O tabernáculo e sua interpretação

513 visualizações

Publicada em

tabernaculo

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
513
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O tabernáculo e sua interpretação

  1. 1. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 1 IGREJA EVANGELICA ASSEMBLEIA DE DEUS O TABERNÁCULO E SUA TIPOLOGIA: DECISÃO, ACEITAÇÃO, PURIFICAÇÃO, COMUNHÃO E GLÓRIA. DC. OAIDSON B SILVA Parnaíba – PI 2012
  2. 2. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 2 A TIPOLOGIA BÍBLICA “PORQUE, TENDO A LEI A SOMBRA DOS BENS FUTUROS E NÃO A IMAGEM EXATA DAS COISAS” (HB 10.1) “Antes de considerarmos especificamente a tipologia do Tabernáculo, achamos conveniente salientar aqui algumas definições de tipologia, o tipo bíblico é uma representação pré-ordenada, pela qual pessoas, eventos e instituições do Antigo Testamento prefiguram pessoas, eventos e instituições do Novo Testamento. São figuras, ou lições, pelas quais Deus tem ensinado seu povo acerca do seu plano redentor e de seus elevados propósitos para a vida cristã. São uma mostra de coisas vindouras e não a verdadeira imagem dessas coisas (Colossenses 2.17; Hebreus 8.5; 10.1). Todo o sistema mosaico, por exemplo, foi como um jardim de infância no qual o povo de Deus foi educado nas coisas divinas e ensinado a ver assim a realidade das coisas futuras. A Bíblia usa diversas palavras para tipos, tais como: sinal (João 20.25); figura (Atos 7.43; Romanos 5.14; 1 Coríntios 10.11); forma (Romanos 6.17); parábola, alegoria (Hebreus 9.9); modelo (Atos 7.44; Hebreus 8.4,5); sombra (Colossenses 2.14; Hebreus 8.5), e exemplo (Filipenses 3.17; 1 Timóteo 4.12; 1 Pedro 5.3; 2 Pedro 2.6). Alguns dos nomes para os antítipos: verdadeira figura (1 Pedro 3.21); mesma imagem (Hebreus 10.1); coisas celestiais (Hebreus 9.23); verdadeiro (Hebreus 9.24), e Espírito (2 Coríntios 3.6). O tipo é o objeto da lição, a revelação temporária de uma pessoa, um acontecimento ou uma instituição vindoura. O antítipo é o cumprimento daquilo que havia sido predito. São necessários um ou mais pontos de afinidade entre o tipo e o antítipo (Colossenses 2.14-17]; Hebreus 10.1). O tipo precisa ser profético em todos os pontos de semelhança com o antítipo, e precisa verdadeiramente prefigurar as coisas vindouras (João 3.14; Romanos 5.14; Hebreus 8.5; 9.23,24; 1 Pedro 3.21). O tipo é sempre terrestre, enquanto o antítipo pode ser tanto terrestre como celestial (Hebreus 8.5; 9.24; 1 Pedro 3.21). Desde que tipo e antítipo, ou seja, figura e cumprimento, necessitam ser pré- ordenados como parte de um mesmo plano divino, eles não podem ser escolhidos pelo homem (2 Timóteo 3.16). “Por isso, a autoridade dos tipos e sua aplicação provêm da Bíblia, que exige o endosso de pelo menos três testemunhos para confirmar uma verdade (2 Coríntios 13.1).” (ALMEIDA, Abraão A, O TABERNÁCULO EA IGREJA, PG 7)
  3. 3. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 3 Alguns exemplos de tipos na biblia : A) Abraão e Isaque (GN 22.2-13) : Assim como Abraão entrega seu filho como sacrifício, Deus entregou seu filho Jesus Cristo para morrer como um sacrifício pelos nossos pecados. Isaque foi obediente Abraão se entregando a morte, assim Cristo obedeceu até a morte de cruz (cf. JO 10.15,18: HB 2.14-15; FP 2.8) B) Enoque foi um tipo de arrebatamento da igreja C) O profeta Jonas ficou “três dias no ventre do peixe” foi um tipo de Cristo, que ficou três dias no sepulcro. INTRODUÇÃO “E me farão um santuário, para que eu possa habitar no meio deles. Segundo tudo o que eu te mostrar para modelo do tabernáculo e para modelo de todos os seus móveis, assim mesmo o fareis. Vê, pois, que tudo faças segundo o modelo que te foi mostrado no monte.” (Êxodo 25.8,9,40) Enquanto Deus conduzia Israel para longe do Egito, usando seu servo Moises, libertando-os da escravidão, deu a ordem mencionada no texto acima para construção de um lugar onde ELE mesmo pudesse se apresentar a Seu povo, onde a Sua presença fosse real. Assim como Deus guiava Seu povo, ainda hoje Ele continua sendo o Guia, o Ajudador, o Iluminador, Purificador e Protetor. A bíblia nos fala que enquanto o povo peregrinava no deserto, “O SENHOR ia adiante deles, durante o dia, numa coluna de nuvem, para guiá-los pelo caminho; durante a noite, numa coluna de fogo, para os alumiar, a fim de que caminhassem de dia e de noite. Nunca se apartou do povo a coluna de nuvem durante o dia, nem a coluna de fogo durante a noite.” (Êxodo 13.21,22), Deus continua conosco, mas, ao invés de estar no meio de uma coluna de fogo ou numa nuvem, habita na vida de Seus filhos. E essa é a maior e mais profunda dimensão dentro do cristianismo, Deus habita em nós (cf. 1CO 3.16: RM 8.11). O tabernáculo, no hebraico Mishkan- que significa “local de moradia” era onde DEUS tornava conhecida a Sua presença. Talvez seja essa a melhor definição para o Tabernáculo: um lugar onde se adora a Deus e o lugar onde Deus se faz presente no antigo testamento. Esse santuário portátil era dividido em três lugares principais: Átrio, Lugar Santo e Santo dos Santos.
  4. 4. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 4 A palavra de Deus é profunda e quanto mais a estudamos mais percebemos a quão profunda ela é. O tabernáculo aponta para Cristo e para Sua obra, todo o antigo testamento tinha um proposito: Levar Israel ao Messias e aceitar a Sua obra. (cf.GL 3.24-25) Nossa oração é a mesma do salmista no salmo 119.18, “Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei”, e que Deus fale com você através desse pequeno estudo. I- A LOCALIZAÇÃO DO TABERNACULO O Tabernáculo devia estar no meio do acampamento conforme a orientação de Deus dada a Moisés e a tribo dos levitas, sacerdotes de Deus, deviam estar divididos em quatro lados ao redor do tabernáculo. ( Nm 2) Aqui aprendemos três lições: A) Os sacerdotes de Deus deviam estar acessíveis para todos, os ministros de Deus deviam estar prontos a atender o povo. Os ministros de Deus devem representa- LO diante de todos, e não formarem grupos isolados, o verdadeiro ministro deve manifestar a gloria de Deus entre os homens. B) A vontade de Deus e estar no centro, no meio de Seu povo. C) A vontade de Deus é esta no centro de nossas vidas.
  5. 5. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 5 II- A CORTINA DO ÁTRIO Quando o homem chegava ao tabernáculo ele não conseguiu ver o que havia lá dentro, pois havia uma cortina que estava ao redor do tabernáculo. “Farás também o pátio do tabernáculo; ao lado do meio-dia, para o sul, o pátio terá cortinas de linho fino torcido; o comprimento de cada lado será de cem côvados. Também as suas vinte colunas e as suas vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata. Assim também do lado do norte as cortinas na longura serão de cem côvados de comprimento; e as suas vinte colunas e as suas vinte bases serão de cobre; os colchetes das colunas e as suas faixas serão de prata. E na largura do pátio do lado do ocidente haverá cortinas de cinqüenta côvados; as suas colunas, dez, e as suas bases, dez.” ( EX 27.9-12) Do lado de fora a única coisa que era vista era uma cortina de linho fino. O que podemos aprender aqui? Vamos ver alguns versículos: “e seguiam-no os exércitos que há no céu, montando cavalos brancos, com vestiduras de linho finíssimo, branco e puro.” (AP 19.14). “pois lhe foi dado vestir-se de linho finíssimo, resplandecente e puro. Porque o linho finíssimo são os atos de justiça dos santos.” (Ap 19.8). “Respondi-lhe: meu Senhor, tu o sabes. Ele, então, me disse: São estes os que vêm da grande tribulação, lavaram suas vestiduras e as alvejaram no sangue do Cordeiro” (Ap 7.14) O que podemos concluir é que linho finíssimo esta relacionado a pureza. Isso nos fala da humanidade perfeita de Cristo. Era exatamente a cortina de linho branco que separava o povo de adentrar a presença de Deus, constituía-se numa barreira intransponível, e espiritualmente falando, ainda hoje impede o homem de entrar na presença de Deus, pois todos são pecadores, e somente reconhecendo a humanidade perfeita de Cristo e aceitando o seu perfeito sacrifício e que temos acesso a Deus.
  6. 6. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 6 III- A PORTA DO TABERNÁCULO - DECISÃO “À porta do átrio, haverá um reposteiro de vinte côvados, de estofo azul, e púrpura, e carmesim, e linho fino retorcido, obra de bordador; as suas colunas serão quatro, e as suas bases, quatro.” (EX 27.16). Aqui para um bom estudante da bíblia não é difícil compreender a alusão que faremos. Havia uma porta (conhecida como Caminho) onde todo ofertante deveria passar, não havia outra porta. No novo testamento Jesus é a PORTA: “Eu sou a porta. Se alguém entrar por mim, será salvo; entrará, e sairá, e achará pastagem.” (JO 10.9). Leia também (JO 10.7). A entrada era um lugar de DECISÃO. É interessante notar o lado que a portar do tabernáculo devia ficar, o lado oriental. A) O Éden localizava-se do lado oriental. (GN 3.24) B) Ezequiel também viu a gloria no templo encher o templo (EZ 43.1,2, 4,5). C) Mateus narra sobre a estrela do oriente ( Mt 2.1,2, 9). As quatro cores da cortina pode nos dar uma preciosa lição: 1ª Purpura – cor darealeza Mateus mostrao Messias como Rei dos judeus 2ª Carmesim – corde sangue-Marcos mostraJesus como sendo o Servo SofredorMc 10.45. 3ª Branco – purezae santidade– Lucas mostraCristo como o homem perfeito, sem pecado, FILHO DO HOMEM. 4ª Azul- apontaparao céu- João mostraJesus como Deus que veio do céu e habitou entre os homens. IV- O ALTAR DE BRONZE (27.1-5) - ACEITAÇÃO
  7. 7. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 7 Após a entrada pela porta a primeira coisa que o ofertante vê é o altar de bronze. Todas as ofertas trazidas ao altar de bronze eram vicárias, e essas ofertas representavam o sacrifício que Cristo haveria de entregar por nós. A palavra vicário significa “tomar o lugar de outro” ou “servir como substituto”. A palavra altar, no grego “thusiasterion”, e significa literalmente local de sacrifício. Podemos entender que para se aproximar de Deus precisamos de um sacrifício. Havia objetivos diferentes para o ofertante: SACRIFICIO DE LOUVOR, DE GRATIDÃO, DE CONFISSÃO DE PECADOS, DE CONSAGRAÇÃO, PARA MEMORIAL, etc. O que podemos aprender: A) Não existe vários altares para sacrifício, mas só um altar – Existe crentes que agem como se tivessem seus próprios altares e causam tantas divergências e esquecem que o sacrifício para redenção só foi um. B) No altar o pecador esta no lugar de ACEITAÇÃO, é onde o pecador é julgado e absolvido de seus pecados. Havia também o fogo que ardia sobre o altar e não deveria se apagar (LV 6.12). Este fogo simbolizava a presença constante de DEUS no meio do seu povo. Como esta o fogo do Espirito Santo em sua vida? Essa chama ainda arde? Ainda existe desejo de pureza, de comunhão, de avivamento? V- A PIA DE BRONZE- PURIFICAÇÃO “Disse mais o SENHOR a Moisés: Farás também uma bacia de bronze com o seu suporte de bronze, para lavar. Pô-la-ás entre a tenda da congregação e o altar e deitarás água nela. Nela, Arão e seus filhos lavarão as mãos e os pés. Quando entrarem na tenda da congregação, lavar- se-ão com água, para que não morram; ou quando se chegarem ao altar para ministrar, para acender a oferta queimada ao SENHOR. Lavarão, pois, as mãos e os pés, para que não morram; e isto lhes será por estatuto perpétuo, a ele e à sua posteridade, através de suas gerações.” (EX 30.17-21).
  8. 8. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 8 Esse objeto servia somente para purificação de pés e mãos dos sacerdotes, e não era um lugar para tomar banho. Isso nos lembra do episodio narrado em João 13.4-11, onde Cristo lavou os pés dos discípulos, Pedro a principio não deixara Cristo lavar os seus pés, mas após a resposta de Cristo, dizendo que se assim não fizesse Pedro não teria parte com Jesus, quis tomar um banho. E o que Jesus respondeu foi algo realmente impressionante: “Declarou-lhe Jesus: Quem já se banhou não necessita de lavar senão os pés.” (JO 13.10). A pia representa a purificação que encontramos em Cristo, já fomos perdoados pelo sacrifício de Cristo, encontramos pureza mediante a palavra de Cristo. Podemos aprender aqui: A) Necessitamos sempre retornar a pia de bronze para nossa purificação (1JO 1.8- 10: 2.1,2) B) Cristo é a Agua Viva, que nos purifica, que nos torna limpos, que habilita nossas mãos para o serviço para Ele e nossos pés para andar com Ele. (RM 11.31). VI- TENDA CONGREGAÇÃO Leia Êxodo 26.1-37; 36.20-38 Agora estamos diante da tenda da congregação, pela porta da tenda (conhecida como Verdade) somente os sacerdotes poderiam adentrar. A tenda aponta para o corpo de Cristo.
  9. 9. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 9 Ela tinha cerca de 4 metros e meio, era coberta de pele de animais e quem olhava de fora não conseguia ver beleza alguma, isso nos leva a Isaias 53.2, “... não tinha aparência e nem formosura...”. Assim como o povo não conseguia ver beleza olhando de fora, assim acontece com quem não esta em Cristo. Tudo de belo e fascinante estava ocultado aos olhos dos que estavam fora. Lembramos com isso o que Paulo diz: “... e a vossa vida está oculta juntamente com Cristo” (CL 3.3). Não teremos tempo para aprofundarmos o estudo no material utilizado para a tenda, Madeira de acácia e ouro. A madeira de acácia era conhecida por não apodrecer, não atraia insetos, mas era considera uma madeira nobre. Isso aponta para humanidade Cristo, incorruptível, viveu em corpo semelhante ao nosso, padeceu a mesma aflições e sofreu as mesmas tentações, porém não pecou (HB 4.15). O ouro biblicamente sempre esta ligado a Deus ou o que é divino (cf. DN 10.5; AP 3.8; AP 14.14; JÓ 22.25). Esse ouro fala da divindade de Cristo. VII- A MESA DOS PÃES – COMUNHÃO Leia Êxodo 25.23-30; 37.10-16; 40.22,23 e Levítico 24.5-9. Ao adentrar a tenda da congregação encontramos um móvel de beleza impar, era a mesa dos pães asmos, ou da proposição. Havia uma mesa especial com molduras de ouro onde ficavam 12 pães, que todo sábado era trocados. Esses pães segundo o historiador JOSEFO eram sem fermento. Era um lugar de provisão e comunhão. A mesa era chamada de “A mesa da Presença”. O pão sempre esta ligado à comunhão que temos com Cristo e com nossos irmãos. ( 1JO 1.7), fala também de Cristo sendo o pão da vida (JO 6.35). Sem alimento o corpo material não sobrevive, e sem Jesus é impossível sobrevivermos espiritualmente. (Leia JO 6.51-58).
  10. 10. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 10 VIII- O CANDELABRO DE OURO Leia Êxodo 25.31-40. Dentro do tabernáculo não havia janelas para que entrasse luz natural, mas era iluminado por candelabro de 43Kg de ouro puro, em hebraico era conhecido como MENORAH, é um dos símbolos do judaísmo. Era um objeto primorosamente detalhado, e devia ficar sempre aceso (LV 24.2), e diariamente os sacerdotes completavam de azeite o candelabro e trocavam o seu pavio.·. O que aprendemos aqui? A) Assim como o candelabro era a única fonte de luz para o Santo Lugar, somente Cristo pode iluminar a vida do homem, ele é a única fonte de luz (JO 1.9; JO 3.19-21). A luz resplandece em meio as trevas, por que o próprio Deus é luz, e essa luz que nos faz vencer esse mundo de trevas. (JO 1.5) B) O homem sem Cristo é cego, o homem natural é incapaz de perceber qualquer luz espiritual., porém, quando encontra Cristo o homem natural sai de um estado de trevas para a maravilhosa luz de Cristo C) O candelabro fala de Jesus como luz do mundo. D) Assim como o tabernáculo não tinha luz própria, a igreja sem Cristo não pode refletir a gloriosa luz de Deus no mundo. Versículos para meditar: JO 9.6; IS 49.6; SL 27.1; MT 4.16; JO 1.4-5; JO 3.19-21; JO 8.12; EF 5.8; EF 5.14; FL 2.15; MT 5.16; 1PE 2.9; 1JO 1.7; MT 5.14. IX- O ALTAR DO INCENSARIO Leia Êxodo 30.1-10
  11. 11. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 11 A ultima mobília dentro do Lugar Santo é o altar do incensário. Ficava próximo ao véu do Santo dos Santos. Era uma espécie de arca com quatro chifres feita de madeira de acácia e recoberta de ouro puro. Era usado com incenso ardente, que duas vezes ao dia era oferecido a Deus pelo sacerdote. Ninguém podia sentir o aroma era uma oferta especial para Deus. O altar de incenso nos fala do ministério de Jesus como nosso intercessor, cujas orações em nosso favor, nunca deixam de subir a Deus. Jesus disse a Pedro, "eu orei por você". Os quatro chifres falam do ministério de Cristo que se estende aos quatro cantos da terra. Ele sempre orará pelos seus, não importa onde estão. Ele pode interceder em nosso favor por causa da obra de reconciliação na cruz do Calvário. O incenso era abastecido pelo fogo do altar. Não é qualquer um que ora por nós, mas o Rei, portanto, Ele é representado pela coroa de ouro. Ele conhece nossas fraquezas e nossas falhas, e Ele sempre está intercedendo por nós. Versículos para meditar: SL 141.2; JO 17.9-10; LC 22.31-32; JO 17.15; HB 7.25; 1JO 2.1; RM 8.26- 27; LC 1.8-10; AP 5.8; AP 8.3-4. X- O VÉU "Depois farás um véu de azul, e púrpura, e carmesim, e de linho fino torcido; com querubins de obra prima se fará. E colocá-lo-ás sobre quatro colunas de madeira de acácia, cobertas de ouro; seus colchetes serãode ouro, sobre quatro bases de prata. Pendurarás o véu debaixo dos colchetes, e porás a arca do testemunho ali dentro do véu; e este véu vos fará separação entre o santuário e o lugar santíssimo, e porás a coberta do propiciatório sobre a arca do testemunho no lugar santíssimo." (Êxodo 26:31-34) O véu separava o homem de Deus. Foi pendurado através de argolas de ouro nos quatro pilares de madeira de acácia cobertos com ouro que estavam sobre as bases de prata. A palavra "véu" significa separar. O véu foi feito de linho branco finamente tecido, azul,
  12. 12. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 12 púrpura, e escarlata, da mesma maneira que as cortinas decoradas que cercavam o Santo Lugar com as figuras ricamente ornamentadas de querubins, sendo chamado de "a cortina do Testemunho" ou "o véu". O véu nunca poderia ser tocado exceto pelo sumo sacerdote, somente uma vez por ano para aspergir o sangue no propiciatório no dia da expiação: Lv 16:2 " Disse, pois, o SENHOR a Moisés: Dize a Arão, teu irmão, que não entre no santuário em todo o tempo, para dentro do véu, diante do propiciatório que está sobre a arca, para que não morra; porque eu aparecerei na nuvem sobre o propiciatório." Esse véu era a ultima porta de entrada e era conhecida como A VIDA. O que aprendemos aqui? O véu fala do corpo de Jesus Cristo, como relata o livro de Hebreus no Novo Testamento, que diz que nós podemos entrar confiadamente no Santo dos Santos, pelo sangue de Cristo "pelo véu, isso é, a sua carne". O véu foi rasgado em dois, assim como a lança trespassou o lado de Cristo. Jesus sofreu ao ponto de morrer (na Cruz romana) de modo que nós podemos ter acesso. Hebreus 12:2 nos fala que Ele fez isto tendo em vista o gozo prometido. Ele, o noivo morreu por nós, e só morrendo Ele pôde nos tomar como a sua noiva, e Ele nos tem por toda eternidade. O véu que é rasgado em dois fala do corpo de Jesus Cristo, entregue por nós, para nos dar acesso a Ele. Hb 10:19-22 " Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus, pelo novo e vivo caminho que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne, e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus, cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé, tendo os corações purificados da má consciência, e o corpo lavado com água limpa”. Mt 27:51 " E eis que o véu do templo se rasgou em dois, de alto a baixo; e tremeu a terra, e fenderam-se as pedras;" XI- A ARCA DA ALIANÇA E O PROPICIATORIO - GLÓRIA
  13. 13. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 13 Leia Êxodo 25.10-22 Uma vez por ano, no dia da expiação ( YOM KIPPUR), o Sumo Sacerdote adentrava a parte mais reservado, a parte mais sagrada do tabernáculo, o Santo dos santos. O propósito do lugar Santo dos santos era abrigar a mobília mais sagrada de toda estrutura do tabernáculo, A ARCA DA ALIANÇA. Nela havia sido colocadas as tabuas dos Dez mandamentos, o mana e a vara de Arão que florescera no deserto. Era uma espécie de baú com uma tampa, chamada propiciatório, com Querubins da gloria um frente ao outro com as asas estendidas. Revestida de ouro puro e com uma coroa de ouro puro, ela simbolizava a presença de Deus dentro do tabernáculo. O antigo testamento cita essa arca quase 200 vezes. Era feita de madeira de Acácia e ouro. Já vimos antes que a madeira de acácia e o ouro representavam à natureza humana perfeita de Jesus e o ouro a natureza divina de Cristo. A) A coroa de ouro ao redor do topo da arca fala do Senhor Jesus Cristo como Rei dos reis e Senhor dos senhores. Jesus superou o ataque da oposição contra Ele toda a Sua vida pelos líderes religiosos, a aristocracia judaica, a própria Roma, e até mesmo todo o poder do inimigo. Ele superou plenamente a morte, e ressuscitou triunfalmente e foi coroado de gloria e honra, porque Ele é o Rei. De acordo com João, era Jesus que Isaías viu assentado no trono de glória com os anjos clamando 'Santo, Santo, Santo. '. B) As tábuas de pedra (a Lei) diante de Jesus mostra que Ele cumpriu perfeitamente a Lei e fez toda a Vontade de Deus. A Bíblia diz que Ele "não cometeu nenhum pecado, nem falha alguma foi achada em sua boca". Jesus sentiu a pressão da tentação e toda a sua intensidade, porém, Ele nunca pecou. Até mesmo o Seu olhar, e o tom da Sua voz, refletiam a mesma perfeição da santidade do próprio Deus. A vara de Arão que floresceu, fala de Jesus. Como algo que havia morrido e sobrenaturalmente voltou à vida. Jesus disse, "eu sou a ressurreição e a vida”. O pote dourado com o maná fala de Jesus como o Pão da Vida - a Palavra de Deus -, que desceu do céu para alimentar o mundo que jazia em escuridão e morrendo de fome.
  14. 14. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 14 C) A arca ia adiante do povo, assim como Jesus em JO 10.4 “E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz.”. Vamos meditar um pouco: A arca estava no meio do povo de Deus - Jesus está no seu povo: Jo 14:20 " Naquele dia conhecereis que estou em meu Pai, e vós em mim, e eu em vós. As pessoas deviam seguir a arca - Nós devemos seguir a Jesus: Lc 5:27-28 " E, depois disto, saiu, e viu um publicano, chamado Levi, assentado na recebedoria, e disse-lhe: Segue-me. E ele, deixando tudo, levantou-se e o seguiu." E sem parar, a arca sempre era a primeira para os conduzir. Trazendo morte a todos os inimigos de Deus. A arca trazia bênçãos e maldições. Is 53:2 " Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos." Is 9:6 " Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." Jo 1:14 " E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade." Mt 5:17 " Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir."
  15. 15. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 15 1Pe 2:22 " O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano." Gal 4:4 " Mas, vindo a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei," Jo 11:25 " Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida; quem crê em mim, ainda que esteja morto, viverá;" Jo 6:32 " Disse-lhes, pois, Jesus: Na verdade, na verdade vos digo: Moisés não vos deu o pão do céu; mas meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu." Jo 1:1 " NO princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus." Jo 1:14 " E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade." CONSIDERAÇÕES FINAIS Havia uma glória que se manifestava dentro do Santo dos santos, era a Sheckina de Deus manifestada ao Sumo sacerdote que ministrava diante de Deus. Ex 40:34-35 " Então a nuvem cobriu a tenda da congregação, e a glória do SENHOR encheu o tabernáculo; De maneira que Moisés não podia entrar na tenda da congregação, porquanto a nuvem permanecia sobre ela, e a glória do SENHOR enchia o tabernáculo." Quando a glória do Senhor desceu e encheu o tabernáculo pela primeira vez, deve ter sido um espetáculo temeroso. Deus se agradou do seu povo, não por causa da sua bondade, mas porque os seus pecados foram cobertos e eles um dia seriam pagos por Cristo . Creio que o sumo sacerdote sentiu prazer de entrar na presença do Senhor no Santo dos Santos. A palavra hebraica para habitação ou presença de Deus
  16. 16. Oaidson Bezerra e Silva – O TABERNACULO E SUA TIPOLOGIA Página 16 é "Sh'cheenah" ou, como nós pronunciamos: Shekinah (Chequiná). O termo Shekinah era muitas vezes usado na palavra Deus. Na mente judaica, vinha do fato que Ele "habitou" ou "descansou" entre o seu povo, seja um indivíduo, uma tribo, ou todo o povo judeu. Assim como a glória de Deus descia no tabernáculo, e o Todo Poderoso se fazia presente, assim também Deus se faz presente no meio do Seu povo, na Sua igreja e na sua vida querido leitor. Que a gloria, a força, a honra e a majestade sejam dadas ao Cordeiro de Deus. Amem!

×