SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 33
Oposição à Ditadura
A 19 de Maio de 1954, em Baleizão, a GNR investiu sobre um grupo de camponesas que reivindicavam um aumento de salário. Do confronto resultou a morte com três tiros de Catarina Eufémia, com 26 anos, mãe de três filhos. Desde então este nome passou a ser símbolo da resistência e da luta contra a ditadura.   Gravura  de Dias Coelho
Em Fevereiro de 1949, por não terem sido asseguradas condições mínimas de democraticidade, num comício em Lisboa, Norton de Matos anuncia a desistência da sua candidatura às "eleições" para a Presidência da República.  Óscar Carmona é de novo "eleito" presidente da República, apesar da idade avançada (morre em Abril de 1951, com 81 anos).  ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
Grande manifestação de apoio ao “General sem medo”, no Porto (Maio de 1958). Em Fevereiro de 1958,  Humberto Delgado  candidata-se à presidência da República.  A sua campanha constituiu um sobressalto político para o regime.
Multidão aguardando o General Humberto Delgado junto à Estação de S. Bento, no Porto, para o comício a realizar na cidade (14 de Maio de 1958).
A multidão saiu à rua para aplaudir Humberto Delgado. Aqui uma imagem da praça junto à Igreja dos Congregados.
Chegada triunfal de Humberto Delgado à Estação de Santa Apolónia (16 de Maio de 1958), após o gigantesco comício no Porto.
Ao chegar a Lisboa, Humberto Delgado é intimado pela polícia a parar a sua marcha.
Comício de Humberto Delgado em Chaves (22 de Maio de 1958).
No dia 3 de Janeiro de 1960, evadem-se do forte de Peniche dez militantes comunistas, entre os quais Álvaro Cunhal. Contam com a colaboração de um militar da GNR.
1961 , ano de um forte abalo no regime fascista    21 de Janeiro -  assalto ao paquete Santa Maria , baptizado de «Santa Liberdade» por Henrique Galvão    4 de Fevereiro - início da insurreição em Angola, começa a  guerra colonial    De 11 a 13 de Abril - tentativa frustrada de golpe de estado liderada pelo general  Botelho Moniz , ministro da Defesa    10 de Novembro – desvio de um avião da TAP para lançar panfletos sobre Lisboa e outros locais do país    12 de Novembro - antes e depois das eleições, realizam-se manifestações contra a  farsa eleitoral . Em Almada, um manifestante é morto a tiro pela polícia.    18 de Dezembro - a União Indiana invade e integra no seu território os enclaves Goa, Damão e Diu.    19 de Dezembro - o artista plástico  José Dias Coelho  é detectado pela brigada da PIDE e assassinado a tiro na rua que hoje tem o seu nome.
Exclusivo: A bordo do Santa Maria A fantástica aventura de Galvão e dos piratas da revolução. O " Santa Maria " largou de Lisboa a 9 de Janeiro de 1961 para uma viagem  à América Central. Entre os passageiros embarcados, contava-se um grupo de 20 membros da DRIL - Direcção Revolucionária Ibérica de Libertação - organismo constituído por opositores aos regimes de Franco e Salazar, cujo comandante era o capitão Henrique Galvão, que embarcou clandestinamente no " Santa Maria " um dia depois, em Curaçau, com mais três elementos da DRIL.
«O palácio flutuante (o Santa Maria) era o ‘primeiro pedaço da pátria libertada’» - disse o jornalista Dominique Lapierre, do Paris Match, em entrevista a Henrique Galvão. Santa Liberdade DRIL Direcção Revolucionária Ibérica de Libertação
"Vou para onde me empurraram: para a revolta.” Henrique Galvão
A 2 de Fevereiro, o  "Santa Maria"  fundeou no porto brasileiro do Recife, procedendo ao desembarque dos passageiros e tripulantes. Os rebeldes entregaram-se às autoridades brasileiras, obtendo asilo político, ao mesmo tempo que o " Santa Maria " voltava à posse da Companhia Colonial de Navegação.
O " Santa Maria " largou do Recife a 7 de Fevereiro. Entrou no Tejo, embandeirado em arco, a 16, e atracou em Alcântara.
A 4 de Fevereiro de 1961, elementos do MPLA tentam, em Luanda, assaltar a Casa de Reclusão Militar, o quartel da PSP e a delegação da Emissora Nacional. Durante esse dia e os seguintes, as forças militares e policiais massacraram mais de três mil civis “indígenas”.  É o início da  guerra colonial .
Botelho Moniz , Ministro da Defesa de Salazar, em Abril de 1961, protagonizou um  golpe de estado palaciano  que, segundo alguns historiadores, contava com o apoio dos EUA interessados na mudança de orientação da política portuguesa, na linha de uma nova política anticolonialista do governo norte-americano.  Esta tentativa golpista só falhou devido à demasiada ingenuidade e inabilidade dos seus protagonistas e à pronta intervenção de Salazar.  
A 10 de Novembro de 1961 foi   desviado um avião da TAP, da linha Lisboa-Casablanca. A “Operação Vagô”, dirigida por Hermínio da Palma Inácio, lançou panfletos sobre Lisboa e outras localidades, denunciando a “burla das eleições” legislativas que se realizariam a 12 de Novembro. Palma Inácio  e o comandante do avião desviado,  José Marcelino , 45 anos depois.
Rasando a cidade de Lisboa, voando a cerca de 100 m de altitude, evitando assim os radares e os dois caças Sabre com ordem de interceptar e abater o avião, caso este não aterrasse em solo português (ordem que os pilotos dos caças não cumpriram), o avião segue sempre a baixa altitude passando pelo Barreiro, Setúbal, Beja e Faro, enquanto os companheiros de Palma Inácio, ajudados pelo Comissário e por duas Hospedeiras, enchiam os céus de Portugal com os 100 000 folhetos.
Tropas indianas ocupam Goa. A 18 de Dezembro de 1961, a União Indiana invade e integra no seu território os enclaves Goa, Damão e Diu.
Nesse dia, pelas oito horas da noite, cinco agentes da PIDE saltaram de um automóvel, perseguiram-no, cercaram-no, na então Rua da Creche, em Alcântara, e que hoje tem o seu nome, e dispararam dois tiros.  José Dias Coelho foi assassinado a tiro, em 19 de Dezembro de 1961.
A agência do Banco de Portugal na Figueira da Foz foi assaltada a 17 de Maio de 1967, no que foi uma das acções mais mediáticas da oposição à ditadura. O assalto, organizado pela LUAR e dirigido por Palma Inácio, destinava-se a financiar a organização. Os quatro assaltantes fugiram de automóvel para o aeródromo de Coimbra, onde se apoderaram de uma avioneta. No automóvel deixaram uma metralhadora e 4 pistolas de plástico.
Crise académica – Coimbra, 1969. Coimbra viveu a segunda grande  crise académica , com a qual muitos professores se mostraram solidários. O Ministro da Educação, José Hermano Saraiva seria substituído por Veiga Simão.
Comício da Oposição Democrática, Aveiro, 1969. Sinal de alguma liberalização do regime marcelista, são permitidas reuniões de opositores, embora, muitas delas acabem com a intervenção das forças policiais.
III Congresso da Oposição Democrática em Aveiro – 1973. Em Abril de 1973, o III Congresso da Oposição Democrática levou a Aveiro mais de três mil pessoas que transbordaram do Cineteatro Avenida. O governo de Marcelo Caetano enviou a polícia de choque para reprimir os opositores ao regime.
 
Comício da CDE (Comissão Democrática Eleitoral), em 1973. Estando os partidos políticos proibidos, restava aos cidadãos associarem-se em Comissões Eleitorais para concorrerem à Assembleia Nacional.
A 19 de Abril de 1973, numa reunião da Acção Socialista Portuguesa (ASP), realizada perto de Bona, é fundado o Partido Socialista. Entre os fundadores encontram-se Mário Soares, Maria Barroso, Tito de Morais, Raul Rego, Rui Mateus, António Arnaut e Jorge Campinos.  Partido Socialista – Abril de 1973
O Patriarcado emite uma nota em que condena quer a  «Vigília da Capela do Rato»  quer a repressão policial que se lhe seguiu. Mais tarde o Patriarca demite o Padre Alberto Neto, responsável pela Capela do Rato. Um grupo de católicos iniciou, em 30 de Dezembro de 1973, uma vigília e uma greve de fome pela Paz. Uma força da polícia de choque, comandada pelo capitão Maltez Soares, entra na Capela do Rato prende setenta pessoas, entre as quais se contam destacadas figuras da oposição.
Um forte aparato policial é montado no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, onde se realiza, a 29 de Março de 1974, o 1.º Encontro da Canção Portuguesa, durante o qual foram entregues os prémios atribuídos no ano anterior pela Imprensa. Participam no festival, entre outros, José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, José Jorge Letria e José Carlos Ary dos Santos. A canção Grândola, de José Afonso, é entoada em coro pelo público que enchia o Coliseu e, no fim, milhares de pessoas gritam «abaixo a repressão!».
Cantores de intervenção: Vitorino, Fausto, Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, José Jorge Letria, José Barata Moura.
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar7 de Setembro
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARRaimund M Souza
 
Projeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano A
Projeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano AProjeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano A
Projeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano ARoberto Dauto
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar dismaDismael Sagás
 
Exercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano EExercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano ELeonardo Caputo
 
Médici e a Ditadura Militar.
Médici e a Ditadura Militar.Médici e a Ditadura Militar.
Médici e a Ditadura Militar.João Medeiros
 
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)Erasmo Peixoto
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasilbrunourbino
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilguiurey
 

Mais procurados (20)

[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
[c7s] Aula sobre Ditadura Militar
 
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITARANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
ANOS DE CHUMBO DITADURA MILITAR
 
Projeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano A
Projeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano AProjeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano A
Projeto Anos de Chumbo - Gabriella - 8º ano A
 
Ditadura militar disma
Ditadura militar dismaDitadura militar disma
Ditadura militar disma
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Exercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano EExercícios de Revisão 9°ano E
Exercícios de Revisão 9°ano E
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
 
Resumo e atividades sobre ditadura militar
Resumo e atividades sobre ditadura militarResumo e atividades sobre ditadura militar
Resumo e atividades sobre ditadura militar
 
A Ditadura Militar
A Ditadura MilitarA Ditadura Militar
A Ditadura Militar
 
Médici e a Ditadura Militar.
Médici e a Ditadura Militar.Médici e a Ditadura Militar.
Médici e a Ditadura Militar.
 
Aula ditadura militar
Aula ditadura militarAula ditadura militar
Aula ditadura militar
 
Ditadura militar
Ditadura militarDitadura militar
Ditadura militar
 
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
Ditadura Militar no Brasil (1964-1985)
 
Resumo presidentes ditadura e 3 jotas
Resumo presidentes ditadura e 3 jotasResumo presidentes ditadura e 3 jotas
Resumo presidentes ditadura e 3 jotas
 
Ditadura 1964
Ditadura 1964Ditadura 1964
Ditadura 1964
 
A Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No BrasilA Ditadura Militar No Brasil
A Ditadura Militar No Brasil
 
Regime militar
Regime militarRegime militar
Regime militar
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 
A Educação na Ditadura Militar
A Educação na Ditadura MilitarA Educação na Ditadura Militar
A Educação na Ditadura Militar
 
Ditadura militar no brasil
Ditadura militar no brasilDitadura militar no brasil
Ditadura militar no brasil
 

Semelhante a Oposição à ditadura portuguesa

Para enfrentar a ditadura
Para enfrentar a ditaduraPara enfrentar a ditadura
Para enfrentar a ditaduraPedro Dantas
 
A Descoberta Do 25 De Abril
A Descoberta Do 25 De AbrilA Descoberta Do 25 De Abril
A Descoberta Do 25 De Abriloalvarinho
 
A revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abrilA revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abrilAEDFL
 
Inconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de março
Inconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de marçoInconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de março
Inconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de marçoLucio Borges
 
25 de Abril de 1974
25 de Abril de 197425 de Abril de 1974
25 de Abril de 1974João Lima
 
Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262
Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262
Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262Lucio Borges
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilAdriana Gomes Messias
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilAdriana Gomes Messias
 
Revolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abrilRevolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abrilisabel_boia
 
Revolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abrilRevolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abrilisabel_boia
 
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXPrincipais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXElton Zanoni
 
Era Vargas - Estado Novo
Era Vargas - Estado NovoEra Vargas - Estado Novo
Era Vargas - Estado Novocecilianoclaro
 

Semelhante a Oposição à ditadura portuguesa (20)

Para enfrentar a ditadura
Para enfrentar a ditaduraPara enfrentar a ditadura
Para enfrentar a ditadura
 
A Descoberta Do 25 De Abril
A Descoberta Do 25 De AbrilA Descoberta Do 25 De Abril
A Descoberta Do 25 De Abril
 
Salazarismo
SalazarismoSalazarismo
Salazarismo
 
8 b grp08_trab1
8 b grp08_trab18 b grp08_trab1
8 b grp08_trab1
 
A RevoluçãO Dos Cravos
A RevoluçãO Dos CravosA RevoluçãO Dos Cravos
A RevoluçãO Dos Cravos
 
A revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abrilA revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abril
 
25 de abril
25 de abril25 de abril
25 de abril
 
Inconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de março
Inconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de marçoInconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de março
Inconfidência nº 249/Edição Histórica de 31 de março
 
25 de Abril de 1974
25 de Abril de 197425 de Abril de 1974
25 de Abril de 1974
 
ImplantaçãO RepúBlica
ImplantaçãO RepúBlicaImplantaçãO RepúBlica
ImplantaçãO RepúBlica
 
Prisões Políticas Do Estado Novo
Prisões Políticas Do Estado NovoPrisões Políticas Do Estado Novo
Prisões Políticas Do Estado Novo
 
Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262
Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262
Edição Histórica de 31 de março de 1964/nº 262
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
A crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasilA crise da república velha no brasil
A crise da república velha no brasil
 
Revolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abrilRevolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abril
 
Revolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abrilRevolução do 25 de abril
Revolução do 25 de abril
 
Trabalho 25 de abril 2
Trabalho 25 de abril   2 Trabalho 25 de abril   2
Trabalho 25 de abril 2
 
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XXPrincipais manifestações populares no Brasil - séc. XX
Principais manifestações populares no Brasil - séc. XX
 
Era Vargas - Estado Novo
Era Vargas - Estado NovoEra Vargas - Estado Novo
Era Vargas - Estado Novo
 
Cenas do Brasil
Cenas do BrasilCenas do Brasil
Cenas do Brasil
 

Último

Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxconcelhovdragons
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfEyshilaKelly1
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasRicardo Diniz campos
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfEditoraEnovus
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPanandatss1
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 

Último (20)

XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptxSlide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
Slide de exemplo sobre o Sítio do Pica Pau Amarelo.pptx
 
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdfGuia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
Guia completo da Previdênci a - Reforma .pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecasMesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
Mesoamérica.Astecas,inca,maias , olmecas
 
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdfSimulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
Simulado 1 Etapa - 2024 Proximo Passo.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Educação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SPEducação São Paulo centro de mídias da SP
Educação São Paulo centro de mídias da SP
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 

Oposição à ditadura portuguesa

  • 2. A 19 de Maio de 1954, em Baleizão, a GNR investiu sobre um grupo de camponesas que reivindicavam um aumento de salário. Do confronto resultou a morte com três tiros de Catarina Eufémia, com 26 anos, mãe de três filhos. Desde então este nome passou a ser símbolo da resistência e da luta contra a ditadura. Gravura de Dias Coelho
  • 3.
  • 4. Grande manifestação de apoio ao “General sem medo”, no Porto (Maio de 1958). Em Fevereiro de 1958, Humberto Delgado candidata-se à presidência da República. A sua campanha constituiu um sobressalto político para o regime.
  • 5. Multidão aguardando o General Humberto Delgado junto à Estação de S. Bento, no Porto, para o comício a realizar na cidade (14 de Maio de 1958).
  • 6. A multidão saiu à rua para aplaudir Humberto Delgado. Aqui uma imagem da praça junto à Igreja dos Congregados.
  • 7. Chegada triunfal de Humberto Delgado à Estação de Santa Apolónia (16 de Maio de 1958), após o gigantesco comício no Porto.
  • 8. Ao chegar a Lisboa, Humberto Delgado é intimado pela polícia a parar a sua marcha.
  • 9. Comício de Humberto Delgado em Chaves (22 de Maio de 1958).
  • 10. No dia 3 de Janeiro de 1960, evadem-se do forte de Peniche dez militantes comunistas, entre os quais Álvaro Cunhal. Contam com a colaboração de um militar da GNR.
  • 11. 1961 , ano de um forte abalo no regime fascista  21 de Janeiro - assalto ao paquete Santa Maria , baptizado de «Santa Liberdade» por Henrique Galvão  4 de Fevereiro - início da insurreição em Angola, começa a guerra colonial  De 11 a 13 de Abril - tentativa frustrada de golpe de estado liderada pelo general Botelho Moniz , ministro da Defesa  10 de Novembro – desvio de um avião da TAP para lançar panfletos sobre Lisboa e outros locais do país  12 de Novembro - antes e depois das eleições, realizam-se manifestações contra a farsa eleitoral . Em Almada, um manifestante é morto a tiro pela polícia.  18 de Dezembro - a União Indiana invade e integra no seu território os enclaves Goa, Damão e Diu.  19 de Dezembro - o artista plástico José Dias Coelho é detectado pela brigada da PIDE e assassinado a tiro na rua que hoje tem o seu nome.
  • 12. Exclusivo: A bordo do Santa Maria A fantástica aventura de Galvão e dos piratas da revolução. O " Santa Maria " largou de Lisboa a 9 de Janeiro de 1961 para uma viagem à América Central. Entre os passageiros embarcados, contava-se um grupo de 20 membros da DRIL - Direcção Revolucionária Ibérica de Libertação - organismo constituído por opositores aos regimes de Franco e Salazar, cujo comandante era o capitão Henrique Galvão, que embarcou clandestinamente no " Santa Maria " um dia depois, em Curaçau, com mais três elementos da DRIL.
  • 13. «O palácio flutuante (o Santa Maria) era o ‘primeiro pedaço da pátria libertada’» - disse o jornalista Dominique Lapierre, do Paris Match, em entrevista a Henrique Galvão. Santa Liberdade DRIL Direcção Revolucionária Ibérica de Libertação
  • 14. "Vou para onde me empurraram: para a revolta.” Henrique Galvão
  • 15. A 2 de Fevereiro, o "Santa Maria" fundeou no porto brasileiro do Recife, procedendo ao desembarque dos passageiros e tripulantes. Os rebeldes entregaram-se às autoridades brasileiras, obtendo asilo político, ao mesmo tempo que o " Santa Maria " voltava à posse da Companhia Colonial de Navegação.
  • 16. O " Santa Maria " largou do Recife a 7 de Fevereiro. Entrou no Tejo, embandeirado em arco, a 16, e atracou em Alcântara.
  • 17. A 4 de Fevereiro de 1961, elementos do MPLA tentam, em Luanda, assaltar a Casa de Reclusão Militar, o quartel da PSP e a delegação da Emissora Nacional. Durante esse dia e os seguintes, as forças militares e policiais massacraram mais de três mil civis “indígenas”. É o início da guerra colonial .
  • 18. Botelho Moniz , Ministro da Defesa de Salazar, em Abril de 1961, protagonizou um golpe de estado palaciano que, segundo alguns historiadores, contava com o apoio dos EUA interessados na mudança de orientação da política portuguesa, na linha de uma nova política anticolonialista do governo norte-americano. Esta tentativa golpista só falhou devido à demasiada ingenuidade e inabilidade dos seus protagonistas e à pronta intervenção de Salazar.  
  • 19. A 10 de Novembro de 1961 foi desviado um avião da TAP, da linha Lisboa-Casablanca. A “Operação Vagô”, dirigida por Hermínio da Palma Inácio, lançou panfletos sobre Lisboa e outras localidades, denunciando a “burla das eleições” legislativas que se realizariam a 12 de Novembro. Palma Inácio e o comandante do avião desviado, José Marcelino , 45 anos depois.
  • 20. Rasando a cidade de Lisboa, voando a cerca de 100 m de altitude, evitando assim os radares e os dois caças Sabre com ordem de interceptar e abater o avião, caso este não aterrasse em solo português (ordem que os pilotos dos caças não cumpriram), o avião segue sempre a baixa altitude passando pelo Barreiro, Setúbal, Beja e Faro, enquanto os companheiros de Palma Inácio, ajudados pelo Comissário e por duas Hospedeiras, enchiam os céus de Portugal com os 100 000 folhetos.
  • 21. Tropas indianas ocupam Goa. A 18 de Dezembro de 1961, a União Indiana invade e integra no seu território os enclaves Goa, Damão e Diu.
  • 22. Nesse dia, pelas oito horas da noite, cinco agentes da PIDE saltaram de um automóvel, perseguiram-no, cercaram-no, na então Rua da Creche, em Alcântara, e que hoje tem o seu nome, e dispararam dois tiros. José Dias Coelho foi assassinado a tiro, em 19 de Dezembro de 1961.
  • 23. A agência do Banco de Portugal na Figueira da Foz foi assaltada a 17 de Maio de 1967, no que foi uma das acções mais mediáticas da oposição à ditadura. O assalto, organizado pela LUAR e dirigido por Palma Inácio, destinava-se a financiar a organização. Os quatro assaltantes fugiram de automóvel para o aeródromo de Coimbra, onde se apoderaram de uma avioneta. No automóvel deixaram uma metralhadora e 4 pistolas de plástico.
  • 24. Crise académica – Coimbra, 1969. Coimbra viveu a segunda grande crise académica , com a qual muitos professores se mostraram solidários. O Ministro da Educação, José Hermano Saraiva seria substituído por Veiga Simão.
  • 25. Comício da Oposição Democrática, Aveiro, 1969. Sinal de alguma liberalização do regime marcelista, são permitidas reuniões de opositores, embora, muitas delas acabem com a intervenção das forças policiais.
  • 26. III Congresso da Oposição Democrática em Aveiro – 1973. Em Abril de 1973, o III Congresso da Oposição Democrática levou a Aveiro mais de três mil pessoas que transbordaram do Cineteatro Avenida. O governo de Marcelo Caetano enviou a polícia de choque para reprimir os opositores ao regime.
  • 27.  
  • 28. Comício da CDE (Comissão Democrática Eleitoral), em 1973. Estando os partidos políticos proibidos, restava aos cidadãos associarem-se em Comissões Eleitorais para concorrerem à Assembleia Nacional.
  • 29. A 19 de Abril de 1973, numa reunião da Acção Socialista Portuguesa (ASP), realizada perto de Bona, é fundado o Partido Socialista. Entre os fundadores encontram-se Mário Soares, Maria Barroso, Tito de Morais, Raul Rego, Rui Mateus, António Arnaut e Jorge Campinos. Partido Socialista – Abril de 1973
  • 30. O Patriarcado emite uma nota em que condena quer a «Vigília da Capela do Rato» quer a repressão policial que se lhe seguiu. Mais tarde o Patriarca demite o Padre Alberto Neto, responsável pela Capela do Rato. Um grupo de católicos iniciou, em 30 de Dezembro de 1973, uma vigília e uma greve de fome pela Paz. Uma força da polícia de choque, comandada pelo capitão Maltez Soares, entra na Capela do Rato prende setenta pessoas, entre as quais se contam destacadas figuras da oposição.
  • 31. Um forte aparato policial é montado no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, onde se realiza, a 29 de Março de 1974, o 1.º Encontro da Canção Portuguesa, durante o qual foram entregues os prémios atribuídos no ano anterior pela Imprensa. Participam no festival, entre outros, José Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, José Jorge Letria e José Carlos Ary dos Santos. A canção Grândola, de José Afonso, é entoada em coro pelo público que enchia o Coliseu e, no fim, milhares de pessoas gritam «abaixo a repressão!».
  • 32. Cantores de intervenção: Vitorino, Fausto, Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire, José Jorge Letria, José Barata Moura.
  • 33.