Escrita pelo aluno

2.932 visualizações

Publicada em

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.932
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.757
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Escrita pelo aluno

  1. 1. POR QUE, O QUE E QUANDO ENSINAR?
  2. 2. Porque mesmo as crianças não alfabetizadas possuem hipóteses sobre o sistema de escrita. Coloca em jogo tudo o que pensa sobre a escrita; Reflete sobre suas hipóteses, confrontando- as com as dos colegas e com as informações oferecidas pela professora e pelo ambiente.
  3. 3.  reforça ou reelabora seus conceitos, avançando na compreensão do sistema alfabético de escrita. Somente por meio dessa reflexão é que a criança terá condições de compreender a relação entre o que se escreve e o que se lê.
  4. 4.  Trata-se de um esforço intelectual, de reflexão, e não de um exercício mecânico, de repetição ou memorização. ANTES: Só depois de guardar todas as possibilidades, as crianças eram autorizadas a produzir pequenos textos.
  5. 5.  HOJE:1. Ao escrever por conta própria, os alunos tornam observáveis suas ideias;2. É por meio da escrita do aluno que se pode ter acesso às concepções elaboradas pela criança sobre o sistema alfabético;3. A interpretação dessas escritas possibilitará ao professor conhecer melhor seu aluno, o que é essencial para planejar boas situações didáticas, melhores intervenções e parcerias mais produtivas entre as crianças.
  6. 6. Práticas de linguagem escrita e sistema alfabético juntos Desafiar os alunos a escrever por conta própria textos reais de complexidade adequada ao seu estágio de alfabetização, ou seja, gêneros que sejam acessíveis aos alunos;
  7. 7.  No esforço de entender como funciona o sistema alfabético, as crianças vão inicialmente tentar escrever com base no que conhecem sobre a escrita; As questões que o professor faz para que a criança justifique o que está escrito e os conflitos cognitivos decorrentes dessas indagações e da interação com os colegas levam à revisão de suas hipóteses.
  8. 8. Atenção: Os alunos precisam compreender anatureza do sistema de escrita ao mesmotempo em que se apropriam das práticassociais de linguagem presentes na vidasocial, lendo e escrevendo diferentes gênerosliterários e informativos.
  9. 9. "A compreensão atual da relação entre aaquisição das capacidades de redigir e grafarrompe com a crença arraigada de que o domíniodo bê-á-bá seja pré- requisito para o início doensino de língua e nos mostra que esses doisprocessos de aprendizagem podem e devemocorrer de forma simultânea. Um diz respeito àaprendizagem de um conhecimento de naturezanotacional : a escrita alfabética; o outro se refereà aprendizagem da linguagem que se usa paraescrever." (p. 22)
  10. 10. Ao longo de toda a alfabetização inicial A escrita pelo aluno precisa ser planejada pelo professor para ser um trabalho sempre presente na rotina da alfabetização inicial; Cabe ao professor abrir espaço para as situações em que os alunos irão escrever por conta própria dentro da sua rotina;
  11. 11. A escrita pelo aluno deve estar vinculadas àsoutras três situações didáticas essenciaispara o sucesso na alfabetização: ler para osalunos, fazer com que eles leiam mesmoantes de saber ler e assumir a função deescriba para textos que a turma produzoralmente.

×