SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 21
Nuno Correia




CRUZAMENTO DE PLANTAS
E CRIAÇÃO DE ANIMAIS
      Biologia 12º (Parte I)
Criação de animais
A criação de animais em
  espaços confinados e
  densamente ocupados
  como aviários e
  suinicultura, permite
  produzir grandes
  quantidades de carne
  em pouco tempo.


                          Nuno Correia
Clonagem de animais
A clonagem de animais, pode
   ser conseguida através de
   fecundação in vitro
   seguida de divisão e
   transferência de embriões.
As primeiras células que
   resultam da divisão do
   zigoto são totipotentes e
   podem ser separadas e
   cultivadas em meio de
   cultura apropriado, dando
   origem, cada uma delas, a
   um embrião que é
   implantado no útero de
   uma fêmea.

                                Nuno Correia
Esta técnica permite a selecção
   de gâmetas de animais com
   características vantajosas, que,
   assim, vão originando
   numerosos descendentes, num
   curto espaço de tempo.

A generalização da clonagem
   animal será acompanhada por
   uma perda de variabilidade
   genética, que se traduz numa
   menor capacidade de
   adaptação da espécie às
   alterações do ambiente.


                                      Nuno Correia
Público , 24 de Abril
    2008




Nuno Correia
Proteína animal




                  Nuno Correia
Nuno Correia
Nuno Correia
A aquicultura desempenha, na União Europeia, um papel semelhante ao da
pesca.
Ao colocar no mercado peixe, crustáceos e moluscos, a aquicultura contribui
para reduzir o desequilíbrio entre importações e exportações comunitárias de
pescado.
Além disso, cria postos de trabalho em zonas onde, em geral, não existem
outras indústrias. Os consumidores beneficiam da variedade dos produtos da
aquicultura, que são um complemento aos produtos da pesca.


O sector da aquicultura da União alargada (UE-25) produz um total de
1,3 milhões de toneladas de produtos de pesca por ano, o que
corresponde a um valor de cerca de 3 mil milhões de euros. Calcula-se
que seja responsável por cerca de 80.000 postos de trabalho a tempo inteiro
ou parcial, ou que corresponde a 57 000 postos de trabalho a tempo inteiro.




                                                          http://ec.europa.eu

                                         Nuno Correia
A aquicultura comunitária
  abrange três
  actividades principais:
 a piscicultura marinha;

 a cultura marinha de
  crustáceos e moluscos;
 a aquicultura de água

  doce.


                            Nuno Correia
Quatro espécies
  dominam a
  produção
  comunitária:
a truta,
o salmão,
o mexilhão
 a ostra.

                  Nuno Correia
Em resultado de um melhor conhecimento das
  necessidades dos peixes de cultura e do progresso
  tecnológico, os piscicultores estão a orientar-se
  para espécies mais exóticas, como o robalo, a
  dourada e o pregado.

A diversificação das espécies reforça a capacidade
  dos produtores face à concorrência mundial.


                            Nuno Correia
Em 2002, a Comissão Europeia lançou uma estratégia de
  desenvolvimento para o sector da aquicultura. Essa estratégia
  assenta em três objectivos:

      Criar empregos seguros a longo prazo, nomeadamente em zonas que
       dependem da pesca, aumentando em 8 000 a 10 000 o número de
       postos de trabalho em equivalentes a tempo inteiro no período de
       2003-2008.

      Assegurar que sejam disponibilizados aos consumidores produtos
       saudáveis, seguros e de boa qualidade, bem como promover normas
       exigentes em matéria de sanidade animal e de bem-estar dos animais.

      Garantir que a aquicultura seja uma actividade válida do ponto de
       vista ambiental.

                                         Nuno Correia
Transformação (0 sector da transformação de peixe na
União Europeia)



   Antes de ser comercializado, qualquer produto é de alguma
    forma manuseado, preparado ou transformado.
    Estes processos incluem o corte, a filetagem, a salga, a
    secagem, a defumação, a cozedura, a congelação ou o
    fabrico de conservas.
   O sector europeu da transformação de produtos de pesca
    emprega um número significativo de pessoas em toda a
    União, especialmente nas zonas que dependem da pesca.
   Mais de 135.000 europeus trabalham neste sector, a
    maioria dos quais exerce a sua actividade em empresas
    com 20 ou menos trabalhadores.

                                 Nuno Correia
O consumo de produtos da pesca transformados,
 sobretudo sob a forma de refeições preparadas,
 tem vindo a aumentar na União.
O valor da produção anual deste sector eleva-se a
 cerca de 18 mil milhões de euros, quase o dobro
 do valor cumulativo registado pelos sectores da
 pesca e da aquicultura


                           Nuno Correia
Os produtos de maior relevo oriundos da indústria de
 transformação de peixe são :
   as preparações e as conservas de peixe (6,7 mil
   milhões de euros)
   peixe fresco, refrigerado, congelado, fumado ou seco
   (5,2 mil milhões de euros).

  As empresas deste sector são especialmente vulneráveis
    às flutuações do abastecimento. Devem, deste modo,
    recorrer às importações para assegurar um
    abastecimento regular dos produtos da pesca.
                              Nuno Correia
Nuno Correia
A Biotecnologia assume um papel importante na
produção animal

   A criação intensiva de animais nasceu em Inglaterra, no
    século XVIII, durante a Revolução Industrial, para
    satisfazer o aumento populacional verificado na altura.
   A Biotecnologia tem múltiplas aplicações na área
    animal.
   Envolve um mercado economicamente rentável, que faz
    com que os investimentos na área sejam cada vez mais
    fortes e aumente a competição entre empresas, que,
    por seu turno, faz aumentar os capitais na investigação.


                                 Nuno Correia
Aplicações biotecnológicas

   a criação de cabras, porcas e ovelhas transgénicas
    que produzem, no leite, proteínas humanas de
    importância biomédica, como anticoagulantes, por
    exemplo. Estes animais são designados biorreactores,
    pelo facto de produzirem proteínas que serão
    posteriormente extraídas;
   o uso de organismos para estudos moleculares que
    contribuam para testar agentes terapêuticos de
    prevenção e combate a doenças;
   melhoria nas taxas de crescimento e produção de
    fibras têxteis (lã). Os casos de maior sucesso no
    aumento de massa corporal ocorreram com peixes e
    na produção de têxteis, onde se verificou um
    aumento de 6% na produção de lã, sem haver
    alteração nas propriedades das fibras;
   a obtenção de animais com defesas selectivas para
    determinadas doenças, como, por exemplo, bovinos,
    suínos e ratos com resistência ao vírus Influenza
    (gripe).


                                                           Nuno Correia
  Para os animais que são criados
   actualmente em pecuárias, a
   Biotecnologia apresenta instrumentos,
   nomeadamente, o uso de anticorpos e
   PCR, para detectar doenças,
   permitindo controlá-las
   antecipadamente e evitar a sua
   transmissão hereditária à
   descendência, assim como investigar a
   presença de organismos patogénicos,
   antes do surgimento de uma infecção.
   A Biotecnologia também permite a
   obtenção de animais transgénicos, em
   que incluem, a título de exemplo:
«salmões geneticamente modificados com
   genes para aumentar a sua taxa de
   crescimento;.

                                           Nuno Correia
Criação de animais: uso e abuso de antibióticos

    Uma elevada polémica tem rodeado o uso de
     antibióticos como promotores do crescimento de
     animais criados para consumo humano. Esses
     compostos são usados em doses reduzidas na
     alimentação, e considera-se que melhoram a
     qualidade do produto final, com menor
     percentagem de gordura e aumento do conteúdo
     proteico da carne, dado que os animais adultos
     passam a ser capazes de digerirem mais
     facilmente os alimentos que ingerem.

    A título de exemplo, na Suécia é proibido o uso de antibióticos
     como reguladores de crescimento animal, enquanto nos EUA
     são amplamente usados, incluindo aqueles com aplicação na
     Medicina humana.
    Os porcos são os animais domésticos em que o uso dos
     antibióticos é superior. O instituto de saúde animal dos
     EUA refere que o não uso dos antibióticos implicaria a
     perda de 450 milhões de frangos, 23 milhões de vacas e
     12 milhões de porcos.
    Os humanos podem ser afectados de uma forma directa
     pelos resíduos de antibióticos na carne. Indirectamente,
     podem ser afectados pelo aumento de bactérias
     resistentes aos antibióticos, embora estes factos sejam
     pouco claros e necessitem de ser devidamente
     comprovados.


                                                                Nuno Correia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

44.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais201344.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais2013Leonor Vaz Pereira
 
Cartilha transgenicos
Cartilha transgenicosCartilha transgenicos
Cartilha transgenicosfabio silva
 
Alimentos Trangênicos
Alimentos Trangênicos Alimentos Trangênicos
Alimentos Trangênicos Ana Rita
 
Clonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto KyklosClonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto KyklosPaulo Filho
 
Biotecnologia trangenicos
Biotecnologia trangenicosBiotecnologia trangenicos
Biotecnologia trangenicosprofvinicius
 
Alimentos transgénicos Andrea Ortega
Alimentos transgénicos   Andrea OrtegaAlimentos transgénicos   Andrea Ortega
Alimentos transgénicos Andrea OrtegaAndrea Ortega
 
Biotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'S
Biotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'SBiotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'S
Biotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'SIsnailson Pinheiro
 
Ética e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos TransgenicosÉtica e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos TransgenicosKelton Silva Sena
 
Cultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animaisCultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animaisIsabel Lopes
 
Trabalho de Biotecnologia
Trabalho de BiotecnologiaTrabalho de Biotecnologia
Trabalho de BiotecnologiaMarcos Politelo
 
Transgênicos e aspectos éticos
Transgênicos e aspectos éticosTransgênicos e aspectos éticos
Transgênicos e aspectos éticosConceição Áquila
 
Os alimentos transgénicos
Os alimentos transgénicosOs alimentos transgénicos
Os alimentos transgénicosDaniela Costa
 
Organismos transgênicos
Organismos transgênicosOrganismos transgênicos
Organismos transgênicosmaproejab
 

Mais procurados (20)

45.controlo de pragas2013
45.controlo de pragas201345.controlo de pragas2013
45.controlo de pragas2013
 
44.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais201344.cultivo de plantas criação de animais2013
44.cultivo de plantas criação de animais2013
 
Cartilha transgenicos
Cartilha transgenicosCartilha transgenicos
Cartilha transgenicos
 
Alimentos Trangênicos
Alimentos Trangênicos Alimentos Trangênicos
Alimentos Trangênicos
 
Clonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto KyklosClonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
Clonagem por micropropagação - Projeto Kyklos
 
Biotecnologia trangenicos
Biotecnologia trangenicosBiotecnologia trangenicos
Biotecnologia trangenicos
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Transgênicos final
Transgênicos finalTransgênicos final
Transgênicos final
 
Alimentos transgénicos Andrea Ortega
Alimentos transgénicos   Andrea OrtegaAlimentos transgénicos   Andrea Ortega
Alimentos transgénicos Andrea Ortega
 
Biotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'S
Biotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'SBiotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'S
Biotecnologia - Organismos Geneticamente Modificados - OGM'S
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Ética e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos TransgenicosÉtica e Alimentos Transgenicos
Ética e Alimentos Transgenicos
 
Cultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animaisCultivo de plantas e criação de animais
Cultivo de plantas e criação de animais
 
Trabalho de Biotecnologia
Trabalho de BiotecnologiaTrabalho de Biotecnologia
Trabalho de Biotecnologia
 
Trangênicos
TrangênicosTrangênicos
Trangênicos
 
Organismos transgênico.
Organismos transgênico.Organismos transgênico.
Organismos transgênico.
 
Transgênicos e aspectos éticos
Transgênicos e aspectos éticosTransgênicos e aspectos éticos
Transgênicos e aspectos éticos
 
Os alimentos transgénicos
Os alimentos transgénicosOs alimentos transgénicos
Os alimentos transgénicos
 
Transgênicos
TransgênicosTransgênicos
Transgênicos
 
Organismos transgênicos
Organismos transgênicosOrganismos transgênicos
Organismos transgênicos
 

Destaque

Animais Do NeolíTico
Animais Do NeolíTicoAnimais Do NeolíTico
Animais Do NeolíTico7iesdr
 
O meu animal preferido
O meu animal preferidoO meu animal preferido
O meu animal preferidoHugo Carvalho
 
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidadeFundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidadeDébora Cseri
 
Apresentação animais estimação
Apresentação animais estimaçãoApresentação animais estimação
Apresentação animais estimaçãomalex86
 
Os Animais Domésticos
Os Animais DomésticosOs Animais Domésticos
Os Animais DomésticosMaria Freitas
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIFernanda
 
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animalICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animalRicardo Portela
 
Powerpoint organismos transgénicos
Powerpoint    organismos transgénicosPowerpoint    organismos transgénicos
Powerpoint organismos transgénicosNuno Correia
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Bio
 
Projeto : Animais a nossa volta 2013
 Projeto : Animais a nossa volta 2013 Projeto : Animais a nossa volta 2013
Projeto : Animais a nossa volta 2013Débora Lambert
 
Materiais e Processos Têxteis-Parte 2
Materiais e Processos Têxteis-Parte 2Materiais e Processos Têxteis-Parte 2
Materiais e Processos Têxteis-Parte 2José Carlos de Castro
 

Destaque (20)

Animais Do NeolíTico
Animais Do NeolíTicoAnimais Do NeolíTico
Animais Do NeolíTico
 
Tapeçaria
TapeçariaTapeçaria
Tapeçaria
 
Tapeçaria com som
Tapeçaria com somTapeçaria com som
Tapeçaria com som
 
O meu animal preferido
O meu animal preferidoO meu animal preferido
O meu animal preferido
 
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidadeFundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
Fundamentos de malharia - Estudo do fator de elasticidade
 
Apresentação animais estimação
Apresentação animais estimaçãoApresentação animais estimação
Apresentação animais estimação
 
Animais de estimação.
Animais de estimação.Animais de estimação.
Animais de estimação.
 
Os Animais Domésticos
Os Animais DomésticosOs Animais Domésticos
Os Animais Domésticos
 
Projeto Animais
Projeto AnimaisProjeto Animais
Projeto Animais
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil III
 
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animalICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
ICSA06 - Biotecnologia e saúde animal
 
Powerpoint organismos transgénicos
Powerpoint    organismos transgénicosPowerpoint    organismos transgénicos
Powerpoint organismos transgénicos
 
Mostruário de tecidos
Mostruário de tecidosMostruário de tecidos
Mostruário de tecidos
 
Fibras texteis
Fibras texteisFibras texteis
Fibras texteis
 
Materiais e Processos Têxteis
Materiais e Processos TêxteisMateriais e Processos Têxteis
Materiais e Processos Têxteis
 
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
Biotecnologia e Engenharia Genética (Power Point)
 
Bovino De Leite
Bovino De LeiteBovino De Leite
Bovino De Leite
 
Gado leite
Gado leiteGado leite
Gado leite
 
Projeto : Animais a nossa volta 2013
 Projeto : Animais a nossa volta 2013 Projeto : Animais a nossa volta 2013
Projeto : Animais a nossa volta 2013
 
Materiais e Processos Têxteis-Parte 2
Materiais e Processos Têxteis-Parte 2Materiais e Processos Têxteis-Parte 2
Materiais e Processos Têxteis-Parte 2
 

Semelhante a Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)

Special Share Green Technologies - (Fehispor)
Special Share Green Technologies - (Fehispor)Special Share Green Technologies - (Fehispor)
Special Share Green Technologies - (Fehispor)Extremadura Avante
 
Agricultura caraterísticas
Agricultura caraterísticasAgricultura caraterísticas
Agricultura caraterísticasprofcarladias
 
A IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De Atuns
A IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De AtunsA IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De Atuns
A IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De AtunsSamira Mantilla
 
Agricultura e pesca
 Agricultura e pesca Agricultura e pesca
Agricultura e pescaRitaMag2
 
Aquacultura/Aquicultura
Aquacultura/Aquicultura Aquacultura/Aquicultura
Aquacultura/Aquicultura Pedro Pires
 
Aula Introducao TA
Aula Introducao TAAula Introducao TA
Aula Introducao TANaeno
 
Produção industrial de alimentos e seus impactos
Produção industrial de alimentos e seus impactosProdução industrial de alimentos e seus impactos
Produção industrial de alimentos e seus impactosJuliana Nólibos
 
Recursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicosRecursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicosNuno Correia
 
Aulão prevupe biologia.
Aulão prevupe   biologia.Aulão prevupe   biologia.
Aulão prevupe biologia.Ajudar Pessoas
 
Trabalho avaliativo - Outros Agronegócios - recuperação
Trabalho avaliativo - Outros Agronegócios  - recuperaçãoTrabalho avaliativo - Outros Agronegócios  - recuperação
Trabalho avaliativo - Outros Agronegócios - recuperaçãoJobenemar Carvalho
 
Criacao organica de_aves
Criacao organica de_avesCriacao organica de_aves
Criacao organica de_avesJoyce Muzy
 
Aula 1 piscicultura - questões economicas e mercado consumidor
Aula 1   piscicultura - questões economicas e mercado consumidorAula 1   piscicultura - questões economicas e mercado consumidor
Aula 1 piscicultura - questões economicas e mercado consumidorJeovaci Martins Da Rocha Júnior
 

Semelhante a Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais) (20)

Special Share Green Technologies - (Fehispor)
Special Share Green Technologies - (Fehispor)Special Share Green Technologies - (Fehispor)
Special Share Green Technologies - (Fehispor)
 
Biodiversidade & Consumo
Biodiversidade & ConsumoBiodiversidade & Consumo
Biodiversidade & Consumo
 
Agricultura caraterísticas
Agricultura caraterísticasAgricultura caraterísticas
Agricultura caraterísticas
 
Bem estar
Bem estarBem estar
Bem estar
 
A IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De Atuns
A IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De AtunsA IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De Atuns
A IrradiaçãO Como MéTodo De ConservaçãO De Atuns
 
Agricultura e pesca
 Agricultura e pesca Agricultura e pesca
Agricultura e pesca
 
Aquacultura/Aquicultura
Aquacultura/Aquicultura Aquacultura/Aquicultura
Aquacultura/Aquicultura
 
Aula Introducao TA
Aula Introducao TAAula Introducao TA
Aula Introducao TA
 
Produção industrial de alimentos e seus impactos
Produção industrial de alimentos e seus impactosProdução industrial de alimentos e seus impactos
Produção industrial de alimentos e seus impactos
 
Aula_3
Aula_3Aula_3
Aula_3
 
Recursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicosRecursos BiolóGicos
Recursos BiolóGicos
 
Artigo bioterra v21_n1_01
Artigo bioterra v21_n1_01Artigo bioterra v21_n1_01
Artigo bioterra v21_n1_01
 
Aulão prevupe biologia.
Aulão prevupe   biologia.Aulão prevupe   biologia.
Aulão prevupe biologia.
 
Manual de Pescado Fresco
Manual de Pescado FrescoManual de Pescado Fresco
Manual de Pescado Fresco
 
Aquicultura
AquiculturaAquicultura
Aquicultura
 
Vantagens do bft
Vantagens do bftVantagens do bft
Vantagens do bft
 
Trabalho avaliativo - Outros Agronegócios - recuperação
Trabalho avaliativo - Outros Agronegócios  - recuperaçãoTrabalho avaliativo - Outros Agronegócios  - recuperação
Trabalho avaliativo - Outros Agronegócios - recuperação
 
Industria do pescado 1
Industria do pescado 1Industria do pescado 1
Industria do pescado 1
 
Criacao organica de_aves
Criacao organica de_avesCriacao organica de_aves
Criacao organica de_aves
 
Aula 1 piscicultura - questões economicas e mercado consumidor
Aula 1   piscicultura - questões economicas e mercado consumidorAula 1   piscicultura - questões economicas e mercado consumidor
Aula 1 piscicultura - questões economicas e mercado consumidor
 

Mais de Nuno Correia

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1Nuno Correia
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações ClimáticasNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celularNuno Correia
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoralNuno Correia
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipoNuno Correia
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonasNuno Correia
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontaisNuno Correia
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasiaNuno Correia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismoNuno Correia
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentesNuno Correia
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidadeNuno Correia
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimasNuno Correia
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insularesNuno Correia
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentesNuno Correia
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Nuno Correia
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)Nuno Correia
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Nuno Correia
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Nuno Correia
 

Mais de Nuno Correia (20)

Sismologia parte 1
Sismologia   parte 1Sismologia   parte 1
Sismologia parte 1
 
Geologia - Variações Climáticas
Geologia   - Variações ClimáticasGeologia   - Variações Climáticas
Geologia - Variações Climáticas
 
Biologia 12 imunidade celular
Biologia 12   imunidade celularBiologia 12   imunidade celular
Biologia 12 imunidade celular
 
Biologia 12 imunidade humoral
Biologia 12   imunidade humoralBiologia 12   imunidade humoral
Biologia 12 imunidade humoral
 
Geologia 12 estratotipo
Geologia 12   estratotipoGeologia 12   estratotipo
Geologia 12 estratotipo
 
Geologia 12 biozonas
Geologia 12   biozonasGeologia 12   biozonas
Geologia 12 biozonas
 
Geologia 12 movimentos horizontais
Geologia 12   movimentos horizontaisGeologia 12   movimentos horizontais
Geologia 12 movimentos horizontais
 
Geologia 12 isostasia
Geologia 12   isostasiaGeologia 12   isostasia
Geologia 12 isostasia
 
Geologia 12 paleomagnetismo
Geologia 12   paleomagnetismoGeologia 12   paleomagnetismo
Geologia 12 paleomagnetismo
 
Geologia 12 deriva dos continentes
Geologia 12   deriva dos continentesGeologia 12   deriva dos continentes
Geologia 12 deriva dos continentes
 
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12   biologia e os desafios da atualidadeBiologia 12   biologia e os desafios da atualidade
Biologia 12 biologia e os desafios da atualidade
 
Geologia 12 paleoclimas
Geologia 12   paleoclimasGeologia 12   paleoclimas
Geologia 12 paleoclimas
 
Geologia 12 arcos insulares
Geologia 12   arcos insularesGeologia 12   arcos insulares
Geologia 12 arcos insulares
 
Deriva dos continentes
Deriva dos continentesDeriva dos continentes
Deriva dos continentes
 
Zonas costeiras
Zonas costeirasZonas costeiras
Zonas costeiras
 
Genética
GenéticaGenética
Genética
 
Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)Genética (monobridismo)
Genética (monobridismo)
 
Genética (monobridismo exercícios)
Genética (monobridismo   exercícios)Genética (monobridismo   exercícios)
Genética (monobridismo exercícios)
 
Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)Genética (dominância incompleta)
Genética (dominância incompleta)
 
Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)Genética (diibridismo)
Genética (diibridismo)
 

Powerpoint 6 ExploraçãO Das Potencialidades Da Biosfera Ii (Animais)

  • 1. Nuno Correia CRUZAMENTO DE PLANTAS E CRIAÇÃO DE ANIMAIS Biologia 12º (Parte I)
  • 2. Criação de animais A criação de animais em espaços confinados e densamente ocupados como aviários e suinicultura, permite produzir grandes quantidades de carne em pouco tempo. Nuno Correia
  • 3. Clonagem de animais A clonagem de animais, pode ser conseguida através de fecundação in vitro seguida de divisão e transferência de embriões. As primeiras células que resultam da divisão do zigoto são totipotentes e podem ser separadas e cultivadas em meio de cultura apropriado, dando origem, cada uma delas, a um embrião que é implantado no útero de uma fêmea. Nuno Correia
  • 4. Esta técnica permite a selecção de gâmetas de animais com características vantajosas, que, assim, vão originando numerosos descendentes, num curto espaço de tempo. A generalização da clonagem animal será acompanhada por uma perda de variabilidade genética, que se traduz numa menor capacidade de adaptação da espécie às alterações do ambiente. Nuno Correia
  • 5. Público , 24 de Abril 2008 Nuno Correia
  • 6. Proteína animal Nuno Correia
  • 9. A aquicultura desempenha, na União Europeia, um papel semelhante ao da pesca. Ao colocar no mercado peixe, crustáceos e moluscos, a aquicultura contribui para reduzir o desequilíbrio entre importações e exportações comunitárias de pescado. Além disso, cria postos de trabalho em zonas onde, em geral, não existem outras indústrias. Os consumidores beneficiam da variedade dos produtos da aquicultura, que são um complemento aos produtos da pesca. O sector da aquicultura da União alargada (UE-25) produz um total de 1,3 milhões de toneladas de produtos de pesca por ano, o que corresponde a um valor de cerca de 3 mil milhões de euros. Calcula-se que seja responsável por cerca de 80.000 postos de trabalho a tempo inteiro ou parcial, ou que corresponde a 57 000 postos de trabalho a tempo inteiro. http://ec.europa.eu Nuno Correia
  • 10. A aquicultura comunitária abrange três actividades principais:  a piscicultura marinha;  a cultura marinha de crustáceos e moluscos;  a aquicultura de água doce. Nuno Correia
  • 11. Quatro espécies dominam a produção comunitária: a truta, o salmão, o mexilhão a ostra. Nuno Correia
  • 12. Em resultado de um melhor conhecimento das necessidades dos peixes de cultura e do progresso tecnológico, os piscicultores estão a orientar-se para espécies mais exóticas, como o robalo, a dourada e o pregado. A diversificação das espécies reforça a capacidade dos produtores face à concorrência mundial. Nuno Correia
  • 13. Em 2002, a Comissão Europeia lançou uma estratégia de desenvolvimento para o sector da aquicultura. Essa estratégia assenta em três objectivos:  Criar empregos seguros a longo prazo, nomeadamente em zonas que dependem da pesca, aumentando em 8 000 a 10 000 o número de postos de trabalho em equivalentes a tempo inteiro no período de 2003-2008.  Assegurar que sejam disponibilizados aos consumidores produtos saudáveis, seguros e de boa qualidade, bem como promover normas exigentes em matéria de sanidade animal e de bem-estar dos animais.  Garantir que a aquicultura seja uma actividade válida do ponto de vista ambiental. Nuno Correia
  • 14. Transformação (0 sector da transformação de peixe na União Europeia)  Antes de ser comercializado, qualquer produto é de alguma forma manuseado, preparado ou transformado.  Estes processos incluem o corte, a filetagem, a salga, a secagem, a defumação, a cozedura, a congelação ou o fabrico de conservas.  O sector europeu da transformação de produtos de pesca emprega um número significativo de pessoas em toda a União, especialmente nas zonas que dependem da pesca.  Mais de 135.000 europeus trabalham neste sector, a maioria dos quais exerce a sua actividade em empresas com 20 ou menos trabalhadores. Nuno Correia
  • 15. O consumo de produtos da pesca transformados, sobretudo sob a forma de refeições preparadas, tem vindo a aumentar na União. O valor da produção anual deste sector eleva-se a cerca de 18 mil milhões de euros, quase o dobro do valor cumulativo registado pelos sectores da pesca e da aquicultura Nuno Correia
  • 16. Os produtos de maior relevo oriundos da indústria de transformação de peixe são :  as preparações e as conservas de peixe (6,7 mil milhões de euros)  peixe fresco, refrigerado, congelado, fumado ou seco (5,2 mil milhões de euros). As empresas deste sector são especialmente vulneráveis às flutuações do abastecimento. Devem, deste modo, recorrer às importações para assegurar um abastecimento regular dos produtos da pesca. Nuno Correia
  • 18. A Biotecnologia assume um papel importante na produção animal  A criação intensiva de animais nasceu em Inglaterra, no século XVIII, durante a Revolução Industrial, para satisfazer o aumento populacional verificado na altura.  A Biotecnologia tem múltiplas aplicações na área animal.  Envolve um mercado economicamente rentável, que faz com que os investimentos na área sejam cada vez mais fortes e aumente a competição entre empresas, que, por seu turno, faz aumentar os capitais na investigação. Nuno Correia
  • 19. Aplicações biotecnológicas  a criação de cabras, porcas e ovelhas transgénicas que produzem, no leite, proteínas humanas de importância biomédica, como anticoagulantes, por exemplo. Estes animais são designados biorreactores, pelo facto de produzirem proteínas que serão posteriormente extraídas;  o uso de organismos para estudos moleculares que contribuam para testar agentes terapêuticos de prevenção e combate a doenças;  melhoria nas taxas de crescimento e produção de fibras têxteis (lã). Os casos de maior sucesso no aumento de massa corporal ocorreram com peixes e na produção de têxteis, onde se verificou um aumento de 6% na produção de lã, sem haver alteração nas propriedades das fibras;  a obtenção de animais com defesas selectivas para determinadas doenças, como, por exemplo, bovinos, suínos e ratos com resistência ao vírus Influenza (gripe). Nuno Correia
  • 20.  Para os animais que são criados actualmente em pecuárias, a Biotecnologia apresenta instrumentos, nomeadamente, o uso de anticorpos e PCR, para detectar doenças, permitindo controlá-las antecipadamente e evitar a sua transmissão hereditária à descendência, assim como investigar a presença de organismos patogénicos, antes do surgimento de uma infecção. A Biotecnologia também permite a obtenção de animais transgénicos, em que incluem, a título de exemplo: «salmões geneticamente modificados com genes para aumentar a sua taxa de crescimento;. Nuno Correia
  • 21. Criação de animais: uso e abuso de antibióticos  Uma elevada polémica tem rodeado o uso de antibióticos como promotores do crescimento de animais criados para consumo humano. Esses compostos são usados em doses reduzidas na alimentação, e considera-se que melhoram a qualidade do produto final, com menor percentagem de gordura e aumento do conteúdo proteico da carne, dado que os animais adultos passam a ser capazes de digerirem mais facilmente os alimentos que ingerem.  A título de exemplo, na Suécia é proibido o uso de antibióticos como reguladores de crescimento animal, enquanto nos EUA são amplamente usados, incluindo aqueles com aplicação na Medicina humana.  Os porcos são os animais domésticos em que o uso dos antibióticos é superior. O instituto de saúde animal dos EUA refere que o não uso dos antibióticos implicaria a perda de 450 milhões de frangos, 23 milhões de vacas e 12 milhões de porcos.  Os humanos podem ser afectados de uma forma directa pelos resíduos de antibióticos na carne. Indirectamente, podem ser afectados pelo aumento de bactérias resistentes aos antibióticos, embora estes factos sejam pouco claros e necessitem de ser devidamente comprovados. Nuno Correia