Fechamento teórico oficina caderno 5

398 visualizações

Publicada em

Caderno 5

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
398
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
31
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fechamento teórico oficina caderno 5

  1. 1. GESTÃOGESTÃO DEMOCRATICADEMOCRATICA Caderno 5Caderno 5 Dra Sônia Maria dos Santos
  2. 2. SIGNIFICADO DE GESTÃO  LATIMLATIM LEVAR SOBRE SI, CARREGAR, CHAMAR A SI, EXECUTAR, EXERCER E GERAR.  GESTATIOGESTATIO TRAZ EM SI ALGO NOVO E DIFERENTE.  RAIZ ETIMOLÓGICARAIZ ETIMOLÓGICA GER = FAZER BROTAR, GERMINAR, FAZER NASCER
  3. 3. GESTÃO DEMOCRÁTICA  A gestão democrática é atitude e método. A atitude democrática é necessária, mas não é suficiente. Precisamos de métodos democráticos de efetivo exercício da democracia. Ela também é um aprendizado. Demanda tempo, atenção e trabalho. (GADOTTI, 1980, p.4).
  4. 4. Visão sistêmica
  5. 5. A transição de um modelo mecanicista e autoritário de gestão para um modelo global, dinâmico e participativo.
  6. 6. A realidade é global: tudo está direta ou indiretamente relacionado a tudo, rede de fatos e situações interligadas.
  7. 7. A realidade é dinâmica, construída socialmente, pela interação das pessoas.  O ambiente social e o comportamento humano, imprevisíveis e ambíguos, devem ser percebidos como processos naturais.  A busca pela realização e os resultados eficazes são processos contínuos e não meta, devem ser continuamente buscados pela ação empreendedora. A realidade é dinâmica, construída socialmente, pela interação das pessoas.  O ambiente social e o comportamento humano, imprevisíveis e ambíguos, devem ser percebidos como processos naturais.  A busca pela realização e os resultados eficazes são processos contínuos e não meta, devem ser continuamente buscados pela ação empreendedora.
  8. 8.  Na dinâmica da gestão do dia a dia, ao invés de diferenciar gestores de líderes, devemos enxergar os gestores como líderes e a liderança como gestão praticada corretamente.  A liderança separada da gestão transforma o processo social em processo pessoal.
  9. 9. Sempre que promovemos a liderança, rebaixamos os outros ao nível de seguidores.
  10. 10. GESTÃO DEMOCRÁTICA  ... A gestão democrática poderá constituir um caminho real de melhoria da qualidade de ensino se ela for concebida, em profundidade, como mecanismo capaz de alterar práticas pedagógicas.(SPOSITO,)
  11. 11. PRESSUPOSTO BÁSICO O QUE É REALMENTE DEMOCRÁTICO NA ESCOLA PÚBLICA? A SOCIALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA PÚBLICA
  12. 12. GESTÃO DEMOCRÁTICA ... Trata-se também de se pensar em uma educação, compreendida enquanto processo de formação humana e não apenas instrução escolar, que permita aos sujeitos que estão no cotidiano da escola, ter acesso a experiências democráticas, seja através de estudos e troca de experiências, seja através do próprio currículo. (APPLE)
  13. 13. Mitos no trabalho da Gestão:  O gestor é um planejador reflexivo e sistemático;  O gestor mantém controle rígido de seu tempo, de suas atividades e competências;  O gestor supostamente eficaz deve possuir incontáveis qualidades (de um super herói x vilão) , que definem o seu perfil..
  14. 14. Superando Mitos da Gestão:  Os gestores mais eficazes trabalham em todas as partes, não ficam parados no alto;  O gestor eficaz não é o que tem um bom estilo, é o que tem o estilo necessário;  Não existem gestores eficazes em tudo. Eles são eficazes em determinados contextos;  O gestor não é um maestro e se faz no cotidiano da escola.
  15. 15. Superação da visão de “diretor” do fazer pedagógico para o de “articulador” de uma rede de relações num contexto social, contraditório e complexo;
  16. 16. INSTÂNCIAS COLEGIADAS Gestão Escolar Papel do Coordenador pedagógico e Direção Responsáveis pela mediação, organização, integração e articulação do trabalho pedagógico, legitimando–se também no movimento de organização do currículo pela via da gestão.
  17. 17.  Com base na visão sistêmica e democrática - nossa capacidade de compreender as diversas relações de interdependência presentes dentro e fora da escola – isso nos leva a relativizar a análise que fazemos dos problemas detectados na escola e nos leva a pensar não em eliminá-los e, sim, em como podemos lidar melhor com eles.
  18. 18. INSTÂNCIAS COLEGIADAS ...mais do que integração da escola com a família e a comunidade ou colaboração dos pais, é preciso entender essa presença como mecanismo de representação e participação política (SPÓSITO).
  19. 19. O trabalho de gestão, na perspectiva sistêmica e democrática, reconhece que os erros fazem parte do aprendizado;  Não existe visão perfeita;  É necessário criar uma rede de apoio ao trabalho de gestão;  A gestão é socialmente construída e não ungida.
  20. 20. Os pontos de vista são diversos e ativos;  A confiança e o sentimento de pertença ao grupo são fundamentais entre todos aqueles que, em diferentes posições, participam das decisões na instituição escolar;
  21. 21.  Quando os membros de uma instituição concentram-se apenas em sua função, eles não se sentem responsáveis pelos resultados.  O gestor é, portanto, um mobilizador da diversidade, para dar-lhe unidade , identidade e autonomia.
  22. 22. INSTÂNCIAS COLEGIADAS ... Trata-se da percepção de que, para funcionar a contento, a escola necessita da adesão de seus usuários (não só de alunos, mas também de seus pais ou responsáveis) aos propósitos educativos a que ela deve visar, e que essa adesão precisa redundar em ações efetivas que contribuam para o bom desempenho do estudante (PARO).
  23. 23. A gestão democrática significa envolvimento, baseado na visão diferenciada e enraizada no contexto ar significa trazer à tona a energia positiva que existe naturalmente dentro das pessoas. Assim, a gestão significa envolvimento, baseado na visão diferenciada e enraizada no contexto..
  24. 24. PRÉ- CONSELHO Papel da equipe pedagógica é mediar a relação ensino e aprendizagem buscando no professor e no aluno os condicionantes desse processo.
  25. 25. PRÉ- CONSELHO(com aluno) fundamenta-se no diálogo
  26. 26. PÓS- CONSELHO Implica nas providências previstas em C.C. que possam dar condições para que a aprendizagem ocorra como a retomada de conteúdos por parte do professor, retomada da metodologia de ensino, orientações aos alunos e familiares.
  27. 27. ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO PAPEL DO COORDENADOR PEDAGOGICO  O CP visto em uma multidimensão: social, política, humana e cultural, sem implicar na plurifunção;  Pensa o papel da escola historicamente mediando as relações pedagógicas: professor, aluno, currículo, metodologia, processo de avaliação, processo de ensino e aprendizagem
  28. 28.  Assessorar o professor na identificação e planejamento para o atendimento às dificuldades de aprendizagem.  Acompanhar o planejamento das aulas dos professores se está de acordo com a Proposta Curricular Pedagógica e o Projeto Político Pedagógico;
  29. 29. Segundo a estrutura da gestão eficaz, proposta por Mintzberg e Lück, se o gestor estiver disposto a aprender a conciliar os fios do seu “fazer pessoal”, com “o fazer do outro” em direção a uma gestão integrada, do “fazer coletivo”, poderá começar a construir um caminho que o leve à eficácia.
  30. 30. QUE EDUCAÇÃO QUEREMOS? EDUCAÇÃO DIREITO MERCADORIA
  31. 31. SUBORDINAÇÃO ? EMANCIPAÇÃO ? EDUCAÇÃO REALIDADE MANUTENÇÃO ? TRANSFORMAÇÃO ? MUDANÇA ? QUE EDUCAÇÃO QUEREMOS?
  32. 32. Não há uma receita ou um método que garanta a eficácia do gestor.
  33. 33. A Educação numa concepção transformadora, pressupõe tomar o aluno na sua totalidade, não em um momento reduzido como “aluno”, e isso implica em entendê-lo dentro de uma dinâmica social transformadora. ; -Ganhe confiança e respeito;

×