Palestra Integração IME

315 visualizações

Publicada em

Palestras sobre a vida do Engenheiro Militar no Sistema de Obras de Cooperação do Exército, atuando como Engenheiro de Campo e Chefe de Seção Técnica nos BAtalhões de Engenharia de Construção.

Publicada em: Carreiras
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
315
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra Integração IME

  1. 1.  ATIVIDADES DOS INTEGRANTES DO QEM NO SISTEMA DE OBRAS DE COOPERAÇÃO 1º Ten Nielsen – QEM FC 1º Batalhão de Engenharia de Construção
  2. 2. Sumário: • Apresentação; • Obras e projetos; • Aptidão do QEM no SOC: • Disponibilidade para Vivência Nacional - Regionalidades; • Capacidade de respostas rápidas em situações de grande pressão; • Gosto por desafio; • Iniciativa, Desprendimento e Responsabilidade; • Liderança de Equipes multidisciplinares /Integração de Multitarefas; • Adestramento: • Alunos - Estágio obrigatório; • Tropa - Cursos; • Evolução institucional - Transparência ; • Destacamento; • Mais informações; • Conclusão.
  3. 3. • Apresentação: Turma IME 2010;
  4. 4. • Obras e projetos: Operação Asa Branca - Engenheiro residente do lote 3/BR-319 com 50 km, 72.000 ton de CBUQ, 13.000m de drenagem superficial, fiscalização de 5 pontes, convênio com o DNIT/AM – PAC - 65 milhões;
  5. 5. Fiscalização da construção do prédio sede da Procuradoria Regional do Trabalho – RO (PRT – 14º Região) orçada em 2,8 milhões; • Obras e projetos:
  6. 6. Projeto de estabilização de talude para montagem de ponte metálica, com 60m de extensão, em caráter emergencial na BR-364, para reestabelecimento do tráfego no inverno de 2012 – COTER e DNIT; • Obras e projetos:
  7. 7. Lote 3/BR-163 com 80,4 km de implantação rodoviária em TSD, terraplenagem, extração de material de 3ª categoria, drenagem, substituição de solo de baixa capacidade de suporte, estabilização de taludes – PAC – 130 milhões; • Obras e projetos:
  8. 8. Construção de 15 PNR`s, obra de 2,2 milhões - PCN; • Obras e projetos:
  9. 9. Projeto e controle da Operação PIPA II, perfuração de poços e construção de sistema de abastecimento na região Nordeste- Convênio com o MI; • Obras e projetos:
  10. 10. Processos licitatórios para contratação de serviços de engenharia para obra do aeroporto internacional de São Gonçalo do Amarante – Natal, RN; • Obras e projetos:
  11. 11. Projeto Executivo e montagem do Planejamento da Operação de Recuperação de 9.800m de margens do Rio São Francisco – CODEVASF – Orçado em 40 milhões. • Obras e projetos:
  12. 12. • Aptidão do QEM no SOC:  Vivencia Nacional – Regionalidades:
  13. 13.  Capacidade de respostas rápidas em situações de grande pressão: 07 MAR 2012 08 MAR 2012 09 MAR 2012 • Aptidão do QEM no SOC:
  14. 14.  Gosto por desafio: • Aptidão do QEM no SOC: “Viver é enfrentar desafios. Quem nunca enfrentou desafios, apenas passou pela vida, não viveu.” Augusto Branco
  15. 15.  Iniciativa, Desprendimento e Responsabilidade: • Aptidão do QEM no SOC: Tenham excesso de iniciativa em relação ... ... à Segurança ( EPI, EPC); ... formação e capacitação; ... cuidados com a mídia e os recursos públicos.
  16. 16.  Liderança de Equipes multidisciplinares, Integração de Multitarefas: • Aptidão do QEM no SOC: Equipes formadas por: - Fiscais (Civil, Ambiental, etc); - Engenheiros Ambientais, mecânicos, etc; - Operários experientes/qualificados; - Operários inexperientes/desqualificados.
  17. 17.  Alunos - Estágio obrigatório:  Oportunidade para conhecer o Exército “fora dos muros escolares”, conhecer as obras; • Adestramento:  Tropa – Cursos:  O Exército Brasileiro realiza Operações de Engenharia como forma de adestrar seus quadros em tempos de paz;  Acórdão 1399/TCU – Percentual de adestramento de obras do EB;  Força Institucional para convênios;
  18. 18.  Grande investimento em sistemas confiáveis de transparência; • Evolução Institucional: Obter com nível adequado de precisão: O custo direto apropriado de cada serviço O custo horário de cada EQP/VTR O custo horário de cada “funcionário” Os custos indiretos Cursos de utilização e voltados aos QEM: • ETEC; • EGO;
  19. 19.  Aspectos profissionais:  Oportunidade prática ao Engenheiro Residente;  Desenvolvimento de Liderança;  Aspectos Financeiros:  Pagamento de representação – 2% soldo ao dia;  Folgas - Arejamentos:  Sistema de 25 por 5, 24 por 6, 5 por 2, etc. • Destacamentos:
  20. 20.  Matérias:  “Operação de Guerra” – Revista Téchne Nr 150 de SET 2009;  “Engenheiro Militar” – Revista Téchne Nr 188 de Nov 2012;  Vídeos:  Asfaltamento: http://www.youtube.com/watch?v=HUTi1IOux7M;  São Francisco: http://www.youtube.com/watch?v=IOFEbeMxOJ8;  Guarulhos: http://www.youtube.com/watch?v=5tTabOci0Ic;  BR 364: http://www.youtube.com/watch?v=04OIKgLeYAk;  BR 319: http://www.youtube.com/watch?v=iMLiWPTJxSA; http://www.youtube.com/watch?v=NSHz4X4IzwY; • Mais informações:
  21. 21. • Conclusão:

×