AMIGOS DO BOM VIVER
CARNAVAL 2014
Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014
Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse can...
Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014
Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse can...
Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014
Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse can...
Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014
Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse can...
Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014
Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse can...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver

484 visualizações

Publicada em

Atual campeão do Carnaval biguaçuense, o Bloco Amigos do Bom Viver apresenta o enredo para o carnaval 2014: “Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... Só pra ver como é que fica esse canto gauchesco e brasileiro!”.
O enredo fala sobre a tradição gaúcha em terras catarinenses e com ele vamos em busca do bicampeonato.

Publicada em: Diversão e humor
  • Seja o primeiro a comentar

Sinopse do enredo 2014 do Bloco Amigos do Bom Viver

  1. 1. AMIGOS DO BOM VIVER CARNAVAL 2014
  2. 2. Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014 Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse canto gauchesco e brasileiro! INTRODUÇÃO Exaltar a figura do gaúcho é romper com preconceitos regionais latentes e infundados. É mostrar que nesta Santa Catarina – que é como coração de mãe, pois sempre cabe mais um – vivem irmanados diversos povos e aqui estão semeadas, brotadas e enraizadas as tradições dos irmãos do meridião. Na Grande Florianópolis, a presença em grande número e tamanho dos centros de tradições gaúchas (CTGs) é dado contundente da importância desses laços culturais. Alvo de estudos acadêmicos, sua visibilidade social e relevância cultural não pode ser ignorada. Em toda Santa Catarina, as tradições gaúchas estão disseminadas, seja de maneira consistente nos CTGs, seja de maneira mais sutil, em hábitos como o trato com os cavalos ou o consumo de chimarrão. Além das tradições propriamente ditas, o Rio Grande do Sul tem enorme importância histórica para o Brasil e, neste aspecto, também suas relações com Santa Catarina se destacam. Muitos gaúchos deixaram sua marca na história e seu legado exerce inegável influência sobre nós. Este enredo tem como narrador o gaúcho. Não escolhemos um personagem específico, mas sim a figura do gaúcho, de maneira genérica, procurando abrigar neste personagem abstrato todas as características típicas que pretendemos ressaltar. Este narrador contará sua história ao longo do dia, culminando numa grande festa típica à noite. Alguns poemas e canções serão citados, por vezes incorporados ao texto, destacados em itálico para fins didáticos. O enredo será dividido em três partes – chamadas de atos - para um desenvolvimento artístico que facilite sua leitura. O primeiro ato, chamado “A imagem do gaúcho”, se passa durante o dia de trabalho e traz a descrição física do gaúcho e suas principais práticas no campo. O segundo ato recebeu o nome “O espírito gaúcho”. Esta parte do enredo se passa no início da noite e o gaúcho contará ao redor de uma fogueira algumas façanhas de expoentes do Rio Grande do Sul e mostrará como essas figuras traduzem o “ser gaúcho”. No terceiro e último ato, intitulado “A fraternidade gaúcha”, chega a
  3. 3. Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014 Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse canto gauchesco e brasileiro! madrugada e numa grande festa há o congraçamento de gaúchos e catarinenses unidos pelas tradições. SINOPSE DO ENREDO
  4. 4. Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014 Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse canto gauchesco e brasileiro! PRIMEIRO ATO – A IMAGEM DO GAÚCHO Vou-me embora, vou-me embora Prenda minha Tenho muito que fazer Tenho de ir para o rodeio Prenda minha No campo do bem-querer... Acordo cedo. O canto do galo me desperta antes que a luz do sol inunde a coxilha. É dia de lida no campo, a estância tem uma rotina a ser cumprida. Desperto ao sabor do chimarrão. A infusão da erva-mate – que nos trouxe prosperidade lá nos tempos das Missões! – é uma marca cultural. O dia vai ser difícil. Nem sempre o pastoreio é manso, nem sempre a colheita é boa. Negrinho do Pastoreio, acendo esta vela pra ti... No pescoço, trago o lenço vermelho. Além de uma proteção, sua presença mantém viva a memória das lutas de meu povo. Visto a minha identidade, a vida no campo, a lida com o gado: a bota, a espora, o gibão. Se a fartura está na mesa, bom churrasco e chimarrão. Quem quiser pode chegar, pois sou bom anfitrião. Conto histórias do meu povo... a tarde se esvai e o minuano sopra melodias em meu ouvido. Acendo a fogueira. Pego meu acordeon e acompanho o canto do vento. Ouça a milonga que derramo de meu coração, que pulsa num galope incessante e faz da vida seu cavalo encilhado... SEGUNDO ATO – O ESPÍRITO GAÚCHO
  5. 5. Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014 Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse canto gauchesco e brasileiro! Buenas e me espalho! Nos pequenos dou de prancha E nos grandes dou de talho! Começa a noite de festa na querência amada. Ressoa o bombo leguero, tambor ancestral que embala meu espírito guerreiro. Ouvido a léguas em plagos distantes, evoca este canto gauchesco e brasileiro a esta terra que eu amei desde guri. Sou filho do Rio Grande. Trago nas veias o sangue quente desta gente que nunca se curvou às injustiças e fez seu grito ecoar pelo Brasil: verás que um filho teu não foge à luta! Sou um pouco Bento Gonçalves, um pouco Corte Real. Sou Sepé Tiaraju, eternizado por Basílio da Gama em “O Uraguay”, o bravo índio resistindo à invasão: esta terra tem dono! Minha alma é farroupilha, de um povo irmanado por uma bandeira de três cores, de um povo unido por três ideais. Queremos a liberdade, que nos permite buscar a igualdade entre nossos irmãos! A igualdade, pois também somos brasileiros! A humanidade, equiparando todos os homens aquerenciados no garrão da pátria. Sou Rio Grande, mas também sou todo o Brasil. E todo o Brasil é Rio Grande também! Sou um pouco Mário Quintana, a palavra também é meu canhão. Meu espírito destemido se traduz em seus versos: Todos estes que aí estão atravancando o meu caminho... eles passarão. Eu passarinho! Sou também Veríssimo, autêntico em minhas ideias, perspicaz no pensamento. Sou líder, busco a justiça social e a igualdade entre os homens. Se, na Revolução Farroupilha, eu ergui minha voz contra a escravidão, hoje carrego em minhas veias o mesmo sangue que Getúlio Vargas derramou em defesa do trabalhador. Se preciso for, me sacrifico por um ideal e saio da vida para entrar pra história. Sirvam nossas façanhas de modelo a toda a Terra! TERCEIRO ATO – A FRATERNIDADE GAÚCHA
  6. 6. Amigos do Bom Viver – Carnaval 2014 Gaita-ponto com cuíca, bombo leguero e pandeiro... só pra ver como é que fica esse canto gauchesco e brasileiro! Noite escura, noite escura Prenda minha Toda noite me atentou... Quando foi de madrugada Prenda minha Foi-se embora e me deixou... Para ser gaúcho, não precisa nascer nesta terra. Basta carregar na alma seu espírito de guerra... feito Giuseppe, feito Anita, daquela história de amor tão bonita! Assim a madrugada adentra e vão chegando meus irmãos de coração, que carregam no peito o nosso torrão. São os centros de tradições gaúchas (CTGs) espalhados pelo Brasil e pelo mundo. O laço cultural é elo inquebrável e transpõe as fronteiras geográficas. De Santa Catarina, esse estado logo acima, chegam belas prendas e estancieiros, bravos peões e suas chinas. Somos vizinhos, somos do sul... a nossa terra tem o mesmo céu azul, que abraça os dois estados e faz ecoar a tradição. A arte nativa ecoa em cada passo, pois dançar é viver! Toda essa gente diz no pé, ao som do bugio, da rancheira, do chamamé... De uma cidade encravada nesta bela terra, chega um som diferente. Vêm de Biguaçu os Amigos do Bom Viver. Ouço o batuque do samba e a festa está completa. Fiz um vanerão sambado, este samba vanerado que até hoje ninguém viu. Só pra ver como é que fica gaita-ponto com cuíca... olha só o que saiu! Quem eu sou? Apenas mais um gaúcho... da fronteira, da capital, do Rio Grande ou do Brasil, do Chuí ao Oiapoque. Se quiseres me encontrar, segue o rumo do teu próprio coração, pois eu seguirei o meu. A prenda minha, onde estará? Talvez esteja em Jaraguá, Joinville ou Blumenau, lá por Santa Catarina... Willian Tadeu Autor do enredo

×