SlideShare uma empresa Scribd logo

AGENTES INTERNOS DO RELEVO

1) Os agentes internos como placas tectônicas, vulcanismo e tectonismo são os principais formadores e modificadores do relevo terrestre, atuando na criação, modificação e destruição das formas de relevo. 2) A movimentação das placas tectônicas causa abalos sísmicos, vulcanismo e falhamentos, levando à formação de montanhas e modificação do relevo. 3) A teoria da deriva continental explica como a movimentação e colisão das placas tect

1 de 26
Baixar para ler offline
GEOGRAFIA FÍSICAGEOGRAFIA FÍSICA
INTRODUÇÃO AINTRODUÇÃO A
GEOMORFOLOGIAGEOMORFOLOGIA
AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS
FORMADORES EFORMADORES E
MODIFICADORES DO RELEVOMODIFICADORES DO RELEVO
PROFESSOR: OMAR FÜRST
http://bibocaambiental.blogspot.com.br/
AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS
FORMADORES EFORMADORES E
MODIFICADORES DO RELEVOMODIFICADORES DO RELEVO
• As formas de relevo são criadas, modificadas,
destruídas e recriadas por uma poderosa
dinâmica.
• Agentes externos relacionados com a
atmosfera; gelo, neve, chuva, vento, sol, rios,
mares e seres vivos.
• Agentes internos associados a movimentação
das placas tectônicas ; abalos sísmicos,
vulcanismo, tectonismo
AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS
PLACAS TECTÔNICASPLACAS TECTÔNICAS
AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS
PLACAS TECTÔNICASPLACAS TECTÔNICAS
• A crosta terrestre tem espessura variada, divide-
se em placas justaspostas ( lado a lado). Podem
ser continentais ou oceânicas.
• Ao serem pressionadas pelo magma, a partir do
manto, ela sofrem atritos e podem deslocar
causando os abalos sísmicos, formando as
ondas sísmicas.
• As áreas atingidas por essas ondas vai
depender da intensidade.
AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS
ABALO SÍSMICOABALO SÍSMICO
AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS
TERREMOTOSTERREMOTOS

Recomendados

A regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilA regionalização e as divisões regionais no brasil
A regionalização e as divisões regionais no brasilProfessor
 
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)
As Bacias Hidrográficas - 6º Ano (2017)Nefer19
 
Regionalização do espaço mundial
Regionalização do espaço mundialRegionalização do espaço mundial
Regionalização do espaço mundialLUIS ABREU
 
Brasil – domínios morfoclimáticos
Brasil – domínios morfoclimáticosBrasil – domínios morfoclimáticos
Brasil – domínios morfoclimáticosProfessor
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Região Nordeste
Região NordesteRegião Nordeste
Região Nordeste
 
Relevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivosRelevo agentes formadores e erosivos
Relevo agentes formadores e erosivos
 
Climas do Brasil
Climas do BrasilClimas do Brasil
Climas do Brasil
 
Região nordeste 7º ano
Região nordeste  7º anoRegião nordeste  7º ano
Região nordeste 7º ano
 
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
8º Ano - Módulo 04 - Continente Americano
 
Hidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas ContinentaisHidrosfera: as Águas Continentais
Hidrosfera: as Águas Continentais
 
Os continentes
Os continentesOs continentes
Os continentes
 
Fuso Horário
Fuso HorárioFuso Horário
Fuso Horário
 
Região norte
Região norteRegião norte
Região norte
 
Águas continentais - Subterrânea
Águas continentais - SubterrâneaÁguas continentais - Subterrânea
Águas continentais - Subterrânea
 
Vegetação do brasil
Vegetação do brasilVegetação do brasil
Vegetação do brasil
 
Ásia
ÁsiaÁsia
Ásia
 
Vegetação Brasileira
Vegetação BrasileiraVegetação Brasileira
Vegetação Brasileira
 
Relevo Brasileiro
 Relevo Brasileiro Relevo Brasileiro
Relevo Brasileiro
 
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
O Processo de Industrialização do Brasil - 7º Ano (2017)
 
Aula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasilAula de hidrografia do brasil
Aula de hidrografia do brasil
 
Regionalização da américa
Regionalização da américaRegionalização da américa
Regionalização da américa
 
Continente americano
Continente americanoContinente americano
Continente americano
 
Aspectos naturais da América
Aspectos naturais da AméricaAspectos naturais da América
Aspectos naturais da América
 
Fusos horarios completo
Fusos horarios completoFusos horarios completo
Fusos horarios completo
 

Semelhante a AGENTES INTERNOS DO RELEVO

Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna LUIS ABREU
 
Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna LUIS ABREU
 
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevoAula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevogeopedrote
 
Formação e Transformação do Relevo Terrestre
Formação e Transformação do Relevo TerrestreFormação e Transformação do Relevo Terrestre
Formação e Transformação do Relevo TerrestreMauricio Martins
 
formação do relevo terrestre
 formação do relevo terrestre  formação do relevo terrestre
formação do relevo terrestre AnaClaudiaHonorio
 
Geografia relevo-final-170912061944
Geografia relevo-final-170912061944Geografia relevo-final-170912061944
Geografia relevo-final-170912061944Georgea Melo
 
relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução neto lopes
 
Aula tiago marinho deriva continental
Aula tiago marinho deriva continentalAula tiago marinho deriva continental
Aula tiago marinho deriva continentalTiago Marinho
 

Semelhante a AGENTES INTERNOS DO RELEVO (20)

Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna
 
COMPOSIÇÃO DA TERRA.pptx
COMPOSIÇÃO DA TERRA.pptxCOMPOSIÇÃO DA TERRA.pptx
COMPOSIÇÃO DA TERRA.pptx
 
Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna Apresentação estrutura interna
Apresentação estrutura interna
 
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevoAula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
Aula 4 a geomorfologia e as diferentes feições do relevo
 
Revisão Geologia Geral 2012 - SARTRE
Revisão Geologia Geral 2012 - SARTRERevisão Geologia Geral 2012 - SARTRE
Revisão Geologia Geral 2012 - SARTRE
 
Formação e Transformação do Relevo Terrestre
Formação e Transformação do Relevo TerrestreFormação e Transformação do Relevo Terrestre
Formação e Transformação do Relevo Terrestre
 
Formação geológica brasileira
Formação geológica brasileiraFormação geológica brasileira
Formação geológica brasileira
 
formação do relevo terrestre
 formação do relevo terrestre  formação do relevo terrestre
formação do relevo terrestre
 
Aula Geografia
Aula Geografia Aula Geografia
Aula Geografia
 
Relevo novo
Relevo novo Relevo novo
Relevo novo
 
Os Agentes do Relevo - Geografia
Os Agentes do Relevo - GeografiaOs Agentes do Relevo - Geografia
Os Agentes do Relevo - Geografia
 
Dinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestreDinâmica da crosta terrestre
Dinâmica da crosta terrestre
 
Geologia2010 11
Geologia2010 11Geologia2010 11
Geologia2010 11
 
Geografia relevo-final
Geografia relevo-finalGeografia relevo-final
Geografia relevo-final
 
Geografia relevo-final-170912061944
Geografia relevo-final-170912061944Geografia relevo-final-170912061944
Geografia relevo-final-170912061944
 
relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução relevo gênese e evolução
relevo gênese e evolução
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
Formação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevoFormação e modelagem do relevo
Formação e modelagem do relevo
 
Dinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevoDinâmica interna e externa do relevo
Dinâmica interna e externa do relevo
 
Aula tiago marinho deriva continental
Aula tiago marinho deriva continentalAula tiago marinho deriva continental
Aula tiago marinho deriva continental
 

Mais de Omar Fürst

Aula introdução cartografia
Aula   introdução cartografiaAula   introdução cartografia
Aula introdução cartografiaOmar Fürst
 
Aula introdução a hidrologia
Aula   introdução a hidrologiaAula   introdução a hidrologia
Aula introdução a hidrologiaOmar Fürst
 
Aula Introdução a Geomorfologia
Aula   Introdução a GeomorfologiaAula   Introdução a Geomorfologia
Aula Introdução a GeomorfologiaOmar Fürst
 
Aula introdução a climatologia 2
Aula   introdução a climatologia 2Aula   introdução a climatologia 2
Aula introdução a climatologia 2Omar Fürst
 
Aula introdução a climatologia 1
Aula   introdução a climatologia 1Aula   introdução a climatologia 1
Aula introdução a climatologia 1Omar Fürst
 
Aula industrialização
Aula   industrializaçãoAula   industrialização
Aula industrializaçãoOmar Fürst
 
Aula impacto ambiental em biomas brasileiros
Aula   impacto ambiental em biomas brasileiros Aula   impacto ambiental em biomas brasileiros
Aula impacto ambiental em biomas brasileiros Omar Fürst
 
Aula globalização e blocos econômicos
Aula   globalização e blocos econômicosAula   globalização e blocos econômicos
Aula globalização e blocos econômicosOmar Fürst
 
Aula Geografia agrária
Aula   Geografia agráriaAula   Geografia agrária
Aula Geografia agráriaOmar Fürst
 
Aula Fontes de energia
Aula   Fontes de energiaAula   Fontes de energia
Aula Fontes de energiaOmar Fürst
 
Aula Globalização
Aula   GlobalizaçãoAula   Globalização
Aula GlobalizaçãoOmar Fürst
 
Aspectos gerais do Brasil
 Aspectos gerais do Brasil Aspectos gerais do Brasil
Aspectos gerais do BrasilOmar Fürst
 
AGENTES EXTERNOS DO RELEVO
AGENTES EXTERNOS DO RELEVOAGENTES EXTERNOS DO RELEVO
AGENTES EXTERNOS DO RELEVOOmar Fürst
 
A história da água
A história da águaA história da água
A história da águaOmar Fürst
 
Aula Fontes de energia
Aula   Fontes de energiaAula   Fontes de energia
Aula Fontes de energiaOmar Fürst
 
Atvidadeejogodecartografiaa astronomia
Atvidadeejogodecartografiaa astronomiaAtvidadeejogodecartografiaa astronomia
Atvidadeejogodecartografiaa astronomiaOmar Fürst
 

Mais de Omar Fürst (17)

Aula introdução cartografia
Aula   introdução cartografiaAula   introdução cartografia
Aula introdução cartografia
 
Aula introdução a hidrologia
Aula   introdução a hidrologiaAula   introdução a hidrologia
Aula introdução a hidrologia
 
Aula Introdução a Geomorfologia
Aula   Introdução a GeomorfologiaAula   Introdução a Geomorfologia
Aula Introdução a Geomorfologia
 
Aula introdução a climatologia 2
Aula   introdução a climatologia 2Aula   introdução a climatologia 2
Aula introdução a climatologia 2
 
Aula introdução a climatologia 1
Aula   introdução a climatologia 1Aula   introdução a climatologia 1
Aula introdução a climatologia 1
 
Aula industrialização
Aula   industrializaçãoAula   industrialização
Aula industrialização
 
Aula impacto ambiental em biomas brasileiros
Aula   impacto ambiental em biomas brasileiros Aula   impacto ambiental em biomas brasileiros
Aula impacto ambiental em biomas brasileiros
 
Aula globalização e blocos econômicos
Aula   globalização e blocos econômicosAula   globalização e blocos econômicos
Aula globalização e blocos econômicos
 
Aula Geografia agrária
Aula   Geografia agráriaAula   Geografia agrária
Aula Geografia agrária
 
Aula Fontes de energia
Aula   Fontes de energiaAula   Fontes de energia
Aula Fontes de energia
 
Aula Demografia
Aula   DemografiaAula   Demografia
Aula Demografia
 
Aula Globalização
Aula   GlobalizaçãoAula   Globalização
Aula Globalização
 
Aspectos gerais do Brasil
 Aspectos gerais do Brasil Aspectos gerais do Brasil
Aspectos gerais do Brasil
 
AGENTES EXTERNOS DO RELEVO
AGENTES EXTERNOS DO RELEVOAGENTES EXTERNOS DO RELEVO
AGENTES EXTERNOS DO RELEVO
 
A história da água
A história da águaA história da água
A história da água
 
Aula Fontes de energia
Aula   Fontes de energiaAula   Fontes de energia
Aula Fontes de energia
 
Atvidadeejogodecartografiaa astronomia
Atvidadeejogodecartografiaa astronomiaAtvidadeejogodecartografiaa astronomia
Atvidadeejogodecartografiaa astronomia
 

Último

QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...azulassessoriaacadem3
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...excellenceeducaciona
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxJean Carlos Nunes Paixão
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...DL assessoria 29
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...azulassessoriaacadem3
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...azulassessoriaacadem3
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
Jornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de Resende
Jornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de ResendeJornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de Resende
Jornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de ResendeIsabelPereira2010
 
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...azulassessoriaacadem3
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...azulassessoriaacadem3
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024excellenceeducaciona
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
QUESTÃO 2 Com base nas informações sobre Matheus (Perfil 1), calcule a carga ...
 
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
Discorra sobre a classificação da interpretação jurídica quanto à sua origem ...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docxCRUZADINA  E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
CRUZADINA E CAÇA-PALAVRAS SOBRE PATRIMONIO HISTÓRICO.docx
 
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
No âmbito do Direito, a interpretação das normas é essencial para sua aplicaç...
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
1. Encontre um Livro Didático de Língua Portuguesa, que seja para o 1º, 2º ou...
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
QUESTÃO 3 Considerando as especificações, o nível de experiência, assim como ...
 
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
2 – A data de implantação de cada tendência pedagógica no Brasil;
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
Jornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de Resende
Jornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de ResendeJornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de Resende
Jornal DeClara n.º 73 fevereiro 2024, Clara de Resende
 
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
Atividade Proposta: A empresa Lótus Indústria e Comércio de Móveis Ltda., ini...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
A partir desse panorama, suponha, então, que você foi contratado(a) pela Natu...
 
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
CASO: Um determinado perito contábil, especialista em pericias trabalhistas e...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
1) Cálculo completo e o resultado da densidade corporal da Carolina. Utilize ...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 

AGENTES INTERNOS DO RELEVO

  • 1. GEOGRAFIA FÍSICAGEOGRAFIA FÍSICA INTRODUÇÃO AINTRODUÇÃO A GEOMORFOLOGIAGEOMORFOLOGIA AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS FORMADORES EFORMADORES E MODIFICADORES DO RELEVOMODIFICADORES DO RELEVO PROFESSOR: OMAR FÜRST http://bibocaambiental.blogspot.com.br/
  • 2. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS FORMADORES EFORMADORES E MODIFICADORES DO RELEVOMODIFICADORES DO RELEVO • As formas de relevo são criadas, modificadas, destruídas e recriadas por uma poderosa dinâmica. • Agentes externos relacionados com a atmosfera; gelo, neve, chuva, vento, sol, rios, mares e seres vivos. • Agentes internos associados a movimentação das placas tectônicas ; abalos sísmicos, vulcanismo, tectonismo
  • 3. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS PLACAS TECTÔNICASPLACAS TECTÔNICAS
  • 4. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS PLACAS TECTÔNICASPLACAS TECTÔNICAS • A crosta terrestre tem espessura variada, divide- se em placas justaspostas ( lado a lado). Podem ser continentais ou oceânicas. • Ao serem pressionadas pelo magma, a partir do manto, ela sofrem atritos e podem deslocar causando os abalos sísmicos, formando as ondas sísmicas. • As áreas atingidas por essas ondas vai depender da intensidade.
  • 5. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS ABALO SÍSMICOABALO SÍSMICO
  • 7. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS TREMORES NO BRASILTREMORES NO BRASIL • O território brasileiro está distante dos limites das placas tectônicas. • Todavia pequenos tremores de terra atingem o Brasil • O NE é a área mais próxima da dorsal Atlântica, cordilheira que limita com a placa Africana. Chega 3 a 4 graus na escala Richter, causa rachaduras nas paredes e movimenta móveis. • O CW e o SE, os tremores tem origem geralmente com o epicentro dos Andes. • Além disso não estamos livres de tremores provocados por acomodação geológica- deslocamento de grandes camadas de rochas sedimentares
  • 8. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS VULCANISMOVULCANISMO • Quando a água da chaleira colocada ao fogo está fervendo, a tampa começa a pular. • Isto ocorre devido a água está passando do estado líquido para gasoso. Em forma de vapor a água ocupa mais espaço que na forma líquida. • O vapor de água se expande e faz pressão sobre a tampa da chaleira. • Algo parecido com isso ocorre com o magma no interior da Terra • Os agentes internos têm sua origem nessa pressões do magma, que podem provocar essas modificações na superfície.
  • 9. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS VULCANISMOVULCANISMO • Ao pressionar a crosta, o magma pode subir até a superfície, originando fraturas. Quando isso ocorre, dizemos que houve vulcanismo. • Vulcanismo é o conjunto de fenômenos provocados pela chegada do magma á superfície terrestre. • O principal fenômeno é a erupção. Que origina-se as rochas vulcânicas.
  • 10. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS ELEMENTOS DE VULCÃOELEMENTOS DE VULCÃO • Cone lembra uma pirâmide. É constituído por depósitos de lavas solidificadas e associadas a materiais rochosos. • Cratera é a boca do vulcão, orifício pelo qual a lava é expelida. Podem localizar no topo ou nas laterais. • Chaminé canal interno por onde as lavas sobem para atingir a superfície através da cratera. • Lava material mais comum expelido pelos vulcões. • Costuma-se classificar os vulcões de acordo com o material expelido. – Lava – Bombas – Misto – cinzas
  • 12. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS TIPOS DE VULCÃOTIPOS DE VULCÃO
  • 13. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS ÁREAS INSTÁVEISÁREAS INSTÁVEIS
  • 14. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS TECTONISMOTECTONISMO • O soerguimento ( ascenso) e o afundamento da superfície resultam da ação do tectonismo, da movimentação das placas tectônicas. • Tectonismo é o principal agente interno modificador do relevo. • Os abalos sísmicos e os vulcanismo têm um poder de ação mais limitado, embora estejam associados ao tectonismo.
  • 15. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS TECTONISMOTECTONISMO • Quando há uma grande pressão interna, o magma extravasa para superfície e se consolida, o que provoca o afastamento das placas. • De um lado afasta e do outro ocorre colisão. • Essa colisão forma-se as montanhas, porém a formação varia de acordo com as características das bordas das placas. • Duas placas continentais causam o enrugamento dos terrenos originando as montanhas. • Uma placa continental e uma oceânica causa um processo de soerguimento e dobramento, pois a placa oceânica mais densa mergulha sob a continental, entrando no manto e fundindo-se novamente. • Duas placas oceânicas a que tiver menor espessura mergulhará por baixo da outra, o resultado poderá ser o soerguimento de vulcão, como ainda acontece no circulo do Fogo.
  • 16. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS TIPOS DE COLISÃOTIPOS DE COLISÃO
  • 17. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS FALHAMENTOFALHAMENTO • Devido á pressão do magma, pode-se formar uma faixa ou zona de tensão e atrito junto ao limite de duas placas. • Rochas maleáveis ocasionarão fraturas. • Esses blocos de rochas deslocam-se um em relação ao outro ( falha ou falhamento) • As falhas são responsáveis por grandes modificações de relevo.
  • 18. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS TIPOS DE FALHATIPOS DE FALHA
  • 20. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS DERIVA CONTINETALDERIVA CONTINETAL
  • 21. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS DERIVA CONTINETALDERIVA CONTINETAL
  • 22. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS DERIVA CONTINENTALDERIVA CONTINENTAL
  • 23. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS DERIVA CONTINETALDERIVA CONTINETAL
  • 24. AGENTES INTERNOSAGENTES INTERNOS DERIVA CONTINETALDERIVA CONTINETAL