Ppt 4 RespiraçãO AeróBia

2.790 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.790
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
383
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppt 4 RespiraçãO AeróBia

  1. 1. OBTENÇÃO DE ENERGIA Respiração aeróbia
  2. 2. Acinonyx jubatus 2 Consegue atingir  velocidades de 110 a 120 km/h, por curtos períodos de cada vez (ao fim de 400 metros de corrida), sendo o mais rápido de todos os animais terrestres. Nuno Correia 08-09
  3. 3. 3 À medida que as células  evoluíram, as suas necessidades energéticas foram aumentando. Nas células eucarióticas,  surgiram organelos especializados - mitocôndrias - capazes de realizar a oxidação completa do ácido pirúvico. Nuno Correia 08-09
  4. 4. Respiração aeróbia 4 Este processo só  ocorre na presença de oxigénio. Nuno Correia 08-09
  5. 5. 5 A fermentação só permite obter cerca de 2% da  energia que pode ser retirada, por oxidação completa, de uma molécula de glicose. Nuno Correia 08-09
  6. 6. Actividade Laboratorial 6 Nuno Correia 08-09
  7. 7. 7 As células dos tecidos vivos,  ao realizarem respiração aeróbia, consomem oxigénio e libertam dióxido de carbono (responsável pela turvação da água de cal). Nuno Correia 08-09
  8. 8. 8 Esta troca de gases  resulta do processo catabólico que conduz à oxidação dos compostos orgânicos, com vista à obtenção de energia. Nuno Correia 08-09
  9. 9. Como se processa a oxidação dos compostos orgânicos em condições de aerobiose? 9 Nuno Correia 08-09
  10. 10. Etapa da respiração aeróbia 10 Nuno Correia 08-09
  11. 11. 11 1ª Etapa – Glicólise  2ª Etapa – Formação de  acetil-coenzima A 3ª Etapa – Ciclo de Krebs  4ª Etapa – Cadeia  transportadora de electrões e fosforilação oxidativa Nuno Correia 08-09
  12. 12. 1ª Etapa - Glicólise 12 Glicose (6C) NAD 2H 2 ATP NADH2 Piruvato (3C) Piruvato (3C) Nuno Correia 08-09
  13. 13. 2ª Etapa – Formação de acetil-coenzima A 13 Na presença de oxigénio,  o ácido pirúvico entra na mitocôndria, onde é descarboxilado (perde uma molécula de CO2) e oxidado (perde um hidrogénio, que é usado para reduzir o NAD+, formando NADH + H+). Nuno Correia 08-09
  14. 14. 3ª Etapa – Ciclo de Krebs 14 Nuno Correia 08-09
  15. 15. 15 O ciclo de Krebs, ou  ciclo do ácido cítrico, é um conjunto de reacções metabólicas que conduz à oxidação completa da glicose. Este conjunto de  reacções ocorre na matriz da mitocôndria. Nuno Correia 08-09
  16. 16. 16 seis moléculas de NADH;  duas moléculas de FADH2  (que tem um papel semelhante ao NADH); duas moléculas de ATP;  quatro moléculas de CO2.  Nuno Correia 08-09
  17. 17. 17 Nuno Correia 08-09
  18. 18. 4ª Etapa – Cadeia transportadora de electrões e fosforilação oxidativa 18 Nuno Correia 08-09
  19. 19. 19 Nuno Correia 08-09
  20. 20. Fermentação / Respiração Aeróbia 20 Nuno Correia 08-09
  21. 21. 21 Em condições de anaerobiose, a degradação da  glicose é incompleta, formando-se, por exemplo: álcool etílico (que ainda contém bastante energia  química potencial) e dióxido de carbono - no caso da fermentação alcoólica; ácido láctico - no caso da fermentação láctica.  Nuno Correia 08-09
  22. 22. 22 Nuno Correia 08-09
  23. 23. 23 Em condições de aerobiose, a degradação da  glicose é completa, formando-se compostos simples, água e dióxido de carbono (mais pobres em energia do que o álcool etílico ou o ácido láctico). Nuno Correia 08-09
  24. 24. 24 A fermentação e a  respiração aeróbia são duas vias possíveis de degradação dos compostos orgânicos - vias catabólicas - que permitem às células retirar diferentes quantidades de energia química desses compostos. Nuno Correia 08-09
  25. 25. Nuno Correia 08-09 25

×