Bg 11 diversidade de estratégias na reprodução sexuada - 1

3.507 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • muito obg por partilhar o seu otimo material
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.507
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.055
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
175
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bg 11 diversidade de estratégias na reprodução sexuada - 1

  1. 1. BIOLOGIA E GEOLOGIA Diversidade de estratégias na reprodução sexuada - I 11
  2. 2. DIVERSIDADE DE ESTRATÉGIAS NA REPRODUÇÃO SEXUADA Nuno Correia 2012/13 2
  3. 3. GÓNADASEstruturas onde se produzem gâmetas . TestículosGónadas Ovários Nuno Correia 2012/13 3
  4. 4. Nuno Correia 2012/13 4
  5. 5. Nuno Correia 2012/13 5
  6. 6. HERMAFRODITASPresença simultânea ousucessiva do sexo masculino edo sexo feminino no mesmoindivíduo.Comum nas plantas mas podeser uma característica decertas espécies animais ouresultar de uma anomalia dodesenvolvimento. Nuno Correia 2012/13 6
  7. 7. HERMAFRODITAS Nuno Correia 2012/13 7
  8. 8. Nuno Correia 2012/13 8
  9. 9. A impossibilidade de um hermafrodita se auto- reproduzir apresenta vantagens, pois anecessidade de recorrer a um parceiro garante diversidade na descendência. Nuno Correia 2012/13 9
  10. 10. Nuno Correia 2012/13 10
  11. 11. Os parasitas apresentam probabilidade mínima de se cruzar com um outro indivíduo. Nuno Correia 2012/13 11
  12. 12. HermafroditasSuficientes Insuficientes Nuno Correia 2012/13 12
  13. 13. FECUNDAÇÃO Nuno Correia 2012/13 13
  14. 14. Para que ocorra fecundação é necessário sincronismo na produção degâmetas por parte dos dois progenitores,, o que pode resultar quer de estímulos ambientais quer de estímulos sociais. Nuno Correia 2012/13 14
  15. 15. FECUNDAÇÃO EXTERNA Limitada ameio aquático Nuno Correia 2012/13 15
  16. 16. Nuno Correia 2012/13 16
  17. 17. Nuno Correia 2012/13 17
  18. 18. Esta fecundação exige uma produção maciçade gâmetas, dado que a probabilidade de estes se encontrarem é baixa, bem como uma produção simultânea dos mesmos. Nuno Correia 2012/13 18
  19. 19. Para que ocorra fecundação é necessário sincronismo naprodução de gâmetas por parte dos dois progenitores,, oque pode resultar quer de estímulos ambientais quer de estímulos sociais. 19 Nuno Correia 2012/13
  20. 20. Nuno Correia 2012/13 20
  21. 21. No outono, os salmões fêmeas escavam ninhos nos fundosdos cursos de água.Neles depositam os gâmetas que os machos cobrem com oesperma. Três meses depois nascem os jovens salmões. 21 Nuno Correia 2012/13
  22. 22. No meio terrestre, é necessário uma fecundaçãointerna para não comprometer a mobilidade dos gâmetas e a hidratação do ovo (ou zigoto).. Nuno Correia 2012/13 22
  23. 23. FECUNDAÇÃO INTERNA Nuno Correia 2012/13 23
  24. 24. Vantagem: poupança energética na produção de gâmetas.Exigências: Desenvolvimento de um órgão copulador (forma de depositarum tipo de gâmetas no interior do organismo do sexo oposto). 24 Nuno Correia 2012/13
  25. 25. InternaNuno Correia 2012/13 25
  26. 26. OVIPARIDADEReprodução por meio de ovo postosna terra ou na água, seja qual for oestádio de desenvolvimento doembrião no momento da postura ea duração da incubação externa. Nuno Correia 2012/13 26
  27. 27. Nuno Correia 2012/13 27
  28. 28. DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DE UMA AVE Nuno Correia 2012/13 28
  29. 29. EMBRIÃO DE UMA AVE Esta imagem incrível é uma ampliação 6x de um embrião de galinha, tirada com estereomicroscopia. Nuno Correia 2012/13 29
  30. 30. Nuno Correia 2012/13 30
  31. 31. Numa pesquisa com ovos de tartaruga, foi descoberto que os embriões se posicionamdentro do ovo de acordo com o local mais quente, resultado extremamenteinteressante, uma vez que o sexo do animal varia devido a temperatura em que seencontra. Nuno Correia 2012/13 31
  32. 32. Nuno Correia 2012/13 32
  33. 33. Ovos de PolvoNuno Correia 2012/13 33
  34. 34. Nuno Correia 2012/13 34
  35. 35. OVOVIVIPARIDADEReprodução na qual os ovos sedesenvolvem dentro do corpomaterno sem receber nutriçãoda progenitora e eclodemdentro desta ou imediatamenteapós a postura. Nuno Correia 2012/13 35
  36. 36. OVO DE TUBARÃOOvo de tubarão (Chondrichthyes) Nuno Correia 2012/13 36
  37. 37. VIVIPARIDADEProcesso de reprodução dosmamíferos em que o feto sedesenvolve no interior docorpo materno. Nuno Correia 2012/13 37
  38. 38. MARSUPIAISFilhote canguru na bolsa (marsúpio) da mãe, aos sete meses.A gestação é incompleta e o desenvolvimento fetal realiza-se numa bolsa ondese encontram as glândulas mamárias. Nuno Correia 2012/13 38
  39. 39. PLACENTÁRIOS 39 Nuno Correia 2012/13
  40. 40. PLACENTÁRIOSGestação longa dando origem a umser completamente formado.A placenta é um órgão de origemmista permitindo a difusão desubstâncias do organismo maternopara o feto. 40 Nuno Correia 2012/13
  41. 41. PLACENTA Nuno Correia 2012/13 41
  42. 42. Nuno Correia 2012/13 42
  43. 43. DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO DO MORCEGO Nuno Correia 2012/13 43
  44. 44. Nuno Correia 2012/13 44
  45. 45. Nuno Correia 2012/13 45
  46. 46. Nuno Correia 2012/13 46

×