garantem a clareza do texto;• Identificar a ambigüidade como mecanismo desqualificador dos textosutilitários;• Conhecer a estrutura de alguns gêneros textuais que compõem o mundocorporativo.Mapa do Curso1. Introdução2. A Motivação da Escrita: Por Que Escrever e Para Que Escrever?3. Características da Oralidade na Escrita4. Momentos da Escrita: Planejar, Escrever e Reescrever5. Características de um Bom Texto6. Características e Dicas para Elaboração de Alguns TextosCorporativos: O E-mail7. Características e Dicas para Elaboração de Alguns TextosCorporativos: Apresentações em PowerPoint8. Conclusão
  2. 2. 21. IntroduçãoOlá!Seja bem-vindo (a) ao curso Escrita para Negócios!Esperamos que no final deste curso, você possa teragregado ainda mais valores à sua práticaprofissional.Aproveite bem esta oportunidade, renove seusconhecimentos e aperfeiçoe a sua escrita.Bom curso!!!Para começarmos, gostaria de dividir com você algumas de minhas leituras...Há alguns anos li uma reportagem na revista Exame que despertouminha curiosidade para a escrita corporativa. Dizia o seguinte:“Quem comete erros de português ao falar, e não é capaz de escrever dezlinhas gramaticalmente corretas e com clareza, passa aos outros umapéssima imagem. Imagem de pessoa mal informada, de nível culturalbaixo, que não lê. Ou seja, que não tem o perfil que o mercado procura.No mundo competitivo das empresas é bom que esse tipo de gente nãotenha grandes aspirações.” (Exame, 23 de abril de 1997)A reportagem revelava ainda que executivos brasileiros produzem relatóriosincompreensíveis, cartas que levam a diferentes interpretações, textosabsolutamente pobres de idéias, frases e sentenças e orações desconexas epor aí afora.Você concorda que, nos dias de hoje, as empresas einstituições procuram pessoas com habilidade paraescrever?( ) Sim ( ) NãoO texto da revista exame nos faz pensar sobre o valorde um bom domínio de escrita para a nossa vidaprofissional, não é mesmo?É, mas a história não pára por aí....Em 18 de maio de 2000, a Folha de São PauloJustifique sua resposta:
  3. 3. 3publicou os dados de pesquisa da Fundação doServiço Estadual de Análise de Dados, apontando adeficiência dos trabalhadores para se comunicar porescrito. Segundo a reportagem, 47,5% dosempregados de nível superior tabelados têmdificuldade de se comunicar por escrito.Mas afinal, o que caracteriza um bom texto? Registretrês características que você acredita que devamestar inseridas dentro de um bom texto.Clique no botão resposta e conheça algumasrespostas possíveis para esta pergunta.Bem, depois de tudo isso, você deve estar seperguntando: qual é a saída para resolver o problemada dificuldade de escrever?Vamos iniciar com uma dica valiosa retirada damesma reportagem da Exame:Em geral, escrevemos para outras pessoas, mas amaioria das pessoas comete o erro de escrever parao outro como se escrevesse para si própria. Quandotermina o texto vem o reconhecimento danecessidade de reestruturação (reescrita), não éverdade, isto acontece com você?( ) sim, sempre ( ) não ( ) poucas vezesDe fato, redigir um bom texto dá trabalho mesmo.Exige atenção, concentração, esforço, tempo,dedicação, treino e paciência para começar de novomuitas vezes.__________________________________________Resposta
  4. 4. 42. A Motivação da Escrita: Por que Escrever e Para Que Escrever?Quem nunca foi pego por um lapso de esquecimento? Todos nós, não é?Diariamente, somos bombardeados com milhares de informações, muito maisdo que a nossa memória pode suportar.Há um episódio que se conta sobre a vida do famosofísico Albert Einstein. Certa vez, após umaentrevista, o repórter perguntou o número dotelefone de Albert. Este abriu sua caderneta deanotações e, lendo o número, o disse para ojornalista. Bastante surpreso, o jovem entrevistadorperguntou a Einstein: “O senhor não se lembra onúmero do seu próprio telefone?“ Calmamente,Einsten respondeu: “Meu jovem, a inteligência nãoestá em decorar as informações, mas em saber ondeencontrá-las.”Portanto, a escrita serve como registro auxiliar damemória e você pode fazer um bom uso desterecurso.Acompanhe meu raciocínio e vamos rever um pouco da história...Garantir a memória refere-se não apenas ao indivíduo, mas à cultura, àsociedade em que a escrita está inserida. Quando não havia escrita, essamemória era transmitida através da oralidade. E ainda é assim nas culturasdos povos ágrafos (sem escrita). Através de contações de histórias, porexemplo, transmitem aos filhos e netos valores morais, ou se prepara o pajé,ou o líder, ou conta-se a saga de seus heróis e deuses. No entanto, éimpossível imaginar uma sociedade como a nossa manter sua memóriahistórica e cultural sem a escrita, não é mesmo? Imagine a sua organizaçãosem registro, seria um verdadeiro desastre, concorda?Dentro das corporações, a escrita toma um papel importante não apenascomo reflexo de uma sociedade gráfica, mas também como veículo de lucro,considerando que o uso de informação escrita reduz gastos com o tempo,ligações telefônicas, reuniões, etc.Sem falar na transmissão de normas (como as ISO), ou dados, ou avisos,
  5. 5. 5enfim, praticamente toda grande parte da vida corporativa vem por meio dacomunicação escrita. Imagine se para todas as informações veiculadasdiariamente fosse marcada uma reunião... ou diversos telefonemas... Hajatempo e paciência... E imagine, quando as pessoas não fossem localizadas...Perderiam a informação?Em nossa cultura, a escrita tem valor “oficial”.Transações de todos os tipos precisam serdocumentadas por escrito pra terem reconhecimentolegal. Isso confere à escrita um valor ainda maior.Como vimos, escreve-se para manter por longos anos, eaté para gerações futuras e longínquas, o registro deacontecimentos, atos, pensamentos, idéias,sentimentos, enfim, tudo que a escrita pode registrar.Desse modo, a motivação da escrita está no outro.Lembra-se da crítica feita pela reportagem da Exame?O erro número 1 que a maioria das pessoascomete é escrever para si próprias.Por mais que a escrita possa auxiliar na memóriaindividual (exemplo disso é a caderneta do Einsten), ésempre utilizada para que alguém leia. Portanto, aescrita existe em função do outro, nunca para si mesma.Escreve-se para o outro.Para que você possa se fazer entender é preciso que se comuniqueadequadamente. Isto é, não basta ter para quem dizer, é preciso ter o quedizer e saber como dizer para ser compreendido. Escute a história daseqüência que retrata a conversa entre uma cliente e um caixa de banco.Somente quando você tem em mente quem é o seu interlocutor é quevocê pode definir uma linguagem que seja apropriada. Porque, afinal,segundo os valores culturais das relações corporativas, não convém que, porexemplo, você envie pela primeira vez um e-mail para um cliente com amesma linguagem de um enviado para o seu(sua) namorado(a), por exemplo.
  6. 6. 6Do mesmo modo, se o texto produzido dirige-se a um público jovem alinguagem usada deve provocar identificação.Assim, a escrita não apenas transmite informação, mas também trazconceitos sociais, julgamento de valores, pontos-de-vista.Pense e responda abaixo: Você acredita que a forma como você escrevepode influenciar a imagem da sua organização?Agora, vamos fazer a seguinte atividade escrita:Pense numa situação real, a necessidade de passar uma informação escritapara um gerente ou diretor de sua organização avisando que você não poderácomparecer ao trabalho.Agora releia o texto que escreveu, coloque-se no lugar da pessoa paraquem você escreveu e responda:• Este vocabulário está adequado: utilizo palavrascompreensíveis e que transmitem exatamente minhasidéias?____________________________________________________• Meu leitor compreenderá claramente o que eu quero dizer?_______________________________________________________• Se minha intenção é transmitir a seriedade ou adescontração, esse texto reflete isso?A que conclusão você chegou? Caso sinta necessidade, reescreva seu textono espaço abaixo:*Se você tiver em mente que escreve para que alguém leia, e não para vocêmesmo, mais da metade do seu percentual de habilidade de escrita já estágarantido!3. Pontos Chaves da Escrita: Planejar, Escrever e ReescreverA doutora Raquel Fiad, da UNICAMP, escreveu a seguinte frase sobre as
  7. 7. 7etapas de uma comunicação escrita:“ Assumindo que a linguagem é construída pela interação (trocas) entreos sujeitos, entendemos que, na modalidade escrita da linguagem, essaconstrução envolve momentos diferentes, como o de planejamento de umtexto, o das modificações feitas no texto a partir dessa leitura.”A afirmação da Dra. Fiad, implica que, diferente da fala, a escrita exigesistematização. Isso envolve planejamento, trabalho e modificações até sechegar na obtenção de um texto satisfatório. Depois de muitas pesquisas elaaponta que escrever é apenas um pouco de inspiração, e muita, mas muitamesmo transpiração.É não tem outro caminho, a questão é escrever, ler, reescrever e só depoisencaminhar seu texto ao destinatário, certo?Escrever é trabalhar e envolve etapas. A primeira, como tudo na vida, é a doplanejamento. A preocupação é com o que será enfocado no tema que otexto pretende abordar e qual será o assunto de cada parágrafo.A partir disso, se inicia a escrita propriamente dita; “preenchendo-se” oconteúdo de cada parágrafo em uma seqüência lógica, com clareza e tudo omais que proporciona a produção de um bom texto.Lembre-se que um texto nunca fica pronto após a primeira escrita. Énecessário revê-lo. Ler buscando o que pode ser melhorado, fazeradequações gramaticais e estruturais. Esse processo é denominado reescritaou reestruturação do texto. Pois, no momento de colocar as idéias no papel,você está preocupado em garantir o registro delas na velocidade dopensamento, em não se esquecer de nada. E por isso alguns “deslizes”passam desapercebidos. Isso é normal no processo de escrita. Acontece comvocê, comigo, com o Saramago, com qualquer outro escritor ou pessoas quelidam com a escrita.Outra dica interessante é: após escrever, solicitar que alguém leia o textopara ver se o que você pretende informar está de fato claro e serácompreendido pelo leitor. É uma boa forma de avaliar sua produção escrita,afinal, escrevemos para o outro, não é mesmo?Por vezes, dizemos ou escrevemos alguma coisa, mas na verdade, queremosdizer outra coisa.... observe a tirinha abaixo:
  8. 8. 8As situações de reescrita podem ocorrer também durante a escrita. Noentanto, consideramos o estudo da revisão que ocorre após a escrita, a qualenvolve: Inclusão de tudo o que dará maior clareza ao texto e que atende anorma culta da língua, ou seja, palavras, sinais e parágrafos.Observe o texto 1 - original e observe a mudança ocorrida após a reescrita –texto 2:1. Trecho do texto original –Água é vida, mas não seria aomesmo tempo morte? Tragédiasem relação à água ocorrem nonosso cotidiano diariamente.Pessoas perdem suas vidas não sóem relação à morte, mas tambémnas enchentes, por exemplo:perdem suas casas, seus bensmateriais.Perceba que, pela forma como foiescrito, o texto não deixa claro deque maneira a água é vida e morte.2.Trecho reescrito –Água é vida. No entanto, seria aomesmo tempo morte? Tragédias emrelação à água ocorremdiariamente. Pessoas perdem suasvidas em enchentes e alagamentosprovocados pela água. Não só amorte física tira a dádiva da vida.Ela também se vai, quando acaba ogosto de viver. Quando essa águaleva tudo o que essas pessoasconstruíram e conquistaram, comosuas casas e outros bens materiais.
  9. 9. 9Observe que durante a reescrita do texto 1, alguns dados foram incluídos. Oque garantiu a clareza do texto 2, o reescrito. Observe que recursos foramusados para a reescrita deste texto:1. Supressão: de idéias redundantes ou incoerentes.No caso do trecho citado no texto 1, a expressão: ...cotidiano diariamenteé redundante, devendo ser suprimida escolhendo-se usar ou a palavracotidiano ou a palavra diariamente, mas não as duas juntas.2. Substituição: de palavras repetidas, ambíguas, ou inadequadas; deexpressões ou construções por outras que, do ponto de vista do autor, deixamo texto mais adequado.3. Deslocamento: de parágrafos que devem estar ordenados de maneira maiscoesa possível ou frases e períodos.Compreendeu?Atividade Pense e associe as palavras da direita com as frases daesquerda.A - A escrita é o resultadode um trabalho consciente,-----------------, repensado enão uma inspiração divina.( ) SupressãoB – O processo de ----------------------- consiste em retiraridéias redundantes ouincoerentes do texto.( ) DeslocamentoC –O processo de ---------------------------------------consiste em mudar osparágrafos que devem estarordenados de maneira maiscoesa possível ou frases eperíodos.( ) PlanejadoEsperamos que até aqui o curso esteja sendoproveitoso e você já tenha tido condições de avaliarsua condição enquanto escritor.Sendo assim, que tal darmos uma paradinha paraexercitar o conhecimento adquirido até aqui?Para isso, complete a cruzadinha respondendo as afirmações de forma apreencher as lacunas:
  10. 10. 101. Um dos grandes erros que uma pessoa comete ao escrever é escreverpara __________próprio.2. Um texto nunca fica pronto na primeira vez que se escreve. Sendoassim, a _________é a parte da escrita de bons textos.3. Um bom texto é aquele que possui uma escrita.4. Sempre coloque-se no lugar dos leitores antes de começar a escrever epergunte-se:Este _____________está adequado: utilizo palavras compreensíveis aeste público leitor e que transmitem exatamente minhas idéias?5. A escrita é um registro auxiliar da _______________, ela nos permite“arquivar” as informações para as gerações futuras, para nós mesmos eprincipalmente para os outros.4. As Características da Oralidade na EscritaPense e responda no espaço abaixo:As marcas da oralidade devem aparecer nos textos escritos formais?
  11. 11. 11Vamos conhecer as características que distinguem a fala da escrita para queevitemos equívocos. Observe a distinção entre elas:Fala EscritaAmpla variedade Modalidade PadrãoFrases curtas Frases longasRedundante, repetitivo ConcisoMarcas de oralidade Uso de elementos própriosAprendizagem natural Aprendizagem sistemáticaFonte: KochVamos ver agora o que quer dizer cada um dos tópicos apresentados na tabela quedifere fala de escrita e como ele se manifesta no texto.1.Ampla variedade/Modalidade Padrão: a fala difere entre homens e mulheres,idade, classe social, região, época, entre outros. Um adolescente, por exemplo,utiliza um vocabulário cheio de gírias se comparado com a fala de um idoso. A falada região Sul possui marcas diferentes da fala da região Norte.Observe a tirinha:A tira acima é um bom exemplo de como a fala é diversificada, como existem váriosdialetos dentro de uma mesma língua nacional. Essa variação da linguagem é normale saudável. Afinal, a linguagem é dinâmica e reflete a vivência de cada pessoa. E serdiferente não é errado, apenas é ser diferente.O que acontece é que na hora de escrever, como você não estará junto doseu leitor para resolver qualquer dúvida, você precisa assegurar acompreensão do seu texto. Assim, a escrita precisa fixar estas diferençaspara assegurar a informação, ou seja, apesar da diferença regional umarevista de circulação nacional tem de apresentar uma escrita compreensívelde Norte a Sul do país. Não importa se no Sul fala-se abóbora e no norte
  12. 12. 12jerimum, o texto escrito precisa “uniformizar” a língua. Por isso, dizemosque bons textos seguem o padrão da norma culta, ou a norma padrão dalíngua, a qual nada mais é que a língua socialmente aceita nos veículos decomunicação e nas relações sociais escritas. É a língua da gramática e dosdicionários, dos jornais e revistas de circulação nacional.É importante lembrar que desmerecer as variações regionais ou locais de falaé preconceito.Se você se interessar pode saber mais sobre oassunto lendo o livro do lingüista Marcos Bagno “Preconceito Lingüístico: oque é e como se faz” da editora Loyola.
  13. 13. 13Vamos rever a tabela de diferenças entre a fala e a escrita, para nosaprofundarmos no conteúdo do segundo item:Frases curtas/Frases longas: A fala possui frases mais curtas em relação àescrita (devido à memória, lembra-se?). Esse recurso garante que ointerlocutor apreenda as informações e também para que o falante consigaformular frases e elaborar o texto ao mesmo tempo em que fala. Já a escritapermite a elaboração de frases mais longas porque é possível ler o textoquantas vezes for necessário para entendê-lo ou relembrar informações.Além do que, o texto precisa garantir também a compreensão do leitor, jáque o escritor não está presente na interlocução como na oralidade.Continuaremos estudando o terceiro item da tabela que diferencia a fala daescrita. Vamos lá!Redundante, repetitivo/Conciso: Na fala é natural a repetição de palavras emesmo de idéias. Isso na escrita torna o texto confuso e de baixa qualidade,porque, afinal se o leitor pode “voltar” ao texto tanto quanto necessário paracompreendê-lo, para que escrever várias vezes a mesma coisa? A redundânciana escrita revela falta de conhecimento do assunto por parte de quemescreve ou vocabulário pobre. Quanto mais objetivo o texto for, maiorgarantia de clareza ele terá.Marcas de oralidade/Uso de elementos próprios: O falante, mesmo semperceber, utiliza-se de marcas próprias da fala. São expressões como: né, ta,e tal, tipo assim, daí. Essas expressões garantem um intervalo de memória aquem fala para que seja elaborada a próxima fala ou para garantir que ointerlocutor não tome a vez de falar. A escrita não precisa garantir amemória, muito menos temer não ter suas idéias concluídas. No entanto,uma característica muito importante na escrita são as “partículas coesivas”,ou elementos de ligação ou ainda elementos de coesão. São três nomes paraa mesma coisa: expressões que garantem a “costura” das idéias entre aspalavras, frases, períodos e parágrafos.E para concluir estudaremos o quarto item da tabela:Aprendizagem natural/Aprendizagem sistemática: A fala é aprendidanaturalmente no convívio social da criança, tanto que pessoas que nuncaforam alfabetizadas, que não possuem deficiências biológicas como surdez,fazem uso da fala tranqüilamente. Já a escrita precisa ser aprendida, ésistêmica. Isto, nos leva a pensar: Quais são as características de um bomtexto?5.Características de um Bom TextoFalamos tanto sobre “bons textos” mas afinal: o que é um bom texto? Será
  14. 14. 14que um bom texto é aquele que se apropria de uma retórica sofisticada,pouco compreensível?Vamos conhecer as sete características básicas de um bom texto:1. Clareza e objetividade – Ter em mente para quem está escrevendo esaber o que diz sem floreios ou voltas. É ir direto ao assunto.2. Seqüência lógica – A famosa seqüência: introdução, desenvolvimento econclusão. A seqüência lógica é o encadeamento das frases de forma atransmitirem uma seqüência lógica de idéias que permitam a compreensão doseu texto.1.Clareza e objetividade2.Seqüência lógica3.Coesão4.Coerência5.Originalidade6.Convenções da língua7.ArgumentaçãoContinuaremos a conhecer as demais características básicas de um bomtexto:Para relembrar as duas primeiras características de um bom texto3. Coesão - Amarrar bem as idéias.4. Coerência – Parece óbvio que é preciso dizer coisa com coisas paraescrever um texto coerente, mas, às vezes, podem ocorrer incoerênciasquando, por exemplo, se começa a escrever um relatório no modo impessoale lá no final muda-se para o pessoal.5. Originalidade – É dizer do seu jeito, evitar frases feitas e clichês.6. Convenções da língua – Usar a norma culta, evitar desvios ortográficos, deregência, etc.7. Argumentação (quando necessário) – Saber defender seu ponto de vista,quando o texto assim pede. Mostrando dados, citações e fatos queargumentem a favor da sua opinião, convencendo o leitor.Vamos exercitar:Arraste a palavra para a lacuna correta:
  15. 15. 151. Se inicio o texto no modo pessoal e termino no impessoal é sinal quefaltou___________2. Convenções da língua significa ____________________3. Amarrando bem as idéias do texto eu usei de_______________4. Evitar frases feitas é usar de______________________5. Saber defender seus pontos de vista é o mesmo queter__________________Escrever Bem e Escrever CorretoVocê acha que escrever correto é o mesmo que escrever bem?Para sanar sua dúvida leia os dois textos e depois respondas as perguntasabaixo:I) Tendo em conta a experiência de1989, uma análise do quadropolítico-eleitoral estadual enacional, a dificuldade de realizaramplas mudanças no modeloeconômico-político e socialbrasileiro sem contar com umasólida retaguarda do Estado de SãoPaulo, e a dificuldade de realizarum governo estadual democrático-popular sem o respaldo de políticasfederais, consideramos ser possívele necessário, nas eleições de 1994,trabalhar com o cenário de umavitória simultânea do nosso partido*para os governos paulista e federal.(*no lugar da sigla do partido)II) Em 1994, a gente tem queganhar a eleição pro governoestadual e pro federal. Os doisjuntos, porque, pelo que se viu em1989, as jogadas eleitoreiras dizque não é fácil fazer mudança napolítica e na economia do Brasilsem o apoio de São Paulo. Nem dápra fazer um governo bom pro povoem São Paulo sem a ajuda dogoverno federal.E então, qual dos dois textos é mais compreensível?Qual é mais fácil explicar? Qual, dos dois, é um bom texto, na sua opinião?Escreva sua resposta nas linhas abaixo, justificando-a:__________________________________________________________________É importante lembrar que escrever corretamente não é o mesmo que
  16. 16. 16escrever bem. A eficiência na interpretação e na produção de textos nãodepende exclusivamente da correção gramatical. Ela é um fator, mas não oúnico ou o mais importante.Falar e escrever bem é utilizar a linguagem com eficiência, atingindoobjetivos programados, sempre levando em conta a situação em que otexto é produzido e o público a que se dirige.Observe a tirinha:O Sr. “Consultor Meio Retardado” disse bonito, mas não disse nada. Falhou naclareza da exposição das suas idéias... Mas o que garante clareza para umtexto escrito?Uma forma de garantir a clareza de seu texto é optar por períodos curtos,separados por ponto. Evite parágrafos inteiros separados apenas por vírgula.Além do risco de comprometer a clareza do seu texto, você pode aindacometer equívocos quanto ao uso da vírgula. Deste modo, prefira ordenar otexto com uma frase de cada vez. Como quem constrói uma casa, tijolo apóstijolo.No entanto, lembre-se: para que haja clareza na exposição das idéias, algunselementos como coesão e coerência devem ser considerados. É sobre esseselementos que trataremos na seqüência.Coesão textual é a ligação entre as idéias do texto, obtida através deelementos lingüísticos específicos, os chamados conectivos. São eles: aspreposições, os pronomes e as conjunções que estabelecem vínculos entre aspalavras, frases, períodos e parágrafos.Para que você possa fazer uso desta ferramenta apresentamos aspreposições:A função das preposições é a de relacionar palavras estabelecendo entreelas um vínculo de subordinação. São elas:a, ante, até, após, com, contra, de, desde, em, entre, para,perante, por, sem, sob, sobre, trás, segundo, salvo.
  17. 17. 17Observe que apenas mudando a proposição,criamos vários sentidos para a mesma frase. Estaé também a função dos conectivos, além de ligaras idéias eles acrescentam um significado, umsentido, ao que ligam.Estamos estudando a Coesão Textual que é a ligação entre as idéias dotexto, obtida através de elementos lingüísticos específicos, os chamadosconectivos. Dentre os conectivos estão as conjunções. Qual seu significado?Conjunções: podem unir palavras, períodos (duas ou mais orações), ou aindaparágrafos inteiros. Observe o exemplo:Quanto maiores as chances de oscilação abrupta de um preço,(tanto) maiores serão também as chances dos ganhosespeculativos.(Jornal Folha de São Paulo - Editorial - 26/07/96).Acesse no material complementar o arquivo chamadoQuadro com a Classificação das Conjunções e verifique além das conjunçõesexistentes o valor semântico que estabelecem as idéias.Sugerimos que você imprima uma cópia desta tabela e exercite o uso paratextos escritos.Os pronomes são também conectivos que produzem coesão no texto, elestêm como uma das funções na nossa língua de substituir um substantivo(nome), fazendo referência no texto a algo que já foi dito ou será dito.Observe o exemplo:Reduzir custos, agilizar a produção, desenvolver um novo produto que atendaàs necessidades do mercado consumidor. Esses são alguns exemplos do quese pode chamar de inovação. Ao contrário do que se pensa, as empresasbrasileiras têm se mostrado cada vez mais preocupadas com seu potencialO diretor está no jornal.O diretor está sob o jornal.O diretor está sobre o jornal.O diretor está com o jornal.O diretor está perante o jornal.
  18. 18. 18inovativo e até o Terceiro Setor, por meio de Organizações Não-Governamentais (ONGs), também inova. Porém, de acordo com especialistas,faltam políticas públicas de fomento à inovação gerada no setor produtivoprivado.(http://www.comciencia.br/reportagens/2004/08/04.shtml)Observe como os pronomes “esses” e “seus” retomam, no texto, ossubstantivos sublinhados.Abuse dos elementos de coesão e capriche na compreensão do seu texto!Acesse no Material Complementar o arquivo chamadoTabela dos Pronomes, lá você encontrará uma tabelacompleta dos diferentes tipos de pronome, certo?Um texto coerente é uma seqüência cujo sentido o leitor identifica, de umlado, em função das informações que lhe são apresentadas e, de outro, pelarelação que é capaz de estabelecer entre o que é dito e o que já conhece. Acoerência, portanto, diz respeito ao texto em si e à relação que mantém comaspectos conhecidos da realidade.Para que a coerência se estabeleça, espera-se que o assunto escolhido sejadesenvolvido sem acréscimos de informações não-pertinentes, semrepetições desnecessárias e sem contradições.
  19. 19. 19Vamos nos divertir um pouco? Encontre as incoerências presentes no exemplo.Vitório era gordinho, atarracado e briguento. Não gostava de reuniões defamília e adorava ver tevê e se encher de porcarias – no que se refere acomidas... Namorava Sueli, a garota mais cobiçada do emprego, queconseguira após meses de desemprego graças à ajuda do pai, professoraposentado.Em uma festa de aniversário de seu sobrinho favorito, Vitório encontra umparente distante, que, provocativamente, deu um encontrão em Sueli,derrubando-a no chão. O namorado socorreu-a, sem dar maior importância aofato. Da mesma forma, ela aproximou-se do desconhecido e começou umaenorme discussão, que acabou em briga.E então? Encontrou quantas incoerências? Uma? Ih, é pouco! Duas?Anote aqui as incoerências que você encontrou:______________________________________________________________________________________________________________________________________Gabarito:1. Contradição entre características e ações da personagem Vitório:a. Avesso às reuniões familiares, mas participa de um aniversário;b. É briguento, mas assume uma atitude passiva diante de umaprovocação.2. Inclusão de informações não-pertinentes.a. O desemprego de Vitório e o auxílio do pai não são informaçõesimportantes para os fatos narrados em seguida.3. Emprego inadequado de conectivo:a. A expressão “da mesma forma” deveria introduzir uma açãosemelhante à anteriormente narrada, mas a garota teve umareação contrária à do namorado.A ambigüidade gera o problema de interpretação para os leitores dos textos.Observe a frase abaixo:“Russel Crowe vai se casar com namorada de 12 anos”Uol News, 15 dez. 2002E ai? O que você me diz sobre o casamento de Russel Crowe? A namoradadele tem 12 anos ou há doze anos eles namoram e agora decidiram se casar?Percebe como esse enunciado possui um duplo sentido? Uma ambigüidade?
  20. 20. 20Num caso como esse, a ambigüidade é extremamente prejudicial, pois leva oleitor a uma duplicidade de sentidos que prejudica a interpretação do texto.6. Características e Dicas para Elaboração de Alguns TextosCorporativos: o e-mail.Quais são os gêneros textuais que circulam no seu dia-a-dia profissional?Conhecer e dominar a estrutura dos gêneros textuais correntes na suainteração social é fator fundamental de domínio do uso da linguagem. Já quecada tipo de texto possui características próprias.Vamos iniciar pelo texto que circula por e-mail, seja pela intranet ou pelainternet, o e-mail tem, sem dúvida alguma, tomado posição privilegiadaquanto à transmissão de informações dentro de uma corporação. Seja por suaagilidade ou pela amplitude de contatos que ele possibilita.Agora, apesar de estar tão presente no nosso dia-a-dia, será que você sabeescrever bons e-mails?Aqui vão 10 dicas sobre como elaborar um e-mail paraaplicação profissional:1. Escreva uma saudação para cada e-mail que vocêenviar.2. Procure ser breve no que você tem a dizer.3. Procure limitar seu e-mail em linhas de até 80caracteres ou menos.4. Responda a um e-mail na mesma velocidade quevocê retornaria uma ligação telefônica.5. Cheque a pontuação, a objetividade, a clareza e ospossíveis desvios gramaticais.6. Use adequadamente as letras maiúsculas e osparágrafos. Nada de escrever tudo em maiúscula.Existem outros recursos para se destacar informaçõesimportantes, como negrito, cores ou ainda mudar otamanho da fonte.7. Use uma fonte que dê uma impressão profissionalou neutra.8. Se você quiser enumerar alguma instrução oudestacar alguma informação, utilize numeradores oubullets.Por exemplo:1) Coloque o papel na bandeja;
  21. 21. 212) Aperte o botão verde “start”.9. Utilize um discurso de tom positivo: “Quando vocêconcluir o relatório...” é melhor do que “Se você concluiro relatório...”10.Use smiles :-) ou símbolos gráficos somente quandofor apropriado.7. Características Dicas para Elaboração de Alguns Textos Corporativos:Apresentações em PowerPointPara que escrever no PowerPoint?O PowerPoint é uma forma de incrementar uma apresentação oral. Elepermite incorporar recursos visuais e de mídia nas apresentações paragrandes grupos. È uma forma de apresentação muito utilizada pelascorporações.Antes de começar a elaborar sua apresentação, se pergunte:• Quem é meu público?• Qual o nível de relacionamento que tenho ou quero estabelecer comele? Qual o propósito dessa apresentação?• Irei informar ou argumentar?• Qual a ocasião na qual esta apresentação será feita: uma apresentaçãoprofissional, uma conferência, um treinamento?• O que eu quero que o público perceba?• Estou representando um negócio ou uma empresa?A resposta a estas perguntas lhe orientará na escolha do formato do seu PPT.Algumas dicas práticas para a preparação de seu PPT:1. Ao escolher o template considere que os lineares, de tons sóbrios e semdesenhos transmitem uma imagem mais profissional. Em geral, asempresas já possuem templates personalizados com a logomarca daempresa ou alguma inscrição que a identifique.2. Utilize textos apenas para reforçar ou facilitar a compreensão dasinformações orais. Nada de fazer slides com textos enormes e ficar lendolá na frente.
  22. 22. 223. Procure utilizar imagens que permitam uma associação e, portanto,uma melhor memorização ou ilustração do conteúdo apresentado. Senecessário monte tabelas ou gráficos que sintetizam e expressam asinformações abordadas na apresentação.4. Procure ter equilíbrio com o uso de animações, elas podem causardistração. Mas é um bom recurso quando se quer ilustrar a fala,demonstrar um exemplo ou levantar uma reflexão.5. Comunique de forma efetiva com desenhos simples, texto conciso econteúdo relevante. Saber coordenar fala, expressão corporal com osrecursos do PowerPoint é a grande sacada para obter-se sucesso em umaapresentação desse tipo.8. ConclusãoPara finalizarmos nossos estudos, descreva no espaço abaixo:Em os conhecimentos que você construiu durante este curso poderãocontribuir para a sua vida profissional?Após concluir seu texto escrito, salve-o em seu computador e envie para oseguinte e-mail : andrea@dtcom.com.brÉ isso ai! Concluímos por aqui nosso estudo sobre a escrita para negócios.Espero que você tenha aprendido após esse tempo que passamos juntos.No entanto, eu não poderia me despedir sem antes deixar a última dica: leia!Leia de tudo e leia muito. Ser leitor é o grande segredo de quem escrevebem. Vale ler de folder de mercado aos clássicos da literatura, passando pelaleitura de jornais, periódicos, bula de remédio, enfim, tudo.Sucesso pra você e até a próxima!
  23. 23. 23

×