SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
EAE – 68 – VICIOS E DEFEITOS – Roteiro da aula
Objetivo: Conceituação de vícios e defeitos.
Possibilitar ao aluno se autoanalisar.
Definições de vício e defeito. Os
principais vícios: como eliminá-los, e os
principais defeitos: como controlá-los.
Conceito:
O ser em suas vivências tem em seus
registros vícios, que hoje lhe parece
distante, porém o conceito que formulou,
pode tornar-se barreira impeditiva para
continuar a caminhada de aprendizado,
entender então que “com a mesma
medida que julgardes será julgado”. Os
defeitos podem ser refeitos, podemos
escolher e reconstruir o que conhecemos
por isso “conheças a verdade, e ela te
libertará.”
Pedir para trazerem a caderneta pessoal para a aula.
1. “Que tipo de pessoa sou EU ?”
Iniciar a aula passando o questionário sobre:
Quero que você se situe onde você esta
consigo mesmo. Vamos apenas pensar nisso
por 5 min.
Depois você pode colar esse papel na sua
caderneta para referencia futura.
2. Avaliação do questionário:
Você pode se “ver melhor” como esta agora?
Vou colocar no quadro uma frase, de
SÓCRATES, para reflexão:
“pessoas vulgares, falam sobre pessoas,
pessoas comuns falam sobre coisas,
pessoas nobre falam sobre idéias.”
Vamos rever agora o que você escreveu sobre
você mesmo:
Suas preferências, conversas, novelas,
fofocas, noticias sensacionalistas,
paixões, desejos, atrações...
3. Avaliação de nossa situação espiritual atual:
Você pode ver que pode existir uma
fotografia espiritual de como nós somos?
Podemos começar a prestar atenção a:
ambientes que freqüentamos;
as pessoas que temos afinidades;
as conversas e desejos que temos...
4. Como fazer para sermos roubados?
É só deixar de prestar atenção, não vigiar, os
seus bens. Certo?
5. E como fazer para sermos obsediados?
Idem. Só a invigilância já basta.
Invigilância: modo de viver descuidado,
desatento, de não prestarmos atenção ao que
pensamos, ao que desejamos, ao que fazemos.
É permitir que qualquer desejo, pensamento
ou atitude se manifeste sem exame crítico.
Podemos permitir que a obsessão se
manifeste sempre que permitirmos que os
hábitos listados se manifestem (ver item 1-16
da apostila pag.: 242)
6. O fazer para não sermos roubados?
Orar & Vigiar.
A oração nos liga com os do alto.
A vigilância nos protege dos de baixo.
Ver as recomendações da apostila (1 a 7)
7. Qual o Potencial Energético disponível?
Tudo no universo, para funcionar, precisa de
energia.
No Ser Humano, a energia disponível, chama-
se “emoção”.
Emoção é baseada do latim emovere, termo
relacionado a motivação é assim derivado de
movere. É portanto um móvel de ação.
As pessoas freqüentemente se comportam de
certo modo como um resultado direto de seus
estados emocionais, como chorando, lutando
ou fugindo.
Ex: a carruagem.
Instinto: impulso de curiosidade ou de
desejo.
Paixão: quando exagerada não é mais
uma necessidade natural, é como a água
desgovernada.
8. Vícios & Defeitos:
Vício: é um hábito adquirido por imitação
ou omissão.
Defeito Moral: é resquício, sobra, da
animalidade.
Vício é fácil de mudar: mudança de hábito
Defeito Moral é difícil e trabalhoso de mudar.
9. Quais os vícios que conhecemos?
Fumo, álcool, jogo, gula, sensualidade,
entorpecentes...
10. Quais os defeitos que conhecemos?
Ver tabela
Orgulho & Egoísmo
Para os animais: são virtudes
Para os hominais: são defeitos morais.
E a maledicência, o que é?
Vicio – se for convivência,
EAE – 68 – VICIOS E DEFEITOS – Roteiro da aula
Defeito – se for superioridade.
O vício pode se transformar num defeito
moral pela repetição, ou seja, pela ordem
dada ao subconsciente.
11. Como funciona o subconsciente:
O subconsciente automatiza funções.
Podemos instalar “alarmes” que nos avisam
sobre as “tentações”
Exemplo: cozinhar rã (água morna....)
Exemplo: a neuro-lingüística (gula).
12. Virtudes
Quais as virtudes que conhecemos:
(ver listagem)
Qual a mais meritória:
Desinteresse pessoal.
Porque uns as tem espontaneamente?
Pq já as elaboraram no passado.
Porque para outros tem que ser forçada e não
são autenticas?
Pq tem tudo por fazer ainda...
O que na Terra é exceção, em planos
superiores são regras gerais, comuns.
13. Qual a maior imperfeição moral?
O interesse pessoal
O apego é o que mais caracteriza esse estado
espiritual de inferioridade.
14. Auto-educação:
Qual a diferença entre instruir e educar?
Instrução: é uma receita, uma
fórmula.
Educação: é um conteúdo de vivencia
moral.
Contar a estória de um grego que mostrou aos
alunos como os cães adestrados diferem dos
cães educados.
Não temos consciência desse código
moral, pois o estamos estudando,
experimentando ainda, para adquiri-lo.
Por isso não sabemos como agir com
propriedade e utilidade.
Existem pessoas mais flexíveis ao
aprendizado (já se reconhecem
imperfeitas) e outras mais rígidas
(fechadas ao aprendizado).
A constatação dos vícios e defeitos morais
e a elaboração de um plano de renovação
interior chamam-se de Reforma Intima.
15. Condições necessárias:
Para se auto-educar, temos que:
Conhecermo-nos a nós próprios;
Conhecermos nosso destino;
Esclarecermo-nos.
16. Dicas importantes:
Ter persistência e não desanimar
frente as constatações.
Vai existir conflito moral entre o que
somos e o que gostaríamos de ser
Devemos enfrentar a si próprio e não
ao próximo
Lutar para expulsar os velhos hábitos
e defeitos do campo mental (não os
alimentar mais);
Ter uma nova maneira de viver (de
agir, de sentir e de pensar)
17. Qual o caminho a seguir?
Evangelho – roteiro de conduta e
esclarecimento para os homens criar seu
próprio senso moral.
18. O que vem a ser senso moral?
É um sentido, semelhante aos 5 sentidos
físicos que temos e que foram adquiridos por
árdua repetição que custou-nos muitas vidas.
ERROR: undefined
OFFENDING COMMAND:
STACK:

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503Daniel de Melo
 
Eae 49 - evol hom anim a esp - apresentação
Eae   49 - evol hom anim a esp - apresentaçãoEae   49 - evol hom anim a esp - apresentação
Eae 49 - evol hom anim a esp - apresentaçãoNorberto Scavone Augusto
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasFlávio Darin Buongermino
 
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do EvangelhoO que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do EvangelhoE.A.E
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça PatiSousa1
 
A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4
A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4
A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4Daniel de Melo
 
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. PatiSousa1
 
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de EspiritismoAula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismoliliancostadias
 
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASAULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASDaniel de Melo
 
Minuto de aliança
Minuto de aliançaMinuto de aliança
Minuto de aliançaVivianleite
 
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMAAULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMADaniel de Melo
 
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329Daniel de Melo
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasPatiSousa1
 
Eae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritual
Eae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritualEae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritual
Eae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritualNorberto Scavone Augusto
 
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralCurso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralRoseli Lemes
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14Roseli Lemes
 

Mais procurados (20)

Aula 1 inaugural - 18ª Turma
Aula 1   inaugural - 18ª Turma Aula 1   inaugural - 18ª Turma
Aula 1 inaugural - 18ª Turma
 
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
A036 EAE DM - O SERMÃO DO MONTE 20170503
 
Eae 49 - evol hom anim a esp - apresentação
Eae   49 - evol hom anim a esp - apresentaçãoEae   49 - evol hom anim a esp - apresentação
Eae 49 - evol hom anim a esp - apresentação
 
Eae 1 aula inaugural rev01
Eae 1   aula inaugural rev01Eae 1   aula inaugural rev01
Eae 1 aula inaugural rev01
 
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de TemasAula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
Aula 13 - EAE - Implantação do Caderno de Temas
 
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do EvangelhoO que é escola de Aprendizes do Evangelho
O que é escola de Aprendizes do Evangelho
 
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
Eae 87 A Lei do Trabalho / A Lei da Justiça
 
A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4
A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4
A034 EAE DM - CONSAGRAÇÃO E EXCURSÕES AO ESTRANGEIRO 20190628v4
 
EAE 2 a criação
EAE 2 a criaçãoEAE 2 a criação
EAE 2 a criação
 
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV. Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
Eae 53 Interpretação do sermão do monte IV.
 
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de EspiritismoAula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
Aula 15_Lei de Causa e Efeito_Curso Básico de Espiritismo
 
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMASAULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
AULA 082 EAE DM - ESTUDO DOS SERES E DAS FORMAS
 
Minuto de aliança
Minuto de aliançaMinuto de aliança
Minuto de aliança
 
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMAAULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
AULA 008 EAE DM - INTRODUÇÃO AO PROCESSO DE REFORMA ÍNTIMA
 
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
A009 EAE DM - DECÁLOGO, REGRESSO A CANAÃ E MORTE DE MOISÉS 20170329
 
Eae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das EpístolasEae 67 Continuação das Epístolas
Eae 67 Continuação das Epístolas
 
Eae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritual
Eae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritualEae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritual
Eae 49 - evolução do homem animal para o homem espiritual
 
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inauguralCurso Básico de Espiritismo aula inaugural
Curso Básico de Espiritismo aula inaugural
 
curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14curso básico de espiritismo 14
curso básico de espiritismo 14
 
Eae 3 - o nosso planeta rev 03
Eae   3 - o nosso planeta rev 03Eae   3 - o nosso planeta rev 03
Eae 3 - o nosso planeta rev 03
 

Semelhante a Como eliminar vícios e controlar defeitos

ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...
ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...
ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...Roberto Angelelli
 
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...Smar Brasil
 
7 passos para o autoconhecimento
7 passos para o autoconhecimento7 passos para o autoconhecimento
7 passos para o autoconhecimentoCelia Niza
 
Conhecimento de si mesmo
Conhecimento de si mesmoConhecimento de si mesmo
Conhecimento de si mesmoHelio Cruz
 
Psicologia Positiva Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva   Forças e Virtudes Pessoais Psicologia Positiva   Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva Forças e Virtudes Pessoais Fábio Munhoz
 
Psicologia Positiva - Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva  - Forças e Virtudes Pessoais Psicologia Positiva  - Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva - Forças e Virtudes Pessoais Fábio Munhoz
 
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -faiPALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -faiEdson Salgado Ávella
 
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptxPPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptxMatildePaulo1
 
Primeira Parte Introdução Orientação
Primeira Parte   Introdução   OrientaçãoPrimeira Parte   Introdução   Orientação
Primeira Parte Introdução Orientaçãojmeirelles
 
Instituto Espírita de Educação - Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mim
Instituto Espírita de Educação -  Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mimInstituto Espírita de Educação -  Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mim
Instituto Espírita de Educação - Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mimInstituto Espírita de Educação
 
9 passos para aprender a se amar
9 passos para aprender a se amar9 passos para aprender a se amar
9 passos para aprender a se amarOgum
 
Os 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do AutoconhecimentoOs 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do AutoconhecimentoDaniel Santos
 

Semelhante a Como eliminar vícios e controlar defeitos (20)

ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...
ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...
ParaLiderança Vol I - Liderança de Si Mesmo, inclui as Provocações e Práticas...
 
AS 13 REGRAS DO BEM VIVER.
AS 13 REGRAS DO BEM VIVER.AS 13 REGRAS DO BEM VIVER.
AS 13 REGRAS DO BEM VIVER.
 
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
Relações Familiares, o Papel das Emoções (Vanderlei Miranda) - Cidadão do Fut...
 
7 passos para o autoconhecimento
7 passos para o autoconhecimento7 passos para o autoconhecimento
7 passos para o autoconhecimento
 
Onde Nascem Os Pensamentos
Onde Nascem Os PensamentosOnde Nascem Os Pensamentos
Onde Nascem Os Pensamentos
 
Autoconhecimento
AutoconhecimentoAutoconhecimento
Autoconhecimento
 
Conhecimento de si mesmo
Conhecimento de si mesmoConhecimento de si mesmo
Conhecimento de si mesmo
 
Psicologia Positiva Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva   Forças e Virtudes Pessoais Psicologia Positiva   Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva Forças e Virtudes Pessoais
 
Psicologia Positiva - Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva  - Forças e Virtudes Pessoais Psicologia Positiva  - Forças e Virtudes Pessoais
Psicologia Positiva - Forças e Virtudes Pessoais
 
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -faiPALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
PALESTRA : A energia transformadora do autoconhecimento e da auto estima -fai
 
Documento de ma (4)
Documento de ma (4)Documento de ma (4)
Documento de ma (4)
 
SERÁ QUE NOS CONHECEMOS?
SERÁ QUE NOS CONHECEMOS?SERÁ QUE NOS CONHECEMOS?
SERÁ QUE NOS CONHECEMOS?
 
Reforma íntima
Reforma íntimaReforma íntima
Reforma íntima
 
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptxPPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
PPT - 200822MULHER AGUIA2.0.pptx
 
Primeira Parte Introdução Orientação
Primeira Parte   Introdução   OrientaçãoPrimeira Parte   Introdução   Orientação
Primeira Parte Introdução Orientação
 
Os 7 hábitos
Os 7 hábitosOs 7 hábitos
Os 7 hábitos
 
Instituto Espírita de Educação - Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mim
Instituto Espírita de Educação -  Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mimInstituto Espírita de Educação -  Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mim
Instituto Espírita de Educação - Auto-estima - Posso ou não posso pensar em mim
 
9 passos para aprender a se amar
9 passos para aprender a se amar9 passos para aprender a se amar
9 passos para aprender a se amar
 
Os 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do AutoconhecimentoOs 7 passos do Autoconhecimento
Os 7 passos do Autoconhecimento
 
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMAResumo CURSO REFORMA INTIMA
Resumo CURSO REFORMA INTIMA
 

Mais de Norberto Scavone Augusto

A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteA nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteNorberto Scavone Augusto
 
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016Norberto Scavone Augusto
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Norberto Scavone Augusto
 
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Eae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didaticoEae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didatico
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didaticoNorberto Scavone Augusto
 

Mais de Norberto Scavone Augusto (20)

Apostila psv
Apostila psvApostila psv
Apostila psv
 
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoesEae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
Eae 24 - vicios e defeitos - manipulacoes
 
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parteA nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
A nova era - ramatis - dores e sofrimentos - 1a. parte
 
12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo12o. A missão do espiritismo
12o. A missão do espiritismo
 
Os mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumiOs mestres ramatís e kuthumi
Os mestres ramatís e kuthumi
 
Reencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modestoReencarnação & maria modesto
Reencarnação & maria modesto
 
Reforma intima real
Reforma intima realReforma intima real
Reforma intima real
 
O dever
O deverO dever
O dever
 
Ref anjos decaidos
Ref   anjos decaidosRef   anjos decaidos
Ref anjos decaidos
 
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a  - 12 de maio 2016
PEREGRINOS NOVA ERA - Reunião 46a - 12 de maio 2016
 
Há muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distanteHá muito tempo numa galáxia distante
Há muito tempo numa galáxia distante
 
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
Emmanuel fala de ramatis em 5 de janeiro de 1954
 
Relatos parte1final
Relatos parte1finalRelatos parte1final
Relatos parte1final
 
Reunião 34ª 18-02-2016
Reunião 34ª   18-02-2016Reunião 34ª   18-02-2016
Reunião 34ª 18-02-2016
 
Reunião 33ª 11-02-2016
Reunião 33ª   11-02-2016Reunião 33ª   11-02-2016
Reunião 33ª 11-02-2016
 
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
Eae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didaticoEae  74   ciencia e religião   rev 02   mat didatico
Eae 74 ciencia e religião rev 02 mat didatico
 
Hipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besantHipacia a annie_besant
Hipacia a annie_besant
 
Mensagem de jesus história de um anjo
Mensagem de jesus  história de um anjoMensagem de jesus  história de um anjo
Mensagem de jesus história de um anjo
 
Reunião 31ª 28-01-2016
Reunião 31ª   28-01-2016Reunião 31ª   28-01-2016
Reunião 31ª 28-01-2016
 
Reunião 29ª 14-01-2016
Reunião 29ª   14-01-2016Reunião 29ª   14-01-2016
Reunião 29ª 14-01-2016
 

Último

Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...silvana30986
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxCelso Napoleon
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José OperárioNilson Almeida
 
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptxhenrygabrielsilvarib
 
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JAhenrygabrielsilvarib
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoRicardo Azevedo
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EMicheleRosa39
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaWillemarSousa1
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxSebastioFerreira34
 

Último (10)

Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus:  Verdadeira Pureza , ...
Bem aventurados os puros de coração, pois verão a Deus: Verdadeira Pureza , ...
 
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.pptFluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
Fluido Cósmico Universal e Perispírito.ppt
 
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptxLição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
Lição 3 - O céu - o Destino do Cristão.pptx
 
10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário10 Orações Para Honrar São José Operário
10 Orações Para Honrar São José Operário
 
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
2024 - PPT_Sermֶo 01 - Quartas de Poder - PT.pptx
 
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
07 - SINAIS DA VOLTA DE JESUS.ppt.IASD>JA
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pãoSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 129 - Ao partir do pão
 
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 EGÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
GÊNESIS A-2.pptx ESTUDO INTEGRADO DE CAPITULO 1 E
 
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semanaLIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
LIÇÕES - PG my life usar uma vez por semana
 
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptxGestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
Gestos e Posturas na Santa Missa_20240414_055304_0000.pptx
 

Como eliminar vícios e controlar defeitos

  • 1. EAE – 68 – VICIOS E DEFEITOS – Roteiro da aula Objetivo: Conceituação de vícios e defeitos. Possibilitar ao aluno se autoanalisar. Definições de vício e defeito. Os principais vícios: como eliminá-los, e os principais defeitos: como controlá-los. Conceito: O ser em suas vivências tem em seus registros vícios, que hoje lhe parece distante, porém o conceito que formulou, pode tornar-se barreira impeditiva para continuar a caminhada de aprendizado, entender então que “com a mesma medida que julgardes será julgado”. Os defeitos podem ser refeitos, podemos escolher e reconstruir o que conhecemos por isso “conheças a verdade, e ela te libertará.” Pedir para trazerem a caderneta pessoal para a aula. 1. “Que tipo de pessoa sou EU ?” Iniciar a aula passando o questionário sobre: Quero que você se situe onde você esta consigo mesmo. Vamos apenas pensar nisso por 5 min. Depois você pode colar esse papel na sua caderneta para referencia futura. 2. Avaliação do questionário: Você pode se “ver melhor” como esta agora? Vou colocar no quadro uma frase, de SÓCRATES, para reflexão: “pessoas vulgares, falam sobre pessoas, pessoas comuns falam sobre coisas, pessoas nobre falam sobre idéias.” Vamos rever agora o que você escreveu sobre você mesmo: Suas preferências, conversas, novelas, fofocas, noticias sensacionalistas, paixões, desejos, atrações... 3. Avaliação de nossa situação espiritual atual: Você pode ver que pode existir uma fotografia espiritual de como nós somos? Podemos começar a prestar atenção a: ambientes que freqüentamos; as pessoas que temos afinidades; as conversas e desejos que temos... 4. Como fazer para sermos roubados? É só deixar de prestar atenção, não vigiar, os seus bens. Certo? 5. E como fazer para sermos obsediados? Idem. Só a invigilância já basta. Invigilância: modo de viver descuidado, desatento, de não prestarmos atenção ao que pensamos, ao que desejamos, ao que fazemos. É permitir que qualquer desejo, pensamento ou atitude se manifeste sem exame crítico. Podemos permitir que a obsessão se manifeste sempre que permitirmos que os hábitos listados se manifestem (ver item 1-16 da apostila pag.: 242) 6. O fazer para não sermos roubados? Orar & Vigiar. A oração nos liga com os do alto. A vigilância nos protege dos de baixo. Ver as recomendações da apostila (1 a 7) 7. Qual o Potencial Energético disponível? Tudo no universo, para funcionar, precisa de energia. No Ser Humano, a energia disponível, chama- se “emoção”. Emoção é baseada do latim emovere, termo relacionado a motivação é assim derivado de movere. É portanto um móvel de ação. As pessoas freqüentemente se comportam de certo modo como um resultado direto de seus estados emocionais, como chorando, lutando ou fugindo. Ex: a carruagem. Instinto: impulso de curiosidade ou de desejo. Paixão: quando exagerada não é mais uma necessidade natural, é como a água desgovernada. 8. Vícios & Defeitos: Vício: é um hábito adquirido por imitação ou omissão. Defeito Moral: é resquício, sobra, da animalidade. Vício é fácil de mudar: mudança de hábito Defeito Moral é difícil e trabalhoso de mudar. 9. Quais os vícios que conhecemos? Fumo, álcool, jogo, gula, sensualidade, entorpecentes... 10. Quais os defeitos que conhecemos? Ver tabela Orgulho & Egoísmo Para os animais: são virtudes Para os hominais: são defeitos morais. E a maledicência, o que é? Vicio – se for convivência,
  • 2. EAE – 68 – VICIOS E DEFEITOS – Roteiro da aula Defeito – se for superioridade. O vício pode se transformar num defeito moral pela repetição, ou seja, pela ordem dada ao subconsciente. 11. Como funciona o subconsciente: O subconsciente automatiza funções. Podemos instalar “alarmes” que nos avisam sobre as “tentações” Exemplo: cozinhar rã (água morna....) Exemplo: a neuro-lingüística (gula). 12. Virtudes Quais as virtudes que conhecemos: (ver listagem) Qual a mais meritória: Desinteresse pessoal. Porque uns as tem espontaneamente? Pq já as elaboraram no passado. Porque para outros tem que ser forçada e não são autenticas? Pq tem tudo por fazer ainda... O que na Terra é exceção, em planos superiores são regras gerais, comuns. 13. Qual a maior imperfeição moral? O interesse pessoal O apego é o que mais caracteriza esse estado espiritual de inferioridade. 14. Auto-educação: Qual a diferença entre instruir e educar? Instrução: é uma receita, uma fórmula. Educação: é um conteúdo de vivencia moral. Contar a estória de um grego que mostrou aos alunos como os cães adestrados diferem dos cães educados. Não temos consciência desse código moral, pois o estamos estudando, experimentando ainda, para adquiri-lo. Por isso não sabemos como agir com propriedade e utilidade. Existem pessoas mais flexíveis ao aprendizado (já se reconhecem imperfeitas) e outras mais rígidas (fechadas ao aprendizado). A constatação dos vícios e defeitos morais e a elaboração de um plano de renovação interior chamam-se de Reforma Intima. 15. Condições necessárias: Para se auto-educar, temos que: Conhecermo-nos a nós próprios; Conhecermos nosso destino; Esclarecermo-nos. 16. Dicas importantes: Ter persistência e não desanimar frente as constatações. Vai existir conflito moral entre o que somos e o que gostaríamos de ser Devemos enfrentar a si próprio e não ao próximo Lutar para expulsar os velhos hábitos e defeitos do campo mental (não os alimentar mais); Ter uma nova maneira de viver (de agir, de sentir e de pensar) 17. Qual o caminho a seguir? Evangelho – roteiro de conduta e esclarecimento para os homens criar seu próprio senso moral. 18. O que vem a ser senso moral? É um sentido, semelhante aos 5 sentidos físicos que temos e que foram adquiridos por árdua repetição que custou-nos muitas vidas.
  • 3.