Palestra Peru

756 visualizações

Publicada em

Roteiro de comunicação em evento na Universidad Nacional del Centro de Perú.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Palestra Peru

  1. 3. Contraste de Imagens <ul><li>Quais as diferenças? </li></ul><ul><li>Onde tecnologia está sendo usada de modo mais efetivo? </li></ul>
  2. 4. Pare. Veja. Compare.
  3. 5. Educacão, Tecnologia e Gestão. Where is the meat?
  4. 6. Jarbas Novelino Barato [email_address] http://jarbas.wordpress.com
  5. 7. Universidad Nacional del Centro de Perú Huancayo 29 de noviembre de 2008
  6. 8. A Televisão de ChicoBuarque <ul><li>Os namorados Já dispensam seu namoro Quem quer riso Quem quer choro Não faz mais esforço não E a própria vida Ainda vai sentar sentida Vendo a vida mais vivida Que vem lá da televisão... </li></ul>
  7. 9. A televisão <ul><li>O homem da rua Por ser nego conformado Deixa a lua ali de lado E vai ligar os seus botões No céu a lua Encabulada e já minguando Numa nuvem se ocultando Vai de volta pros sertões... </li></ul>
  8. 10. La Television <ul><li>Los enamorados/ Ya dispensan su enamoramiento/ Quien quiere risa, quien quiere lloro/ no hace más esfuerzo no/ Y la propia vida/ Aún se va sentar sentida/ Viendo la vida más vivida/ Que viene allá de la televisión/ El hombre da la calle/ Por ser un tipo conformado/ Deja la luna allí de lado/ Y va a conectar sus botones. </li></ul><ul><li>[trad.Pablo Garrulo Rico] </li></ul>
  9. 11. efeito ecológico das ferramentas <ul><li>O engano de Gutenberg </li></ul><ul><li>Televisão na sala expulsa a conversa </li></ul><ul><li>Na Web não lemos,vemos </li></ul><ul><li>1°, o celular; depois o contato cara a cara </li></ul>
  10. 12. Vida Viendo la vida más vivida Que viene allá de la televisión
  11. 13. Ponto Importante Novos meios de comunicação e informação provocam mudanças radicais na cultura nossa de cada dia. A educação nem sempre percebe isso.
  12. 17. Laboratório de Computadores <ul><li>Particularidade de escolas </li></ul><ul><li>Auditório com máquinas para uso individual </li></ul><ul><li>Pouca facilidade para trabalho coletivo </li></ul><ul><li>Toda comunicação com o mestre, nenhuma comunicação com os pares </li></ul>
  13. 18. Computadores em bancos <ul><li>Um novo design de interiores </li></ul><ul><li>Máquinas estão em postos de trabalho </li></ul><ul><li>Função mais importante que equipamento </li></ul><ul><li>Ambiente mais agradável </li></ul><ul><li>Melhoria do atendimento cara a cara </li></ul>
  14. 19. Resistência Novas ferramentas entram na escola, mas nesta não há câmbios significativos
  15. 21. Câmbio de tempo, não de conteúdo <ul><li>Como deciamos sayer... </li></ul>
  16. 23. O que se pede dos professores? <ul><li>Utilização de tecnologias. </li></ul><ul><li>Tarefas agradáveis. </li></ul><ul><li>Inovação. </li></ul><ul><li>Novas modos de trabalhar. </li></ul><ul><li>Educação sintonizada com câmbios. </li></ul>
  17. 24. O que se oferece aos professores. <ul><li>A mesma remuneração. </li></ul><ul><li>Mais trabalho. </li></ul><ul><li>O mesmo ambiente escolar. </li></ul><ul><li>Tempos e organização espacial fabris. </li></ul><ul><li>Quase nenhum apoio no campo tecnológico. </li></ul>
  18. 25. Resultado <ul><li>Clima de insatisfação, dos dois lados. Professores não acham espaço para o câmbio. Gestores colocam a culpa do fracasso tecnológico nos professores. </li></ul>
  19. 26. Uma crença poderosa: INSTRUMENTISMO
  20. 27. Males do instrumentismo <ul><li>Centra a questão tecnológica nas ferramentas. </li></ul><ul><li>Tenta aperfeiçoar velhas práticas. </li></ul><ul><li>Faz mais do mesmo,agora com ferramentas extremamente poderosas. </li></ul><ul><li>Define tecnologia como máquinas e equipamentos. </li></ul>
  21. 28. Instrumentismo... <ul><li>No nível da administração, resulta em visão mágica,concluindo que ferramentas por si só implicarão nos processos de câmbio desejados. </li></ul><ul><li>No nível docente, resulta em visão mágica de que o trabalho será facilitado com simples uso das ferramentas. </li></ul>
  22. 29. QUE FAZER? DEFINIR OU REDEFINIR O QUE É TECNOLOGIA
  23. 30. Definição <ul><li>tecnologia = ferramenta + imaginação </li></ul>
  24. 31. Novas tecnologias <ul><li>Alteram ambiente </li></ul><ul><li>Ampliam ação humana </li></ul><ul><li>Permitem construção de objetos que estão na “outra margem” </li></ul><ul><li>Criam “novos mundos” </li></ul><ul><li>Exigem uma nova estética </li></ul><ul><li>Sugerem novos modos de contar histórias </li></ul><ul><li>São “novas” </li></ul>
  25. 33. O que vimos? Um novo conteúdo aprisionado na velha forma.
  26. 34. Novas tecnologias não... <ul><li>Podem ser reféns de velhos modelos </li></ul><ul><li>Funcionam bem automaticamente </li></ul><ul><li>São domesticáveis </li></ul><ul><li>Fazem milagres </li></ul><ul><li>São meros instrumentos. </li></ul><ul><li>Dependem apenas de poder de compra </li></ul><ul><li>Dispensam intenção de sujeitos </li></ul>
  27. 35. Perigo! Tentativas pedagógicas de domesticar tecnologias.
  28. 37. Exemplo domesticador: blogs utilizados para <ul><li>controlar desempenho dos alunos </li></ul><ul><li>comunicar-se com os pais </li></ul><ul><li>registrar atividades do grupo </li></ul><ul><li>complementar atividades de classe </li></ul><ul><li>incentivar redação </li></ul>
  29. 38. Duas saídas <ul><li>WeQuests </li></ul><ul><li>WebGincanas </li></ul>
  30. 39. WebQuest: o que é Uma proposta de estudo,usando sobretudo recursos web.
  31. 40. WebQuest: características <ul><li>Proposta pelo professor </li></ul><ul><li>Sempre um trabalho coletivo </li></ul><ul><li>Desafia alunos com tarefas autênticas </li></ul><ul><li>Exige aprofundamento de estudos </li></ul><ul><li>Tem avaliação baseada em obra </li></ul><ul><li>Baseada em aprendizagem colaborativa </li></ul>
  32. 41. WebGincana: definição Busca de informações bem definidas na web,acompanhadas por missões e atividades
  33. 42. WebGincana: características <ul><li>Trabalho coletivo </li></ul><ul><li>Uso intensivo da web </li></ul><ul><li>Exigência de interpretação de texto </li></ul><ul><li>Circulação para encontrar pessoas e objetos nas missões </li></ul><ul><li>Preparação de apresentações nas atividades </li></ul>
  34. 43. Problemas na aplicação de WQ e WG <ul><li>Escolas exigem respeito ao tempo das classes </li></ul><ul><li>Circulação de alunos dificultada ou proibida </li></ul><ul><li>Crença de docentes na mágica da forma </li></ul><ul><li>Pouco investimento em imaginação </li></ul><ul><li>Falta de incentivo $$$ para os profs </li></ul><ul><li>Ausência de ambientes de trabalho nas escolas </li></ul>
  35. 44. Perigo! Gestores querem aprisionar a imaginação.
  36. 46. Histórias <ul><li>Um reitor brasileiro nos States: </li></ul><ul><li>“ Compramos o que há de mais moderno...” </li></ul><ul><li>Um diretor de escola: </li></ul><ul><li>“ Agora temos laboratórios, quero ver resultados...” </li></ul><ul><li>Uma coordenadora: </li></ul><ul><li>“ Os textos dos blogs dos alunos precisam ser aprovados pelos maestros...” </li></ul>
  37. 47. Mais histórias <ul><li>Censura na internet: </li></ul><ul><li>Em muitas escolas,não é possível ir ao Youtube, investigar jogos y games, acessar blogs. </li></ul><ul><li>Censores alegam razões técnicas e educacionais. </li></ul>
  38. 48. Mais histórias <ul><li>Questões de poder </li></ul><ul><li>Equipamentos ociosos não podem ser utilizados por “outros”. </li></ul><ul><li>Apenas os gestores têm a chave do laboratório </li></ul>
  39. 49. Lição de Allison Rosset Tecnologia é uma questão de cabeça,não de máquinas e artefactos.
  40. 50. O que proponho <ul><li>Orientar educação para a obra. </li></ul><ul><li>Dar a chave do “laboratório” para os maestros. </li></ul><ul><li>Investigar e produzir uma nova arquitetura escolar. </li></ul><ul><li>Flexibilizar tempo e organização escolar. </li></ul><ul><li>Desfabricar a escola. </li></ul>
  41. 51. Problemas <ul><li>No geral, gestores perguntam como novas tecnologias podem tornar trabalho mais eficiente. </li></ul><ul><li>Cambiar radicalmente estrutura da educação não está no horizonte. </li></ul><ul><li>O instrumentismo é muito atraente, baseia-se numa visão mágica </li></ul>
  42. 52. Direção:Teoria da Atividade <ul><li>Ferramentas são mediadoras. </li></ul><ul><li>Ferramentas são produtos históricos. </li></ul><ul><li>Em tecnologia importa,sobretudo, a relação sujeito ↔ objeto. </li></ul><ul><li>Relações sujeito ↔ objeto são regidas por intenção. </li></ul>

×