Erasmo de roterdão

5.716 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.716
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
90
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Erasmo de roterdão

  1. 1. Disciplina: História A Professora: Germina Alves 2011/12 Miguel Sousa, nº18 10ºB – Línguas e Humanidades
  2. 2. Erasmo de Roterdão no contexto do Renascimento Erasmo de Roterdão foi um humanista esplêndido que teve o privilégio de nascer e ganhar prestígio no Renascimento, período em que houve um extraordinário progresso da arte, do pensamento, da literatura e de toda a vida europeia no geral, foi também neste período que a Europa recuperou da escuridão intelectual vivida na Idade Média. Embora no Renascimento muitas pessoas tivessem dado mais importância à Antiguidade Clássica e reconsiderado o pensamento dessa época, o Renascimento procurava igualmente inovações. Facto ajudado através das universidades espalhadas pela Europa que originaram uma onda colossal de propagação de ideias.
  3. 3. Nascimento Desidério Erasmo (nome dado à nascença), nasceu a 27 de Outubro de 1466? em Roterdão (na Holanda/Países Baixos). se sabe relativamente à sua Pouco família, porém há informações de que era o segundo filho ilegítimo de um padre chamado Gerardius de Präel e de uma mulher conhecida apenas pelo seu nome: Margareth. Todavia, ambos trataram de Erasmo até aos seus últimos dias de vida, tendo sido vítimas da peste negra em 1482.
  4. 4. Educação Após a morte dos seus pais foi acolhido por religiosos da ordem dos agostinianos. Durante a sua infância teve o privilégio de ter a melhor educação da época, em mosteiros religiosos. Posteriormente foi para Paris aos 26 anos, hospedando-se entre os frades do Colégio Montaigú. Iniciando a sua carreira académica na Universidade de Paris através do estudo de Teologia no ano de 1495 e começa então a dar aulas de modo a fazer face à austeridade (também vivida, nesta época, em Paris). Seguidamente, viaja para a Inglaterra a convite de um aluno em 1498/9, onde entra em contacto com vários humanistas, nomeadamente o seu grande amigo, Thomas More. Lá, estudou Grego na mais antiga das universidades britânicas, a Universidade de Oxford. Em 1505, realiza um sonho de longa data e vai para Itália onde permanece em Veneza e depois Roma, sendo recebido pelo Papa Júlio II, pelo que nesta “visita” à Península Itálica entende melhor a importância da Antiguidade Clássica. E em 1509 volta para Inglaterra. “Ninguém pode escolher os próprios pais ou a pátria, mas cada um pode moldar a sua personalidade pela educação” - Erasmo de Roterdão
  5. 5. Mentalidade Algo que marca a mentalidade de Erasmo é o seu espírito crítico, bastante inovador, acompanhado pela sua discórdia relativamente ao domínio da Igreja sobre a educação, a cultura e a ciência, mesmo sendo este um clérigo, profundamente crente. Erasmo era, como todos os humanistas da época, extremamente atento ao mundo que o rodeava, era igualmente da opinião de que o Homem tem livre escolha sobre tudo aquilo que faz e de que é também o Homem quem deve estar no centro das prioridades do mesmo (Antropocentrismo). “Não merece o doce quem não experimentou o amargo”; “É muito mais honesto estar nu do que usar roupas transparentes”; “Nenhum animal é mais calamitoso do que o homem, pela simples asmo de Roterdão - de que todos se contentam com os limites da sua natureza, ao razão (adaptado) passo que apenas o homem se obstina em ultrapassar os limites da sua”.
  6. 6. A sua Grande Obra: O Elogio da Loucura O Elogio da Loucura é considerado, por muitos, como sendo o expoente máximo das obras de Erasmo de Roterdão e como uma das obras que mais influenciou a população desta época no que toca à Reforma Protestante. Este ensaio foi escrito em 1509 na Inglaterra, quando Erasmo se encontrava hospedado na casa do seu grande amigo: Thomas More, a quem Erasmo dedicou o mesmo, e fora publicado em 1511, em latim e em grego. Nesta obra, Erasmo, mostra bem o seu espírito crítico através das suas críticas ao Papa, a reis, a cortesãos e às práticas corruptas da Igreja. Este ensaio apresenta também várias alusões à Antiguidade Clássica e termina com um testamento claro dos ideias cristãos, sendo que, por último, todo o ensaio está repleto de sátira e ironia. Erasmo tem também várias outras obras como: De Duplici Copia Verborum et Rerum (1511), um texto de “Os Papas guardam para sim Pais Cristãos (1521); Colóquios Familiares (1516-1536); a Libero retórica para os estudiosos do latim; Os as honras e os prazeres que hoje rodeiamDo Santa Arbítrio (1526), um panfleto que ridiculariza Martinho Lutero; As Navegações dos Antigos (1532), uma série de contos; Preparação para a Morte (1533)Sé” – todos estas obras bastante populares diante (adaptado) do público alfabetizado do Renascimento devido à imaginação inteligente e ao seu estilo claro e descritivo. – Erasmo de Roterdão
  7. 7. Morte Após uma longa vida, repleta de viagens e conhecimento, Erasmo de Roterdão, fixou-se na Lovaina (Bélgica) onde foi exposto a várias críticas por parte daqueles que eram contra os seus princípios. Portanto, procurou refúgio na Basileia (Suíça), onde recebeu hospitalidade, podendo expressar-se livremente e onde estava rodeado de amigos. Foi lá onde uma multidão de admiradores de (quase) todos os cantos da Europa o vieram visitar, como por exemplo Damião de Góis, um grande humanista português que era bastante amigo de Erasmo. Porém os anos foram passando e aos 69 anos morreu devido a um súbito ataque de disenteria, a 11 de Julho de 1536 na Basileia, onde também se encontra sepultado na Catedral da mesma. “Muitos te odiarão se te amares a ti próprio”
  8. 8. Conclusão Com este trabalho fiquei a conhecer muito mais relativamente à vida de Erasmo de Roterdão, por muitos considerado o “pai” do humanismo cristão, pois foi ele quem abriu portas às Reformas Protestantes, através de vários atos que praticou como o de traduzir o Novo Testamento, abrindo portas para a interpretação real do Cristianismo perante toda a população. Fiquei igualmente a conhecer melhor a sua grandiosa obra: O Elogio da Loucura, que influenciou bastante a população europeia renascentista através das suas críticas à sociedade que cada vez mais se afastava do ideal Cristão, da humildade e da entreajuda, por parte das grandes elites. Finalmente, tomo a liberdade de afirmar que Desidério Erasmo de Roterdão será sempre recordado como um dos maiores impulsionadores do Renascimento e que jamais será esquecido, pelo menos na minha opinião.
  9. 9. Webgrafia e Bibliografia         http://educarparacrescer.abril.com.br http://baixarbonslivros.blogspot.pt/2010/11/elogio-da-loucura-erasmode-rotterdam.html http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/erasmo-roterda307345.shtml http://www.sohistoria.com.br/biografias/roterda/ http://pt.shvoong.com/humanities/1774358-erasmo-rotterdambiografia/ http://pt.shvoong.com/humanities/483648-erasmo-rotterdam-biografia/ http://www.consciencia.org/erasmo-rotterdao-biografia http://www.algosobre.com.br/biografias/erasmo-de-roterda.html  http://mortenahistoria.blogspot.pt/2012/02/morte-de-erasmo-deroterdam.html  O Tempo da História | 3ª Parte | História A 10º ano Acentuo que toda a informação retirada destes sites e do nosso manual escolar, foi antes devidamente especificada, distinguida e cuidada.

×