SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 54
Como um fenômeno humano, a religião é
estudada pela Teologia, pela Filosofia, pela
História, pela Psicologia,
Sociologia ...
Importante saber...

SEITA, derivado da palavra latina "Secta", nada mais é
do que um segmento minoritário que se diferencia das
crenças majoritárias, mas como tal também é religião.

HERESIA é outro termo mal compreendido. Significa
simplesmente um conteúdo que vai contra a estrutura
teórica de uma religião dominante. Sendo assim o
Cristianismo foi uma Heresia Judáica assim como o
Protestantismo uma Heresia Católica, ou o Budismo
uma Heresia Hinduísta.
MÍSTICA pode ser entendida como qualquer coisa que
diga respeito a um plano sobre material. Um "Mistério".
Há várias etimologias (origem):

  Vem de RE-LEGERE RE- (RE-
     LER): considerar o que
 pertence ao culto divino, ler de
      novo, ou então reunir;
 Ou ainda, RE-LIGARE (re-ligar):
 ligar o homem de novo a Deus.
 O homem vai a Deus e Deus vai
           ao homem;

Agostinho fala em REE-LIGERE .(re-eleger): tornar a
escolher Deus, perdido pelo pecado.
.
Elementos constitutivos da religião:


    DOUTRINA (crença, dogma): toda
religião tem sua doutrina, que fala sobre
  a origem de tudo: sentido da vida, da
        dor, da matéria, do além.

RITOS (cerimônias): o homem não vive
    sem símbolos, sem ritos, sem
 estruturas visíveis. Os ritos unem os
     homens de uma determinada
        comunidade religiosa.
ÉTICA(leis): cada religião traz consigo as conseqüências de sua
doutrina, ensinando o que é certo e o que é errado, dentro de sua
 cosmovisão. Os preceitos mais importantes são: lei da natureza,
                 lei do amor e lei do bom senso.


 COMUNIDADE OU ADEPTOS: toda religião tende a formar
 uma comunidade, tende a manifestar a sua fé junto de outros.
       Não de trata de um sentimento individualista.


RELÃÇÃO EU-TU – é a relação da pessoa com um diferente, um
 Tu mais elevado, superior. Toda religião antes de possuir ritos e
           doutrinas é uma relação pessoal com Deus.
PRIMITIVAS: Animismo, Politeísmo,
         Xamanismo, Totemismo


SAPIENCIAIS: Hinduísmo, Budismo...
PROFÉTICAS: Judaísmo, Cristianismo,
Islamismo
ESPIRITUALISTAS: Espiritismo, Cultos Afro
Brasileiros e Umbanda
Primitivas é o nome dado às crenças
religiosas e as práticas daquelas tradicionais,
 muitas vezes isoladas, pré-culturas que não
 tenham se desenvolvido tecnologicamente.

      As primitivas incluem as religiões
                tradicionais
da África, Oceania, algumas regiões da Ásia e
os povos primitivos das Américas (indígenas)
De modo geral, as religiões primitivas que sobrevivem
    atualmente são as religiões de sociedades não-
alfabetizadas, em algumas Nações Africanas e outras
   em vários Continentes, normalmente sociedades
                       Tribais.

   Embora não possuem fontes escritas, isso não
significa que não tenham história ou sejam, de algum
modo, são remanescentes “fossilizados” de uma outra
  era passada, tendo como principal maneira, como
           sendo, de boca/ouvido e visual.
Manifestação religiosa na qual se atribui
   a todos os elementos do cosmos (Sol,
 Lua, estrelas), a todos os elementos da
     natureza (rio, oceano, montanha,
  floresta, rocha), a todos os seres vivos
 (animais, árvores, plantas) e a todos os
 fenômenos naturais (chuva, vento, dia,
    noite) um princípio vital e pessoal,
       chamado de "ânima“ (alma).

Todos esses elementos são passíveis de possuírem: sentimentos,
    emoções, vontades ou desejos, e até mesmo inteligência.
Resumidamente, os cultos animistas alegam que: "Todas as coisas
  são Vivas", "Todas as coisas são Conscientes", ou "Todas as
                   coisas têm ânima“. (alma)
Do grego polus= vários +
   théos= Deus) Religião que
     admite vários deuses.
Consiste na crença em mais do
 que uma divindade de gênero
     masculino, feminino ou
indefinido, sendo que cada uma
  é considerada uma entidade
   individual e independente.

Exemplos:
     Religião Grega,
     egípcia, Asteca, Maia,
     hinduísmo etc.
Nesta religião essencialmente primitiva, os
    adeptos se julgam associados a seres
animais e vegetais ou mesmo a fenômenos e
  elementos naturais como o sol, a água, o
 trovão, o raio, etc. Todos se crêem ligados
   entre si, na pessoa de um antepassado
   heróico, que tanto pode ser um homem,
     como um animal, como uma planta.
Formam-se assim agrupamentos, clãs, mais
  ou menos numerosos denominados, por
 exemplo: clã do corvo, clã da serpente, clã
               do pinheiro, etc.

  Adoradores de símbolos, brasões ou armas que cada família faz. O
    brasão era pintado ou cravado na maioria dos objetos usados.
 Esculpiam seus símbolos em pedras, umas empilhadas em cima das
        outras, com imagens de animais sobre seus brasões
É uma experiência mística própria de
  religiões primitivas, centrada na
pessoa do xamã, que se acredita capaz
 de curar e de se comunicar com os
espíritos. O xamã exerce as funções de
 curandeiro, sacerdote e condutor de
   almas. Os povos que admitem o
xamanismo acreditam que a doença é
provocada pela perda da alma. Assim,
o xamã deve de início descobrir onde
    se encontra a alma perdida ou
  seqüestrada por algum espírito do
                mal.
Etimologicamente falando, o
 termo panteísmo deriva das
palavras gregas pan ("tudo") e
 teísmo ("crença em deus"),
sustentando a idéia da crença
em um Deus que está em tudo,
   ou a de muitos deuses
representados pelos múltiplos
  elementos divinizados da
   natureza e do universo.
“Religiões sapienciais”, são aquelas que se
      baseiam na sabedoria humana e na
  experiência da vida. Em geral, mostram ao
 homem um caminho a seguir, acentuando a
  meditação e a sabedoria. Às vezes, nessas
religiões, é difícil discernir o que é religião e o
   que é filosofia ou sabedoria. Acentuam a
        compaixão, a contemplação, o
    autoconhecimento, possuindo, de modo
       genérico, um elevado ideal ético.

  As principais são: Budismo e Hinduísmo
Sistema ético, religioso e filosófico fundado
  pelo príncipe hindu Sidarta Gautama (563-483
      a.C.), ou Buda, por volta do século VI. O
  relato da vida de Buda está cheia de fatos
reais e lendas, as quais são difíceis de serem
       distinguidas historicamente entre si.


   O Budismo consiste no ensinamento de como superar o
sofrimento e atingir o nirvana (estado total de paz e plenitude)
por meio da disciplina mental e de uma forma correta de vida.
 Também crêem na lei do carma, segundo a qual, as ações de
    uma pessoa determinam sua condição na vida futura. A
  doutrina é baseada nas Quatro Grandes Verdades de Buda:
   A existência implica a dor -- O nascimento, a idade,
    a morte e os desejos são sofrimentos.


   A origem da dor é o desejo e o afeto -- As pessoas
    buscam prazeres que não duram muito tempo e buscam
    alegria que leva a mais sofrimento.


   O fim da dor -- só é possível com o fim do desejo.


   A Quarta Verdade -- se prega que a superação da
    dor só pode ser alcançada através de oito passos:
   Compreensão correta
   Pensamento correto
   Linguagem correta
   Comportamento correto
   Modo de vida correto
   Esforço correto
   Desígnio correto
   Meditação correta
Dentre todas as religiões orientais, o hinduísmo,
que compreende grande variedade de elementos
heterogêneos, é a de mais difícil apreensão pela
mentalidade ocidental. Sua expressão ultrapassa
os limites da religião e percorre toda a estrutura
   social, dos atos comuns da vida diária até a
                 literatura e a arte.
    É uma das religiões mais antigas do mundo.
   Eles acreditam que nós temos muitas vidas
     diferentes, e que nós aprendemos lições
espirituais através da nossa experiência na terra.
Acreditam em karma, que é um sistema que cada
 ação feita aqui na terra será refletida de alguma
forma no nosso futuro. A pessoa comete um ato
      bom ou ruim, não parece ter resultado
 imediatamente no presente, mas no futuro seus
    atos irão refletir em coisas boas ou ruins.
O hinduísmo estabeleceu as bases para muitas outras correntes
   religiosas e filosóficas e passou por várias etapas, desde o
hinduísmo védico, bramânico e filosófico, até certos movimentos
sectários e reformadores, entre os quais se incluem o budismo e
              o jainismo, surgidos no século VI a.C.
Por “religiões proféticas” entendemos aquelas em cuja
    origem se encontra um profeta, que comunica a
 revelação recebida de Deus e denuncia as injustiças.
    Por “profeta” entendemos um porta-voz de Deus.


  Também chamadas religiões
 monoteístas (do grego mónos,
  "único" e theós, "Deus”) É a
crença em um só Deus, diferente
 do politeísmo que conceitua a
   natureza de vários deuses.

São elas: Judaísmo,
Cristianismo, Islamismo
O judaísmo é considerado a primeira
   religião monoteísta a aparecer na
                  história.
      Tem como crença principal a
   existência de apenas um Deus, o
criador de tudo. Para os judeus, Deus
    fez um acordo com os hebreus,
fazendo com que eles se tornassem o
 povo escolhido e prometendo-lhes a
             terra prometida.
Atualmente a fé judaica é praticada em
 várias regiões do mundo, porém é no
estado de Israel que se concentra um
     grande número de praticantes
Cristãos acreditam que Jesus Cristo foi
 filho de Deus. Ele nasceu em Belém na
    Judéia e começo seu ensinamento
  depois de seu batismo no Rio Jordão.
      Escolheu doze discípulos seus
     seguidores, fez muitos milagres,
        inclusive curou pessoas.
Por fim, Jesus foi crucificado, colocaram
ele em uma cruz por pessoas que tinham
  medo de seus poderes e do poder de
  seus seguidores. Depois de três dias
      que Jesus morreu, ressuscitou,
 apareceu para seus seguidores e subiu
  para o céu. Muitas das histórias sobre
   Deus e Jesus Cristo estão narradas na
                  Bíblia.
Neste período, a religião Cristã se expandiu através da vida
  e pregações realizadas pelos doze apóstolos de Jesus
Cristo (André, Bartolomeu, Felipe, Tiago, Tiago filho de
 Alfeu, João, Judas Iscariotes, Judas Tadeu, Mateus,
                Pedro, Tadeu e Tomás).
O Islamismo é a religião fundada
pelo profeta Maomé no início do
 século VII, na região da Arábia.
  O Islã é o conjunto dos povos
   de civilização islâmica, que
   professam o islamismo; em
     resumo, é o mundo dos
  seguidores dessa religião. O
 muçulmano é o seguidor da fé
islâmica, também chamado por
        alguns de islamita.
Em árabe, a palavra Islã significa
  "rendição" ou "submissão" e se
 refere à obrigação do muçulmano
   de seguir a vontade de Deus.

 O termo está ligado a outra palavra
árabe salam, que significa "paz" - o
    que reforça o caráter pacífico e
   tolerante da fé islâmica. O termo
    surgiu por obra do fundador do
  islamismo, o profeta Maomé, que
     dedicou a vida à tentativa de
promover a paz em sua Arábia natal.
Espiritualistas são as que seus seguidores acreditam na
          manifestação e intervenção dos espíritos.
   Acreditam que cada ser neste Universo é conectado de
  alguma maneira à um centro poderoso fora desta planeta.
Eles acreditam que parte das pessoas vivem depois da morte
 e conseguem se comunicar com pessoas que já morreram
                     através de um médium.
Os Espiritualistas recebem mensagens de pessoas mortas ou
  do passado e passam para os membros da congregação.
 Eles também curam pessoas, colocando suas mãos sobre o
                            paciente.
   Entre elas, destacam-se o espiritismo, as religiões afro-
                    brasileiras e a umbanda.
Origem
No século 19 um fenômeno agitou a Europa: “as
mesas girantes”. Nos salões elegantes, após os
saraus, as mesas eram alvo de curiosidade e de
extensas reportagens, pois moviam-se, erguiam-
  se no ar e respondiam a questões mediante
               batidas no chão .
O fenômeno chamou a atenção de um pesquisador
         sério : Hippolyte Leon Denizard Rivail.
Rivail, pedagogo francês, fluente em diversos idiomas,
 autor de livros didáticos e adepto de rigoroso método
 de investigação científica, não aceitou de imediato os
    fenômenos das mesas girantes, mas estudou-os
  atentamente, observou que uma força inteligente as
   movia e investigou a natureza dessa força, que se
   identificou como: os “Espíritos dos homens” que
 haviam morrido. Rivail fez centenas de perguntas aos
    Espíritos, analisou as respostas, comparou-as e
 codificou-as, tudo submetendo ao crivo da razão, não
aceitando e não divulgando nada que não passasse por
   esse crivo. Assim nasceu O Livro dos Espíritos. O
professor Rivail imortalizou-se adotando o pseudônimo
   de Allan Kardec. A Doutrina codificada por ele tem
         caráter científico, religioso e filosófico.
Segundo a visão espírita, os fenômenos mediúnicos são
  registrados em diversos lugares e épocas da História,
desde a Antiguidade, sob diversas formas. Como exemplo
      dessa visão de realidade religiosa, refere-se:
    • A prática ancestral de culto aos antepassados
• Na cultura da Grécia Antiga, a crença em que as almas
  dos mortos habitavam o submundo e que era possível
              entrar em contacto com eles
     • Os povos Celtas acreditavam que os espíritos
 regressavam ao mundo dos vivos em certas ocasiões
  • Os xamãs dos povos "primitivos" da Ásia e Oceania,
também afirmam ter o dom de comunicação com o além.
Fundamentos gerais
 O espiritismo, apesar das diversas variações, de um
  modo geral fundamenta-se nos seguintes pontos:
 Crença num mundo dos espíritos;
 Possibilidade de os vivos entrarem em contacto com o
  espírito dos mortos;
 Essa comunicação é realizada com o auxílio de pessoas
  com determinadas capacidades - os médiuns, como por
  exemplo a chamada "escrita automática" (psicografia).
Não encontramos no espiritismo uma doutrina
 específica sobre a natureza de Deus e dos
    espíritos, mas um sincretismo bastante
  superficial, em que se justapõe elementos
orientais (lei do Karma) e elementos Cristãos
                 (lei da caridade)
UMBANDA
                        O QUE É?
É uma religião formada dentro da cultura religiosa brasileira
    que sincretiza elementos vários, inclusive de outras
  religiões como o catolicismo, o espiritismo e as religiões
                      afro-brasileiras.
   ORIGEM: No período colonial chegaram ao Brasil os
   primeiros africanos de origem Yorubá, um povo que
 ocupava a região onde hoje ficam Nigéria, Benin e Togo.
    A religião dos Yorubás era o candomblé, mas eles
 aportaram no Brasil como escravos e não podiam cultuar
suas divindades livremente - a religião oficial do país era o
                       catolicismo.
• Por causa dessa proibição, os escravos
   começaram a associar suas divindades com os
       santos católicos para exercerem sua fé
disfarçadamente. Como os santos católicos são bem
       numerosos, existem divindades que são
 identificadas com mais de um santo. Por exemplo:
 Oxossi, o rei da caça, é associado a São Jorge e a
                   São Sebastião.
A palavra Umbanda é derivada da palavra
AUM-(Deus)BHAN (conjunto)-DAN (leis) - que
   significa o Conjunto das Leis Divinas.

    Orixás, dentro do culto Umbandista são
espíritos de grande força espiritual, de grande
    luz, que trabalham sob as ordens de um
      determinado Orixá. A cada Orixá está
       associada uma personalidade e um
     comportamento. Cada pessoa recebe a
 influência do Orixá que será seu protetor por
                   toda a vida.
Sincretismo entre Orixás e Santos Católicos:


Oxalá= Jesus Cristo
Yemanjá = Virgem Maria
Oxossi = São Sebastião e São Jorge
Ibeji = Cosme e São Damião
Locunêdê = Santo Expedito
Logun= São Miguel
Oxum= Nossa Sra. Aparecida
Xangô= São Francisco de Assis
O sincretismo é a tentativa de
 conciliar crenças diferentes ou
           mesmo opostas.
   O termo é mais comumente
     utilizado como referência
religiosa, como tratado religioso
  tradicional da Bahia, onde há
     influência de crenças de
 religiões tradicionais africanas
   em rituais da Igreja Católica

O sincretismo entre religiões de origem africana e a religião
católica, segundo José Beniste, "valeu como poderosa arma
     para os negros manterem suas tradições. Sem ele,
provavelmente, nem mesmo teriam podido manter os traços
           religiosos que ainda hoje se conservam.
CANDOMBLÉ
       O QUE É?
  O candomblé é uma
 religião africana trazida
 para o Brasil no período
    em que os negros
  desembarcaram para
serem escravos, cultua os
   Orixás e tem origem
      familiar e tribal.


                         ORIGEM:
A origem do Candomblé se deu na cidade de Ife na África,
     e foi trazida para o Brasil pelos negros Yorubas.
Candomblé é uma palavra derivada da língua bantu: ca
 [ka]= uso, costume - ndomb =negro, preto e lé=lugar,
         casa, terreiro e/ou pequeno atabaque.

  A reunião dos três vocábulos resulta em "lugar de
    costume dos negros", por extensão, lugar de
tradições negras, tradições entre as quais, destacam-
se, no sentido atual as práticas religiosas que incluem
                 a música percussiva



 Outra interpretação informa que
  kandombele significa "adorar"
O Candomblé no Brasil, nasceu da necessidade dos
negros escravos realizarem seus rituais religiosos, que no
princípio eram proibidos pelos senhores de escravos. Para
 burlar essa proibição, eles faziam seus assentamentos e
 se escondiam, preferencialmente fazendo um buraco no
 chão, cobrindo-o, por cima colocavam o santo católico e
     dançavam para seus Orixás, dizendo que estavam
    cantando e dançando em homenagem àquele santo
     católico; daí nasceu o sincretismo religioso, que foi
   abandonado mais tarde pela maioria dos adeptos do
 Candomblé tradicional, com o “término" da escravidão e
mais concretamente quando o Candomblé foi aceito como
       religião com a liberdade de culto garantida pela
                    Constituição Brasileira.
O candomblé tem como objetivo a adoração aos
  Orixás, considerados como espíritos da Natureza,
  provenientes dos elementos terra, fogo, água e ar.

    São deuses guerreiros, protetores da caça, da
maternidade, dos reis e rainhas da África, e outros, que
     vivem nos corações de seus descendentes.
Eles são venerados em iniciações secretas e em
  festas de um ciclo anual, dedicadas a cada um
 deles. Nas festas, abertas ao público - homem de
  um lado, mulher de outro - os filhos-de-santo e
 adeptos dançam vestidos com as roupas e cores
características, ao som de atabaques, entrando em
   transe e incorporando os espíritos dos orixás.

Os Orixás são os encantados, ou seja, a força da
     natureza de cada um, com um potencial
  diferenciado pela energia do elemento que o
               mesmo comanda.
Alguns Orixás

OGUM: Deus da guerra, do fogo e da tecnologia. No Brasil,
é conhecido como deus guerreiro.
Elemento: ferro.
Personalidade: impaciente,
obstinado, conquistador e volúvel.
Dia da semana: terça-feira.
Colar: azul-marinho.
Roupa: azul, verde escuro, vermelho
Sacrifício: galo e bode avermelhados.
Oferendas: feijoada, xinxim, acarajé
e inhame.
OXOSSI: Deus da caça, da fartura e da colheita, está
sempre descobrindo algo novo. É o grande patrono do
candomblé brasileiro.

Elemento: florestas.
Personalidade: intuitivo e emotivo.
Dia da semana: quinta-feira.
Colar: azul claro.
Roupa: azul ou verde claro.
Sacrifício: galo e bode avermelhados e porco.
Oferendas: milho branco e amarelo, peixe de escamas,
arroz, feijão e abóbora.
Exu: Orixá mensageiro entre o homem e os deuses,
guardiões da porta da rua, das esquinas e das encruzilhadas.
O lado feminino de Exu é a Pomba-Gira, que dança
freneticamente, com cabelos soltos, saias rodadas e flores na
cabeça.

Elemento: fogo.
Personalidade: atrevido e agressivo.
Dia da semana: segunda-feira.
Roupa: vermelha e preta.
Sacrifício: bode e galo preto.
Oferendas: farofa com dendê, feijão, pimenta, charutos,
água, mel e aguardente.
No tempo da escravidão, os escravos
faziam muitas oferendas ao Orixá Exu,
  para que este abrisse os caminhos
dos escravos que tanto sofriam. Mas a
igreja católica, junta com os senhores
de engenho, que obrigava os escravos
a seguirem o catolicismo, descobriram
     este Orixá, e, o associaram ao
Demônio da igreja católica. Sendo que
 depois disso, a imagem de Exu ficou
bastante deturpada, onde hoje, aqui no
Brasil, o Orixá Exu, ainda é associado
    a um Demônio que não existe.
No início da colonização, os rituais do candomblé eram
 praticados nas próprias senzalas e nos terreiros das
 fazendas, onde trabalhavam os escravos africanos e
     seus descendentes. O mais antigo terreiro de
Candomblé da Bahia nasceu há 450 anos, é conhecido
        como Engenho Velho ou Casa Branca.
Diferenças entre o Candomblé e a Umbanda:
Um terreiro de Umbanda que tem, lado a lado, imagens
 de santos católicos (estes representando os orixás) e
    imagens das entidades (marinheiros, caboclos
  ameríndios, pretos-velhos, crianças, etc) e também
podem ter outras imagens como de Santa Luzia, Santo
            Agostinho, Santo Expedito, etc.
 Em terreiros de candomblé cada orixá tem seu lugar,
como por exemplo um quartinho, onde ficam os objetos
                        do orixá.
  A música também é bem diferente, uma vez que no
    Candomblé vai depender de que nação é, já na
     Umbanda os cânticos são todos cantados em
                       português.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Religiao e religiosidade
Religiao e religiosidadeReligiao e religiosidade
Religiao e religiosidadeManoel Gamas
 
Liberdade religiosa ppt
Liberdade religiosa pptLiberdade religiosa ppt
Liberdade religiosa pptAlex Faria
 
Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Over Lane
 
As religiões orientais
As religiões orientaisAs religiões orientais
As religiões orientaisEspaço Emrc
 
Cap 22 a universalidade do fenomeno religioso
Cap 22 a universalidade do fenomeno religiosoCap 22 a universalidade do fenomeno religioso
Cap 22 a universalidade do fenomeno religiosoJoao Balbi
 
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.Virna Salgado Barra
 
Religião afro brasileiras
Religião afro brasileirasReligião afro brasileiras
Religião afro brasileirasDenise Aguiar
 
Ética e religião
Ética e religiãoÉtica e religião
Ética e religiãoMarcel Gois
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao Erica Frau
 
A Religiosidade Brasileira
A Religiosidade BrasileiraA Religiosidade Brasileira
A Religiosidade BrasileiraGeorge Maia
 
Respeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosaRespeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosaPaulo Gomes
 
Filosofia e felicidade slide
Filosofia e felicidade slideFilosofia e felicidade slide
Filosofia e felicidade slideDaniel Filosofo
 

Mais procurados (20)

Religiao e religiosidade
Religiao e religiosidadeReligiao e religiosidade
Religiao e religiosidade
 
Principais Religiões do Mundo
Principais Religiões do MundoPrincipais Religiões do Mundo
Principais Religiões do Mundo
 
Liberdade religiosa ppt
Liberdade religiosa pptLiberdade religiosa ppt
Liberdade religiosa ppt
 
Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.Religiões da humanidade.
Religiões da humanidade.
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
 
Diversidade religiosa
Diversidade religiosaDiversidade religiosa
Diversidade religiosa
 
Religiões
ReligiõesReligiões
Religiões
 
As religiões orientais
As religiões orientaisAs religiões orientais
As religiões orientais
 
Cap 22 a universalidade do fenomeno religioso
Cap 22 a universalidade do fenomeno religiosoCap 22 a universalidade do fenomeno religioso
Cap 22 a universalidade do fenomeno religioso
 
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
O Estudo das Religiões: das primitivas às contemporâneas.
 
Religião afro brasileiras
Religião afro brasileirasReligião afro brasileiras
Religião afro brasileiras
 
Sentido da Vida
Sentido da VidaSentido da Vida
Sentido da Vida
 
Ensino religioso
Ensino religiosoEnsino religioso
Ensino religioso
 
Ética e religião
Ética e religiãoÉtica e religião
Ética e religião
 
3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao 3 Filosofia mito e religiao
3 Filosofia mito e religiao
 
A Religiosidade Brasileira
A Religiosidade BrasileiraA Religiosidade Brasileira
A Religiosidade Brasileira
 
Respeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosaRespeito a diversidade religiosa
Respeito a diversidade religiosa
 
DUALISMO
DUALISMODUALISMO
DUALISMO
 
Filosofia
Filosofia Filosofia
Filosofia
 
Filosofia e felicidade slide
Filosofia e felicidade slideFilosofia e felicidade slide
Filosofia e felicidade slide
 

Semelhante a Religiões da humanidade

Religioes da humanidade
Religioes da humanidadeReligioes da humanidade
Religioes da humanidadeOver Lane
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidade  Religioes da humanidade
Religioes da humanidade Paulo Henrique
 
Apostila de movimento religiosos
Apostila de movimento religiososApostila de movimento religiosos
Apostila de movimento religiososEderaldo Rodrigues
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1PIBJA
 
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptxensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptxFrancimaraCerqueira
 
Introdução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religiosoIntrodução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religiosoJarley Fernandes
 
Religião,sistemade crenças,feitiçaria e magiA
Religião,sistemade crenças,feitiçaria e magiAReligião,sistemade crenças,feitiçaria e magiA
Religião,sistemade crenças,feitiçaria e magiAJeisonBR
 
Religião e a ciência universal
Religião e a ciência universalReligião e a ciência universal
Religião e a ciência universalJesh Wah-DE
 
Slides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da ReligiãoSlides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da Religiãoandrealvessobral
 
Algumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 SérieAlgumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 Sérienicollegouveia
 
Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.Nicole Gouveia
 
Materialismo e Espiritismo
Materialismo e EspiritismoMaterialismo e Espiritismo
Materialismo e EspiritismoHelio Cruz
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2PIBJA
 
Diversidade religiosa parte 1
Diversidade religiosa parte 1Diversidade religiosa parte 1
Diversidade religiosa parte 1André Janzon
 
O fenômeno religioso
O fenômeno religioso O fenômeno religioso
O fenômeno religioso Maycon Paim
 
Religiões da humanidade
Religiões da  humanidadeReligiões da  humanidade
Religiões da humanidadeAntenor Antenor
 

Semelhante a Religiões da humanidade (20)

Religioes da humanidade
Religioes da humanidadeReligioes da humanidade
Religioes da humanidade
 
Religioes da humanidade
Religioes da humanidade  Religioes da humanidade
Religioes da humanidade
 
Apostila de movimento religiosos
Apostila de movimento religiososApostila de movimento religiosos
Apostila de movimento religiosos
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 1
 
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptxensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
ensinoreligioso-141117180802-conversion-gate01.pptx
 
Introdução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religiosoIntrodução ao pensamento religioso
Introdução ao pensamento religioso
 
Religião,sistemade crenças,feitiçaria e magiA
Religião,sistemade crenças,feitiçaria e magiAReligião,sistemade crenças,feitiçaria e magiA
Religião,sistemade crenças,feitiçaria e magiA
 
Religião e a ciência universal
Religião e a ciência universalReligião e a ciência universal
Religião e a ciência universal
 
Slides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da ReligiãoSlides da Disciplina de Filosofia da Religião
Slides da Disciplina de Filosofia da Religião
 
Algumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 SérieAlgumas Religiões.8 Série
Algumas Religiões.8 Série
 
Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.Algumas formas de religião.
Algumas formas de religião.
 
Estudo das Religiões
Estudo das ReligiõesEstudo das Religiões
Estudo das Religiões
 
Materialismo e Espiritismo
Materialismo e EspiritismoMaterialismo e Espiritismo
Materialismo e Espiritismo
 
Islamismo
IslamismoIslamismo
Islamismo
 
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2
Religiões, Seitas e Heresias - Aula 2
 
A Origem Das Religiões
A Origem Das ReligiõesA Origem Das Religiões
A Origem Das Religiões
 
Relig mund aula 2
Relig mund aula 2Relig mund aula 2
Relig mund aula 2
 
Diversidade religiosa parte 1
Diversidade religiosa parte 1Diversidade religiosa parte 1
Diversidade religiosa parte 1
 
O fenômeno religioso
O fenômeno religioso O fenômeno religioso
O fenômeno religioso
 
Religiões da humanidade
Religiões da  humanidadeReligiões da  humanidade
Religiões da humanidade
 

Mais de Over Lane

Mensalão - Para não esquecer.
Mensalão - Para não esquecer.Mensalão - Para não esquecer.
Mensalão - Para não esquecer.Over Lane
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna Over Lane
 
Arte romana para blog
Arte romana para blogArte romana para blog
Arte romana para blogOver Lane
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 anoOver Lane
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 anoOver Lane
 
Felicidade 3 ano
Felicidade 3 anoFelicidade 3 ano
Felicidade 3 anoOver Lane
 
História do cinema blog
História do cinema blogHistória do cinema blog
História do cinema blogOver Lane
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte modernaOver Lane
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e éticaOver Lane
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeOver Lane
 
Linguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 anoLinguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 anoOver Lane
 
Patristica e escolastica
Patristica e escolasticaPatristica e escolastica
Patristica e escolasticaOver Lane
 
Aula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 anoAula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 anoOver Lane
 
Aula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 anoAula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 anoOver Lane
 
Aula liberalismo
Aula liberalismoAula liberalismo
Aula liberalismoOver Lane
 
Artes pre-historia para blog
Artes   pre-historia para blogArtes   pre-historia para blog
Artes pre-historia para blogOver Lane
 
Democracia 2 ano
Democracia 2 anoDemocracia 2 ano
Democracia 2 anoOver Lane
 

Mais de Over Lane (20)

Cultura
CulturaCultura
Cultura
 
Mensalão - Para não esquecer.
Mensalão - Para não esquecer.Mensalão - Para não esquecer.
Mensalão - Para não esquecer.
 
Filosofia moderna
Filosofia moderna Filosofia moderna
Filosofia moderna
 
Arte romana para blog
Arte romana para blogArte romana para blog
Arte romana para blog
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
 
Idade média 1 ano
Idade média 1 anoIdade média 1 ano
Idade média 1 ano
 
Felicidade 3 ano
Felicidade 3 anoFelicidade 3 ano
Felicidade 3 ano
 
História do cinema blog
História do cinema blogHistória do cinema blog
História do cinema blog
 
A semana de arte moderna
A semana de arte modernaA semana de arte moderna
A semana de arte moderna
 
Moral e ética
Moral e éticaMoral e ética
Moral e ética
 
Trabalho e sociedade
Trabalho e sociedadeTrabalho e sociedade
Trabalho e sociedade
 
Linguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 anoLinguagem e pensamento 2 ano
Linguagem e pensamento 2 ano
 
Patristica e escolastica
Patristica e escolasticaPatristica e escolastica
Patristica e escolastica
 
Arte naif
Arte naifArte naif
Arte naif
 
Aula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 anoAula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 ano
 
Aula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 anoAula ideologia 3 ano
Aula ideologia 3 ano
 
Aula liberalismo
Aula liberalismoAula liberalismo
Aula liberalismo
 
Artes pre-historia para blog
Artes   pre-historia para blogArtes   pre-historia para blog
Artes pre-historia para blog
 
Democracia 2 ano
Democracia 2 anoDemocracia 2 ano
Democracia 2 ano
 
Durkhein
DurkheinDurkhein
Durkhein
 

Religiões da humanidade

  • 1.
  • 2. Como um fenômeno humano, a religião é estudada pela Teologia, pela Filosofia, pela História, pela Psicologia, Sociologia ...
  • 3. Importante saber... SEITA, derivado da palavra latina "Secta", nada mais é do que um segmento minoritário que se diferencia das crenças majoritárias, mas como tal também é religião. HERESIA é outro termo mal compreendido. Significa simplesmente um conteúdo que vai contra a estrutura teórica de uma religião dominante. Sendo assim o Cristianismo foi uma Heresia Judáica assim como o Protestantismo uma Heresia Católica, ou o Budismo uma Heresia Hinduísta. MÍSTICA pode ser entendida como qualquer coisa que diga respeito a um plano sobre material. Um "Mistério".
  • 4. Há várias etimologias (origem): Vem de RE-LEGERE RE- (RE- LER): considerar o que pertence ao culto divino, ler de novo, ou então reunir; Ou ainda, RE-LIGARE (re-ligar): ligar o homem de novo a Deus. O homem vai a Deus e Deus vai ao homem; Agostinho fala em REE-LIGERE .(re-eleger): tornar a escolher Deus, perdido pelo pecado. .
  • 5. Elementos constitutivos da religião: DOUTRINA (crença, dogma): toda religião tem sua doutrina, que fala sobre a origem de tudo: sentido da vida, da dor, da matéria, do além. RITOS (cerimônias): o homem não vive sem símbolos, sem ritos, sem estruturas visíveis. Os ritos unem os homens de uma determinada comunidade religiosa.
  • 6. ÉTICA(leis): cada religião traz consigo as conseqüências de sua doutrina, ensinando o que é certo e o que é errado, dentro de sua cosmovisão. Os preceitos mais importantes são: lei da natureza, lei do amor e lei do bom senso. COMUNIDADE OU ADEPTOS: toda religião tende a formar uma comunidade, tende a manifestar a sua fé junto de outros. Não de trata de um sentimento individualista. RELÃÇÃO EU-TU – é a relação da pessoa com um diferente, um Tu mais elevado, superior. Toda religião antes de possuir ritos e doutrinas é uma relação pessoal com Deus.
  • 7. PRIMITIVAS: Animismo, Politeísmo, Xamanismo, Totemismo SAPIENCIAIS: Hinduísmo, Budismo... PROFÉTICAS: Judaísmo, Cristianismo, Islamismo ESPIRITUALISTAS: Espiritismo, Cultos Afro Brasileiros e Umbanda
  • 8.
  • 9. Primitivas é o nome dado às crenças religiosas e as práticas daquelas tradicionais, muitas vezes isoladas, pré-culturas que não tenham se desenvolvido tecnologicamente. As primitivas incluem as religiões tradicionais da África, Oceania, algumas regiões da Ásia e os povos primitivos das Américas (indígenas)
  • 10. De modo geral, as religiões primitivas que sobrevivem atualmente são as religiões de sociedades não- alfabetizadas, em algumas Nações Africanas e outras em vários Continentes, normalmente sociedades Tribais. Embora não possuem fontes escritas, isso não significa que não tenham história ou sejam, de algum modo, são remanescentes “fossilizados” de uma outra era passada, tendo como principal maneira, como sendo, de boca/ouvido e visual.
  • 11. Manifestação religiosa na qual se atribui a todos os elementos do cosmos (Sol, Lua, estrelas), a todos os elementos da natureza (rio, oceano, montanha, floresta, rocha), a todos os seres vivos (animais, árvores, plantas) e a todos os fenômenos naturais (chuva, vento, dia, noite) um princípio vital e pessoal, chamado de "ânima“ (alma). Todos esses elementos são passíveis de possuírem: sentimentos, emoções, vontades ou desejos, e até mesmo inteligência. Resumidamente, os cultos animistas alegam que: "Todas as coisas são Vivas", "Todas as coisas são Conscientes", ou "Todas as coisas têm ânima“. (alma)
  • 12. Do grego polus= vários + théos= Deus) Religião que admite vários deuses. Consiste na crença em mais do que uma divindade de gênero masculino, feminino ou indefinido, sendo que cada uma é considerada uma entidade individual e independente. Exemplos: Religião Grega, egípcia, Asteca, Maia, hinduísmo etc.
  • 13. Nesta religião essencialmente primitiva, os adeptos se julgam associados a seres animais e vegetais ou mesmo a fenômenos e elementos naturais como o sol, a água, o trovão, o raio, etc. Todos se crêem ligados entre si, na pessoa de um antepassado heróico, que tanto pode ser um homem, como um animal, como uma planta. Formam-se assim agrupamentos, clãs, mais ou menos numerosos denominados, por exemplo: clã do corvo, clã da serpente, clã do pinheiro, etc. Adoradores de símbolos, brasões ou armas que cada família faz. O brasão era pintado ou cravado na maioria dos objetos usados. Esculpiam seus símbolos em pedras, umas empilhadas em cima das outras, com imagens de animais sobre seus brasões
  • 14. É uma experiência mística própria de religiões primitivas, centrada na pessoa do xamã, que se acredita capaz de curar e de se comunicar com os espíritos. O xamã exerce as funções de curandeiro, sacerdote e condutor de almas. Os povos que admitem o xamanismo acreditam que a doença é provocada pela perda da alma. Assim, o xamã deve de início descobrir onde se encontra a alma perdida ou seqüestrada por algum espírito do mal.
  • 15. Etimologicamente falando, o termo panteísmo deriva das palavras gregas pan ("tudo") e teísmo ("crença em deus"), sustentando a idéia da crença em um Deus que está em tudo, ou a de muitos deuses representados pelos múltiplos elementos divinizados da natureza e do universo.
  • 16.
  • 17. “Religiões sapienciais”, são aquelas que se baseiam na sabedoria humana e na experiência da vida. Em geral, mostram ao homem um caminho a seguir, acentuando a meditação e a sabedoria. Às vezes, nessas religiões, é difícil discernir o que é religião e o que é filosofia ou sabedoria. Acentuam a compaixão, a contemplação, o autoconhecimento, possuindo, de modo genérico, um elevado ideal ético. As principais são: Budismo e Hinduísmo
  • 18. Sistema ético, religioso e filosófico fundado pelo príncipe hindu Sidarta Gautama (563-483 a.C.), ou Buda, por volta do século VI. O relato da vida de Buda está cheia de fatos reais e lendas, as quais são difíceis de serem distinguidas historicamente entre si. O Budismo consiste no ensinamento de como superar o sofrimento e atingir o nirvana (estado total de paz e plenitude) por meio da disciplina mental e de uma forma correta de vida. Também crêem na lei do carma, segundo a qual, as ações de uma pessoa determinam sua condição na vida futura. A doutrina é baseada nas Quatro Grandes Verdades de Buda:
  • 19. A existência implica a dor -- O nascimento, a idade, a morte e os desejos são sofrimentos.  A origem da dor é o desejo e o afeto -- As pessoas buscam prazeres que não duram muito tempo e buscam alegria que leva a mais sofrimento.  O fim da dor -- só é possível com o fim do desejo.  A Quarta Verdade -- se prega que a superação da dor só pode ser alcançada através de oito passos:
  • 20. Compreensão correta  Pensamento correto  Linguagem correta  Comportamento correto  Modo de vida correto  Esforço correto  Desígnio correto  Meditação correta
  • 21. Dentre todas as religiões orientais, o hinduísmo, que compreende grande variedade de elementos heterogêneos, é a de mais difícil apreensão pela mentalidade ocidental. Sua expressão ultrapassa os limites da religião e percorre toda a estrutura social, dos atos comuns da vida diária até a literatura e a arte. É uma das religiões mais antigas do mundo. Eles acreditam que nós temos muitas vidas diferentes, e que nós aprendemos lições espirituais através da nossa experiência na terra. Acreditam em karma, que é um sistema que cada ação feita aqui na terra será refletida de alguma forma no nosso futuro. A pessoa comete um ato bom ou ruim, não parece ter resultado imediatamente no presente, mas no futuro seus atos irão refletir em coisas boas ou ruins.
  • 22. O hinduísmo estabeleceu as bases para muitas outras correntes religiosas e filosóficas e passou por várias etapas, desde o hinduísmo védico, bramânico e filosófico, até certos movimentos sectários e reformadores, entre os quais se incluem o budismo e o jainismo, surgidos no século VI a.C.
  • 23.
  • 24. Por “religiões proféticas” entendemos aquelas em cuja origem se encontra um profeta, que comunica a revelação recebida de Deus e denuncia as injustiças. Por “profeta” entendemos um porta-voz de Deus. Também chamadas religiões monoteístas (do grego mónos, "único" e theós, "Deus”) É a crença em um só Deus, diferente do politeísmo que conceitua a natureza de vários deuses. São elas: Judaísmo, Cristianismo, Islamismo
  • 25. O judaísmo é considerado a primeira religião monoteísta a aparecer na história. Tem como crença principal a existência de apenas um Deus, o criador de tudo. Para os judeus, Deus fez um acordo com os hebreus, fazendo com que eles se tornassem o povo escolhido e prometendo-lhes a terra prometida. Atualmente a fé judaica é praticada em várias regiões do mundo, porém é no estado de Israel que se concentra um grande número de praticantes
  • 26. Cristãos acreditam que Jesus Cristo foi filho de Deus. Ele nasceu em Belém na Judéia e começo seu ensinamento depois de seu batismo no Rio Jordão. Escolheu doze discípulos seus seguidores, fez muitos milagres, inclusive curou pessoas. Por fim, Jesus foi crucificado, colocaram ele em uma cruz por pessoas que tinham medo de seus poderes e do poder de seus seguidores. Depois de três dias que Jesus morreu, ressuscitou, apareceu para seus seguidores e subiu para o céu. Muitas das histórias sobre Deus e Jesus Cristo estão narradas na Bíblia.
  • 27. Neste período, a religião Cristã se expandiu através da vida e pregações realizadas pelos doze apóstolos de Jesus Cristo (André, Bartolomeu, Felipe, Tiago, Tiago filho de Alfeu, João, Judas Iscariotes, Judas Tadeu, Mateus, Pedro, Tadeu e Tomás).
  • 28. O Islamismo é a religião fundada pelo profeta Maomé no início do século VII, na região da Arábia. O Islã é o conjunto dos povos de civilização islâmica, que professam o islamismo; em resumo, é o mundo dos seguidores dessa religião. O muçulmano é o seguidor da fé islâmica, também chamado por alguns de islamita.
  • 29. Em árabe, a palavra Islã significa "rendição" ou "submissão" e se refere à obrigação do muçulmano de seguir a vontade de Deus. O termo está ligado a outra palavra árabe salam, que significa "paz" - o que reforça o caráter pacífico e tolerante da fé islâmica. O termo surgiu por obra do fundador do islamismo, o profeta Maomé, que dedicou a vida à tentativa de promover a paz em sua Arábia natal.
  • 30.
  • 31. Espiritualistas são as que seus seguidores acreditam na manifestação e intervenção dos espíritos. Acreditam que cada ser neste Universo é conectado de alguma maneira à um centro poderoso fora desta planeta. Eles acreditam que parte das pessoas vivem depois da morte e conseguem se comunicar com pessoas que já morreram através de um médium. Os Espiritualistas recebem mensagens de pessoas mortas ou do passado e passam para os membros da congregação. Eles também curam pessoas, colocando suas mãos sobre o paciente. Entre elas, destacam-se o espiritismo, as religiões afro- brasileiras e a umbanda.
  • 32. Origem No século 19 um fenômeno agitou a Europa: “as mesas girantes”. Nos salões elegantes, após os saraus, as mesas eram alvo de curiosidade e de extensas reportagens, pois moviam-se, erguiam- se no ar e respondiam a questões mediante batidas no chão .
  • 33. O fenômeno chamou a atenção de um pesquisador sério : Hippolyte Leon Denizard Rivail. Rivail, pedagogo francês, fluente em diversos idiomas, autor de livros didáticos e adepto de rigoroso método de investigação científica, não aceitou de imediato os fenômenos das mesas girantes, mas estudou-os atentamente, observou que uma força inteligente as movia e investigou a natureza dessa força, que se identificou como: os “Espíritos dos homens” que haviam morrido. Rivail fez centenas de perguntas aos Espíritos, analisou as respostas, comparou-as e codificou-as, tudo submetendo ao crivo da razão, não aceitando e não divulgando nada que não passasse por esse crivo. Assim nasceu O Livro dos Espíritos. O professor Rivail imortalizou-se adotando o pseudônimo de Allan Kardec. A Doutrina codificada por ele tem caráter científico, religioso e filosófico.
  • 34. Segundo a visão espírita, os fenômenos mediúnicos são registrados em diversos lugares e épocas da História, desde a Antiguidade, sob diversas formas. Como exemplo dessa visão de realidade religiosa, refere-se: • A prática ancestral de culto aos antepassados • Na cultura da Grécia Antiga, a crença em que as almas dos mortos habitavam o submundo e que era possível entrar em contacto com eles • Os povos Celtas acreditavam que os espíritos regressavam ao mundo dos vivos em certas ocasiões • Os xamãs dos povos "primitivos" da Ásia e Oceania, também afirmam ter o dom de comunicação com o além.
  • 35. Fundamentos gerais  O espiritismo, apesar das diversas variações, de um modo geral fundamenta-se nos seguintes pontos:  Crença num mundo dos espíritos;  Possibilidade de os vivos entrarem em contacto com o espírito dos mortos;  Essa comunicação é realizada com o auxílio de pessoas com determinadas capacidades - os médiuns, como por exemplo a chamada "escrita automática" (psicografia).
  • 36. Não encontramos no espiritismo uma doutrina específica sobre a natureza de Deus e dos espíritos, mas um sincretismo bastante superficial, em que se justapõe elementos orientais (lei do Karma) e elementos Cristãos (lei da caridade)
  • 37.
  • 38. UMBANDA O QUE É? É uma religião formada dentro da cultura religiosa brasileira que sincretiza elementos vários, inclusive de outras religiões como o catolicismo, o espiritismo e as religiões afro-brasileiras. ORIGEM: No período colonial chegaram ao Brasil os primeiros africanos de origem Yorubá, um povo que ocupava a região onde hoje ficam Nigéria, Benin e Togo. A religião dos Yorubás era o candomblé, mas eles aportaram no Brasil como escravos e não podiam cultuar suas divindades livremente - a religião oficial do país era o catolicismo.
  • 39. • Por causa dessa proibição, os escravos começaram a associar suas divindades com os santos católicos para exercerem sua fé disfarçadamente. Como os santos católicos são bem numerosos, existem divindades que são identificadas com mais de um santo. Por exemplo: Oxossi, o rei da caça, é associado a São Jorge e a São Sebastião.
  • 40. A palavra Umbanda é derivada da palavra AUM-(Deus)BHAN (conjunto)-DAN (leis) - que significa o Conjunto das Leis Divinas. Orixás, dentro do culto Umbandista são espíritos de grande força espiritual, de grande luz, que trabalham sob as ordens de um determinado Orixá. A cada Orixá está associada uma personalidade e um comportamento. Cada pessoa recebe a influência do Orixá que será seu protetor por toda a vida.
  • 41. Sincretismo entre Orixás e Santos Católicos: Oxalá= Jesus Cristo Yemanjá = Virgem Maria Oxossi = São Sebastião e São Jorge Ibeji = Cosme e São Damião Locunêdê = Santo Expedito Logun= São Miguel Oxum= Nossa Sra. Aparecida Xangô= São Francisco de Assis
  • 42. O sincretismo é a tentativa de conciliar crenças diferentes ou mesmo opostas. O termo é mais comumente utilizado como referência religiosa, como tratado religioso tradicional da Bahia, onde há influência de crenças de religiões tradicionais africanas em rituais da Igreja Católica O sincretismo entre religiões de origem africana e a religião católica, segundo José Beniste, "valeu como poderosa arma para os negros manterem suas tradições. Sem ele, provavelmente, nem mesmo teriam podido manter os traços religiosos que ainda hoje se conservam.
  • 43.
  • 44. CANDOMBLÉ O QUE É? O candomblé é uma religião africana trazida para o Brasil no período em que os negros desembarcaram para serem escravos, cultua os Orixás e tem origem familiar e tribal. ORIGEM: A origem do Candomblé se deu na cidade de Ife na África, e foi trazida para o Brasil pelos negros Yorubas.
  • 45. Candomblé é uma palavra derivada da língua bantu: ca [ka]= uso, costume - ndomb =negro, preto e lé=lugar, casa, terreiro e/ou pequeno atabaque. A reunião dos três vocábulos resulta em "lugar de costume dos negros", por extensão, lugar de tradições negras, tradições entre as quais, destacam- se, no sentido atual as práticas religiosas que incluem a música percussiva Outra interpretação informa que kandombele significa "adorar"
  • 46. O Candomblé no Brasil, nasceu da necessidade dos negros escravos realizarem seus rituais religiosos, que no princípio eram proibidos pelos senhores de escravos. Para burlar essa proibição, eles faziam seus assentamentos e se escondiam, preferencialmente fazendo um buraco no chão, cobrindo-o, por cima colocavam o santo católico e dançavam para seus Orixás, dizendo que estavam cantando e dançando em homenagem àquele santo católico; daí nasceu o sincretismo religioso, que foi abandonado mais tarde pela maioria dos adeptos do Candomblé tradicional, com o “término" da escravidão e mais concretamente quando o Candomblé foi aceito como religião com a liberdade de culto garantida pela Constituição Brasileira.
  • 47. O candomblé tem como objetivo a adoração aos Orixás, considerados como espíritos da Natureza, provenientes dos elementos terra, fogo, água e ar. São deuses guerreiros, protetores da caça, da maternidade, dos reis e rainhas da África, e outros, que vivem nos corações de seus descendentes.
  • 48. Eles são venerados em iniciações secretas e em festas de um ciclo anual, dedicadas a cada um deles. Nas festas, abertas ao público - homem de um lado, mulher de outro - os filhos-de-santo e adeptos dançam vestidos com as roupas e cores características, ao som de atabaques, entrando em transe e incorporando os espíritos dos orixás. Os Orixás são os encantados, ou seja, a força da natureza de cada um, com um potencial diferenciado pela energia do elemento que o mesmo comanda.
  • 49. Alguns Orixás OGUM: Deus da guerra, do fogo e da tecnologia. No Brasil, é conhecido como deus guerreiro. Elemento: ferro. Personalidade: impaciente, obstinado, conquistador e volúvel. Dia da semana: terça-feira. Colar: azul-marinho. Roupa: azul, verde escuro, vermelho Sacrifício: galo e bode avermelhados. Oferendas: feijoada, xinxim, acarajé e inhame.
  • 50. OXOSSI: Deus da caça, da fartura e da colheita, está sempre descobrindo algo novo. É o grande patrono do candomblé brasileiro. Elemento: florestas. Personalidade: intuitivo e emotivo. Dia da semana: quinta-feira. Colar: azul claro. Roupa: azul ou verde claro. Sacrifício: galo e bode avermelhados e porco. Oferendas: milho branco e amarelo, peixe de escamas, arroz, feijão e abóbora.
  • 51. Exu: Orixá mensageiro entre o homem e os deuses, guardiões da porta da rua, das esquinas e das encruzilhadas. O lado feminino de Exu é a Pomba-Gira, que dança freneticamente, com cabelos soltos, saias rodadas e flores na cabeça. Elemento: fogo. Personalidade: atrevido e agressivo. Dia da semana: segunda-feira. Roupa: vermelha e preta. Sacrifício: bode e galo preto. Oferendas: farofa com dendê, feijão, pimenta, charutos, água, mel e aguardente.
  • 52. No tempo da escravidão, os escravos faziam muitas oferendas ao Orixá Exu, para que este abrisse os caminhos dos escravos que tanto sofriam. Mas a igreja católica, junta com os senhores de engenho, que obrigava os escravos a seguirem o catolicismo, descobriram este Orixá, e, o associaram ao Demônio da igreja católica. Sendo que depois disso, a imagem de Exu ficou bastante deturpada, onde hoje, aqui no Brasil, o Orixá Exu, ainda é associado a um Demônio que não existe.
  • 53. No início da colonização, os rituais do candomblé eram praticados nas próprias senzalas e nos terreiros das fazendas, onde trabalhavam os escravos africanos e seus descendentes. O mais antigo terreiro de Candomblé da Bahia nasceu há 450 anos, é conhecido como Engenho Velho ou Casa Branca.
  • 54. Diferenças entre o Candomblé e a Umbanda: Um terreiro de Umbanda que tem, lado a lado, imagens de santos católicos (estes representando os orixás) e imagens das entidades (marinheiros, caboclos ameríndios, pretos-velhos, crianças, etc) e também podem ter outras imagens como de Santa Luzia, Santo Agostinho, Santo Expedito, etc. Em terreiros de candomblé cada orixá tem seu lugar, como por exemplo um quartinho, onde ficam os objetos do orixá. A música também é bem diferente, uma vez que no Candomblé vai depender de que nação é, já na Umbanda os cânticos são todos cantados em português.