SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 11
Baixar para ler offline
Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia – IFCE – Sobral
Eixo de Controle e Processos Industriais
Curso: Técnico em mecatrônica
Disciplina: Mecânica Aplicada

Escala

Prof. Edson Frota Pessoa
Introdução

Desenho técnico mecânico

Existem peças que podem ser representadas no papel em tamanho real.

Mas, existem objetos, peças, animais, etc. que não podem ser representados em seu tamanho
real.
Alguns são muito grandes para caber numa folha de papel. Outros são tão pequenos, que se os
reproduzíssemos em tamanho real seria impossível analisar seus detalhes.
Para resolver tais problemas, é necessário reduzir ou ampliar as representações destes
objetos.
Desenho técnico mecânico

Escala

A escala é uma forma de representação que mantém as proporções das medidas lineares do
objeto representado.
Nos desenhos em escala, as medidas lineares do objeto real ou são mantidas, ou então são
aumentadas ou reduzidas proporcionalmente.

Fig. A

Fig. B
Fig. C

Cada lado de B é uma vez menor que cada lado correspondente de A.
Cada lado de C é igual a duas vezes cada lado correspondente de A.
Então, podemos dizer que as Figuras B e C estão representadas em escala em relação a figura
A.
Existem três tipos de escala: natural, de redução e de ampliação.
Escala

Desenho técnico mecânico

Escala natural
Escala natural é aquela em que o tamanho do desenho técnico é igual ao tamanho real da
peça. Veja um desenho técnico em escala natural.

A indicação da escala do desenho é feita pela abreviatura da palavra escala: ESC , seguida de
dois numerais separados por dois pontos.
O numeral à esquerda dos dois pontos representa as medidas do desenho técnico.
O numeral à direita dos dois pontos representa as medidas reais da peça.
A relação entre o tamanho do desenho e o tamanho do objeto é de 1:1 (lê-se um por um).
Escala

Desenho técnico mecânico

Escala de redução
Escala de redução é aquela em que o tamanho do desenho técnico é menor que o tamanho
real da peça. Veja um desenho técnico em escala de redução.

As medidas deste desenho são vinte vezes menores que as medidas correspondentes do
rodeiro de vagão real. A indicação da escala de redução também vem junto do desenho técnico.
Na indicação da escala de redução o numeral à esquerda dos dois pontos é sempre 1. O
numeral à direita é sempre maior que 1.
No desenho acima o objeto foi representado na escala de 1:20 (que se lê: um por vinte).
Escala

Desenho técnico mecânico

Escala de ampliação
Escala de ampliação é aquela em que o tamanho do desenho técnico é maior que o tamanho
real da peça. Veja o desenho técnico de uma agulha de injeção em escala de ampliação.

As dimensões deste desenho são duas vezes maiores que as dimensões correspondentes da
agulha de injeção real. Este desenho foi feito na escala 2:1 (lê-se: dois por um).
Neste caso, o numeral da esquerda, que representa as medidas do desenho técnico, é maior
que 1. O numeral da direita é sempre 1 e representa as medidas reais da peça.
Desenho técnico mecânico

Escala
Escala de ampliação

Escala de ampliação é aquela em que o tamanho do desenho técnico é maior que o tamanho
real da peça. Veja o desenho técnico de uma agulha de injeção em escala de ampliação.

CATEGORIA

ESCALAS RECOMENDADAS
20 : 1

Escalas de
ampliação
Escala
Natural

50 : 1

2:1

10 : 1

5:1
1:1

1:2

1: 10

1 : 20
Escala de
redução

1:5
1:5

1 : 100

1 : 200

1 : 500

1 : 1 000

1 : 2 000

1 : 5 000

1 : 10 000
Escalímetro

Desenho técnico mecânico

Utilização do escalímetro
•Identificar visualmente se o desenho foi reduzido, ampliado ou está representado na escala
natural.
•As indicações de escala existentes nos escalímetros vendidos no comércio só contêm escala de
redução – 1:2; 1:2,5; 1:50;1:100; 1:75; 1:125, etc
•Todos os escalímetros existentes no sistema ISO são baseados no metro.
Escalímetro

Desenho técnico mecânico

Leitura com Escalas de redução
Tome como exemplo a peça abaixo que foi redigida numa escala de 1:20., uma leitura com um
escalímetro 1:20 deve ser realizada da seguinte forma:

1° Determinar quanto vale a menor divisão do escalímetro: verifique quantas divisões existem de
0 a 1m (existe escalímetro indicando de 0 a 10m, e de 0 a 100m, deve-se proceder da mesma
forma), neste caso existem 50 divisões, logo cada divisão vale 0,02 metros, (no de 0 a 10
valeria 0,2 m e no de 0 a 100 valeria 2m).
2° Contamos quantas divisões existem de zero até o final da peça, no exemplo abaixo são 65
divisões,
3° A dimensão real da peça é 1,3 metros que é resultado do produto de 65 (número de
divisões no escalímetro do início ao final da peça) vezes 0,02 metros (valor da menor divisão
deste escalímetro).
Escalímetro

Desenho técnico mecânico

Leitura com Escalas de ampliação
Foi visto no exemplo anterior como redigir desenhos diretamente sem qualquer artifício
utilizando o escalímetro, desde que as escalas sejam de redução, mas com um pequeno artifício
podemos utiliza-lo em desenhos ampliados.
Seja um desenho redigido numa escala de 5:1, que é uma das escalas de ampliação
padronizadas, vamos re-escrevê-la da seguinte forma:
Escalímetro

Desenho técnico mecânico

isto quer dizer que a dimensão gráfica de um desenho redigido nesta escala é 100 vezes
maior do que quando redigido na escala de 1:20 ou que sua dimensão real é 100 vezes
menor do que quando redigida numa escala de 1:20.
Como cada divisão da escala de 1:20 vale 0,02 metros, Item 1.6.2.1, isto quer dizer, que cada
divisão na nova escala passará a valer 100 vezes menos.!!!, isto é valerá 0,0002 metros.
Neste caso a dimensão real da peça
abaixo que foi redigida numa escala de 5:1 seria 0,013 metros (13 mm) que é resultado do
produto de 65 (número de divisões no escalímetro do início ao final da peça) vezes 0,0002
metros.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila desenho técnico básico
Apostila desenho técnico básicoApostila desenho técnico básico
Apostila desenho técnico básicoLehTec
 
DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE
DESENHO TÉCNICO  MEIO CORTEDESENHO TÉCNICO  MEIO CORTE
DESENHO TÉCNICO MEIO CORTEordenaelbass
 
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Heromo
 
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICADESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICAordenaelbass
 
Fundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnicoFundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnicoleobispo28
 
Caderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnicoCaderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnicoMarceloJMF
 
Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Francisco Costa
 
Apostila e exercicios auto cad mecanica
Apostila e exercicios auto cad mecanicaApostila e exercicios auto cad mecanica
Apostila e exercicios auto cad mecanicaJuan Reyna
 
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICADESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICAordenaelbass
 
51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)
51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)
51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)Heromo
 
Apostila desenho mecanico i
Apostila   desenho mecanico iApostila   desenho mecanico i
Apostila desenho mecanico iCarlos A. Silva
 
Interpretaçao de desenhos exercícios
Interpretaçao de desenhos   exercíciosInterpretaçao de desenhos   exercícios
Interpretaçao de desenhos exercíciosgtalhate
 
Projeções ortogonais
Projeções ortogonaisProjeções ortogonais
Projeções ortogonaisEllen Assad
 
DESENHO TÉCNICO CORTE
DESENHO TÉCNICO  CORTEDESENHO TÉCNICO  CORTE
DESENHO TÉCNICO CORTEordenaelbass
 

Mais procurados (20)

Apostila desenho técnico básico
Apostila desenho técnico básicoApostila desenho técnico básico
Apostila desenho técnico básico
 
Desenho técnico 1
Desenho técnico 1Desenho técnico 1
Desenho técnico 1
 
DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE
DESENHO TÉCNICO  MEIO CORTEDESENHO TÉCNICO  MEIO CORTE
DESENHO TÉCNICO MEIO CORTE
 
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
38083393 01-iniciacao-ao-desenho-tecnico-exercicios
 
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3Caderno exercícios desenho_tecnico 3
Caderno exercícios desenho_tecnico 3
 
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICADESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
DESENHO TECNICO PROJEÇÃO ORTOGRAFICA
 
Fundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnicoFundamentos do desenho técnico
Fundamentos do desenho técnico
 
Caderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnicoCaderno exercícios desenho_tecnico
Caderno exercícios desenho_tecnico
 
Aula5 cotagem
Aula5   cotagemAula5   cotagem
Aula5 cotagem
 
Desenho Geométrico e Técnico
Desenho Geométrico e TécnicoDesenho Geométrico e Técnico
Desenho Geométrico e Técnico
 
Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1Apostila de-desenho-tecnico-1
Apostila de-desenho-tecnico-1
 
Apostila e exercicios auto cad mecanica
Apostila e exercicios auto cad mecanicaApostila e exercicios auto cad mecanica
Apostila e exercicios auto cad mecanica
 
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICADESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
DESENHO TECNICO PERSPECTIVA ISOMETRICA
 
Desenho técnico 001
Desenho técnico 001Desenho técnico 001
Desenho técnico 001
 
51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)
51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)
51725631 caderno-de-exercicios-desenho-tecnico (1)
 
Apostila desenho mecanico i
Apostila   desenho mecanico iApostila   desenho mecanico i
Apostila desenho mecanico i
 
Interpretaçao de desenhos exercícios
Interpretaçao de desenhos   exercíciosInterpretaçao de desenhos   exercícios
Interpretaçao de desenhos exercícios
 
Projeções ortogonais
Projeções ortogonaisProjeções ortogonais
Projeções ortogonais
 
DESENHO TÉCNICO CORTE
DESENHO TÉCNICO  CORTEDESENHO TÉCNICO  CORTE
DESENHO TÉCNICO CORTE
 
Apostila dtm1 exercicios
Apostila dtm1 exerciciosApostila dtm1 exercicios
Apostila dtm1 exercicios
 

Semelhante a DESENHO TÉCNICO ESCALA

AULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIO
AULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIOAULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIO
AULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIODenilsonMariano2
 
Apostilacortesdimensionamento
ApostilacortesdimensionamentoApostilacortesdimensionamento
ApostilacortesdimensionamentoEneias Schwebel
 
Significado das Linhas no Desenho Técnico
Significado das Linhas no Desenho TécnicoSignificado das Linhas no Desenho Técnico
Significado das Linhas no Desenho TécnicoAgostinho NSilva
 
4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt
4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt
4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).pptElderfranklis1
 
5aulaescalas 140412003941-phpapp02
5aulaescalas 140412003941-phpapp025aulaescalas 140412003941-phpapp02
5aulaescalas 140412003941-phpapp02Milton Moutinho
 
desenho aula 5
desenho aula 5desenho aula 5
desenho aula 5bluesky659
 
Transsformação de polegadas
Transsformação de polegadasTranssformação de polegadas
Transsformação de polegadasShirley Suene
 
Apostila cálculo técnico
Apostila cálculo técnicoApostila cálculo técnico
Apostila cálculo técnicoSergio Barrios
 
Ebook 11-dicas-projetos-arquitetonicos
Ebook 11-dicas-projetos-arquitetonicosEbook 11-dicas-projetos-arquitetonicos
Ebook 11-dicas-projetos-arquitetonicosLucia Rosas
 
Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012
Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012
Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012Ana Kyzzy Fachetti
 

Semelhante a DESENHO TÉCNICO ESCALA (20)

Escalas.pptx
Escalas.pptxEscalas.pptx
Escalas.pptx
 
Aula23
Aula23Aula23
Aula23
 
Fundamentos.pptx
Fundamentos.pptxFundamentos.pptx
Fundamentos.pptx
 
AULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIO
AULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIOAULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIO
AULA DE CONVERSÃO DE ESCALAS_2022.pptx NIVEL MEDIO
 
Apostilacortesdimensionamento
ApostilacortesdimensionamentoApostilacortesdimensionamento
Apostilacortesdimensionamento
 
Aula22
Aula22Aula22
Aula22
 
Iaa 011 aula3
Iaa 011 aula3Iaa 011 aula3
Iaa 011 aula3
 
Significado das Linhas no Desenho Técnico
Significado das Linhas no Desenho TécnicoSignificado das Linhas no Desenho Técnico
Significado das Linhas no Desenho Técnico
 
4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt
4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt
4- Aula 4 -Unidades e Escalas- 2012.2_turma 1.8421.1M (1).ppt
 
5aulaescalas 140412003941-phpapp02
5aulaescalas 140412003941-phpapp025aulaescalas 140412003941-phpapp02
5aulaescalas 140412003941-phpapp02
 
desenho aula 5
desenho aula 5desenho aula 5
desenho aula 5
 
Escalas.pdf
Escalas.pdfEscalas.pdf
Escalas.pdf
 
Aula de desenho 3 escalas
Aula de desenho 3   escalasAula de desenho 3   escalas
Aula de desenho 3 escalas
 
Transsformação de polegadas
Transsformação de polegadasTranssformação de polegadas
Transsformação de polegadas
 
Apostila cálculo técnico
Apostila cálculo técnicoApostila cálculo técnico
Apostila cálculo técnico
 
Desenho, metrologia e soldagem1a
Desenho, metrologia e soldagem1aDesenho, metrologia e soldagem1a
Desenho, metrologia e soldagem1a
 
Ebook 11-dicas-projetos-arquitetonicos
Ebook 11-dicas-projetos-arquitetonicosEbook 11-dicas-projetos-arquitetonicos
Ebook 11-dicas-projetos-arquitetonicos
 
Aula28
Aula28Aula28
Aula28
 
Aula28
Aula28Aula28
Aula28
 
Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012
Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012
Aula sobre escalas e cotas - 2004-04-2012
 

Mais de ordenaelbass

DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTODESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTOordenaelbass
 
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIALDESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIALordenaelbass
 
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIODESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIOordenaelbass
 
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficasDESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficasordenaelbass
 
DESENHO TECNICO CORTE
DESENHO TECNICO CORTEDESENHO TECNICO CORTE
DESENHO TECNICO CORTEordenaelbass
 
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESDESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESordenaelbass
 
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMordenaelbass
 
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMESELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMESordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS ordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ordenaelbass
 
CATÁLOGO DE RETENTORES
CATÁLOGO DE RETENTORESCATÁLOGO DE RETENTORES
CATÁLOGO DE RETENTORESordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASordenaelbass
 
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elásticoElementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elásticoordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASordenaelbass
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESordenaelbass
 

Mais de ordenaelbass (20)

DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTODESENHO TÉCNICO  SEÇÃO E ENCURTAMENTO
DESENHO TÉCNICO SEÇÃO E ENCURTAMENTO
 
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIALDESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
DESENHO TÉCNICO CORTE PARCIAL
 
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIODESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
DESENHO TÉCNICO CORTE EM DESVIO
 
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficasDESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
DESENHO TECNICO Corte mais de um corte nas vistas ortográficas
 
DESENHO TECNICO CORTE
DESENHO TECNICO CORTEDESENHO TECNICO CORTE
DESENHO TECNICO CORTE
 
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROESDESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
DESENHO TÉCNICO NORMAS E PADROES
 
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEMAPOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 3 AJUSTAGEM USINAGEM
 
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
APOSTILA SENAI 2 AJUSTAGEM USINAGEM
 
APOSOTILA SENAI 1
APOSOTILA SENAI 1APOSOTILA SENAI 1
APOSOTILA SENAI 1
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMESELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CAMES
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO ACOPLAMENTOS
 
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
ELEMENTOS DE MÁQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO CABOS
 
CATÁLOGO DE RETENTORES
CATÁLOGO DE RETENTORESCATÁLOGO DE RETENTORES
CATÁLOGO DE RETENTORES
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introduçãoELEMENTOS DE MAQUINAS  ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS DE TRANSMISSÃO introdução
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etcELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
ELEMENTOS DE MAQUINAS Elementos de vedação gaxetas,retentores,o-rings,selos,etc
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLASELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ELEMENTOS ELÁSTICOS, MOLAS
 
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elásticoElementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
Elementos de maquinas, pinos, contra-pinos, cavilhas, anel elástico
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELASELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS ARRUELAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCASELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
ELEMENTOS DE MAQUINAS PARAFUSOS E PORCAS
 
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITESELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
ELEMENTOS DE MAQUINAS REBITES
 

Último

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfPastor Robson Colaço
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxRaquelMartins389880
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assisbrunocali007
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - FalamansaMary Alvarenga
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteLeonel Morgado
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorialNeuroppIsnayaLciaMar
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfssuser06ee57
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"Ilda Bicacro
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalcarlaOliveira438
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptxlucioalmeida2702
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....LuizHenriquedeAlmeid6
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leiteprofesfrancleite
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaanapsuls
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 

Último (20)

Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdfManual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
Manual dos Principio básicos do Relacionamento e sexologia humana .pdf
 
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docxUnidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
Unidade 4 (Texto poético) (Teste sem correção) (2).docx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_AssisMemórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
Memórias_póstumas_de_Brás_Cubas_ Machado_de_Assis
 
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
Atividade com a música Xote  da  Alegria    -   FalamansaAtividade com a música Xote  da  Alegria    -   Falamansa
Atividade com a música Xote da Alegria - Falamansa
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
livro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensoriallivro para educação infantil conceitos sensorial
livro para educação infantil conceitos sensorial
 
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdfRespostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
Respostas prova do exame nacional Port. 2008 - 1ª fase - Criterios.pdf
 
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã""Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
"Nós Propomos! Mobilidade sustentável na Sertã"
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sociedade_Cultura_e_Contemporaneidade_(ED70200).pdf
 
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 finalPPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
PPP6_ciencias final 6 ano ano de 23/24 final
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Sistemas_de_Informacoes_Gerenciais_(IL60106).pdf
 
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
Slides Lição 8, Central Gospel, Os 144 Mil Que Não Se Curvarão Ao Anticristo....
 
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco LeiteOs Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
Os Padres de Assaré - CE. Prof. Francisco Leite
 
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantilApresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
Apresentação sobre as etapas do desenvolvimento infantil
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 

DESENHO TÉCNICO ESCALA

  • 1. Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia – IFCE – Sobral Eixo de Controle e Processos Industriais Curso: Técnico em mecatrônica Disciplina: Mecânica Aplicada Escala Prof. Edson Frota Pessoa
  • 2. Introdução Desenho técnico mecânico Existem peças que podem ser representadas no papel em tamanho real. Mas, existem objetos, peças, animais, etc. que não podem ser representados em seu tamanho real. Alguns são muito grandes para caber numa folha de papel. Outros são tão pequenos, que se os reproduzíssemos em tamanho real seria impossível analisar seus detalhes. Para resolver tais problemas, é necessário reduzir ou ampliar as representações destes objetos.
  • 3. Desenho técnico mecânico Escala A escala é uma forma de representação que mantém as proporções das medidas lineares do objeto representado. Nos desenhos em escala, as medidas lineares do objeto real ou são mantidas, ou então são aumentadas ou reduzidas proporcionalmente. Fig. A Fig. B Fig. C Cada lado de B é uma vez menor que cada lado correspondente de A. Cada lado de C é igual a duas vezes cada lado correspondente de A. Então, podemos dizer que as Figuras B e C estão representadas em escala em relação a figura A. Existem três tipos de escala: natural, de redução e de ampliação.
  • 4. Escala Desenho técnico mecânico Escala natural Escala natural é aquela em que o tamanho do desenho técnico é igual ao tamanho real da peça. Veja um desenho técnico em escala natural. A indicação da escala do desenho é feita pela abreviatura da palavra escala: ESC , seguida de dois numerais separados por dois pontos. O numeral à esquerda dos dois pontos representa as medidas do desenho técnico. O numeral à direita dos dois pontos representa as medidas reais da peça. A relação entre o tamanho do desenho e o tamanho do objeto é de 1:1 (lê-se um por um).
  • 5. Escala Desenho técnico mecânico Escala de redução Escala de redução é aquela em que o tamanho do desenho técnico é menor que o tamanho real da peça. Veja um desenho técnico em escala de redução. As medidas deste desenho são vinte vezes menores que as medidas correspondentes do rodeiro de vagão real. A indicação da escala de redução também vem junto do desenho técnico. Na indicação da escala de redução o numeral à esquerda dos dois pontos é sempre 1. O numeral à direita é sempre maior que 1. No desenho acima o objeto foi representado na escala de 1:20 (que se lê: um por vinte).
  • 6. Escala Desenho técnico mecânico Escala de ampliação Escala de ampliação é aquela em que o tamanho do desenho técnico é maior que o tamanho real da peça. Veja o desenho técnico de uma agulha de injeção em escala de ampliação. As dimensões deste desenho são duas vezes maiores que as dimensões correspondentes da agulha de injeção real. Este desenho foi feito na escala 2:1 (lê-se: dois por um). Neste caso, o numeral da esquerda, que representa as medidas do desenho técnico, é maior que 1. O numeral da direita é sempre 1 e representa as medidas reais da peça.
  • 7. Desenho técnico mecânico Escala Escala de ampliação Escala de ampliação é aquela em que o tamanho do desenho técnico é maior que o tamanho real da peça. Veja o desenho técnico de uma agulha de injeção em escala de ampliação. CATEGORIA ESCALAS RECOMENDADAS 20 : 1 Escalas de ampliação Escala Natural 50 : 1 2:1 10 : 1 5:1 1:1 1:2 1: 10 1 : 20 Escala de redução 1:5 1:5 1 : 100 1 : 200 1 : 500 1 : 1 000 1 : 2 000 1 : 5 000 1 : 10 000
  • 8. Escalímetro Desenho técnico mecânico Utilização do escalímetro •Identificar visualmente se o desenho foi reduzido, ampliado ou está representado na escala natural. •As indicações de escala existentes nos escalímetros vendidos no comércio só contêm escala de redução – 1:2; 1:2,5; 1:50;1:100; 1:75; 1:125, etc •Todos os escalímetros existentes no sistema ISO são baseados no metro.
  • 9. Escalímetro Desenho técnico mecânico Leitura com Escalas de redução Tome como exemplo a peça abaixo que foi redigida numa escala de 1:20., uma leitura com um escalímetro 1:20 deve ser realizada da seguinte forma: 1° Determinar quanto vale a menor divisão do escalímetro: verifique quantas divisões existem de 0 a 1m (existe escalímetro indicando de 0 a 10m, e de 0 a 100m, deve-se proceder da mesma forma), neste caso existem 50 divisões, logo cada divisão vale 0,02 metros, (no de 0 a 10 valeria 0,2 m e no de 0 a 100 valeria 2m). 2° Contamos quantas divisões existem de zero até o final da peça, no exemplo abaixo são 65 divisões, 3° A dimensão real da peça é 1,3 metros que é resultado do produto de 65 (número de divisões no escalímetro do início ao final da peça) vezes 0,02 metros (valor da menor divisão deste escalímetro).
  • 10. Escalímetro Desenho técnico mecânico Leitura com Escalas de ampliação Foi visto no exemplo anterior como redigir desenhos diretamente sem qualquer artifício utilizando o escalímetro, desde que as escalas sejam de redução, mas com um pequeno artifício podemos utiliza-lo em desenhos ampliados. Seja um desenho redigido numa escala de 5:1, que é uma das escalas de ampliação padronizadas, vamos re-escrevê-la da seguinte forma:
  • 11. Escalímetro Desenho técnico mecânico isto quer dizer que a dimensão gráfica de um desenho redigido nesta escala é 100 vezes maior do que quando redigido na escala de 1:20 ou que sua dimensão real é 100 vezes menor do que quando redigida numa escala de 1:20. Como cada divisão da escala de 1:20 vale 0,02 metros, Item 1.6.2.1, isto quer dizer, que cada divisão na nova escala passará a valer 100 vezes menos.!!!, isto é valerá 0,0002 metros. Neste caso a dimensão real da peça abaixo que foi redigida numa escala de 5:1 seria 0,013 metros (13 mm) que é resultado do produto de 65 (número de divisões no escalímetro do início ao final da peça) vezes 0,0002 metros.