Aula 1 bases forradoras

20.252 visualizações

Publicada em

2 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
555
Comentários
2
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 1 bases forradoras

  1. 1. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL HIDRÓXIDO DE CÁLCIO
  2. 2. superficial rasa média profunda s/ esclerose profunda c/ esclerose Bastante profunda
  3. 3. C Á R I E D E N T A L <ul><li>Dissolução dos tecidos duros </li></ul><ul><li>Processo infeccioso </li></ul>
  4. 5. C O M P O S I Ç Ã O : E S M A L T E D E N T I N A
  5. 6. D E N T I N A T I P O S : <ul><li>PRIMÁRIA </li></ul><ul><li>SECUNDÁRIA </li></ul><ul><li>TERCIÁRIA ( REPARADORA) </li></ul><ul><li>ESCLERÓTICA </li></ul>
  6. 11. H I S T O L O G I A D E N T I N Á R I A 15 a 20 mil túbulos/mm 2 0,5 a 0,9 mm diâmetro 45 a 60 mil túbulos/mm2 2 a 3 mm de diâmetro POLPA ESMALTE
  7. 12. H I S T O L O G I A D E N T I N Á R I A O líquido no interior do túbulo dentinário está em movimento e se modifica cerca de 10x/ dia BRÄNNSTRÖM P O L P A ESMALTE
  8. 14. <ul><li>MATERIAIS PARA FORRAMENTO </li></ul><ul><li>MATERIAIS DE BASE </li></ul><ul><li>MATERIAIS PARA REST. PROVISÓRIA </li></ul><ul><li>MATERIAIS PARA CIMENTAÇÃO DEFINITIVA E PROVISÓRIA </li></ul>CLASSIFICAÇÃO
  9. 15. <ul><li>APRESENTAÇÃO: </li></ul><ul><li>2 FRASCOS [ VERNIZ , SOLVENTE ] </li></ul><ul><li>TIPOS: </li></ul><ul><li>SIMPLES </li></ul><ul><li>MODIFICADO </li></ul>VERNIZES
  10. 16. <ul><li>INDICAÇÕES: -sob restauração de </li></ul><ul><li>amalgama. </li></ul><ul><li>-sobre bordas de </li></ul><ul><li>restaurações cimentadas. </li></ul><ul><li>CAVIDADES RASAS </li></ul>VERNIZES
  11. 17. <ul><li>FUNÇÃO: </li></ul><ul><li>vedamento marginal </li></ul><ul><li>membrana semi-permeável (canaliculos dentinarios ) </li></ul>VERNIZES
  12. 18. <ul><li>CARACTERÍSTICAS: </li></ul><ul><li>película delgada , semipermeavel </li></ul><ul><li>solubilidade( camada espessa de verniz) </li></ul><ul><li>vedamento marginal </li></ul><ul><li>selamento dos túbulos </li></ul><ul><li>isolante térmico e elétrico(não funciona bem, pois a camada é muito fina) </li></ul><ul><li>ação bactericida (não se sabe ao certo) </li></ul>VERNIZES
  13. 19. <ul><li>TÉCNICA DE APLICAÇÃO: </li></ul><ul><li>bem fluida para se obter camadas finas, </li></ul><ul><li>aplica-se com pincel ou bolinhas de algodão, espera 20 segundos e aplica mais duas camadas (aplicações sucessivas, o solvente se volatiliza e deixa uma camada presa ao dente ) </li></ul>VERNIZES
  14. 20. <ul><li>é incompatível com resinas compostas (solvente reage com a resina amolecendo-a ) </li></ul><ul><li>e também com ionômeros de vidro ( a película pode eliminar a biocompatibilidade e o potencial de adesão ) </li></ul>VERNIZES
  15. 21. HIDRÓXIDO DE CÁLCIO Soluções para limpeza de cavidades e irrigação de condutos Suspensões para forramento cavitário Cimentos para forramento (capeamento pulpar) e como base protetora intermediária APRESENTAÇÃO:
  16. 22. COMPOSIÇÃO: Base Componentes inorgânicos Catalisador Plastificante Ca(OH) 2 Componentes orgânicos - metilsalicilato Carga tungstato de cálcio Ozn sulfato de cálcio dióxido de titanio HIDRÓXIDO DE CÁLCIO
  17. 23. CARACTERÍSTICAS: <ul><li>Estimular a formação de dentina reparadora decorrente do pH altamente alcalino e da sua atividade antibacteriana </li></ul><ul><li>Isolante térmico e elétrico </li></ul><ul><li>Radiopaco, não adesivo </li></ul><ul><li>Impede a passagem de agentes químicos </li></ul>HIDRÓXIDO DE CÁLCIO
  18. 24. FATORES DE SUCESSO: <ul><li>Ausência de saliva </li></ul><ul><li>Exposição acidental </li></ul><ul><li>Exposição pequena </li></ul><ul><li>Pacientes jovens </li></ul>HIDRÓXIDO DE CÁLCIO
  19. 33. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL APRESENTAÇÃO: <ul><li>Tipo I: cimentação e rest. temporárias </li></ul><ul><li>Tipo II: rest. provisórias (longa duração), cimentação perm. </li></ul><ul><li>Tipo III: rest. provisórias e base p/ isolamento térmico </li></ul><ul><li>Tipo IV: forrador cavitário (proteção irritantes químicos) </li></ul>
  20. 34. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL COMPOSIÇÃO: TIPO I <ul><li>PÓ </li></ul><ul><li>ZnO </li></ul><ul><li>Acetato </li></ul><ul><li>LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Eugenol Purif. </li></ul><ul><li>Óleo de cravos </li></ul>
  21. 35. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL COMPOSIÇÃO: TIPO II <ul><li>PÓ </li></ul><ul><li>ZnO </li></ul><ul><li>Res. sintéticas ou naturais </li></ul><ul><li>Acetato </li></ul><ul><li>LÍQUIDO </li></ul><ul><li>Eugenol </li></ul><ul><li>Plast. (óleos) </li></ul><ul><li>Resinas </li></ul><ul><li>H 2 O </li></ul>
  22. 36. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL COMPOSIÇÃO: TIPO III <ul><li>LÍQUIDO </li></ul><ul><li>EBA </li></ul><ul><li>Eugenol </li></ul><ul><li>Plast. (óleos) </li></ul><ul><li>Resinas </li></ul><ul><li>H 2 O </li></ul><ul><li>PÓ </li></ul><ul><li>ZnO </li></ul><ul><li>Res. sintéticas ou naturais </li></ul><ul><li>Acetato </li></ul>
  23. 37. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL REAÇÃO DE PRESA: Zn(OH) 2 Zn(OH) 2 + Eug. Zn Eug. Zn + H 2 O Reação química, obtendo-se uma matriz de eugenolato de zinco + água, fixando as partículas não atacadas produzindo uma massa endurecida. Ozn + H 2 O
  24. 38. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL PROPRIEDADES: <ul><li>Bom selador - permite um bom vedamento marginal </li></ul><ul><li>Ação terapêutica sobre a polpa (prop. anódinas e antissépticas), além de promover a formação de dentina secundária </li></ul><ul><li>Baixa solubilidade nos fluídos bucais </li></ul>
  25. 39. ÓXIDO DE ZINCO E EUGENOL PROPRIEDADES: <ul><li>Baixa resistência mecânica (incorpora-se substâncias p/ aumentar a resistência) </li></ul><ul><li>Ótimo isolante térmico </li></ul><ul><li>Bactericida e bacteriostático (adição do E.B.A. aumenta a resistência e a capacidade antibacteriana) </li></ul>

×