Palavra de mulher Lucilene Machado
Largo os sapatos na escada, troco a roupa, esqueço o corpo numa poltrona e me faço espiã dos próprios pensamentos. Às veze...
Nem sempre é fácil ser mulher vivendo esse dilema de caminhar a beira do acaso, ser orientada pelos imprevistos e quase en...
Sempre minto para mim. Desde criança quando dizia não gostar de berinjela e que o único homem da minha vida haveria de ser...
Ter de carregar essas saudades, esses pedaços de histórias grudados em papéis, esse romantismo de final de noite, essa ins...
Não é tão simples ser mulher. Toda estatística humana passa pelos nossos ventres. Toda falha como todo sucesso tem o nosso...
As mulheres reagem estranhamente conforme cada estação, conforme cada curva, cada chuva... e se modificam a cada vento, a ...
Música: Rita Lee - Cor-de-Rosa Choque Elaborado por: Sérgio S. Oliver [email_address] Reiniciar Ver Outras Mensagens Sair
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palavra De Mulher

400 visualizações

Publicada em

Publicada em: Diversão e humor, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
400
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palavra De Mulher

  1. 1. Palavra de mulher Lucilene Machado
  2. 2. Largo os sapatos na escada, troco a roupa, esqueço o corpo numa poltrona e me faço espiã dos próprios pensamentos. Às vezes é difícil ser mulher, ter essa envolvência de fêmea que pressente o nascimento antes da concepção. Essa intuição de que vai amar, essa certeza de que vai sofrer.... e mesmo assim ama, carrega afetos, carrega laços indissolúveis, sentimentos distorcidos que sempre soube e que defende numa fúria indecifrável.
  3. 3. Nem sempre é fácil ser mulher vivendo esse dilema de caminhar a beira do acaso, ser orientada pelos imprevistos e quase enlouquecer sem saber ao certo o que sente e o que está condicionada a sentir. Nada é tão simples para uma mulher. Como explicar que hoje me deixei molhar na chuva? E todo mundo correndo enquanto eu caminhava va-ga-ro-sa-men-te aproveitando a sensação de ser molhada pelos céus. Com o cabelo escorrido sobre os olhos, cantei o refrão “You are so beautiful”. Cantei pra mim.
  4. 4. Sempre minto para mim. Desde criança quando dizia não gostar de berinjela e que o único homem da minha vida haveria de ser meu pai. Mulher adora mentir para si própria e também jurar. Jura pela mãe, pelo filho ou mesmo pela chuva que escorre sobre o corpo penetrando a boca, ouvidos e narinas num “Singing in the rain” sem beijos ou guarda-chuvas. E depois conserva a imagem para recordar, porque a vida para a mulher é sempre retardatária, nunca acontece ao vivo. Cansa-me um pouco ser mulher.
  5. 5. Ter de carregar essas saudades, esses pedaços de histórias grudados em papéis, esse romantismo de final de noite, essa insanidade e essa lucidez de viver cada coisa além do limite. Cansa-me carregar na palma da mão essas linhas sem motivos, esses traçados contraditórios, essas raízes misteriosas, essas fibras úmidas... cansa-me! Cansa-me, sobretudo, esses sonhos que não cabem no quarto, essa origem latina, esse oceano interno, esses vegetais aquáticos, essas folhas brotando, incansavelmente, a procura de sol...
  6. 6. Não é tão simples ser mulher. Toda estatística humana passa pelos nossos ventres. Toda falha como todo sucesso tem o nosso dedo. Há sempre um sopro de mulher num coração que palpita. Soberana ou submissa é rainha. Será que fujo à regra? Eu aqui com esse cabelo molhado e uma fraqueza fora de moda, a vigiar a vida com o rabo do olho, tentando encaixar as coisas onde não alcanço, tateando no escuro os momentos que vão acontecer dos quais não posso prever minha reação.
  7. 7. As mulheres reagem estranhamente conforme cada estação, conforme cada curva, cada chuva... e se modificam a cada vento, a cada corrente de ar, cada mudança de tempo e menstruam, engravidam e choram sem ser, necessariamente, nesta ordem. Mulher chora sem motivos mas nunca sem emoção. Chora olhando os cantos escuros da casa, olhando os cantos escuros da alma... e às vezes nem se lembra direito porque está chorando, talvez uma maneira de dizer coisas sem palavras, vomitar memórias, ressentimentos, desordens. E , antes que comece essa acidez na minha boca, adio a tristeza e canto novamente: “You are so beautiful”.
  8. 8. Música: Rita Lee - Cor-de-Rosa Choque Elaborado por: Sérgio S. Oliver [email_address] Reiniciar Ver Outras Mensagens Sair

×