O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Poema Apontamento de Álvaro de Campos

17.805 visualizações

Publicada em

Análise do poema "Apontamento" de Álvaro de Campos

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Poema Apontamento de Álvaro de Campos

  1. 1. Poema: “ApontAmento” de Álvaro de Campos
  2. 2. Índice Poema; Características estilísticas; Motivos temáticos; Sensações Representadas;Valor expressivo dA perguntA “o que erA um vAso vAzio?”; Expressividade da oposição estAbelecidA entre os “cAcos” e “um cAco”; O resultado da queda da alma.
  3. 3. Apontam ento A minha alma partiu-se como um vaso Não se zanguem com ela. vazio. São tolerantes com ela.Caiu pela escada excessivamente abaixo. O que eu era um vaso vazio? Caiu das mãos da criada descuidada. Caiu, fez-se em mais pedaços do que Olham os cacos absurdamente conscientes. havia loiça no vaso. Mas conscientes de si-mesmos, não conscientes deles. Asneira? Impossível? Sei lá! Olham e sorriem. Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu. Sorriem tolerantes à criada involuntária.Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir. Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas. Um caco brilha, virado do exterior lustroso,Fiz barulho na queda como um vaso que entre os astros. se partia. A minha obra? A minha alma principal? A Os deuses que há debruçam-se do minha vida? parapeito da escada. Um caco.E fitam os cacos que a criada deles fez de E os deuses olham-no, especialmente, pois mim. não sabem porque ficou ali.
  4. 4. Características estilísticas Verso longo e livre Irregularidade estrófica e métrica Pontuação emotiva Ausência da rima Riqueza estilística:*Comparação e Metáfora :” A minha alma partiu-se como um vaso vazio.”;*Anáfora: “Caiu pela escada excessivamente abaixo.Caiu das mãos da criada descuidada.Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso.”*Metáfora: “Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir.”*Interrogação Retórica: “Asneira? Impossível? Sei lá! “
  5. 5. Motivos temáticos Fase abúlica e intimista*Sentimentos de frustração e desilusão: “Caiu pela escada excessivamente abaixo” / ; “Caiu das mãos da criada descuidada”;*Tom pessimista: “ Fiz barulho na queda como um vaso que se partia”/ ; “ E fitam os cacos que a criada deles fez de mim.”;*Fragmentação do “eu”: “ Caiu, fez-se em mais pedaços do que havia loiça no vaso”/ ; “Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir”/; *Domínio do pensar e da consciência: “absurdamente conscientes. Mas conscientes de si-mesmos, não conscientes deles.” *Sensação de estar perdido: “Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu”/; “ O que eu era um vaso vazio?”*Perda da unidade e identidade: “E fitam os cacos que a criada deles fez de mim”/; “Sou um espalhamento de cacos…” *Dúvida: “Asneira?, Impossível? Sei lá!”
  6. 6. Motivos temáticos Não se zanguem com ela. A minha alma partiu-se como um vaso vazio. São tolerantes com ela.Caiu pela escada excessivamente abaixo. O que eu era um vaso vazio? Caiu das mãos da criada descuidada. Caiu, fez-se em mais pedaços do que Olham os cacos absurdamente conscientes. havia loiça no vaso. Mas conscientes de si-mesmos, não conscientes deles. Asneira? Impossível? Sei lá! Olham e sorriem. Tenho mais sensações do que tinha quando me sentia eu. Sorriem tolerantes à criada involuntária.Sou um espalhamento de cacos sobre um capacho por sacudir. Alastra a grande escadaria atapetada de estrelas.Fiz barulho na queda como um vaso que Um caco brilha, virado do exterior lustroso, se partia. entre os astros. A minha obra? A minha alma principal? A Os deuses que há debruçam-se do minha vida? parapeito da escada. Um caco.E fitam os cacos que a criada deles fez de mim. E os deuses olham-no, especialmente, pois não sabem porque ficou ali.
  7. 7. Sensações representadasSensação Auditiva: “Fiz barulho na queda”Sensação Táctil: “Caiu das mãos da criada”Sensações Visuais: “um vaso vazio” ;“caiu pela escada”; “Caiudas mãos da criada”; “espalhamento de cacos sobre um capachopor sacudir” e “ um caco que brilha virado do exterior lustroso”.
  8. 8. vAlor expressivo dA perguntA “o que eu erA um vAso vAzio?” “ O que eu era um vaso vazio?” - esta pergunta intensifica a dúvida, incerteza e desilusão do sujeito poético, já que só depoisde o vaso ter caído pelas escadas é que ele interroga-se quanto ao vazio da sua alma (vaso), vendo, assim, que existe uma enormepossibilidade de que a sua alma já estivesse vazia, antes sequer de esta ter caído pelas escadas, pois o seu estado de tristeza é tão intenso que o leva a duvidar de si próprio e da essência do seu ser, sendo que, quando o vaso já está partido, ele tem como que uma confirmação do estado da sua alma ( fruto do seu estado deespírito nesse instante), apesar de o núcleo da dúvida permanecer lá.
  9. 9. Expressividade da oposiçãoestAbelecidA entre os “cAcos” e “ um cAco”Cacos:*Fragmentação da alma: “Sou um espalhamento de cacos sobre umcapacho por sacudir.”*Sente-se sem existência: “Olham os cacos absurdamenteconscientes./Mas conscientes de si-mesmos, não conscientes deles.”Um Caco:*Um caco sobressai: “Um caco brilha, virado do exterior lustroso,entre os astros.”*Interrogação Retórica: “A minha obra? A minha alma principal? Aminha vida?”“Um caco.”
  10. 10. O resultado da queda da almaDepois da queda da alma, o sujeito poético sente-se inútil, sem valor, como se nunca mais pudesse restaurar a sua alma ( pelo menos nesse momento), não se sente ele mesmo, estranhando-se a si próprio (fragmentação do“eu”), tal é o seu estado emocional; ele também sente que a sua alma está excessivamente danificada devido a esta queda, sendo que ele utiliza o “barulho” da queda comomais uma forma de demonstrar a destruição da sua própria alma.

×