Deficiente visual-Thaís

263 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
263
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
43
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deficiente visual-Thaís

  1. 1. Deficientes visuais "enxergam" com aparelho que traduz cores em música
  2. 2. EyeMusic  O aparelho, batizado de EyeMusic, usa uma câmera para capturar as imagens. Cada imagem digital é processada, transformando os pixels em notas musicais.  Por exemplo, os pixels na vertical, que mostram a altura dos objetos, são representados por notas musicais que variam do grave (objetos mais baixos) ao agudo (objetos mais altos).  A localização horizontal de cada pixel é indicada pela temporização das notas musicais, com tempos maiores indicando a direita, e tempos menores a esquerda.  O brilho de cada parte da imagem é codificado pelo volume do som.
  3. 3. Música para os meus olhos  Música para os meus olhos  Mas ninguém gosta de "ouvir em preto e branco". Restava então codificar as cores.  Para isso, foram usados diferentes instrumentos musicais, um para cada uma de cinco cores.  O azul é representado pelo trompete, o vermelho pelo órgão, o verde pelo órgão de palheta sintetizado e o amarelo pelo violino. Finalmente, o branco é representado por um vocal e o preto pelo silêncio.  Os pesquisadores preocuparam-se também com o lado artístico, para que os sons soem sempre suaves e harmônicos, evitando apitos e chiados desconfortáveis ou desagradáveis.  "As notas se estendem por cinco oitavas e foram cuidadosamente escolhidas por músicos para criar uma experiência agradável para os usuários," disse Amir Amedi, coautor do estudo.
  4. 4. Percepção espacial no cérebro  Percepção espacial no cérebro  Se na descrição parece tudo muito complicado, na prática deu-se o contrário: os usuários conseguiram operar o dispositivo muito rapidamente, alguns deles com apenas meia hora de treinamento.  Assim, o experimento dá suporte à hipótese de que a representação do espaço no cérebro pode não ser dependente de como a informação espacial é recebida, e que é necessário muito pouco treinamento para criar uma representação do espaço sem a visão - isto pode ser feito, como se comprovou, usando sons.  "O nível de precisão alcançado em nosso estudo indica que é factível usar um dispositivo de substituição sensorial para realizar tarefas do dia-a-dia, indicando um grande potencial para seu uso em terapias de reabilitação," concluiu.
  5. 5. Bibliografia  Fast, Accurate Reaching Movements with a Visual-to-Auditory Sensory Substitution Device Maxim Dupliy, Amir Amedi and Shelly Levy-Tzedek Restorative Neurology and Neuroscience Vol.: 30: 4 (July 2012) DOI: 10.3233/RNN-2012-110219
  6. 6.  Feito por Thaís de Moraes Mesti  5° ano-Amanhã

×