Lya luft

177 visualizações

Publicada em

República dos Rabos Presos

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
177
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lya luft

  1. 1. “A RepúblicA dos RAbos pResos” lyA luft Imagens do artista plástico catarinense - Willy Alfredo Zumblick Formatação: Christina Meirelles Neves
  2. 2. Pau de arara Andamos falando demais, e mal; usamos frivolamente termos perigosos e abusamos das palavras de respeito; a chamada língua-mãe está demais rebaixada, e olha que nunca fui purista, pois sou apaixonada por palavras.
  3. 3. Exageramos nos clichês e nos rótulos, geralmente burros e pobres, embora às vezes necessários – como tantas coisas pobres e burras que é preciso suportar neste mundo. Arrastão
  4. 4. Engraxate Sanfoneiros Usar o termo “elite”, por exemplo, requer muito cuidado. É temerário empregá-lo como se falássemos de uma entidade abstrata, bicho-papão pra assustar – não criancinhas, mas os desavisados.
  5. 5. Ceramista Usamos a palavra sem sequer a definir direito. O conceito “elite” significa “o melhor, os melhores”, o que não envolve necessariamente dinheiro nem sede de poder, muito menos arrogância, mas decência, por exemplo. Honradez, pudor e consciência, por exemplo. Boa educação e cortesia também, não vamos esquecer.
  6. 6. Esperando o peixe Nada disso é privilégio de ricos e poderosos. O que deve assustar é o predomínio de um tipo de ralé: a da hipocrisia, da ambição e do cinismo, que passa por cima do cadáver – não da mãe, mas do povo e da pátria. Não somos tão bobos assim.
  7. 7. Tropeiros Ceifando o trigo Falas delirantes, acusações falsas e autoelogios pueris enganarão cada vez menos os mais pobres e menos informados. Eles começam a querer coisa melhor. Paira no ar uma – espero que passageira – sensação de que tudo poderá se resolver nos velhos moldes do grande PIB, o Partido do Interesse Próprio.
  8. 8. Baiana Estabelecem-se pactos dos quais nós comuns mortais em outros tempos nada saberíamos. Com parte da imprensa avisando, e alguns políticos honrados reclamando, ninguém mais vai poder dizer: eu não sabia.
  9. 9. Pedinte Ceramista E à medida que os crimes forem comprovados, que sejam varridos os elementos maus de todos os lados, eliminados de seus cargos os corruptos, os incompetentes, e os omissos – que são seus cúmplices.
  10. 10. A anunciada investigação de dinheiros mal ganhos, mal aplicados e malvistos, acabando com a tolerância com os malfeitores, não pode acabar numa ciranda geral, Esperando a vida passar em que os enganadores dançam segurando o rabo do vizinho.
  11. 11. Ou afundaremos todos juntos num mar morno e de odor suspeito, de onde não se retorna fácil. Mulheres e conversa Na batida do pilão
  12. 12. Retrato Se as consequências de tudo isso que vemos não forem tiradas, vamos naufragar, cúmplices do cinismo que vai recobrir esta boa terra –
  13. 13. Trio nordestino – enquanto o povo trabalha com salários indecentes mas paga impostos, acredita em promessas mas morre nas filas, e nossos jovens deixam um país que não lhes dá estímulo, para eventualmente vegetar em terra estrangeira.
  14. 14. Não é hora de falar de esquerda, direita, centro, elite ou povão, termos caducos e mofados, mas da faxina moral e institucional sem a qual seremos meros sobreviventes: Festa do Divino
  15. 15. todos nós, os enganados e os enganadores, humilhados habitantes da República dos Rabos Presos. A espera da bica d’água Lya Luft

×