Meio ambiente: Um bem universal

1.966 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.966
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Meio ambiente: Um bem universal

  1. 1. CURSO DE EXTENSÃO: MEDIADORES DE LEITURA NA BIBLIODIVERSIDADE UFRGS – UAB PÓLO CRUZ ALTA - RS
  2. 2. MEIO AMBIENTE: UM BEM UNIVERSAL
  3. 3. <ul><li>Justificativa: </li></ul><ul><li>Considerando os graves problemas de ordem ambiental, decorrentes da degradação dos recursos naturais, busca-se através de um trabalho pedagógico, envolver os educandos numa luta permanente pela preservação da vida e do meio ambiente. Sob esta ótica, o grupo explorou aspectos da agenda 21 global e outros recursos didáticos específicos sobre o tema em estudo. </li></ul>
  4. 4. AGENDA 21 – UMA REFLEXÃO NECESSÁRIA O Desenvolvimento Sustentável do Planeta é um compromisso assumido por mais de 170 países na Conferência realizada durante a Rio-92, no Rio de Janeiro. Nesta Conferência, a implantação da Agenda 21, foi o mais importante compromisso firmado entre os países, onde mais de 2.500 recomendações práticas foram estabelecidas tendo como objetivo preparar o mundo para os desafios do século XXI. A Agenda 21 é um programa de ação, baseado num documento de 40 capítulos, que se constituí na mais ousada e abrangente tentativa já realizada, em promover, em escala planetária, um novo padrão de desenvolvimento, conciliando métodos de proteção ambiental, justiça social e eficiência econômica. Trata-se, portanto, de um documento consensual resultante de uma série de encontros promovidos pela Organização das Nações Unidas, com o tema “Meio Ambiente e suas Relações com o Desenvolvimento ”. O ponto central nesse processo é o levantamento das prioridades do desenvolvimento de uma comunidade e a formulação de um plano de ação, tendo em vista a sustentabilidade e a integração dos aspectos sociais, econômicos, ambientais e culturais, dentro de uma visão abrangente, ou seja, em longo prazo. A Agenda 21 é sem dúvida alguma, um importante instrumento nesse caminho de mudanças.
  5. 5. Com a Agenda 21 Local a comunidade se organiza, aprende, discute, identifica suas potencialidades e dificuldades e ainda, propõe soluções com o objetivo de concretizar o sonho de uma vida melhor. A construção da Agenda 21 Local não é uma tarefa somente do poder público. É um pacto de toda a sociedade, um compromisso de cada cidadão com a qualidade de vida do seu bairro, da sua cidade, enfim, do nosso planeta. Uma pequena ação positiva ou negativa em sua comunidade refletirá em sua cidade, conseqüentemente sua cidade em seu estado, seu estado em seu país e seu país em todo o mundo. Ou seja, a atitude de cada cidadão é de extrema importância para o presente e o futuro do planeta. Por isso é que se diz: “Pensar globalmente, agir localmente”. Educação e desenvolvimento individual A Agenda 21 destaca, nas áreas de programa que acompanham os capítulos temáticos, a capacitação individual, além de ressaltar a necessidade de ampliar o horizonte cultural e o leque de oportunidades para os jovens. Há, em todo o texto, forte apelo para que governos e organizações da sociedade promovam programas educacionais cujo objetivo seja propiciar a conscientização dos indivíduos sobre a importância de se pensar nos problemas comuns a toda a Humanidade, buscando, ao mesmo tempo, incentivar o engajamento de ações concretas nas comunidades.
  6. 6. Com a Agenda 21 Local a comunidade se organiza, aprende, discute, identifica suas potencialidades e dificuldades e ainda, propõe soluções com o objetivo de concretizar o sonho de uma vida melhor. A construção da Agenda 21 Local não é uma tarefa somente do poder público. É um pacto de toda a sociedade, um compromisso de cada cidadão com a qualidade de vida do seu bairro, da sua cidade, enfim, do nosso planeta. Uma pequena ação positiva ou negativa em sua comunidade refletirá em sua cidade, conseqüentemente sua cidade em seu estado, seu estado em seu país e seu país em todo o mundo. Ou seja, a atitude de cada cidadão é de extrema importância para o presente e o futuro do planeta. Por isso é que se diz: “Pensar globalmente, agir localmente”. Educação e desenvolvimento individual A Agenda 21 destaca, nas áreas de programa que acompanham os capítulos temáticos, a capacitação individual, além de ressaltar a necessidade de ampliar o horizonte cultural e o leque de oportunidades para os jovens. Há, em todo o texto, forte apelo para que governos e organizações da sociedade promovam programas educacionais cujo objetivo seja propiciar a conscientização dos indivíduos sobre a importância de se pensar nos problemas comuns a toda a Humanidade, buscando, ao mesmo tempo, incentivar o engajamento de ações concretas nas comunidades.
  7. 7. <ul><li>Objetivo: </li></ul><ul><li>Desenvolver no âmbito escolar um trabalho de conscientização dos educandos, explorando sua leitura de mundo através de práticas pedagógicas dinâmicas e interativas, frente às questões ambientais que afetam nosso espaço. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Público - alvo: </li></ul><ul><li>Alunos do Ensino Fundamental </li></ul><ul><li>Local: Escola E. E. F. Pacífico Dias da Fonseca e E. M. Toríbio Veríssimo </li></ul>
  9. 9. <ul><li>RECURSOS MATERIAIS: </li></ul><ul><li>Sala Digital </li></ul><ul><li>Sala de Vídeo </li></ul><ul><li>Biblioteca </li></ul><ul><li>Pátio da Escola </li></ul><ul><li>Sucatas </li></ul><ul><li>Multimídias: (data show; filmadora e máquina fotográfica; som) </li></ul><ul><li>Mudas de árvores </li></ul><ul><li>Tintas e pincéis </li></ul><ul><li>Sacos de lixo </li></ul><ul><li>Cola; tesoura;papel pardo; revistas; livros de histórias infantis; jornais; DVDs; </li></ul><ul><li>RECURSOS HUMANOS </li></ul><ul><li>Professoras colaboradoras: titulares de sala de aula e alunos; funcionária da sala digital. </li></ul><ul><li>Professoras cursistas: </li></ul><ul><li>Elisângela da Silva Pacheco; Jacira Salete Vidal Rodrigues; Lígia Rejane Tentler Prola; Sara Matos Barassuol; Sonia leda Costa Beber Teixeira </li></ul>
  10. 10. CRONOGRAMA DE ATIVIDADES: Data Ação Local Participantes 02/06 Caminhada Solidária Ruas do Bairro da Escola Alunos; professoras; Cursistas; Agentes do Trânsito 02/06 Panfletagem Bairro da Escola Professoras; alunos e cursistas 02/06 a 10/06 Trabalho com poesias e acrósticos Sala de aula Professora; alunos e cursistas 04/06 Oficina de leitura Agenda 21 Espaço da Biblioteca / sala de aula Professoras; alunos; cursistas 04/06 Confecção de brinquedos, com sucata Salas de aula Professoras, alunos e cursistas 06/06 Pintura do muro da Escola, com temas ambientais Pátio da Escola Professoras; alunos e cursistas 06/06 Oficina de Espanhol – canto de Música sobre o meio ambiente Sala de aula Professora oficineira; alunos; cursistas; 06/06 CLIP “VAMOS CUIDAR DO MEIO AMBIENTE” – Turma da Mônica Sala Digital – Escola Pacífico Alunos; professoras; cursistas 07/07 Canto e dança – música Planeta Azul – Chitãozinho e Xororó Salas de aula Professora; alunos e cursistas 07/07 Planta de mudas de árvores Pátio da Escola Alunos; Professoras e cursistas 08/08 Filme: a maior Flor do Mundo José Saramago Sala de Vídeo Professore; alunos e cursistas
  11. 11. <ul><li>LIVROS INFANTIS UTILIZADOS: </li></ul><ul><li>Coleção Meio ambiente - Editora Novas Ideias </li></ul><ul><li>Que buraco é esse? </li></ul><ul><li>Reciclar é preciso. </li></ul><ul><li>Faltou luz e agora? </li></ul><ul><li>Que calor! </li></ul><ul><li>Verde que te quero verde. </li></ul><ul><li>Água, fonte de vida. </li></ul><ul><li>Sumiu que ninguém viu. </li></ul><ul><li>Gente demais, espaço de menos. </li></ul><ul><li>Muito prazer, meu nome é Gaia. </li></ul><ul><li>Sujeira perigosa. </li></ul><ul><li>Socorro! Quero respirar ar puro. </li></ul><ul><li>Meu primeiro livro de convivência com a natureza, de Salatiel Barragán </li></ul>
  12. 12. <ul><li>Canto e dramatização da Música “ PLANETA ÁGUA”, de Guilherme Arantes, </li></ul><ul><li>Seguida de reflexão e diálogo sobre o seu tema e a nossa realidade. </li></ul>Planeta Água Guilherme Arantes Composição : Guilherme Arantes Água que nasce na fonte Serena do mundo E que abre um Profundo grotão Água que faz inocente Riacho e deságua Na corrente do ribeirão... Águas escuras dos rios Que levam A fertilidade ao sertão Águas que banham aldeias E matam a sede da população... Águas que caem das pedras No véu das cascatas Ronco de trovão E depois dormem tranqüilas No leito dos lagos No leito dos lagos... Água dos igarapés Onde Iara, a mãe d'água É misteriosa canção Água que o sol evapora Pro céu vai embora Virar nuvens de algodão.. Gotas de água da chuva Alegre arco-íris Sobre a plantação Gotas de água da chuva Tão tristes, são lágrimas Na inundação... Águas que movem moinhos São as mesmas águas Que encharcam o chão E sempre voltam humildes Pro fundo da terra Pro fundo da terra... Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água... Água que nasce na fonte Serena do mundo E que abre um Profundo grotão Água que faz inocente Riacho e deságua Na corrente do ribeirão...
  13. 13. Gotas de água da chuva Alegre arco-íris Sobre a plantação Gotas de água da chuva Tão tristes, são lágrimas Na inundação... Águas que movem moinhos São as mesmas águas Que encharcam o chão E sempre voltam humildes Pro fundo da terra Pro fundo da terra... Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água... Água que nasce na fonte Serena do mundo E que abre um Profundo grotão Água que faz inocente Riacho e deságua Na corrente do ribeirão... Águas escuras dos rios Que levam a fertilidade ao sertão Águas que banham aldeias E matam a sede da população... Águas que movem moinhos São as mesmas águas Que encharcam o chão E sempre voltam humildes Pro fundo da terra Pro fundo da terra... Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água Terra! Planeta Água...(2x)
  14. 14. CANTO E DANÇA DA MÚSICA” PLANETA AZUL”, DE CHITÃOZINHO E XORORÓ A vida e a natureza sempre à mercê da poluição Invertem as estações do ano Faz calor no inverno e frio no verão Os peixes morrendo nos rios Estão se extinguindo espécies animais E tudo que se planta, colhe O tempo retribui o mal que a gente faz Onde a chuva caía quase todo dia Já não chove nada O sol abrasador rachando o leito dos rios secos Sem um pingo d'água Quanto ao futuro inseguro Será assim de norte a sul A terra nua semelhante à lua O que será desse planeta azul? O que será desse planeta azul? O rio que desse as encostas já quase sem vida Parece que chora um triste lamento das águas Ao ver devastada a fauna e a flora É tempo de pensar no verde Regar a semente que ainda não nasceu Deixar em paz a Amazônia, perservar a vida E está de bem com DEUS
  15. 15. A música na oficina de espanhol e o meio ambiente <ul><li>Los pollitos dicen La Vaca Lechera </li></ul><ul><li>Los pollitos dicen, Tengo uma vaca lechera </li></ul><ul><li>Pío,pío,pío, no es uma vaca cualquiera </li></ul><ul><li>Cuando tienen hambre, me da leche merengada </li></ul><ul><li>Cuando tienen frio. Ay! Que vaca tan salada, </li></ul><ul><li>tolón, tolón, tolón, tolón, </li></ul><ul><li>La mamá les busca </li></ul><ul><li>Em maíz y em trigo, Tengo uma vaca lechera </li></ul><ul><li>Les da la comida no es uma vaca cualquiera </li></ul><ul><li>Y les presta abrigo. cuando estira de la oreja </li></ul><ul><li>Sali miel de abeja </li></ul><ul><li>Los pollitos dicen, tolón,tolón,tolón,tolón </li></ul><ul><li>Pío,pío,pío, </li></ul><ul><li>Pío,pío,pío, Tengo uma vaca lechera, </li></ul><ul><li>Pío,pío,pá., no es uma vaca cualquiera, </li></ul><ul><li>Se le estira de la cola </li></ul><ul><li>Sali coca-cola </li></ul><ul><li>Tolón, tolón, tolón,tolón. </li></ul>
  16. 16. A Poesia na semana do Meio Ambiente O CANTOR PRISIONEIRO (Assis Brasil) Uma velhinha ganhou de presente de seu filho um lindo sabiá preso em uma gaiola. Quando a velhinha falava com ele, recebia, como resposta, seus olhinhos tristes. Ela ficava pensando em uma maneira de aliviar o sofrimento do bichinho. No dia seguinte, bem cedo - o sol saindo por trás de uns pés de ipê, cheios de flores amarelas -, a velhinha se aproximou da gaiola com um leve sorriso nos lábios. Seus olhos estavam brilhando mais do que de costume, como se tivesse encontrado a resposta para alguma coisa. Como sempre fazia pela manhã, puxou a parte de baixo da gaiola, a &quot;gaveta&quot;, para fazer a limpeza, e abriu a portinhola para apanhar a cuia d'água. Foi neste instante que o sabiá notou que ela deixara a porta da gaiola mais escancarada do que era de hábito, quando ficava sempre com uma das mãos tapando a entrada. Então ele sentiu que poderia passar por ali, e não perdeu tempo, saiu como um raio por entre a mão da velhinha e a grade da porta entreaberta.
  17. 17. A Poesia na semana do Meio Ambiente Executou um vôo reto e firme, embora tenha chegado a bater um pouco com o peito na parte dura das grades da gaiola. Mas não se ferira, não interrompera o seu vôo. Somente quando pousou no pé de jamelão, em frente à casa, foi que se considerou livre - todo o céu azul da linda manhã se abria agora ante seus olhos e a brisa que eriçava suas penas era mais suave e reconfortante. Nunca se sentiu tão bem na vida. Ele olhou para o alpendre da casa e viu a velhinha. Ela estava calma, sorrindo em sua direção. E se sorria era porque estava alegre e chegou a fazer um aceno com a mão para o passarinho, como se estivesse lhe desejando uma boa viagem de volta ao seu ninho, ao seu mundo livre de prisões. Então o sabiá entoou o seu belo e harmonioso canto, como se agradecesse à velhinha pelo seu &quot;descuido&quot; ao lhe abrir a porta da gaiola. E naquele instante os dois, a mulher e o passarinho, se juntaram num só sentimento: a alegria de saber que a vida é liberdade e amor. Pássaros, pessoas, bichos, todos poderiam viver juntos, sem a necessidade de perseguição ou de prisões.
  18. 18. A Poesia na semana do Meio Ambiente CLASSIFICADOS POÉTICOS ( Roseana Murray) Procura-se algum lugar no planeta onde a vida seja sempre uma festa onde o homem não mate nem bicho nem homem e deixe em paz as árvores da floresta. Procura-se algum lugar no planeta onde a vida seja sempre uma dança e mesmo as pessoas mais graves tenham no rosto um olhar de criança .
  19. 19. A Poesia na semana do Meio Ambiente CIMENTO ARMADO (Paulo Bonfim) Batem estacas no terreno morto, No terreno morto surge vida nova. As goiabeiras do velho parque  E os roseirais abandonados, Serão cortados  E derrubados.
  20. 20. Um prédio novo de dez andares, Frio e cinzento, Terá seu corpo de cimento armado Enraizado no velho parque De goiabeiras De roseirais. Batem estacas no terreno morto: Século vinte... Vida de aço... Cimento-armado! Batem as estacas Um prédio novo, de dez andares, Terraços livres, Pássaros presos, Rosas suspensas, Flores da Vida, Rosas de dor.
  21. 21. Algumas informações sobre... A Amazônia
  22. 22. O LIXO e o TEMPO... A decomposição do lixo na natureza
  23. 23. AUTORAS: <ul><li>ELISANGELA DA SILVA PACHECO </li></ul><ul><li>SONIA LEDA COSTA BEBER TEIXEIRA </li></ul><ul><li>SARA MATOS BARASSUOL </li></ul><ul><li>JACIRA VIDAL RODRIGUES </li></ul><ul><li>LÍGIA REJANE TENTLER PROLA </li></ul>
  24. 24. VIVÊNCIAS PEDAGÓGICAS...
  25. 41. E A NOSSA HISTÓRIA CONTINUA... &quot; Não haverá borboletas se a vida não passar por longas e silenciosas metamorfoses.&quot; (Rubem Alves)

×