O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO

37.336 visualizações

Publicada em

Processo de urbanização no mundo, principais conceitos.

Publicada em: Educação
4 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37.336
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
496
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
892
Comentários
4
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O EspaçO Urbano E O Processo De UrbanizaçãO

  1. 1. O ESPAÇO URBANO E O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO
  2. 2. CONCEITOS <ul><li>URBANIZAÇÃO </li></ul><ul><li>CRESCIMENTO URBANO </li></ul><ul><li>RURBANIZAÇÃO </li></ul><ul><li>CONURBAÇÃO </li></ul><ul><li>MACROCEFALISMO URBANO </li></ul><ul><li>METRÓPOLE </li></ul><ul><li>MEGALÓPOLE </li></ul><ul><li>REGIÃO METROPOLITANA </li></ul><ul><li>REDE URBANA </li></ul><ul><li>HIERARQUIA URBANA </li></ul><ul><li>MEGACIDADE </li></ul><ul><li>CIDADE GLOBAL </li></ul><ul><li>CIDADE DUAL </li></ul><ul><li>GENTRIFICAÇÃO HIGIENIZAÇÃO SOCIAL </li></ul><ul><li>CIDADE FORMAL CIDADE INFORMAL </li></ul>
  3. 4. Human development report 2003. Nova York: PNUD/Oxford University Press, 2003 Taxas de urbanização (%) Países Industrializados Países recentemente industrializados País 1975 2001 2015 País 1975 2001 2015 Bélgica 94,9 97,4 98,0 Cingapura 100,0 100,0 100,0 Austrália 85,9 91,1 94,8 Argentina 80,7 88,3 90,2 Reino Unido 88,7 89,5 90,8 Coréia do Sul 48,0 82,4 88,2 Alemanha 81,2 87,7 89,9 Brasil 61,8 81,7 87,7 Japão 75,7 78,9 81,5 México 62,8 74,6 77,9 Estados Unidos 73,7 77,4 81,0 África do Sul 48,0 57,6 67,2 Itália 65,6 67,1 70,6 China 17,4 36,7 49,5 Portugal 27,7 65,6 77,5 Índia 21,3 27,9 32,2
  4. 5. Human development report 2003. Nova York: PNUD/Oxford University Press, 2003 Taxas de urbanização (%) – Países Não industrializados Pouco urbanizados Muito urbanizados País 1975 2001 2015 País 1975 2001 2015 Nigéria 23,4 44,8 55,5 Kuwait 83,8 96,1 96,9 Serra Leoa 21,4 37,3 46,7 Uruguai 83,1 92,1 94,4 Haiti 21,7 36,3 45,6 Líbano 67,0 90,0 92,6 Moçambique 8,7 33,2 48,2 Bahamas 73,4 88,8 91,5 Bangladesh 9,9 25,5 34,4 Líbia 60,9 87,9 90,3 Vietnã 18,8 24,5 31,6 Venezuela 75,8 87,2 90,0 Etiópia 9,5 15,9 22,0 Arábia Saudita 58,4 86,6 91,0 Nepal 5,0 12,2 17,9 Gabão 40,0 82,1 88,9 Ruanda 4,0 6,3 8,9 Peru 61,5 73,1 77,9
  5. 7. O “Novo Rural” brasileiro produz mudanças no modo de vida e uma nova organização sócio-espacial do homem do campo. Processo este chamado de “Rurbanização”.
  6. 8. CONURBAÇÃO ENCONTRO FÍSICO DE DUAS OU MAIS CIDADES
  7. 9. MACROCEFALISMO URBANO CRESCIMENTO DESORDENADO DA CIDADE
  8. 10. MACROCEFALIA URBANA United Nations. Department of Economic and Social Affairs. Urban Aglomerations 2003 Maior aglomeração urbana em países selecionados - 2003 Urbanização macrocéfala Urbanização descentralizada Cidade % sobre a população total % sobre a população urbana Cidade % sobre a população total % sobre a população urbana San Juan (Porto Rico) 60,1 32,2 Londres (Reino Unido) 12,9 14,4 Beirute (Líbano) 49,1 56,1 Madri (Espanha) 12,4 16,2 Cidade do Kuwait 48,5 50,4 São Paulo (Brasil) 10,0 12,0 Montevidéu (Uruguai) 39,3 42,4 Moscou (Rússia) 7,3 10,0 Santiago (Chile) 34,7 39,8 Amsterdã (Holanda) 7,1 10,8 Buenos Aires (Argentina) 34,0 37,7 Milão (Itália) 7,1 10,5 Arenas (Grécia) 29,3 48,2 Nova York (EUA) 6,2 7,7 Brazzaville (Congo) 29,0 54,2 Mumbai (Índia) 1,6 5,8
  9. 12. Nos barracos da cidade A população nos maiores centros urbanos do mundo - em milhões de habitantes 1980 Tóquio 21,9 Nova York 15,6 Cidade do México 13,9 São Paulo 12,5 Xangai 11,7 Osaka 10 Buenos Aires 9,9 Los Angeles 9,5 Calcutá 9 Pequim 9 1990 Tóquio 25,1 Nova York 16,1 Cidade do México 15,1 Xangai 13,3 São Paulo 12,5 Mumbai 12,2 Los Angeles 11,5 Buenos Aires 11,2 Osaka 11 Calcutá 10,9
  10. 13. 2000 Tóquio 26,4 Cidade do México 18,1 Mumbai 18,1 São Paulo 17,8 Nova York 16,6 Lagos 13,4 Los Angeles 13,1 Calcutá 12,9 Xangai 12,9 Buenos Aires 12,6 2010* Tóquio 26,4 Mumbai 23,6 Lagos 20,2 São Paulo 19,7 Cidade do México 18,8 Daka 18,4 Nova York 17,2 Karachi 16,6 Calcutá 15,6 Jacarta 15,3
  11. 14. <ul><li>METRÓPOLE </li></ul><ul><li>CIDADE QUE POLARIZA UMA GRANDE REGIÃO. </li></ul><ul><li>CONCENTRAÇÃO HUMANA E ECONÔMICA </li></ul><ul><li>FLUXO DE CARROS E PESSOAS CONFIGURANDO O MOVIMENTO PENDULAR </li></ul><ul><li>CENTRO HISTÓRICO – DEMONSTRA CRESCIMENTO URBANO </li></ul>
  12. 15. Região Metropolitana CONJUNTO DE MUNICÍPIOS, INTEGRADOS ENTRE SI, QUE BUSCAM SOLUÇÕES PARA PROBLEMAS (TRANSPORTES,SEGURAN-ÇA, SANEAMENTO BÁSICO, SAÚDE, ETC.) EM COMUM. Localização das Regiões Metropolitanas no Brasil Fonte: EMPLASA (2002)
  13. 18. SANSAN CHIPITTS BOSWAS AS MEGALÓPOLES DOS ESTADOS UNIDOS
  14. 24. <ul><li>Classificação das cidades </li></ul><ul><li>1- Quanto à origem </li></ul><ul><li>Espontânea </li></ul><ul><li>Planejada </li></ul><ul><li>2- Quanto ao sítio urbano </li></ul><ul><li>Planície </li></ul><ul><li>Planalto </li></ul><ul><li>Acrópole </li></ul><ul><li>Montanha </li></ul>
  15. 25. <ul><li>Classificação das cidades </li></ul><ul><li>3- Quanto à função urbana </li></ul><ul><li>Turística </li></ul><ul><li>Comercial </li></ul><ul><li>Político-administrativa </li></ul><ul><li>Industrial </li></ul><ul><li>Religiosa </li></ul><ul><li>Tecnológica </li></ul><ul><li>Militar </li></ul>
  16. 26. Classificação das cidades 4- Quanto à HIERARQUIA URBANA
  17. 28. <ul><li>Algumas características básicas de cidades globais são: </li></ul><ul><li>Influência e ativa participação em eventos internacionais. Por exemplo, a cidade de Nova Iorque sedia a ONU, e Bruxelas sedia a sede da OTAN. </li></ul><ul><li>Uma grande população, onde a cidade global é centro de uma área metropolitana de pelo menos um milhão de habitantes, muitas vezes, tendo vários milhões de habitantes. </li></ul><ul><li>Um aeroporto internacional de grande porte, que serve como base para várias linhas aéreas internacionais. </li></ul>CIDADES GLOBAIS
  18. 29. <ul><li>Um sistema avançado e eficiente de transportes. Isto inclui vias expressas, auto-estradas e sistemas de transporte público. </li></ul><ul><li>Sedes de grandes companhias, como conglomerados e multinacionais. </li></ul><ul><li>Uma bolsa de valores, que possua influência na economia mundial. </li></ul><ul><li>Presença de redes multinacionais e instituições financeiras de grande porte. </li></ul><ul><li>Infra-estrutura avançada de comunicações. </li></ul><ul><li>Presença de grandes instituições de artes como museus. Multiculturalismo </li></ul>
  19. 35. GENTRIFICAÇÃO Operação Limpa no bairro da Luz, Rua Amaral Gurgel: moradores de rua buscam outro lugar para dormir | 2005
  20. 36. A CIDADE DUAL Favela de Paraisópolis, em São Paulo. Esta é uma das conseqüências da rápida urbanização em países subdesenvolvidos.
  21. 37. A cidade dual: os dois lados da cidade
  22. 39. PROBLEMAS AMBIENTAIS URBANOS
  23. 40. QUESTÕES OBJETIVAS DO ENEM <ul><li>1. (Enem) Um dos grandes problemas das regiões urbanas é o acúmulo de lixo sólido e sua disposição. Há vários processos para a disposição do lixo, dentre eles o aterro sanitário, o depósito a céu aberto e a incineração. Cada um deles apresenta vantagens e desvantagens. Considere as seguintes vantagens de métodos de disposição do lixo: </li></ul><ul><li>I – Diminuição do contato humano direto com o lixo; </li></ul><ul><li>II – Produção de adubo para agricultura; </li></ul><ul><li>III – Baixo custo operacional do processo; </li></ul><ul><li>IV – Redução do volume de lixo. </li></ul><ul><li>A relação correta entre cada um dos processos para a disposição do lixo e as vantagens apontadas é: </li></ul><ul><li>Aterro sanitário Depósito a céu aberto Incineração </li></ul><ul><li>a) I II I </li></ul><ul><li>b) I III IV </li></ul><ul><li>c) II IV I </li></ul><ul><li>d) II I IV </li></ul><ul><li>e) III II I </li></ul>
  24. 41. (Enem) Encontram-se descritas a seguir algumas das características das águas que servem três diferentes regiões. Região I – Qualidade da água pouco comprometida por cargas poluidoras, casos isolados de mananciais comprometidos por lançamento de esgotos; assoreamento de alguns mananciais. Região II – Qualidade comprometida por cargas poluidoras urbanas e industriais; área sujeita a inundações; exportação de carga poluidora para outras unidades hidrográficas. Região III – Qualidade comprometida por cargas poluidoras domésticas e industriais e por lançamento de esgotos; problemas isolados de inundação; uso da água para irrigação. De acordo com essas características, pode-se concluir que: a) a região I é de alta densidade populacional, com pouca ou nenhuma estação de tratamento de esgoto. b) na região I ocorrem tanto atividades agrícolas como industriais, com práticas agrícolas que estão evitando a erosão do solo. c) a região II tem predominância de atividade agrícola, muitas pastagens e parque industrial inexpressivo. d) na região III ocorrem tanto atividades agrícolas como industriais, com pouca ou nenhuma estação de tratamento de esgotos. e) a região III é de intensa concentração industrial e urbana, com solo impermeabilizado e com amplo tratamento de esgotos.
  25. 42. <ul><li>(Enem) Em um debate sobre o futuro do setor de transporte de uma grande cidade brasileira com trânsito intenso, foi apresentado um conjunto de propostas. Entre as propostas reproduzidas abaixo, aquela que atende, ao mesmo tempo, a implicações sociais e ambientais presentes nesse setor é a de: </li></ul><ul><li>a) proibir o uso de combustíveis produzidos com recursos naturais. </li></ul><ul><li>b) promover a substituição de veículos a diesel por veículos a gasolina. </li></ul><ul><li>c) incentivar a substituição do transporte individual por transportes coletivos. </li></ul><ul><li>d) aumentar a importação de diesel para substituir os veículos a álcool. </li></ul><ul><li>e) diminuir o uso de combustíveis voláteis devido ao perigo que representam. </li></ul>
  26. 43. <ul><li>(Enem) Dados do Censo Brasileiro 2000 mostram que, na última década, o número de favelas tem crescido consideravelmente, com significativa alteração na sua distribuição pelas regiões do país. Considerando a dinâmica migratória do período, pode-se afirmar que esse processo está relacionado: </li></ul><ul><li>a) ao declínio acentuado da industrialização no Sudeste, que deslocou grandes parcelas da população urbana para outras regiões do país. </li></ul><ul><li>b) à ampliação do número de zonas francas de comércio em grandes metrópoles, o que atraiu a população rural para essas áreas. </li></ul><ul><li>c) ao deslocamento das correntes migratórias rurais para os cinturões verdes criados em torno dos centros urbanos. </li></ul><ul><li>d) à instalação, na região Nordeste, de inúmeras empresas de alta tecnologia, atraindo de volta a população que migrara para o Sudeste. </li></ul><ul><li>e) à mudança no destino das correntes migratórias, que passaram a buscar as cidades de médio e grande portes, além de São Paulo e Rio de Janeiro. </li></ul>
  27. 44. Vestibulares <ul><li>(Fuvest-SP) No Brasil, as regiões metropolitanas caracterizam-se por: </li></ul><ul><li>a) concentração de migrantes. A classificação como metrópole regional ou nacional depende da concentração de organismos públicos federais. </li></ul><ul><li>b) concentração populacional em torno de um município. A classificação como metrópole regional ou nacional depende da proporção de imigrantes regionais ou nacionais no conjunto de sua população. </li></ul><ul><li>c) processo de desconcentração industrial. A importância regional ou nacional de sua indústria é que permite classificar uma região como metrópole regional ou nacional. </li></ul><ul><li>d) conurbação de várias cidades em torno de uma cidade central. A definição dessa cidade como metrópole regional ou nacional depende do alcance territorial de suas atividades econômicas. </li></ul><ul><li>e) processo de concentração populacional em torno de um município. A classificação como metrópole regional ou nacional depende de sua influência no desenvolvimento industrial regional ou nacional. </li></ul>
  28. 45. <ul><li>(UFSM-RS) “O capitalismo pode não ter inventado a cidade, mas indiscutivelmente inventou a cidade grande. Criou, particularmente, a metrópole e a megalópole.” (SENE, E. de; MOREIRA, J. C. Geografia geral e do Brasil: espaço geográfico e globalização. São Paulo: Scipione, 1998. p. 308.) </li></ul><ul><li>A megalópole é um fenômeno urbano, decorrente da: </li></ul><ul><li>a) conurbação de bairros e centro da cidade, que ocorre nas faixas litorâneas dos países capitalistas desenvolvidos. </li></ul><ul><li>b) conurbação de dois ou mais bairros, que se dá na fase mais avançada do capitalismo financeiro. </li></ul><ul><li>c) conurbação de duas ou mais metrópoles, típica do capitalismo financeiro e monopolista. </li></ul><ul><li>d) macrocefalia, o que é característico das grandes cidades nos países subdesenvolvidos capitalistas. </li></ul><ul><li>e) aglomeração urbana, verificada no início do capitalismo industrial. </li></ul>
  29. 46. <ul><li>(Fuvest-SP) No Brasil, os temas “crescimento populacional” e “exclusão social” aparecem, muitas vezes, vinculados às discussões sobre crescimento urbano. Considerando as associações mencionadas, assinale a alternativa correta. </li></ul><ul><li>a) As altas taxas de crescimento populacional, decorrentes da industrialização, produzem a exclusão social nas grandes cidades. </li></ul><ul><li>b) As altas taxas de crescimento vegetativo nas grandes cidades produzem crise da habitação, sendo responsáveis pela existência dos “sem-teto”. </li></ul><ul><li>c) O alto índice de crescimento demográfico e os baixos investimentos privados em infra-estrutura urbana geram uma população socialmente excluída. </li></ul><ul><li>d) A macrocefalia urbana, decorrente da superpopulação e da ampliação da megalópole, gera uma população socialmente excluída. </li></ul><ul><li>e) As altas taxas de crescimento populacional nas grandes cidades e a má distribuição de renda conduzem à exclusão social. </li></ul>
  30. 47. <ul><li>(Unifesp) A urbanização brasileira, que se acelerou na segunda metade do século X, permitiu o aparecimento de: </li></ul><ul><li>a) megalópoles em regiões onde ocorre concentração industrial, como São Paulo, Campinas e Fortaleza. </li></ul><ul><li>b) cadeias produtivas interligadas por ferrovias, nas quais as metrópoles eram o destino final da produção industrial. </li></ul><ul><li>c) metrópoles resultantes da ocupação litorânea no Nordeste, que mantêm a influência em escala nacional. </li></ul><ul><li>d) conurbação entre centros importantes como Brasília e Goiânia, constituindo uma megacidade. </li></ul><ul><li>e) metrópoles nacionais, como Rio de Janeiro, metrópoles </li></ul><ul><li>regionais, como Belém e centros regionais. </li></ul>
  31. 48. A recente urbanização brasileira tem características parcialmente representadas nas situações I e II dos esquemas acima. Considerando essas situações, é correto afirmar que, entre outros processos, a) I representa a involução urbana de uma metrópole regional. b) I representa a perda demográfica relativa da cidade central de uma Região Metropolitana. c) II representa o desmembramento territorial e criação de novos municípios. d) II representa a formação de uma região metropolitana, a partir do fenômeno da conurbação. e) II representa a fusão político-administrativa de municípios vizinhos.

×