Mediação ou mediatização?

10.300 visualizações

Publicada em

Power Point do seminário apresentado na disciplina "A informação eletrônica em questão: os pensadores do ciberespaço" do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação – ECA-USP.

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
13 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
10.300
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
50
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
13
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  •  
  •  
  •  
  • Mediação ou mediatização?

    1. 1. Mediação ou mediatização? Antonia Alves Carlos Eduardo Giseli Aguiar Rosária Nakashima 14/09/2010 A informação eletrônica em questão: os pensadores do ciberespaço Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação – ECA-USP Profª. Drª. Elizabeth Saad Corrêa
    2. 2. Esboço apresentação Contextualização • Teoria da agulha hipodérmica • Teorias das mediações (Barbero)/Estudos culturais (Hall) Barbero • Teoria das mediações • Tese Quadros • Santaella • Sodré Krotz • Conceito geral de meditização Leopoldina Fortunati • Mediatização e internetização Simon Cottle • Rituais mediatizados
    3. 3. Contextualização • Wolf (2008): modelo da “agulha hipodérmica”: aquele na qual a mensagem tem objetivo e alvo certo e provoca o efeito desejado, como uma injeção na veia • Conexão direta entre a exposição às menagens e o comportamento: se uma pessoa é atingida pela propaganda, pode ser controlada, manipulada, induzida a agir • O indivíduo era considerado uma "tábua rasa" na teoria funcionalista e "manipulados" na Teoria Crítica, diante disso surgem os estudos culturais/teoria das mediações dizendo que não é bem assim, pois o "indivíduo tem poder de decisão..."/não são passivos...
    4. 4. Teoria das mediações/Estudos culturais • Visão mais ampla e mediada para o entendimento do papel dos meios de comunicação • Conteúdo veiculado é polissêmico • Discurso dos meios de comunicação é construído a partir de interações entre emissores e receptores
    5. 5. Mediação sf (lat mediatione) 1 Ato ou efeito de mediar. 2 Intercessão. 3Astr Instante de culminação de um astro. 4 A divisão de cada versículo de um salmo em duas partes, que é marcada com inflexão da voz, quando o ofício é cantado. 5 Dir Contrato especial pelo qual uma pessoa, mediante remuneração, se incumbe de empregar o seu trabalho ou diligência para obter que duas ou mais pessoas, interessadas num determinado negócio, se aproximem com o fim de o realizar. 6 DirInterferência de uma ou mais potências, junto de outras dissidentes, com o objetivo de dirimir pacificamente a questão ocorrente, propondo, encaminhando, regularizando ou concluindo quaisquer negociações nesse sentido.
    6. 6. (QUADROS, Paulo da Silva. Epistemologia da leitura: um campo interpretativo de inserção dos meios digitais no contexto escolar. 2009. 468 f. Tese (Doutorado em Educação - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. p. 178)
    7. 7. Mediação • Pano de fundo onde as manifestações comunicacionais orquestram tramas culturais • Conceito não tem contornos muito claros e compreende toda a gama de relações e intersecções entre cultura, política e fenômeno comunicacional • Mediações se referem às apropriações, recodificações e resignificações particulares aos receptores • Produção, recepção, meio e mensagem só podem ser pensados como um processo contínuo -- as mediações -- posição de onde é possível compreender o intercâmbio entre produção e recepção
    8. 8. Martín-Barbero • Deixar de responder apenas “o que os meios fazem com as pessoas?” e passar a questionar “o que as pessoas fazem com os meios?” • Relações entre comunicação e cultura são multifacetadas • Superação de esquemas mentais que reproduzem relações causa-efeito, linearidade ou oposições excludentes • Consideração de diferentes dimensões e níveis – histórico, cultural, social, estético e subjetivo – que, interligados, constituem o processo de comunicação social
    9. 9. Revista Matrizes "Talvez agora, mais claramente do que antes – porque as questões epistemológicas do campo da comunicação passaram a ganhar legitimidade na América Latina –, continua na pauta de debates a questão do objeto da comunicação: meios ou mediações? Mediatização ou mediação? Ou seja, a questão da comunicação é uma questão de meios ou de mediações? Faço essa pergunta para que responda precisamente este ponto: será preciso fazer um outro livro agora, intitulado Das mediações aos meios?"
    10. 10. Martín-Barbero • A mudança foi reconhecer que a comunicação estava mediando todos os lados e as formas da vida cultural e social dos povos • Rádio é cada vez menos somente rádio; o rádio hoje oferece programas que são blogs, no qual alguém fala, outras pessoas falam • Os gêneros estão sendo reinventados à luz da interface da televisão com a internet • Estamos ante formas mestiças que começam a ser produzidas, formas incoerentes porque rompem a norma atuando transversalmente em todos os meios • É a contaminação entre sonoridades, textualidades, visualidades, as matérias-primas dos gêneros
    11. 11. Mídia-educação, leitura crítica dos meios, educomunicação, educação para a mídia e media literacy • Termos usados para caracterizar uma área interdisciplinar do conhecimento que se preocupa em desenvolver formas de ensinar e aprender aspectos relevantes da inserção dos meios de comunicação na sociedade • Lliteracia em mídia: ações pedagógicas -> compreensão crítica e a participação ativa
    12. 12. Conceito de Mediação Mauro Wilton de Sousa (Diretor da ECA): como o esforço de identificar e captar as múltiplas ações, situações, tecnologias e circunstâncias que se colocam como categorias estruturantes do modo de ser e de viver das pessoas num tempo e espaço dados, ou seja, os sentidos sociais estruturantes da vida num contexto dado. Mediação: tudo aquilo que interfere na forma como percebemos e entendemos o mundo. ( SOUSA, Mauro Wilton de.O lugar social da comunicação mediática. In Caminhos da Educomunicação, 2.ed, Editora Salesiana, São Paulo, 2003, p.21-34)
    13. 13. Conceito de Mediação Segundo Marcondes Filho (1997, p. 266), “toda a relação do homem com seu mundo se dá por mediação, ocorra ela no plano abstrato-intelectivo ou material concreto dos instrumentos criados”, sendo que a técnica, neste contexto, passa a ser vista como “veículo, através do qual o homem se vincula ao mundo, apropriando-o ou manipulando-o”. (MARCONDES FILHO, Ciro. Superciber. A civilização místico- tecnológica do século 21. São Paulo: NTC-ECA/USP, 1997.)
    14. 14. Professor mediador "(...) dizer que o professor é um mediador pedagógico não serve para acrescentar muito significado à mudança de postura do seu comportamento em sala de aula. (...) dizer que o professor é um criador de condições e contextos mediativos capazes de revelar as mediações desencadeadas no cerne da produção de determinados conhecimentos, revela um contexto de ações, procedimentos e atitudes que humanizam o papel do professor, o papel da escola, dos alunos e dos conhecimentos culturais não sistematizados pela educação escolar." (QUADROS, Paulo da Silva. Epistemologia da leitura: um campo interpretativo de inserção dos meios digitais no contexto escolar. 2009. 468 f. Tese (Doutorado em Educação - Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009. p. 191)
    15. 15. Mediação, interação, mediatização SANTAELLA relendo Sodré diz que conseguiu definir melhor que Barbero o  conceito de mediação, mas reconhece que sua compreensão vai além do caráter  instrumental. • Diz que Sodré fez boa conceituação de:  mediação/mediações simbólicas (linguagens),  interação (a forma operativa do processo mediador), mediatização (“é uma ordem de mediações socialmente realizadas”, uma  tecnomediações - um tipo de interação). • P/ a autora a sociedade midiatizada está relacionada à exacerbação  midiática, pois “quando comparada às formas interativas, presentes nas mediações tradicionais, a mediatização redunda numa mediação social exacerbada com espaço próprio e relativamente autônomo”.    (SANTAELLA, Lúcia. As linguagens como antídotos ao midiacentrismo. In: Revista  Matrizes - Revista do Programa de PósSão Paulo-Graduação em Ciências da  Comunicação da Universidade de São Paulo, São Paulo, ano 1, n. 1, pp 75-97, 2007)   
    16. 16. Bios midiático (Sodré) Cria o conceito de "bios midiático" somando aos três da pólis:  • vida contemplativa,  • vida prazerosa e  • vida política  A sociedade midiatizada é um novo tipo de sociedade diferente  • da sociedade do discurso (Foucault)  • da sociedade de controle (Deleuze)  • ou mesmo tensionada por campos (Bourdieu)...  O bios midiático “é a configuração comunicativa da virtualização generalizada da existência capaz de afetar as percepções e as representações correntes da vida social, inclusive neutralizar as tensões do vínculo comunitário”. (SODRÉ, Muniz. Sobre a episteme comunicacional. In: Revista Matrizes -  Revista do Programa de PósSão Paulo-Graduação em Ciências da Comunicação  da Universidade de São Paulo, São Paulo, ano 1, n. 1, pp 15-26, 2007.)
    17. 17. Bios midiático (Sodré) • Midiatização é uma ordem de mediações socialmente  realizadas, caracterizadas por uma espécie de prótese  tecnológica e mercadológica da realidade sensível,  denominada medium.   • O bios midiático implica uma nova tecnologia perceptiva e  mental, um novo tipo de relacionamento do indivíduo com  as referências concretas e com a verdade.  • A questão inicial é a de se saber qual é a influência ou  poder que essa articulação exerce sobre a construção da  realidade social, na moldagem de percepções, afetos,  significações, costumes e produção de efeitos políticos.
    18. 18. Sociedade mediatizada (Krotz) • Sociedade mediatizada é influenciada por questões  de globalização, individualização, mediatização,  economia/comercialização.  • Krotz a vê como metaprocessos que influenciam a  democracia, sociedade, cultura, política e outras condições  de vida ao longo do tempo.  • Metaprocesso é compreendido como construções que  descrevem e explicam teoricamente específicas dimensões  econômicas, sociais e culturais e suas mudanças reais, em  uma perspectiva crítica.  • As relações sociais, de identidade, institucionais,  organizacionais, culturais e da sociedade como um todo  estão mudando.
    19. 19. Mediatização/Mediatizar mediatização sf (mediatizar+ção) Ato ou efeito de mediatizar.   mediatizar (mediato+izar) vtd 1 Fazer que (um soberano ou um Estado)  deixe de depender imediatamente do poder supremo de uma  confederação (diz-se especialmente dos príncipes ou Estados  do antigo império alemão). 2 Tornar mediato (um fato). 3 Servir  de mediação ou de mediador: Cristo mediatiza Deus e os  homens.  
    20. 20. Mediatização da internet e internetização da mídia de massa - Internet como uma mídia de massa / A mídia de massa  sucumbindo as influências da internet.   - Midiatização da internet (tanto a fixa como a móvel) Fortunati se concentra na invasão da internet pelos jornais e  no processo de difusão/disseminação de notícias pela rede.   - Internetização das mídias de massa Fortunati aborda algumas influências da internet no estilo  jornalistico, mas seu foco recaí na televisão (Ex. RaiNews24 e  MediaMente).
    21. 21.  - Duas mudanças permanecem na sombra até o momento: o  processo de produção que começa a partir da internet e não na  mídia tradicional e a influência da internet em um nivel  simbólico na televisão.    - A internetização da televisão ainda é uma fachada, para a  mídia tradicional a internet ainda é um acessório. Até agora o  fenômeno que mais de desenvolveu foi a midiatização da  internet.      - A midiatização da internet e a internetização da mídia de  massa resultam na domesticação mútua e na convergência  dessas mídias.
    22. 22. Rituais midiatizados (Cottle) • Espetáculos midiáticos x fabricação de fatos? • Ritos x rituais? • O que são e o que representavam os rituais para a sociedade e o que mudou com as mídias de massa? Ritual: adj m+f (lat rituale) 1 Pertencente ou relativo aos ritos. 2 Que contém os ritos. sm 1 Livro que contém os ritos, ou a forma das cerimônias de uma religião. 2 Cerimonial. 3 Conjunto das regras a observar; etiqueta, praxe, protocolo. Rito - s.m. Conjunto de regras e de cerimônias que se praticam numa religião: o rito da Igreja romana. / Culto, seita.
    23. 23. Rituais midiatizados (Cottle) • Habermas que evidencia a sociedade do ritual e do espetáculo de maneira racional - mas deixa de ver o papel das emoções, símbolos e sentimentos dentro deste contexto da comunicação. • Lembra que Benjamim mostra que o ritual tem servido para reforçar o poder dos cultos. • Para entender a potencialidade do rito, busca em Durkheim sua definição que afirma que os ritos servem para revitalizar os sentimentos coletivos e um senso de propósito mais elevados.
    24. 24. Rituais midiatizados (Cottle) • Rituais midiatizados = uma forma que a mídia tem de efetivar comemorações compartilhadas, um processo de fabricação do consentimento. A partir de Durkheim, define: • os rituais mediatizados como aqueles fenômenos excepcionais e performativa dos meios que servem para sustentar ou mobilizar os sentimentos e a solidariedade coletiva em função da simbolização e uma orientação do subjetivo do que deveria ou deveria ser.
    25. 25. Rituais midiatizados (Cottle) Seis abordagens teóricas x abordagem de rituais midiatizados: • pânicos morais (mobilização dos medos e ansiedade coletiva x ordem social); • eventos comemorativos (eventos de mídia, preocupação com celebração oficiais/governo); • conflitos eventos de mídia (hegemonia cultural/gramsci, espetáculo midiático do que aconteceu); • catástrofes (ao vivo, comemoração memorável da tragédia humana); • escândalos de mídia (invocam os limites coletivos, limites morais, etc.); • crise pública (tendem a aumentar a distância entre o fato e o subjetivo, poder de mudança social).
    26. 26. Rituais midiatizados (Cottle) Cottle acredita que o estudo dos rituais mediatizados estimula uma visão mais complexa da interação entre elites e não-elites e reconhece que há muitos papéis realizados pela mídia no âmbito midiático como: • instigador, • maestro, • narrador, • mediador, • advogado, • militante e • campeão, dentre outros.
    27. 27. Sugestões: leituras complementares CONTRERA, Malena Segura. Ontem, hoje e amanhã: sobre os rituais midiáticos. Revista F@ro, Valparaíso, Chile, v. 1, n. 2. Disponível em: <http://web.upla.cl/revistafaro/n2/02_segura.htm>. Acesso em: 11 set. 2010. JESÚS MARTÍN-BARBERO. Roda Viva. São Paulo: TV Cultura, 03 de fevereiro de 2003. Programa de TV. Disponível em: <http://www.rodaviva.fapesp.br/materia/62/entrevistados/jesus_martinbarbero_2003.htm>. Acesso em: 05 set. 2010. MARCONDES FILHO, Ciro. Martín-Barbero, Canclini, Orozco. Os impasses de uma teoria da comunicação latino-americana. Revista FAMECOS: mídia, cultura e tecnologia, São Paulo, v. 1, n. 35, p. 69-95, abr. 2008. Disponível em: <http://www.revistas.univerciencia.org/index.php/famecos/article/view/5368/4887>. Acesso em: 06 set. 2010.

    ×