Literatura
Carlos drummond de Andrade Biografia Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de...
Carlos Drummond de Andrade
Poesias de carlos Drummond de Andrade O Seu Santo Nome Não facilite com a palavra amor.  Não a jogue no espaço, bolha de s...
Ausência  Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta. Hoje não a lastimo. Não há falta ...
Fazenda (Drummond) Vejo o Retiro: suspiro no vale fundo. O Retiro ficava longe do oceanomundo. Ninguém sabia da Rússia com...
Jorge de Lima Biografia Jorge de Lima nasceu em 1893 em União, Alagoas, perto da Serra da Barriga, onde Zumbi fundou seu f...
VINHA BOIANDO O CORPO ADOLESCENTE. ..   Vinha boiando o corpo adolescente,  belo pastor e sonho perturbado.  Deus abaixou-...
ALTA NOITE QUANDO ESCREVEIS                  À senhora Heitor Usai   Alta noite, quando escreveis um poema qualquer  sem s...
                             O ACENDEDOR DE LAMPIÕES   Lá vem o acendedor de lampiões de rua!  Este mesmo que vem, infatig...
Jorge de Lima
Murilo Mendes Murilo Monteiro Mendes era filho de Onofre Mendes e Eliza M. de Barros Mendes. Fez seus primeiros estudos em...
Murilo Mendes
Poesias   A mãe do primeiro filho Carmem fica matutando no seu corpo já passado. —  Até à volta, meu seio De mil novecento...
SOLIDARIEDADE Sou ligado pela herança do espírito e do sangue  Ao mártir, ao assassino, ao anarquista. Sou ligado Aos casa...
ESTUDO PARA UM CAOS O ÚLTIMO  anjo derrama seu cálice no ar. Os sonhos caem da cabeça do homem As crianças são expelidas d...
Evenny nayara Elizia 3°c
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Nayara

474 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Nayara

  1. 1. Literatura
  2. 2. Carlos drummond de Andrade Biografia Carlos Drummond de Andrade nasceu em Itabira do Mato Dentro - MG, em 31 de outubro de 1902. De uma família de fazendeiros em decadência, estudou na cidade de Belo Horizonte e com os jesuítas no Colégio Anchieta de Nova Friburgo RJ, de onde foi expulso por "insubordinação mental". De novo em Belo Horizonte, começou a carreira de escritor como colaborador do Diário de Minas, que aglutinava os adeptos locais do incipiente movimento modernista mineiro
  3. 3. Carlos Drummond de Andrade
  4. 4. Poesias de carlos Drummond de Andrade O Seu Santo Nome Não facilite com a palavra amor. Não a jogue no espaço, bolha de sabão. Não se inebrie com o seu engalanado som. Não a empregue sem razão acima de toda a razão ( e é raro). Não brinque, não experimente, não cometa a loucura sem remissão de espalhar aos quatro ventos do mundo essa palavra que é toda sigilo e nudez, perfeição e exílio na Terra. Não a pronuncie
  5. 5. Ausência Por muito tempo achei que a ausência é falta. E lastimava, ignorante, a falta. Hoje não a lastimo. Não há falta na ausência. A ausência é um estar em mim. E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços, que rio e danço e invento exclamações alegres, porque a ausência, essa ausência assimilada, ninguém a rouba mais de mim.
  6. 6. Fazenda (Drummond) Vejo o Retiro: suspiro no vale fundo. O Retiro ficava longe do oceanomundo. Ninguém sabia da Rússia com sua foice. A morte escolhia a forma breve de um coice. Mulher, abundavam negras socando milho. Rês morta, urubus rasantes, logo em concílio. O amor das éguas rinchava no azul do pasto. E criação e gente, em liga, tudo era casto..
  7. 7. Jorge de Lima Biografia Jorge de Lima nasceu em 1893 em União, Alagoas, perto da Serra da Barriga, onde Zumbi fundou seu famoso quilombo. Aos dez anos, passou a escrever para um jornal de seu colégio, onde publicou os poemas que fazia desde os sete anos. Jorge de Lima estudou medicina na Bahia e no Rio de Janeiro. Ainda estudante, publicou seu primeiro livro, "XIV Alexandrinos". Exerceu as funções de médico e ocupou diversos cargos públicos no estado de Alagoas.
  8. 8. VINHA BOIANDO O CORPO ADOLESCENTE. ..   Vinha boiando o corpo adolescente, belo pastor e sonho perturbado. Deus abaixou-lhe os cílios alongados para que ele dormindo flutuasse.   Ressuscita-o, Senhor, essa medusa de sangue juvenil em rosto impúbere, desterrado da vida, flor perdida, irmão gêmeo de Apolo trimagista.   Seca-lhe a espuma que lhe inunda o peito e as convulsões mortais que o imolaram às Sodomas ardidas em seu leito.   Anjo adoecido, alheio dançarino que dançasse em Gomorras incendiadas, estás cansado; deita-te, menino!
  9. 9. ALTA NOITE QUANDO ESCREVEIS                 À senhora Heitor Usai   Alta noite, quando escreveis um poema qualquer sem sentirdes o que escreveis, olhai vossa mão — que vossa mão não vos pertence mais; olhai como parece uma asa que viesse de longe. Olhai a luz que de momento a momento sai entre os seus dedos recurvos. Olhai a Grande Mão que sobre ela se abate e a faz deslizar sobre o papel estreito, com o clamor silencioso da sabedoria, com a suavidade do Céu ou com a dureza do Inferno! Se não credes, tocai com a outra mão inativa as chagas da Mão que escreve
  10. 10.                              O ACENDEDOR DE LAMPIÕES   Lá vem o acendedor de lampiões de rua! Este mesmo que vem, infatigavelmente, Parodiar o Sol e associar-se à lua Quando a sobra da noite enegrece o poente.   Um, dois, três lampiões, acende e continua Outros mais a acender imperturbavelmente, À medida que a noite, aos poucos, se acentua E a palidez da lua apenas se pressente.   Triste ironia atroz que o senso humano irrita: Ele, que doira a noite e ilumina a cidade, Talvez não tenha luz na choupana em que habita.   Tanta gente também nos outros insinua Crenças, religiões, amor, felicidade Como este acendedor de lampiões de rua!
  11. 11. Jorge de Lima
  12. 12. Murilo Mendes Murilo Monteiro Mendes era filho de Onofre Mendes e Eliza M. de Barros Mendes. Fez seus primeiros estudos em Juiz de Fora e depois, no Colégio Salesiano de Niterói. Dois acontecimentos marcaram a juventude de Murilo Mendes, a passagem do cometa Halley, em 1910, e sua fuga do colégio interno em Niterói para ver, no Rio de Janeiro, as apresentações do dançarino russo Nijinski, em 1917. Ambos, cometa e bailarino, foram co nsiderados por ele, verdadeiras revelações poéticas.
  13. 13. Murilo Mendes
  14. 14. Poesias   A mãe do primeiro filho Carmem fica matutando no seu corpo já passado. — Até à volta, meu seio De mil novecentos e doze. Adeus, minha perna linda De mil novecentos e quinze. Quando eu estava no colégio Meu corpo era bem diferente. Quando acabei o namoro Meu corpo era bem diferente. Quando um dia me casei Meu corpo era bem diferente. Nunca mais eu hei de ver Meus quadris do ano passado… A tarde já madurou E Carmem fica pensando.
  15. 15. SOLIDARIEDADE Sou ligado pela herança do espírito e do sangue Ao mártir, ao assassino, ao anarquista. Sou ligado Aos casais na terra e no ar, Ao vendeiro da esquina, Ao padre, ao mendigo, à mulher da vida, Ao mecânico, ao poeta, ao soldado, Ao santo e ao demônio, Construídos à minha imagem e semelhança
  16. 16. ESTUDO PARA UM CAOS O ÚLTIMO  anjo derrama seu cálice no ar. Os sonhos caem da cabeça do homem As crianças são expelidas do ventre materno As estrelas se despregam do firmamento. Uma tocha enorme pega fogo no fogo. A água dos rios e dos mares jorra cadáveres. Os vulcões vomitam cometas em furor E as mil pernas da Grande Dançarina Fazem cair sobre a terra uma chuva de sangue. Rachou-se o teto do céu em quatro partes. Instintivamente eu me agarro ao abismo. Procurei meu rosto, não o achei. Depois a treva foi ajuntada à própria treva.
  17. 17. Evenny nayara Elizia 3°c

×