Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos

1.531 visualizações

Publicada em

Cuidados odontológicos com o paciente diabético

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.531
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Atendimento e cuidados com pacientes diabéticos

  1. 1. ATENDIMENTO E CUIDADOS COM PACIENTES DIABÉTICOS EXTRA MURO PROFESSORA: NÁDIA ALUNAS: GABRIELLA, OLENE E OYARA
  2. 2. DIABETES MELLITUS • DOENÇA CRÔNICA, METABÓLICA; • DEFICIÊNCIA NA PRODUÇÃO DE INSULINA; • HIPERGLICEMIA JEJUM: 126 mg/dL OCASIONAL: 200 mg/dL • HIPOGLICEMIA JEJUM OU OCASIONAL: 70 mg/dL • DIABETES MELLITUS TIPO 1 • DIABETES MELLITUS TIPO 2 • DIABETES MELLITUS GESTACIONAL
  3. 3. DIABETES MELLITUS TIPO 1 • PÂNCREAS NÃO CONSEGUE PRODUZIR INSULINA ESSENCIAL À SOBREVIVÊNCIA • CRIANÇAS E ADOLESCENTES • 10%
  4. 4. DIABETES MELLITUS TIPO 2 • INABILIDADE DO ORGNISMO PARA RESPONDER À AÇÃO DA INSULINA PRODUZIDA PELO PÂNCREAS • ADULTOS E ADOLESCENTES • 90%
  5. 5. DIABETES MELLITUS GESTACIONAL • HIPERGLICEMIA NA GRAVIDEZ • RESOLVE-SE PÓS-PARTO OU ANOS DEPOIS • 7% DAS GESTANTES(OBESAS) • RECÉM NASCIDO ACIMA DE 4.5 KG- PODE DESENVOLVER A DOENÇA FUTURAMENTE
  6. 6. FATORES DE RISCO DM1 • INTRODUÇÃO PRECOCE DO LEITE DE VACA • IMUNIZAÇÕES NA INFÂNCIA: DIFTERIA, COQUELUCHE, TÉTANO E HAENOPHILLIS INFLUENZAE DM2 • HEREDITARIEDADE • SOBREPESO • IDADE AVANÇADA • HIPERTENSÃO ARTERIAL • ESTRESSE • SEDENTARISMO • OBESIDADE
  7. 7. GRUPOS DE RISCOS DM1 • CRIANÇAS DE 5 A 15 ANOS • PICO: 5 A 7 E 10 A 14 ANOS DM2 • PESSOAS QUE APRESENTAM FATORES DE RISCO- ACIMA DE 45 ANOS • ANTECEDENTE FAMILIAR DE DM1 OU DM2 • HDL MENOR OU IGUAL A 35 mg/dL • TRIGLICERÍDEOS MAIOR OU IGUAL A 150 mg/dL • DIABETES GESTACIONAL • SÍNDROME DE OVÁRIOS POLICÍSTICOS • DOENÇA CARDIOVASCULAR, CEREBROVASCULAR OU VASCULAR PERIFÉRICA DEFINIDA
  8. 8. DIAGNÓSTICO E COMPLICAÇÕES DIAGNÓSTICO BASEADO NOS NÍVEIS GLICÊMICOS: • GLICOSE PLASMÁTICA EM JEJUM MAIOR OU IGUAL A 126 mg/dL • GLICOSE PLASMÁTICA OCASIONAL OU EM JEJUM, APÓS 2 HORAS DE INGESTÃO DE GLICOSE , MAIOR OU IGUAL A 200 mg/dL AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DA HEMOGLOBINA GLICOLISADA • NORMAL: MENOR OU IGUAL A 5,6 % • PRÉ- DIABÉTICO: 5,7 A 6,4% • DIABÉTICO: MAIOR OU IGUAL A 6,5%
  9. 9. SINAIS CLÁSSICOS DM1 • PERDA AUDITIVA • POLIÚRIA • POLIDIPSIA • POLIFAGIA • PERDA DE PESO • CETOCIDOSE DIABÉTICA DM2 • PODE SER ASSINTOMÁTICA • TURVAÇÃO DA VISÃO • SONOLÊNCIA • DORES • CÂIMBRAS, FORMIGAMENTOS E DORMÊNCIA • INDISPOSIÇÃO • DISFUNÇÃO ERÉTIL • HÁLITO CETÔNICO NEFROPATIA DIABÉTICA,RETINOPATIA DIABÉTICA,PÉ EM RISCO DE ÚLCERA(AMPUTAÇÕES)
  10. 10. TRATAMENTO E CONTROLE • INCURÁVEL • DIETA • ATIVIDADE FÍSICA • EDUCAÇÃO • APOIO PSICOSSOCIAL • MEDICAMENTOS PARA CONTROLE DA HIPERGLICEMIA • TIPO 1: INSULINOTERAPIA,AUTOCONTROLE E AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DA HEMOGLOBINA GLICOLISADA
  11. 11. CONDUTA CLÍNICA- ODONTOLÓGICA • 3 A 4 % DOS PACIENTES SÃO DIABÉTICOS • ANAMNESE E EXAME CLÍNICO:  GRAU DE CONTROLE DA DOENÇA-OCORRÊNCIA DE HIPOGLICEMIA  HISTÓRIA DE HOSPITALIZAÇÃO  CONTATO COM O MÉDICO • AVALIAÇÃO INICIAL:  DETERMINAR TIPO DE DIABETES  CLASSIFICAR O PACIENTE DE ACORDO COM O GRAU DE RISCO PARA A CONDUTA ODONTOLÓGICA • PACIENTE BEM CONTROLADO: PODE SER TRATADO DE FORMA SIMILAR AO NÃO-DIABÉTICO
  12. 12. PRINCIPAIS MANIFESTAÇÕES BUCAIS • DOENÇA PERIODONTAL • CANDIDÍASE BUCAL • XEROSTOMIA • ABSCESSOS RECORRENTES • HIPOPLASIA DE ESMALTE • DISTÚRBIOS DE GUSTAÇÃO • LÍQUEN PLANO • PERDA ÓSSEA ALVEOLAR DM1: CANDIDÍASE BUCAL,QUEILITE ANGULAR,GENGIVITE CRÔNICA,ÚLCERA TRAUMÁTICA E HIPERPLASIA GENGIVAL. DM2: PERIODONTITE CRÔNICA AVANÇADA,CANDIDÍASE BUCAL.QUEILITE ANGULAR,ÚLCERA TRAUMÁTICA, HIPERPLASIA GENGIVAL E GENGIVITE. DMG: HIPERTROFIA DAS PAPILAS FILIFORMES,CANDIDÍASE,CÁRIE INCIPIENTE E AVANÇADA,GENGIVITE CRÔNICA E PERIODONTITE GENERALIZADA.
  13. 13. SOLICITAÇÃO DE EXAMES • HEMOGRAMA COMPLETO • NÍVEL DE GLICEMIA EM JEJUM • COAGULOGRAMA • EXAME RADIOGRÁFICO ANUAL : DETECTAR FOCOS INFECCIOSOS • RADIOGRAFIAS PERIAPICAIS
  14. 14. USO DE ANESTÉSICO • NÃO USAR EPINEFRINA • NÃO USAR ADRENALINA • EVITAR VASOCONSTRICTOR DO GRUPO DAS CETECOLAMINAS(EPINEFRINA,NOREPINEFRINA E NEOCOBEFRINA) • UTILIZAR SOLUÇÃO ANESTÉSICA QUE CONTENHA FELIPRESSINA- PRILOCAÍNA 3%
  15. 15. PRESCRIÇÃO MEDICAMENTOSA • ANTIINFLAMATÓRIOS NÃO- ESTEROIDAIS : COMPETIR COM HIPOGLICEMIANTES,CAUSAR HIPOGLICEMIA, NÃO UTILIZAR. • TROCAR INFORMAÇÕES COM O MÉDICO • ANTIINFLAMATÓRIOS INDICADOS: BENZIDOMINA E DICLOFENACO • ANALGÉSICOS INDICADOS: DIPIRONA OU PARACETAMOL E BETAMETASONA OU DEXAMETASONA • ANTIBIÓTICOS INDICADOS: PENICILINAS,CEFALOSPORINAS E ERITROMICINA
  16. 16. EMERGÊNCIAS E URGÊNCIAS HIPOGLICEMIA • FRAQUEZA • PALPITAÇÕES • SUDORESE • FOME • NERVOSISMO • CEFALÉIA • CONFUSÃO MENTAL E PERTURBAÇÕES VISUAIS TRATAMENTO DO PACIENTE CONSCIENTE: ADMINISTRAR ALIMENTO COM CARBOIDRATO DE ABSORÇÃO RÁPIDA TRATAMENTO DO PACIENTE INCONSCIENTE: GLICOSE ENDOVENOSA
  17. 17. EMERGÊNCIAS E URGÊNCIAS HIPERGLICEMIA • PREVALÊNCIA NO DIABETES TIPO 1 • SONOLÊNCIA • HÁLITO CETÔNICO • POLIDIPSIA • FADIGA • VISÃO TURVA • NÁUSEAS TRATAMENTO: INTERROMPER PROCEDIMENTO ODONTOLÓGICO,DEIXAR O PACIENTE CONFORTÁVEL , MONITORAR VIAS AÉREAS, AFERIR PA E PULSO. ADMINISTRAR INSULINA E OXIGÊNIO( CETONÚRIA A 20%).
  18. 18. CONCLUSÃO • É DE SUMA IMPORTÂNCIA QUE O CIRURGIÃO DENTISTA TENHA CONHECIMENTOS A RESPEITO DA ETIOLOGIA, PATOGENIA , EPIDEMIOLOGIA E PARTE CLÍNICA DA DOENÇA PARA QUE DESSA FORMA POSSA OFERECER ATENDIMENTO ADEQUADO E EFICAZ, DE FORMA SEGURA.
  19. 19. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS • ARTIGO : “O paciente diabético e suas implicações para conduta odontológica” NETO,J.N.C et al-Revista Dentística on line – ano 11, número 23 (2012) ISSN 1518-4889 – www.gbpd.com.br • ARTIGO: “CONDUTA ODONTOLÓGICA NO ATENDIMENTO A PORTADORES DE DIABETES MELLITUS” YARID,S.D et al- Rev.Saúde.Com 2010; 6(1): 74-85

×