Bg 11 lamarquismo

1.250 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.250
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
177
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bg 11 lamarquismo

  1. 1. BIOLOGIA E GEOLOGIALam 11arquismo
  2. 2. Nuno Correia 2012/13 2
  3. 3. Foi através do estudo de espécies de conchas fossilizadas deinvertebrados marinhos extintos que Lamarck concluiu que asespécies deveriam evoluir, isto é, transformar-se, ao longo do tempo. Nuno Correia 2012/13 3
  4. 4. LAMARQUISMO Geração Espécie Espécie Espécieespontânea A B C Tempo 4 Nuno Correia 2012/13
  5. 5. As ideias de Lamarck, para explicar a existência da evolução, podem resumir-se em dois princípios fundamentais: Lei do uso e do desuso Lei da herança dos caracteres adquiridos Nuno Correia 2012/13 5
  6. 6. ADAPTAÇÃO Faculdade dos seres vivos de desenvolverem características estruturais ou funcionais quelhes permitissem sobreviver e reproduzir-se em determinado ambiente. 6 Nuno Correia 2012/13
  7. 7. O AMBIENTE CONDICIONA A EVOLUÇÃO Mamífero Peixe Nuno Correia 2012/13 7
  8. 8. "Eis uma ave terrestre que é obrigada a viver em regiões inundadas ou transformadas em lagos. Levada a procurar o alimento nas águas, quer dizer, obrigada a nadar, faz esforços para este fim ; por isso, afasta os dedos e a pele que une a base destes, que adquire o hábito de se distender. À força de esforços repetidos durante gerações, esta pele desenvolver -se-ia lentamente, cresceria pouco a pouco, milímetro a milímetro . Tal seria a origem da membrana interdigital, caracter ística das patas dos gansos, dos patos e dos cisnes." Lamarck Nuno Correia 2012/13 8
  9. 9. Nuno Correia 2012/13 9
  10. 10. LEI DO USO E DESUSO Nuno Correia 2012/13 10
  11. 11. As modificações que levam à adaptação são explicadas pela lei do uso e desuso. Photo: Mustafa Öztürk 11 Nuno Correia 2012/13
  12. 12. 12 Há milhares de anos os meus Tanto tempo ancestrais geológico para esticaram as chegar aqui! patas e oTenho de me pescoço! contentarsempre com os peixes pequenos !! Nuno Correia 2012/13
  13. 13. SEGUNDO LAMARCK os organismos complexos originaram -seprogressivamente, a par tir de outros mais simples. 13 Nuno Correia 2012/13
  14. 14. SEGUNDO LAMARCKEm resposta às solicitações do ambiente, os organismos adquirem ou perdem determinadas características e essas alterações são transmitidas à descendência. 14 Nuno Correia 2012/13
  15. 15. 15Nuno Correia 2012/13
  16. 16. NÃO É VÁLIDA A TEORIA… O hábito já antigo de cortar a cauda aos cachorros, não faz com que os descendentes nasçam sem cauda 16 Nuno Correia 2012/13
  17. 17. NEOLAMARQUISMO - EPIGENÉTICA Nuno Correia 2012/13 17
  18. 18. EPIGENÉTICA Arthur Riggshttp://www.youtube.com/watch?v=VbUvjvC2HaE Nuno Correia 2012/13 18
  19. 19. EPIGENÉTICA Robin Holliday - definiu epigenética como "o estudo dos mecanismos de controle temporal e espacial da atividade dos genes durante o desenvolvimento de organismos complexos". A epigenética pode ser usada para descrever qualquer coisa, que não cause alteração de sequência de DNA, e que influencie o desenvolvimento de um organismo.http://biologiadoenvolvimento.blogspot.pt/2011/07/breve-historico-da-epigenetica.htm Nuno Correia 2012/13 19
  20. 20. EPIGENÉTICAArthur Riggs - A metilação do DNA podia ser umimportante mecanismo para o controle da expressãogénica em organismos superiores.O DNA contém quatro unidades de informação:adenina, guanina, citosina e timina.Mas uma quinta base é produzida através dealteração química, que é a metil-citosina .Acreditava-se que a citosina metilada ou metil-citosina podia ter um papel importante no controleda atividade do gene.Também foi proposto que o padrão de citosinametilada poderia ser herdado através de divisõescelulares.Na época não haviam evidências diretas sobre estecontrole da expressão génica via metilação decitosinas e hoje isso tornou-se documentado comoum mecanismo básico da epigenética para osilenciamento de genes. Nuno Correia 2012/13 20
  21. 21. Nuno Correia 2012/13 21

×