AlteraçãO Da Qualidade Da áGua

7.496 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.496
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
193
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

AlteraçãO Da Qualidade Da áGua

  1. 1. Nuno Correia ALTERAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA Biologia 12 Preservar e Recuperar o Meio Ambiente
  2. 2. Espanha: Falta de água em Barcelona muda hábitos e mentalidades ** Ricardo Chega, da agência Lusa ** Sem chuva e com as barragens a registarem o seu nível mínimo, os catalães não poderão lavar os seus automóveis, encher piscinas, regar jardins e hortas, lavar quintais ou tomar três ou quatro banhos ao dia. O jornalista catalão Daniel Solano confessou à agência Lusa que quot;a escassez de água é verdadeiramente preocupante, mais do que as pessoas julgam. O único lado positivo é a tomada de consciência por parte da administração e da sociedadequot;. Na opinião de Solano, quot;na Catalunha nunca nos preocupámos com os nossos recursos naturais. Sempre desperdiçámosquot;, por isso quot;é urgente mudar mentalidadesquot;. Convencido de que quot;muitos estão acostumados a viver desperdiçando a águaquot;, Daniel Solano mostrou-se de acordo com as multas, restrições e proibições que o governo catalão impôs aos cidadãos que desperdicem água e que podem ir até aos 3.000 euros. Daniel Solano acha que todos os catalães quot;gostariam de ter uma vivenda com piscina, muita água para regar grandes jardins, lavar os seus carros, lavar os seus animaizinhos, lavar quintais. Mas agora tudo isso acabouquot;. O que não se pode fazer agora - lembrou -- é apelar à solidariedade das regiões que tiveram o cuidado de poupar água. quot;Sempre desperdiçámos e agora pedimos que aqueles que pouparam sejam solidários connosco. Teríamos que ser mais previdentesquot;, disse Solano. O jornalista partilha um apartamento com mais cinco pessoas, onde a factura de água é, em média, de 30 euros por mês. Nuno Correia
  3. 3. Origem As primeiras águas inundaram a Terra quente quando ela ainda sofria acreção (4000 Ma) Nuno Correia
  4. 4. Pouco a pouco a Terra arrefeceu… até que um dia, a água retida na atmosfera começou a precipitar. Nuno Correia
  5. 5. Ciclo da água Nuno Correia
  6. 6. O vapor de água é o mais importante contribuinte para o “efeito de estufa” (36% a 66%) e juntamente com as nuvens, perfaz entre 66% e 85% do efeito total. Nuno Correia
  7. 7. A atmosfera não é comparável a uma estufa. Numa estufa o aquecimento, deve-se, principalmente, à falta de convecção do ar. Nuno Correia
  8. 8. Água em todos os seus estados Nuno Correia
  9. 9. Recursos hídricos Nuno Correia
  10. 10. Stress Hídrico Consumo superior a 10% das reservas de água doce. Nuno Correia
  11. 11. Guerra da água Nuno Correia
  12. 12. Aquíferos Formações geológicas subterrâneas capazes de armazenar água e permitir a sua circulação e extracção de forma economicamente rentável. Nuno Correia
  13. 13. Nuno Correia
  14. 14. Nuno Correia
  15. 15. Lagos e rios subterrâneos não são aquíferos. Nos aquíferos, a água encontra-se armazenada nas minúsculas porosidades da rocha. Nuno Correia
  16. 16. Águas minerais naturais / águas de nascente Nuno Correia
  17. 17. Água Mineral natural  Bacteriologicamente própria.  Circulação subterrânea com características físico- químicas estáveis.  Pode ter efeitos favoráveis à saúde.  Apresenta pureza original e teor em substâncias minerais ou outros constituintes. Nuno Correia
  18. 18. Água mineral efervescente Liberta espontaneamente CO2 e de forma perceptível nas condições normais de pressão e temperatura, quer na origem quer após o engarrafamento. Nuno Correia
  19. 19. Águas de nascente Águas subterrâneas bacteriologicamente próprias com características que as tornam adequadas para o consumo humano no seu estado natural. Nuno Correia
  20. 20. Utilização da água Nuno Correia
  21. 21. Agricultura A maior parte da água é usada na agricultura. Irrigar menos permite diminuir a infiltração de nitratos, pesticidas. Curiosamente a tendência é aumentar a irrigação. Nuno Correia
  22. 22. Agricultura em Israel Nuno Correia
  23. 23. Devido à utilização massiva de determinados produtos, verificam-se efeitos negativos nos ecossistemas de água doce. Nuno Correia
  24. 24. Poluição na Ucrânia Nuno Correia
  25. 25. Poluição no mar Cáspio Nuno Correia
  26. 26. Sinergismos Efeito cooperativo em que o impacto causado por vários poluentes em simultâneo é superior à soma dos impactos dos poluentes quando aplicados isoladamente. Nuno Correia
  27. 27. Eutrofização Enriquecimento excessivo em nutrientes, principalmente azoto e fósforo, que promovem o desenvolvimento de organismos fotoautotróficos, como algas verdes e cianobactérias. Nuno Correia
  28. 28. Eutrofização de um lago Nuno Correia
  29. 29. Eutrofização Natural  Processo natural e lento.  Associado à lenta evolução dos ecossistemas.  Ecossistema lacustre transforma-se num ecossistema terrestre. Nuno Correia
  30. 30. Eutrofização cultural ou acelerada  Enriquecimento de nutrientes devido às actividades humanas.  Exemplo : Suiniculturas Nuno Correia
  31. 31. Lagos eutróficos  Alta concentração de nutrientes. Nuno Correia
  32. 32. Lagos oligotróficos  Baixa concentração de nutrientes. Nuno Correia
  33. 33. Qualidade das águas Para caracterização das águas são realizados exames e análises de variáveis físicas, químicas e biológicas. Nuno Correia
  34. 34. CBO (Carência bioquímica de oxigénio) Quantidade de oxigénio dissolvido na água necessário para a decomposição de matéria orgânica para que ocorra a reciclagem dessa matéria. Nuno Correia
  35. 35. Proliferação de bactérias Nuno Correia
  36. 36. Variação da CBO Nuno Correia
  37. 37. Estudo de um caso Nuno Correia
  38. 38. Questões Nuno Correia

×