SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia – IFCE – Sobral
Eixo de Controle e Processos Industriais
Curso: Tecnologia em Mecatrônica Industrial
Disciplina: Desenho Técnico e Mecânico

Meio corte

Prof. Edson Frota Pessoa
Introdução

Desenho técnico mecânico

Através do meio corte é possível imaginar em corte apenas uma parte, enquanto que a outra
parte permanece visível em seu aspecto exterior.

O meio-corte é aplicado em apenas metade da extensão da peça.
Somente em peças ou modelos simétricos longitudinal e transversalmente, é que podemos
imaginar o meio-corte.
Introdução

Desenho técnico mecânico

Simetria longitudinal e transversal
Uma peça é simétrica longitudinal e transversalmente se as partes resultantes da divisão são
iguais entre si.
Desta forma é possível imaginar a aplicação de meio-corte.
Introdução

Desenho técnico mecânico

simetria longitudinal e transversal
No caso abaixo não é possível imaginar a aplicação de meio-corte, pois este modelo é simétrico
apenas longitudinalmente.
Portanto, não apresenta as condições para aplicação de meio-corte.
Representação do meio-corte

Desenho técnico mecânico

Aplicação do meio-corte em um modelo simétrico nos dois sentidos.

Imagine o modelo atingido até a metade por um plano de corte longitudinal (P1).
Depois, imagine o modelo cortado até a metade por um plano de corte transversal (P2).
Em seguida imagine que a parte atingida pelo corte foi retirada.
Representação do meio-corte

Desenho técnico mecânico

Observando o modelo com meio-corte, você pode analisar os elementos internos. Além disso,
ainda pode observar o aspecto externo, que corresponde à parte não atingida pelo corte.

O modelo estava sendo visto de frente, quando o corte foi imaginado. Logo, a vista onde o corte
deve ser representado é a vista frontal.
Representação do meio-corte

Desenho técnico mecânico

A linha traço e ponto estreita, que divide a vista frontal ao meio, é a linha de simetria.
O centro dos elementos internos, que se tornaram visíveis com o corte, é indicado pela linha de
centro.
Neste exemplo, os elementos que ficaram visíveis com o corte são: o furo passante da direita e
metade do furo central.
Representação do meio-corte

Desenho técnico mecânico

Quando o modelo é representado com meio-corte, não é necessário indicar os planos de corte.
As demais vistas são representadas normalmente.
Representação do meio-corte
Outro exemplo:

Desenho técnico mecânico
Meio-corte nas vistas do desenho técnico

Desenho técnico mecânico

O meio-corte pode ser representado em qualquer das vistas do desenho técnico.
A vista representada em corte depende da posição do observador ao imaginar o corte.

Vista frontal

Sempre que a linha de simetria que atravessa a vista em corte for vertical, a parte representada
em corte deve ficar à direita, conforme recomendação da ABNT.
Meio-corte nas vistas do desenho técnico

Desenho técnico mecânico

Quando o observador imagina o meio-corte vendo o modelo de lado, o meio-corte deve ser
representado na vista lateral esquerda.

Vista lateral

Não há necessidade de fazer qualquer indicação do local por onde passam os planos de corte
nas outras vistas.
Meio-corte nas vistas do desenho técnico

Desenho técnico mecânico

Quando o meio-corte é imaginado de cima, a vista representada em meio-corte é a superior.
Vista superior

No desenho, a linha de simetria que atravessa a vista superior é vertical.
Assim, a parte em corte deve ser representada no desenho à direita.
Meio-corte nas vistas do desenho técnico

Desenho técnico mecânico

Quando a linha de simetria que atravessa a vista em corte estiver na posição horizontal, a
metade em corte deve ser representada na parte inferior do desenho, abaixo da linha de
simetria.

Outro exemplo:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Projeções ortogonais
Projeções ortogonaisProjeções ortogonais
Projeções ortogonais
Ellen Assad
 
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções OrtogonaisAula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Gutierry Prates
 
Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1
Francisco Costa
 
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Heromo
 
Apostila completa desenho tecnico mecânico senai
Apostila completa desenho tecnico mecânico   senaiApostila completa desenho tecnico mecânico   senai
Apostila completa desenho tecnico mecânico senai
Alencar Oliveira
 

Mais procurados (20)

DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIODESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
 
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICADESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
 
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
 
Projeções ortogonais
Projeções ortogonaisProjeções ortogonais
Projeções ortogonais
 
Aula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções OrtogonaisAula 5 - Projeções Ortogonais
Aula 5 - Projeções Ortogonais
 
DESENHO TÉCNICO COTAGEM
DESENHO TÉCNICO COTAGEMDESENHO TÉCNICO COTAGEM
DESENHO TÉCNICO COTAGEM
 
Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1
 
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
 
Apostila Rsolvida de desenho tecnico
Apostila Rsolvida de desenho tecnicoApostila Rsolvida de desenho tecnico
Apostila Rsolvida de desenho tecnico
 
DESENHO TÉCNICO ESCALA
DESENHO TÉCNICO ESCALADESENHO TÉCNICO ESCALA
DESENHO TÉCNICO ESCALA
 
Desenho Técnico - Conceitos e Normas
Desenho Técnico - Conceitos e NormasDesenho Técnico - Conceitos e Normas
Desenho Técnico - Conceitos e Normas
 
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICADESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
 
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESDESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
 
Exercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânicoExercícios de desenho técnico mecânico
Exercícios de desenho técnico mecânico
 
Dimensões de Folhas para Desenho Técnico
Dimensões de Folhas para Desenho TécnicoDimensões de Folhas para Desenho Técnico
Dimensões de Folhas para Desenho Técnico
 
NBR 14699
NBR 14699NBR 14699
NBR 14699
 
Apostilacortesdimensionamento
ApostilacortesdimensionamentoApostilacortesdimensionamento
Apostilacortesdimensionamento
 
Apostila completa desenho tecnico mecânico senai
Apostila completa desenho tecnico mecânico   senaiApostila completa desenho tecnico mecânico   senai
Apostila completa desenho tecnico mecânico senai
 
Aula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Aula 1 - Introdução ao Desenho TécnicoAula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
Aula 1 - Introdução ao Desenho Técnico
 
Desenho Técnico Teórico
Desenho Técnico TeóricoDesenho Técnico Teórico
Desenho Técnico Teórico
 

Destaque

ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ordenaelbass
 
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elásticoElementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
ordenaelbass
 
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINASAPRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃOELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ordenaelbass
 
Elementos de máquinas sarkis melconian
Elementos de máquinas   sarkis melconianElementos de máquinas   sarkis melconian
Elementos de máquinas sarkis melconian
Alex Fabiano Bueno
 

Destaque (12)

ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
 
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elásticoElementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
 
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINASAPRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
APRESENTAÇÃO ELEMENTOS DE MAQUINAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃOELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
ELEMENTOS DE MAQUINAS INTRTODUÇÃO
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
 
Elementos de máquinas sarkis melconian
Elementos de máquinas   sarkis melconianElementos de máquinas   sarkis melconian
Elementos de máquinas sarkis melconian
 

Semelhante a DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE

Semelhante a DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE (20)

Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 
Aula14
Aula14Aula14
Aula14
 
337001 destec-06corte-140307180249-phpapp02
337001 destec-06corte-140307180249-phpapp02337001 destec-06corte-140307180249-phpapp02
337001 destec-06corte-140307180249-phpapp02
 
Seção e encurtamento
Seção e encurtamentoSeção e encurtamento
Seção e encurtamento
 
DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I
DESENHO TÉCNICO MECÂNICO IDESENHO TÉCNICO MECÂNICO I
DESENHO TÉCNICO MECÂNICO I
 
Mekanika desegno 2
Mekanika desegno 2Mekanika desegno 2
Mekanika desegno 2
 
AULA 3 Cortes Secoes.pdf
AULA 3 Cortes Secoes.pdfAULA 3 Cortes Secoes.pdf
AULA 3 Cortes Secoes.pdf
 
Normas de desenho_de_máquinas__aula_6
Normas de desenho_de_máquinas__aula_6Normas de desenho_de_máquinas__aula_6
Normas de desenho_de_máquinas__aula_6
 
Aula 04
Aula 04Aula 04
Aula 04
 
Desenho técnico.pdf
Desenho técnico.pdfDesenho técnico.pdf
Desenho técnico.pdf
 
Aula11
Aula11Aula11
Aula11
 
Aula11
Aula11Aula11
Aula11
 
Desenho, metrologia e soldagem1a
Desenho, metrologia e soldagem1aDesenho, metrologia e soldagem1a
Desenho, metrologia e soldagem1a
 
Aula12
Aula12Aula12
Aula12
 
Aula12
Aula12Aula12
Aula12
 
princpios-da-leitura-e-interpretao-de-desenho-tcnico-mecnico-apostila02.pdf
princpios-da-leitura-e-interpretao-de-desenho-tcnico-mecnico-apostila02.pdfprincpios-da-leitura-e-interpretao-de-desenho-tcnico-mecnico-apostila02.pdf
princpios-da-leitura-e-interpretao-de-desenho-tcnico-mecnico-apostila02.pdf
 
como-preparar-um-desenho-técnico-para-usinagem-em-cnc-inocencio.pptx
como-preparar-um-desenho-técnico-para-usinagem-em-cnc-inocencio.pptxcomo-preparar-um-desenho-técnico-para-usinagem-em-cnc-inocencio.pptx
como-preparar-um-desenho-técnico-para-usinagem-em-cnc-inocencio.pptx
 
Aula13
Aula13Aula13
Aula13
 
Aula13
Aula13Aula13
Aula13
 
Aula 02
Aula 02Aula 02
Aula 02
 

Último

atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
WelitaDiaz1
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Kelly Mendes
 

Último (20)

Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
Proposta de redação Soneto de texto do gênero poema para a,usos do 9 ano do e...
 
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.pptAs teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
As teorias de Lamarck e Darwin para alunos de 8ano.ppt
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdfSQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
SQL Parte 1 - Criação de Banco de Dados.pdf
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdfUFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
UFCD_8291_Preparação e confeção de peixes e mariscos_índice.pdf
 
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - materialFUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
FUNDAMENTOS DA PSICOPEDAGOGIA - material
 
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
atividade para 3ª serie do ensino medi sobrw biotecnologia( transgenicos, clo...
 
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdfGramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
Gramática - Texto - análise e construção de sentido - Moderna.pdf
 
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...QUESTÃO 4   Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
QUESTÃO 4 Os estudos das competências pessoais é de extrema importância, pr...
 
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São PauloCurrículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
Currículo Professor Pablo Ortellado - Universidade de São Paulo
 
Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.Poema - Aedes Aegypt.
Poema - Aedes Aegypt.
 
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdfO que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
O que é literatura - Marisa Lajolo com.pdf
 
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdfTema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
Tema de redação - A prática do catfish e seus perigos.pdf
 
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.docProjeto envolvendo as borboletas - poema.doc
Projeto envolvendo as borboletas - poema.doc
 
transcrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de línguatranscrição fonética para aulas de língua
transcrição fonética para aulas de língua
 
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
Slides Lição 7, Betel, Ordenança para uma vida de fidelidade e lealdade, 2Tr2...
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
[2.3.3] 100%_CN7_CAP_[FichaAvaliacao3].docx
 

DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE

  • 1. Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia – IFCE – Sobral Eixo de Controle e Processos Industriais Curso: Tecnologia em Mecatrônica Industrial Disciplina: Desenho Técnico e Mecânico Meio corte Prof. Edson Frota Pessoa
  • 2. Introdução Desenho técnico mecânico Através do meio corte é possível imaginar em corte apenas uma parte, enquanto que a outra parte permanece visível em seu aspecto exterior. O meio-corte é aplicado em apenas metade da extensão da peça. Somente em peças ou modelos simétricos longitudinal e transversalmente, é que podemos imaginar o meio-corte.
  • 3. Introdução Desenho técnico mecânico Simetria longitudinal e transversal Uma peça é simétrica longitudinal e transversalmente se as partes resultantes da divisão são iguais entre si. Desta forma é possível imaginar a aplicação de meio-corte.
  • 4. Introdução Desenho técnico mecânico simetria longitudinal e transversal No caso abaixo não é possível imaginar a aplicação de meio-corte, pois este modelo é simétrico apenas longitudinalmente. Portanto, não apresenta as condições para aplicação de meio-corte.
  • 5. Representação do meio-corte Desenho técnico mecânico Aplicação do meio-corte em um modelo simétrico nos dois sentidos. Imagine o modelo atingido até a metade por um plano de corte longitudinal (P1). Depois, imagine o modelo cortado até a metade por um plano de corte transversal (P2). Em seguida imagine que a parte atingida pelo corte foi retirada.
  • 6. Representação do meio-corte Desenho técnico mecânico Observando o modelo com meio-corte, você pode analisar os elementos internos. Além disso, ainda pode observar o aspecto externo, que corresponde à parte não atingida pelo corte. O modelo estava sendo visto de frente, quando o corte foi imaginado. Logo, a vista onde o corte deve ser representado é a vista frontal.
  • 7. Representação do meio-corte Desenho técnico mecânico A linha traço e ponto estreita, que divide a vista frontal ao meio, é a linha de simetria. O centro dos elementos internos, que se tornaram visíveis com o corte, é indicado pela linha de centro. Neste exemplo, os elementos que ficaram visíveis com o corte são: o furo passante da direita e metade do furo central.
  • 8. Representação do meio-corte Desenho técnico mecânico Quando o modelo é representado com meio-corte, não é necessário indicar os planos de corte. As demais vistas são representadas normalmente.
  • 9. Representação do meio-corte Outro exemplo: Desenho técnico mecânico
  • 10. Meio-corte nas vistas do desenho técnico Desenho técnico mecânico O meio-corte pode ser representado em qualquer das vistas do desenho técnico. A vista representada em corte depende da posição do observador ao imaginar o corte. Vista frontal Sempre que a linha de simetria que atravessa a vista em corte for vertical, a parte representada em corte deve ficar à direita, conforme recomendação da ABNT.
  • 11. Meio-corte nas vistas do desenho técnico Desenho técnico mecânico Quando o observador imagina o meio-corte vendo o modelo de lado, o meio-corte deve ser representado na vista lateral esquerda. Vista lateral Não há necessidade de fazer qualquer indicação do local por onde passam os planos de corte nas outras vistas.
  • 12. Meio-corte nas vistas do desenho técnico Desenho técnico mecânico Quando o meio-corte é imaginado de cima, a vista representada em meio-corte é a superior. Vista superior No desenho, a linha de simetria que atravessa a vista superior é vertical. Assim, a parte em corte deve ser representada no desenho à direita.
  • 13. Meio-corte nas vistas do desenho técnico Desenho técnico mecânico Quando a linha de simetria que atravessa a vista em corte estiver na posição horizontal, a metade em corte deve ser representada na parte inferior do desenho, abaixo da linha de simetria. Outro exemplo: