SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Baixar para ler offline
Critérios de
  Avaliação,
instrumentos e
   cotações
      ou
 O Pânico! da
A v a lia ç ã o d a
                         a p r e n d iz a g e m




                         A p re nd e nte
                                 +
                            Tecnologia
                             (método e
                             conteúdo)



v a lia ç ã o p a r a                             A v a lia ç ã o c o m o
a p r e n d iz a g e m                               a p r e n d iz a g e m
Avaliação Diversificada

… nas Abordagens
Classificação:
Abordagem analítica vs
 Abordagem global
Abordagem Global
-    Pouco tempo
-    Questões abertas (simples ou muito complexas)
-    Questões sem referente
-    Muito dependente das expectativas do avaliador
-    Crianças pequenas (ex. pré-escolar)


                         “Holistic scoring seemed to held more consistent ratings for
                         the same student from block to block or from judge to judge
Q ue s tã o :                                than analytic scoring.

    A quem serve?         As a general rule, global quality scaling is simpler as faster
                           than analytic scoring. In some situations it may be more
                         reliable. But it does not provide any clear justification of the
                         grade assigned, nor does it give any indication to the student
                                   of how his answer fell short to the mark.”
                                               (Ebel, 1972, p. 151).
Abordagem Global
-   Requer um avaliador experiente

-   Requer vários avaliadores (painel) ou provedor/especialista
                               (ou um avaliador extremamente confiante!!!)

-   Referência a norma vs referência ao grupo

-   Implica a não existência de ‘conflitos’ e de distúrbios no interior da
    prova



             N o v a m e n t e … A quem serve?
1) Ler cuidadosamente as respostas encontradas na globalidade
2) Distingui-las de forma geral, considerando o nível de adequação às
   expectativas do avaliar
3) Dividir as respostas em pilhas de distintas qualidades de desempenho

                        Fraco
                                          Médio          Bo m


9) Rever cada uma das pilhas para conferir a consistência entre as respostas

•    Subdividir novamente as pilhas em novas pilhas de qualidades de
     desempenho distintas (n vezes: quanto > n, > precisão)

                                Satifaz                                     Mto
Mto            Fraco             Pouco        Satisfaz
                                                            Bom
                                                                           Bo m
     o
Frac              2
                                   2              2          4
                                                                            5
   1
  5%           25%               20% - 40% - 20%             25%           5%

1) A divisão (pode) considerar níveis equilibrados de respostas por pilha ou
   aproximação a distribuição normal                                     Ebel (1972)
Abordagem Analítica
-    Time-consuming
-    Criteria-based assessment = quebra tarefas complexas em diferentes
     componentes
-    Procura aumentar o grau de precisão, exactidão e especificidade
-    Questões abertas
-    Questões com referente (teórico/empírico)

                         “Holistic scoring seemed to held more consistent ratings for
                         the same student from block to block or from judge to judge
Q ue s tã o :                                than analytic scoring.

    A quem serve?         As a general rule, global quality scaling is simpler as faster
                           than analytic scoring. In some situations it may be more
                         reliable. But it does not provide any clear justification of the
                         grade assigned, nor does it give any indication to the student
                                   of how his answer fell short to the mark.”
                                               (Ebel, 1972, p. 151).
Avaliação Diversificada

… nos Instrumentos
Instrumentos de
   Avaliação

             diferentes permitem
      analisar diferentes facetas
Instrumentos de Avaliação
            vs
  Actividades ou Produtos
sobre os quais incide a avaliação
Testes
   Exames
Produção de vídeos
Narrações / Story-telling
Criação de apresentações(áudio)
Relatórios (fotográficos)
Tutoriais explicativos
Legendagens
Entrevistas a ‘especialistas’
Gestão de Projectos
Criação de
Websites/blogues/Wikis
Exames
  Apresentações orais          . Observação
Composições/ Ensaios /         . Registos de
        Sínteses            incidentes críticos
  Produção de vídeos     . Listas de Verificação
        Podcasts             (Check-lists ou
Relatórios de Imagens/          Inventários)
         Books            . Grelha de Avaliação
       Narrações                 .Rubricas
     Legendagens              . Entrevistas
       Projectos           . Escalas, testes e
       Websites                Questionários
Concepção de Produtos              (Pais & Monteiro, 1996)
Observação
-   Baseada em evidências, processo sistemático (procura eliminar a
    avaliação baseada em impressões gerais)
-   Grelhas de observação/Protocolos: procuram aumentar o grau de
    precisão e especificidade
-   Time-consuming


    . Utilizar grelhas de registo                  E s t r a t é g ia s ?
    . Sistematizar o foco de avaliação (num
    comportamento observável)

    . Focar a atenção num grupo de cada vez

    . Seleccionar aleatoriamente um sujeito para
    observar
Registo de Incidentes
             críticos
-   Complementar à obervação
-   Baseado em situações atípicas (positivas e negativas)
-   Grelhas de Registo: procuram aumentar o grau de precisão e
    especificidade
-   Exaustividade na descrição



               In q u é r it o s p r é -
                   d e f in id o s
Listas de Verificação
-   Baseada numa abordagem dicotómica
-   Difíceis de construir pela necessidade de discriminação dos componentes
-   Não permite avaliar a qualidade do desempenho
-   Rápida aplicação




                                                   http://printablechecklist.org/
-      Baseada numa abordagem progressiva de etapas na qualidade da
       performance
-      Qualitativa e descritiva: grau de complexidade na construição de rubricas
       de qualidade (global/analítica)
-      Permite avaliar a qualidade do desempenho (abordagem escalar)
-      Aval. propósitos formativos (durante/prévio à tarefa)
-      Rápida aplicação




Exemplos: http://www.uwstout.edu/soe/profdev/rubrics.cfm http://
         www.grelhasonline.com/showquestions.php?id=28
-
         Grelhas de Avaliação
    Baseada numa abordagem analítica (descriminativa da qualidade de cada
    elemento da tarefa =
-   Quantitativa (por vezes, explicativa)
-   Aval. propósitos sumativos e concomitantemente formativos (após tarefa)
-   Aplicação morosa
???
Listas, Grelhas
 ou Rubricas
      ???
Os professores e a
    avaliação
Os Puristas Os Poetas Os
        Pragmáticos  (Griffin, 2009)
R e f e r ê n c ia s
Andrade H., & Du, Y. (2005). Student perspectives on rubric-referenced assessment. Practical
Assessment Research & Evaluation, 10 (3). Disponivel em http://pareonline.net/pdf/v10n3.pdf.

Black, P., Harrison, C., Lee, C., Marshall, B. and Wiliam, D. (2003) Assessment for Learning. Putting it
into practice. Maidenhead: Open University Press.

Ebel, R. L. (1972). Essentials of educational measurement (2nd ed.). New Jersey: Prentice Hall, Inc.

Dierick, S., & Dochy, F. (2001). New lines in Edumetrics: New forms of assessment lead to new
assessment criteria. Studies in educational evaluation, 27,4, 307-329.

Griffin, M. (2009). What is a Rubric?. Assessment Update, 21, 6, 4-13.

Kan, D. (2007). An alternative method in the new educational program from the point of
performance-based-assessment: rubric scoring scales. Educational Sciences: Theory & Practice, 7 (1),
144-152.

Pais, A., & Monteiro, M. (1996). Avaliação, uma prática diária. Lisboa: Editorial Presença.

Taggart, G. L., Phifer, S. J., Nixon, J. A., & Wood, M. (Eds.) (2008). Rubrics: Handbook for
construction and use. Lancaster: Technomic Publishing Co.

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Grelha de avaliação dos trabalhos vazia
Grelha de avaliação dos trabalhos vaziaGrelha de avaliação dos trabalhos vazia
Grelha de avaliação dos trabalhos vaziaSara Costa
 
Grelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoGrelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoisa
 
A.Pre Escolar Nova
A.Pre Escolar NovaA.Pre Escolar Nova
A.Pre Escolar NovaMaria André
 
Avaliação da expressão oral
Avaliação da expressão oralAvaliação da expressão oral
Avaliação da expressão oralvandacamacho
 
Grelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasGrelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasjoaomengo
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Debora_Marques
 
Grelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasGrelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasjoaomengo
 
Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14
Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14
Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14Externato Secundário do Soito
 
Sessao1 apresentacao da oficina moodle2
Sessao1 apresentacao da oficina moodle2Sessao1 apresentacao da oficina moodle2
Sessao1 apresentacao da oficina moodle2jifonseca
 
Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.
Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.
Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.TelEduc
 
Grelha de trabalho grupo
Grelha de trabalho grupoGrelha de trabalho grupo
Grelha de trabalho grupobgprof
 
Maquete, fichas avaliação
Maquete, fichas avaliaçãoMaquete, fichas avaliação
Maquete, fichas avaliaçãojdlimaaear
 
2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-hortaetelvinacastro
 
Powerpoint Nr. 1 ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãO
Powerpoint Nr. 1   ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãOPowerpoint Nr. 1   ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãO
Powerpoint Nr. 1 ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãONuno Correia
 

Destaque (20)

Grelha de avaliação dos trabalhos vazia
Grelha de avaliação dos trabalhos vaziaGrelha de avaliação dos trabalhos vazia
Grelha de avaliação dos trabalhos vazia
 
Grelha de registo
Grelha de registoGrelha de registo
Grelha de registo
 
Grelha de avaliação
Grelha de avaliaçãoGrelha de avaliação
Grelha de avaliação
 
A.Pre Escolar Nova
A.Pre Escolar NovaA.Pre Escolar Nova
A.Pre Escolar Nova
 
Avaliação da expressão oral
Avaliação da expressão oralAvaliação da expressão oral
Avaliação da expressão oral
 
Grelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasGrelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competências
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
 
Grelha paa be
Grelha paa beGrelha paa be
Grelha paa be
 
Grelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competênciasGrelha de avaliação de competências
Grelha de avaliação de competências
 
Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14
Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14
Informação prova de equivalência à frequência 6º ano ex tsoito 2013 14
 
2015.grelha aula
2015.grelha aula2015.grelha aula
2015.grelha aula
 
Sessao1 apresentacao da oficina moodle2
Sessao1 apresentacao da oficina moodle2Sessao1 apresentacao da oficina moodle2
Sessao1 apresentacao da oficina moodle2
 
Grelha de observação
Grelha de observaçãoGrelha de observação
Grelha de observação
 
Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.
Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.
Um modelo de suporte à avaliação formativa para ambientes de EaD.
 
Grelha de trabalho grupo
Grelha de trabalho grupoGrelha de trabalho grupo
Grelha de trabalho grupo
 
Maquete, fichas avaliação
Maquete, fichas avaliaçãoMaquete, fichas avaliação
Maquete, fichas avaliação
 
CritéRios Trabalho Pp
CritéRios Trabalho PpCritéRios Trabalho Pp
CritéRios Trabalho Pp
 
Guia do interno 2015
Guia do interno 2015Guia do interno 2015
Guia do interno 2015
 
2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta2014 imp-crit.aval-horta
2014 imp-crit.aval-horta
 
Powerpoint Nr. 1 ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãO
Powerpoint Nr. 1   ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãOPowerpoint Nr. 1   ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãO
Powerpoint Nr. 1 ApresentaçãO. CritéRios De AvaliaçãO
 

Semelhante a Avaliacao online: instrumentos e classificacao

Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6Adelaide Dias
 
Sieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeetica
SieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeeticaSieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeetica
SieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeeticaLuiz
 
Transferência de treinamento
Transferência de treinamentoTransferência de treinamento
Transferência de treinamentoWalner Mamede
 
Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013
Estudo e reflexão sobre avaliação   biologia 2013Estudo e reflexão sobre avaliação   biologia 2013
Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013Fernanda Rezende Pedroza
 
E-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagens
E-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagensE-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagens
E-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagensNeuza Pedro
 
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itensSis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itensmonicaosanches
 
Formação slide
Formação slideFormação slide
Formação slideluciaoliv
 
Pps avaliação - técnicas e instrumentos de avaliação
Pps   avaliação - técnicas e instrumentos de avaliaçãoPps   avaliação - técnicas e instrumentos de avaliação
Pps avaliação - técnicas e instrumentos de avaliaçãoMaria Pedro Silva
 
Avaliaco online aprendizagens_novos conceito
Avaliaco online aprendizagens_novos conceitoAvaliaco online aprendizagens_novos conceito
Avaliaco online aprendizagens_novos conceitoNeuza Pedro
 

Semelhante a Avaliacao online: instrumentos e classificacao (20)

A avaliação
A avaliaçãoA avaliação
A avaliação
 
A avaliação
A avaliaçãoA avaliação
A avaliação
 
Proposta de design_final_de_avaliação
Proposta de design_final_de_avaliaçãoProposta de design_final_de_avaliação
Proposta de design_final_de_avaliação
 
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
Proposta de design_final_de_avaliacao_mpeleanos6
 
Sieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeetica
SieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeeticaSieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeetica
Sieespcursocomoelaborarumaprovacomcompetenciaeetica
 
Revisão Sistematica
Revisão SistematicaRevisão Sistematica
Revisão Sistematica
 
Transferência de treinamento
Transferência de treinamentoTransferência de treinamento
Transferência de treinamento
 
Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013
Estudo e reflexão sobre avaliação   biologia 2013Estudo e reflexão sobre avaliação   biologia 2013
Estudo e reflexão sobre avaliação biologia 2013
 
E-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagens
E-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagensE-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagens
E-assessment, 21st century skills, taxonomias e aprendizagens
 
Curso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisaCurso preparatório para concurso da anvisa
Curso preparatório para concurso da anvisa
 
Avaliação
AvaliaçãoAvaliação
Avaliação
 
myMpel2011_lucia_amante
myMpel2011_lucia_amantemyMpel2011_lucia_amante
myMpel2011_lucia_amante
 
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itensSis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
Sis pae roteiro de elaboração e revisão de itens
 
Formação slide
Formação slideFormação slide
Formação slide
 
Artigo Cientifico Aula_ESTRUTURAS_Setembro 2009
Artigo Cientifico Aula_ESTRUTURAS_Setembro 2009Artigo Cientifico Aula_ESTRUTURAS_Setembro 2009
Artigo Cientifico Aula_ESTRUTURAS_Setembro 2009
 
Pps avaliação - técnicas e instrumentos de avaliação
Pps   avaliação - técnicas e instrumentos de avaliaçãoPps   avaliação - técnicas e instrumentos de avaliação
Pps avaliação - técnicas e instrumentos de avaliação
 
Submodulo 8.1
Submodulo 8.1Submodulo 8.1
Submodulo 8.1
 
Avaliaco online aprendizagens_novos conceito
Avaliaco online aprendizagens_novos conceitoAvaliaco online aprendizagens_novos conceito
Avaliaco online aprendizagens_novos conceito
 
Qualidade no e-learning
Qualidade no e-learningQualidade no e-learning
Qualidade no e-learning
 
AvaliaçãO Do Desempenho
AvaliaçãO Do DesempenhoAvaliaçãO Do Desempenho
AvaliaçãO Do Desempenho
 

Mais de Neuza Pedro

Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê
Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quêIntegração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê
Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quêNeuza Pedro
 
What next for school education?
What next for school education?What next for school education?
What next for school education?Neuza Pedro
 
Ensino online em situacao de emergencia: passado e futuro
Ensino online em situacao de emergencia: passado e futuroEnsino online em situacao de emergencia: passado e futuro
Ensino online em situacao de emergencia: passado e futuroNeuza Pedro
 
E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...
E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...
E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...Neuza Pedro
 
PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...
PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...
PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...Neuza Pedro
 
Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...
Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...
Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...Neuza Pedro
 
Netgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaços
Netgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaçosNetgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaços
Netgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaçosNeuza Pedro
 
E learning in higher education analyzing critical factors
E learning in higher education analyzing critical factorsE learning in higher education analyzing critical factors
E learning in higher education analyzing critical factorsNeuza Pedro
 
Aprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problema
Aprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problemaAprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problema
Aprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problemaNeuza Pedro
 
Novos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professores
Novos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professoresNovos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professores
Novos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professoresNeuza Pedro
 
FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...
FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...
FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...Neuza Pedro
 
Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?
Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?
Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?Neuza Pedro
 
Século xxi e o desenvolvimento profissional docente
Século xxi e o desenvolvimento profissional docenteSéculo xxi e o desenvolvimento profissional docente
Século xxi e o desenvolvimento profissional docenteNeuza Pedro
 
Future Teacher education Lab: results after 2 years of use
Future Teacher education Lab: results after 2 years of useFuture Teacher education Lab: results after 2 years of use
Future Teacher education Lab: results after 2 years of useNeuza Pedro
 
Redesigning classrooms for the future
Redesigning classrooms for the futureRedesigning classrooms for the future
Redesigning classrooms for the futureNeuza Pedro
 
Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016
Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016
Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016Neuza Pedro
 
Leitura e escrita na escola do seculo 21
Leitura e escrita na escola do seculo 21Leitura e escrita na escola do seculo 21
Leitura e escrita na escola do seculo 21Neuza Pedro
 
Tecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo Verde
Tecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo VerdeTecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo Verde
Tecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo VerdeNeuza Pedro
 
Salas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemplo
Salas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemploSalas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemplo
Salas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemploNeuza Pedro
 
Design de Cenários de Aprendizagem - Formação de professores
Design de Cenários de Aprendizagem - Formação de professoresDesign de Cenários de Aprendizagem - Formação de professores
Design de Cenários de Aprendizagem - Formação de professoresNeuza Pedro
 

Mais de Neuza Pedro (20)

Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê
Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quêIntegração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê
Integração do digital no currículo e práticas pedagógicas: Para quê
 
What next for school education?
What next for school education?What next for school education?
What next for school education?
 
Ensino online em situacao de emergencia: passado e futuro
Ensino online em situacao de emergencia: passado e futuroEnsino online em situacao de emergencia: passado e futuro
Ensino online em situacao de emergencia: passado e futuro
 
E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...
E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...
E depois do ensino remoto de emergência: que espaços e que ferramentas (digit...
 
PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...
PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...
PERSPECTIVAS FUTURAS SOBRE PESQUISA EM TECNOLOGIAS E EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA EM ...
 
Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...
Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...
Open Online Teacher professional Development: how to recognize MOOCs for teac...
 
Netgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaços
Netgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaçosNetgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaços
Netgeneration: novas tecnologias, novas metodologias, novos espaços
 
E learning in higher education analyzing critical factors
E learning in higher education analyzing critical factorsE learning in higher education analyzing critical factors
E learning in higher education analyzing critical factors
 
Aprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problema
Aprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problemaAprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problema
Aprendizagens Essenciais TIC: transversalidade como solução e problema
 
Novos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professores
Novos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professoresNovos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professores
Novos espaços e novas metodologias, o fator crítico: a formação de professores
 
FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...
FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...
FTELab: a future classroom in higher education for redesigning teachers' init...
 
Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?
Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?
Salas de aula do futuro: o que querem os alunos e os professores?
 
Século xxi e o desenvolvimento profissional docente
Século xxi e o desenvolvimento profissional docenteSéculo xxi e o desenvolvimento profissional docente
Século xxi e o desenvolvimento profissional docente
 
Future Teacher education Lab: results after 2 years of use
Future Teacher education Lab: results after 2 years of useFuture Teacher education Lab: results after 2 years of use
Future Teacher education Lab: results after 2 years of use
 
Redesigning classrooms for the future
Redesigning classrooms for the futureRedesigning classrooms for the future
Redesigning classrooms for the future
 
Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016
Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016
Sala de aula_futuro_workshop_12nov2016
 
Leitura e escrita na escola do seculo 21
Leitura e escrita na escola do seculo 21Leitura e escrita na escola do seculo 21
Leitura e escrita na escola do seculo 21
 
Tecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo Verde
Tecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo VerdeTecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo Verde
Tecnologia Móvel no Contexto Escolar: um estudo com os professores de Cabo Verde
 
Salas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemplo
Salas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemploSalas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemplo
Salas de aula do futuro: o conceito, o motivo e um exemplo
 
Design de Cenários de Aprendizagem - Formação de professores
Design de Cenários de Aprendizagem - Formação de professoresDesign de Cenários de Aprendizagem - Formação de professores
Design de Cenários de Aprendizagem - Formação de professores
 

Avaliacao online: instrumentos e classificacao

  • 1. Critérios de Avaliação, instrumentos e cotações ou O Pânico! da
  • 2. A v a lia ç ã o d a a p r e n d iz a g e m A p re nd e nte + Tecnologia (método e conteúdo) v a lia ç ã o p a r a A v a lia ç ã o c o m o a p r e n d iz a g e m a p r e n d iz a g e m
  • 5. Abordagem Global - Pouco tempo - Questões abertas (simples ou muito complexas) - Questões sem referente - Muito dependente das expectativas do avaliador - Crianças pequenas (ex. pré-escolar) “Holistic scoring seemed to held more consistent ratings for the same student from block to block or from judge to judge Q ue s tã o : than analytic scoring. A quem serve? As a general rule, global quality scaling is simpler as faster than analytic scoring. In some situations it may be more reliable. But it does not provide any clear justification of the grade assigned, nor does it give any indication to the student of how his answer fell short to the mark.” (Ebel, 1972, p. 151).
  • 6. Abordagem Global - Requer um avaliador experiente - Requer vários avaliadores (painel) ou provedor/especialista (ou um avaliador extremamente confiante!!!) - Referência a norma vs referência ao grupo - Implica a não existência de ‘conflitos’ e de distúrbios no interior da prova N o v a m e n t e … A quem serve?
  • 7. 1) Ler cuidadosamente as respostas encontradas na globalidade 2) Distingui-las de forma geral, considerando o nível de adequação às expectativas do avaliar 3) Dividir as respostas em pilhas de distintas qualidades de desempenho Fraco Médio Bo m 9) Rever cada uma das pilhas para conferir a consistência entre as respostas • Subdividir novamente as pilhas em novas pilhas de qualidades de desempenho distintas (n vezes: quanto > n, > precisão) Satifaz Mto Mto Fraco Pouco Satisfaz Bom Bo m o Frac 2 2 2 4 5 1 5% 25% 20% - 40% - 20% 25% 5% 1) A divisão (pode) considerar níveis equilibrados de respostas por pilha ou aproximação a distribuição normal Ebel (1972)
  • 8. Abordagem Analítica - Time-consuming - Criteria-based assessment = quebra tarefas complexas em diferentes componentes - Procura aumentar o grau de precisão, exactidão e especificidade - Questões abertas - Questões com referente (teórico/empírico) “Holistic scoring seemed to held more consistent ratings for the same student from block to block or from judge to judge Q ue s tã o : than analytic scoring. A quem serve? As a general rule, global quality scaling is simpler as faster than analytic scoring. In some situations it may be more reliable. But it does not provide any clear justification of the grade assigned, nor does it give any indication to the student of how his answer fell short to the mark.” (Ebel, 1972, p. 151).
  • 10. Instrumentos de Avaliação diferentes permitem analisar diferentes facetas
  • 11. Instrumentos de Avaliação vs Actividades ou Produtos sobre os quais incide a avaliação
  • 12. Testes Exames
  • 22. Exames Apresentações orais . Observação Composições/ Ensaios / . Registos de Sínteses incidentes críticos Produção de vídeos . Listas de Verificação Podcasts (Check-lists ou Relatórios de Imagens/ Inventários) Books . Grelha de Avaliação Narrações .Rubricas Legendagens . Entrevistas Projectos . Escalas, testes e Websites Questionários Concepção de Produtos (Pais & Monteiro, 1996)
  • 23. Observação - Baseada em evidências, processo sistemático (procura eliminar a avaliação baseada em impressões gerais) - Grelhas de observação/Protocolos: procuram aumentar o grau de precisão e especificidade - Time-consuming . Utilizar grelhas de registo E s t r a t é g ia s ? . Sistematizar o foco de avaliação (num comportamento observável) . Focar a atenção num grupo de cada vez . Seleccionar aleatoriamente um sujeito para observar
  • 24. Registo de Incidentes críticos - Complementar à obervação - Baseado em situações atípicas (positivas e negativas) - Grelhas de Registo: procuram aumentar o grau de precisão e especificidade - Exaustividade na descrição In q u é r it o s p r é - d e f in id o s
  • 25. Listas de Verificação - Baseada numa abordagem dicotómica - Difíceis de construir pela necessidade de discriminação dos componentes - Não permite avaliar a qualidade do desempenho - Rápida aplicação http://printablechecklist.org/
  • 26. - Baseada numa abordagem progressiva de etapas na qualidade da performance - Qualitativa e descritiva: grau de complexidade na construição de rubricas de qualidade (global/analítica) - Permite avaliar a qualidade do desempenho (abordagem escalar) - Aval. propósitos formativos (durante/prévio à tarefa) - Rápida aplicação Exemplos: http://www.uwstout.edu/soe/profdev/rubrics.cfm http:// www.grelhasonline.com/showquestions.php?id=28
  • 27. - Grelhas de Avaliação Baseada numa abordagem analítica (descriminativa da qualidade de cada elemento da tarefa = - Quantitativa (por vezes, explicativa) - Aval. propósitos sumativos e concomitantemente formativos (após tarefa) - Aplicação morosa
  • 28. ??? Listas, Grelhas ou Rubricas ???
  • 29. Os professores e a avaliação Os Puristas Os Poetas Os Pragmáticos (Griffin, 2009)
  • 30. R e f e r ê n c ia s Andrade H., & Du, Y. (2005). Student perspectives on rubric-referenced assessment. Practical Assessment Research & Evaluation, 10 (3). Disponivel em http://pareonline.net/pdf/v10n3.pdf. Black, P., Harrison, C., Lee, C., Marshall, B. and Wiliam, D. (2003) Assessment for Learning. Putting it into practice. Maidenhead: Open University Press. Ebel, R. L. (1972). Essentials of educational measurement (2nd ed.). New Jersey: Prentice Hall, Inc. Dierick, S., & Dochy, F. (2001). New lines in Edumetrics: New forms of assessment lead to new assessment criteria. Studies in educational evaluation, 27,4, 307-329. Griffin, M. (2009). What is a Rubric?. Assessment Update, 21, 6, 4-13. Kan, D. (2007). An alternative method in the new educational program from the point of performance-based-assessment: rubric scoring scales. Educational Sciences: Theory & Practice, 7 (1), 144-152. Pais, A., & Monteiro, M. (1996). Avaliação, uma prática diária. Lisboa: Editorial Presença. Taggart, G. L., Phifer, S. J., Nixon, J. A., & Wood, M. (Eds.) (2008). Rubrics: Handbook for construction and use. Lancaster: Technomic Publishing Co.