SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
UBM 2013
Resolução nº4, de 02 de outubro de 2009
 Diretrizes Operacionais para atendimento educacional
 especializado na Educação Básica, modalidade

Art 4º para fins de Diretrizes, considera-se publico -alvo do AEE:

III – aluno com altas habilidade/ superdotação: aqueles que apresentam
um potencial elevado e grande envolvimento com áreas do
conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, liderança,
psicomotora, artes e criatividade.


Art. 7 º os alunos com altas habilidades/ superdotação terão suas
atividades de enriquecimento curricular desenvolvidas no âmbito das
escolas publicas de ensino regular em interface com núcleos de
atividades para altas habilidades/ superdotação, com as instituições de
ensino superior e institutos voltados ao desenvolvimento e promoção de
pesquisa das artes e dos esportes
Fundamentação Teórica
Segundo Prof. Vasco Moretto:

                           HABILIDADES:
 As habilidades estão associadas ao saber fazer: ação física ou mental
que indica a capacidade adquirida. Assim, identificar variáveis,
compreender fenômenos, relacionar informações, analisar situações-
problema, sintetizar, julgar, correlacionar e manipular são exemplos de
habilidades.


COMPETÊNCIAS:
“Já as competências são um conjunto de habilidades harmonicamente
desenvolvidas e que caracterizam por exemplo uma função/profissão
específica: ser arquiteto, médico ou professor de química. As habilidades
devem      ser    desenvolvidas     na    busca    das    competências”.
Fundamentação Teórica
“Se toda educação deve partir da busca, partindo de um
problema, isso é tanto mais verdade quando se trata dos bem
dotados, que não se contentam em receber lições
dogmáticas. Sua curiosidade intelectual leva-os a pesquisar,
descobrir, deduzir e abstrair”
   HELENA ANTIPOFF, (1992).
Fundamentação Teórica
         Renzulli (1986) vem da sua Teoria dos Três
         Anéis. Este conceito atribui aos sujeitos com
         altas Habilidades um conjunto constante de
         características que se mantém estáveis ao
         longo de suas vidas. Habilidade acima da
         média,    alta   criatividade    e   um   grande
         envolvimento com as tarefas, ou seja uma alta
         motivação. Estes grupos se entrelaçam entre si,
         precisando haver uma interseção destes três
         "anéis" para que se possa afirmar que alguém é
         portador de altas habilidades.
Fundamentação Teórica
Gardner (1994)      considera a inteligência como
potencial biológico e psicológico e sugere que
esse potencial realiza-se, mais ou menos, como
conseqüência de fatores culturais e motivacionais
que afetam um indivíduo.
Ele propõe a existência de oito inteligências
(lingüística, lógico-matemática, musical, espacial,
cinestésica,      interpessoal,   intrapessoal   e
naturalística).
Fundamentação Teórica
    Sternberg (2006) a inteligência envolve a interação de três
    subteorias. A subteoria componente especifica do conjunto
    potencial   de   processos     mentais    que   sustenta    o
    comportamento (aquele que é gerado), enquanto a subteoria
    contextual relaciona inteligência com o mundo exterior em
    termos de quais comportamentos são inteligentes e onde. A
    subteoria   experimental     aborda   a   relação   entre   o
    comportamento em uma determinada tarefa / situação e da
    quantidade de experiência do indivíduo nessa tarefa /
    situação.
Fundamentação Teórica

Landau (2002) superdotado é uma criança como
qualquer outra, mas há algo que o distingue: o
talento. Todo talento deve ser estimulado, regado
como se fosse uma planta. Entretanto, existe uma
teoria   antiquada,   segundo   a   qual    a   criança
superdotada, sozinha, encontra um caminho para
desenvolver    seus   potenciais    sobre   quaisquer
circunstâncias.
Fundamentação teórica
      Alencar. Criatividade se constitui em uma habilidade
      de sobrevivência para as próximas décadas. Nesse
      sentido, o papel do pensamento criativo se torna
      crescente na solução de problemas futuros – em
      campos como os da ciência, da tecnologia, dos
      negócios, da política etc.
Fundamentação Teórica

 Os conceitos de competência e sensibilidade desenvolvidos na
teoria piagetiana também são importantes para a análise da
questão das altas habilidades/superdotação. Segundo Piaget a
cada nova experiência de contato com um estímulo, as estruturas
cognitivas passam por mudanças e adquirem uma sensibilidade
que ele chamou de competência. Graças a essa competência um
indivíduo pode demonstrar maior facilidade do que outras pessoas
para assimilar um ou mais tipos de conhecimento, bem como
resolver problemas de forma mais rápida e criativa.
Características / Indicadores
Confira algumas características de superdotados:
Rapidez e facilidade para aprender, abstrair ou fazer associações;
Criatividade;
Capacidade para analisar e resolver problemas;
Independência de pensamento;
Habilidade excepcional para esportes, música, artes, dança,
informática ou outros talentos;
Curiosidade e senso crítico exagerados;
Senso de humor;
Investimento nas atividades de interesse e descuido com as
demais;
Bom relacionamento social e liderança;
Aborrecimento com a rotina;
Hipersensibilidade.
Mitos
 O superdotado tem recursos intelectuais suficientes para
desenvolver por conta própria o seu potencial superior;

 O potencial superior se desenvolve apenas em contextos de nível
socioeconômico médio ou elevado;

 Identificado equivocadamente como autista, hiperativo ou
portador de algum distúrbio de aprendizagem, como déficit de
atenção, ou de problemas de conduta comportamental;

 Superdotados constituem um grupo homogêneo em termos
cognitivos e afetivos” (Fleith).
Atendimento aos alunos
 com Altas Habilidades
• Não existe um modelo ideal, mas podemos
  considerar que o método adequado é um conjunto
  de combinações entre alternativas de atendimentos
  possíveis.
• Agrupamento, aceleração e enriquecimento.

• Necessidade de flexibilização.

• Tutorias especificas;

• Monitorias.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Autismo pela Análise do Comportamento
Autismo pela Análise do ComportamentoAutismo pela Análise do Comportamento
Autismo pela Análise do ComportamentoFernandaMars1
 
Altas habilidades superdotação e a inclusão escolar
Altas habilidades superdotação e a inclusão escolarAltas habilidades superdotação e a inclusão escolar
Altas habilidades superdotação e a inclusão escolarSimoneHelenDrumond
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoAurivan
 
Altas habilidades/Superdotação
Altas habilidades/SuperdotaçãoAltas habilidades/Superdotação
Altas habilidades/SuperdotaçãoPatricia Bampi
 
Fundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação InclusivaFundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação InclusivaLene Reis
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxAnaRocha812480
 
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptxO Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptxpaInformatica
 
Autismo inclusão
Autismo inclusãoAutismo inclusão
Autismo inclusãonuno2305
 
Diagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoDiagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoRochelle Arruda
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDeisiane Cazaroto
 
Perturbações do espectro do autismo
Perturbações do espectro do autismoPerturbações do espectro do autismo
Perturbações do espectro do autismoamorimjuvenal
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência IntelectualEdilene Sampaio
 
Deficiencia intelectual
Deficiencia intelectualDeficiencia intelectual
Deficiencia intelectualRosana Santos
 
Transtorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteTranstorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteisismaat
 

Mais procurados (20)

Autismo pela Análise do Comportamento
Autismo pela Análise do ComportamentoAutismo pela Análise do Comportamento
Autismo pela Análise do Comportamento
 
Altas habilidades superdotação e a inclusão escolar
Altas habilidades superdotação e a inclusão escolarAltas habilidades superdotação e a inclusão escolar
Altas habilidades superdotação e a inclusão escolar
 
Pedagogia - Autismo
Pedagogia - AutismoPedagogia - Autismo
Pedagogia - Autismo
 
Palestra Autismo
Palestra AutismoPalestra Autismo
Palestra Autismo
 
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?Autismo: o que os profissionais precisam saber?
Autismo: o que os profissionais precisam saber?
 
Altas habilidades/Superdotação
Altas habilidades/SuperdotaçãoAltas habilidades/Superdotação
Altas habilidades/Superdotação
 
Autismo aula power point
Autismo aula power pointAutismo aula power point
Autismo aula power point
 
Fundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação InclusivaFundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação Inclusiva
 
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptxO PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
O PAPEL DO CUIDADOR.MEDIADOR.pptx
 
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptxO Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
O Papel do Profissional de apoio.mediador na sala comum.pptx
 
TEA
TEATEA
TEA
 
Autismo inclusão
Autismo inclusãoAutismo inclusão
Autismo inclusão
 
Diagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico PsicopedagógicoDiagnóstico Psicopedagógico
Diagnóstico Psicopedagógico
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
 
Perturbações do espectro do autismo
Perturbações do espectro do autismoPerturbações do espectro do autismo
Perturbações do espectro do autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Deficiencia intelectual
Deficiencia intelectualDeficiencia intelectual
Deficiencia intelectual
 
Transtorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafianteTranstorno opositor desafiante
Transtorno opositor desafiante
 

Semelhante a AEE para alunos com altas habilidades e superdotação

Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptxUnidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptxIslanaPereira1
 
Pro cog a_inteligência
Pro cog a_inteligênciaPro cog a_inteligência
Pro cog a_inteligênciaLucia Carvalho
 
Definicao de inteligencia
Definicao de inteligenciaDefinicao de inteligencia
Definicao de inteligenciaMarcelo Anjos
 
João pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotadosJoão pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotadosceciliaconserva
 
Trabalho de psicologia - A Inteligência
Trabalho de psicologia  - A InteligênciaTrabalho de psicologia  - A Inteligência
Trabalho de psicologia - A InteligênciaAdriana Alves
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplasSaulo Muniz
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplasNilson Costa
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplasEneida Fonseca
 
Inteligências múltiplas gardner
Inteligências múltiplas gardnerInteligências múltiplas gardner
Inteligências múltiplas gardnerCarla Pereira
 
A questao da inteligencia todos podem aprender
A questao da inteligencia   todos podem aprenderA questao da inteligencia   todos podem aprender
A questao da inteligencia todos podem aprenderBruna Talita
 
AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...
AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...
AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...Hebert Balieiro
 
197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx
197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx
197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptxDANIELADEOLIVEIRA34
 

Semelhante a AEE para alunos com altas habilidades e superdotação (20)

Altas habilidades
Altas habilidadesAltas habilidades
Altas habilidades
 
Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptxUnidade 1 - 09-08-2023.pptx
Unidade 1 - 09-08-2023.pptx
 
Pro cog a_inteligência
Pro cog a_inteligênciaPro cog a_inteligência
Pro cog a_inteligência
 
Definicao de inteligencia
Definicao de inteligenciaDefinicao de inteligencia
Definicao de inteligencia
 
Inteligências múltiplas
Inteligências múltiplasInteligências múltiplas
Inteligências múltiplas
 
João pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotadosJoão pessoa 2012 superdotados
João pessoa 2012 superdotados
 
Trabalho de psicologia - A Inteligência
Trabalho de psicologia  - A InteligênciaTrabalho de psicologia  - A Inteligência
Trabalho de psicologia - A Inteligência
 
Inteligencias multiplas howard gardner
Inteligencias multiplas howard gardnerInteligencias multiplas howard gardner
Inteligencias multiplas howard gardner
 
Estudar inteligencias multiplas
Estudar inteligencias multiplasEstudar inteligencias multiplas
Estudar inteligencias multiplas
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplas
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplas
 
Inteligencias multiplas
Inteligencias multiplasInteligencias multiplas
Inteligencias multiplas
 
Inteligências múltiplas gardner
Inteligências múltiplas gardnerInteligências múltiplas gardner
Inteligências múltiplas gardner
 
A questao da inteligencia todos podem aprender
A questao da inteligencia   todos podem aprenderA questao da inteligencia   todos podem aprender
A questao da inteligencia todos podem aprender
 
A questão da inteligencia
A questão da inteligenciaA questão da inteligencia
A questão da inteligencia
 
Teorias da Inteligência
Teorias da InteligênciaTeorias da Inteligência
Teorias da Inteligência
 
Alexandria.pptx
Alexandria.pptxAlexandria.pptx
Alexandria.pptx
 
AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...
AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...
AS IMPLICAÇÕES DIDÁTICO-PEDAGÓGICAS DA TEORIA DAS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS NA ...
 
Teoria Gardneriana
Teoria GardnerianaTeoria Gardneriana
Teoria Gardneriana
 
197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx
197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx
197slidesjoopessoa2012superdotados-121130064008-phpapp01.pptx
 

Mais de Prof. Noe Assunção

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxProf. Noe Assunção
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxProf. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxProf. Noe Assunção
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 

Mais de Prof. Noe Assunção (20)

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
 

AEE para alunos com altas habilidades e superdotação

  • 2. Resolução nº4, de 02 de outubro de 2009 Diretrizes Operacionais para atendimento educacional especializado na Educação Básica, modalidade Art 4º para fins de Diretrizes, considera-se publico -alvo do AEE: III – aluno com altas habilidade/ superdotação: aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com áreas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, liderança, psicomotora, artes e criatividade. Art. 7 º os alunos com altas habilidades/ superdotação terão suas atividades de enriquecimento curricular desenvolvidas no âmbito das escolas publicas de ensino regular em interface com núcleos de atividades para altas habilidades/ superdotação, com as instituições de ensino superior e institutos voltados ao desenvolvimento e promoção de pesquisa das artes e dos esportes
  • 3. Fundamentação Teórica Segundo Prof. Vasco Moretto: HABILIDADES: As habilidades estão associadas ao saber fazer: ação física ou mental que indica a capacidade adquirida. Assim, identificar variáveis, compreender fenômenos, relacionar informações, analisar situações- problema, sintetizar, julgar, correlacionar e manipular são exemplos de habilidades. COMPETÊNCIAS: “Já as competências são um conjunto de habilidades harmonicamente desenvolvidas e que caracterizam por exemplo uma função/profissão específica: ser arquiteto, médico ou professor de química. As habilidades devem ser desenvolvidas na busca das competências”.
  • 4. Fundamentação Teórica “Se toda educação deve partir da busca, partindo de um problema, isso é tanto mais verdade quando se trata dos bem dotados, que não se contentam em receber lições dogmáticas. Sua curiosidade intelectual leva-os a pesquisar, descobrir, deduzir e abstrair” HELENA ANTIPOFF, (1992).
  • 5. Fundamentação Teórica Renzulli (1986) vem da sua Teoria dos Três Anéis. Este conceito atribui aos sujeitos com altas Habilidades um conjunto constante de características que se mantém estáveis ao longo de suas vidas. Habilidade acima da média, alta criatividade e um grande envolvimento com as tarefas, ou seja uma alta motivação. Estes grupos se entrelaçam entre si, precisando haver uma interseção destes três "anéis" para que se possa afirmar que alguém é portador de altas habilidades.
  • 6. Fundamentação Teórica Gardner (1994) considera a inteligência como potencial biológico e psicológico e sugere que esse potencial realiza-se, mais ou menos, como conseqüência de fatores culturais e motivacionais que afetam um indivíduo. Ele propõe a existência de oito inteligências (lingüística, lógico-matemática, musical, espacial, cinestésica, interpessoal, intrapessoal e naturalística).
  • 7. Fundamentação Teórica Sternberg (2006) a inteligência envolve a interação de três subteorias. A subteoria componente especifica do conjunto potencial de processos mentais que sustenta o comportamento (aquele que é gerado), enquanto a subteoria contextual relaciona inteligência com o mundo exterior em termos de quais comportamentos são inteligentes e onde. A subteoria experimental aborda a relação entre o comportamento em uma determinada tarefa / situação e da quantidade de experiência do indivíduo nessa tarefa / situação.
  • 8. Fundamentação Teórica Landau (2002) superdotado é uma criança como qualquer outra, mas há algo que o distingue: o talento. Todo talento deve ser estimulado, regado como se fosse uma planta. Entretanto, existe uma teoria antiquada, segundo a qual a criança superdotada, sozinha, encontra um caminho para desenvolver seus potenciais sobre quaisquer circunstâncias.
  • 9. Fundamentação teórica Alencar. Criatividade se constitui em uma habilidade de sobrevivência para as próximas décadas. Nesse sentido, o papel do pensamento criativo se torna crescente na solução de problemas futuros – em campos como os da ciência, da tecnologia, dos negócios, da política etc.
  • 10. Fundamentação Teórica Os conceitos de competência e sensibilidade desenvolvidos na teoria piagetiana também são importantes para a análise da questão das altas habilidades/superdotação. Segundo Piaget a cada nova experiência de contato com um estímulo, as estruturas cognitivas passam por mudanças e adquirem uma sensibilidade que ele chamou de competência. Graças a essa competência um indivíduo pode demonstrar maior facilidade do que outras pessoas para assimilar um ou mais tipos de conhecimento, bem como resolver problemas de forma mais rápida e criativa.
  • 11. Características / Indicadores Confira algumas características de superdotados: Rapidez e facilidade para aprender, abstrair ou fazer associações; Criatividade; Capacidade para analisar e resolver problemas; Independência de pensamento; Habilidade excepcional para esportes, música, artes, dança, informática ou outros talentos; Curiosidade e senso crítico exagerados; Senso de humor; Investimento nas atividades de interesse e descuido com as demais; Bom relacionamento social e liderança; Aborrecimento com a rotina; Hipersensibilidade.
  • 12. Mitos  O superdotado tem recursos intelectuais suficientes para desenvolver por conta própria o seu potencial superior;  O potencial superior se desenvolve apenas em contextos de nível socioeconômico médio ou elevado;  Identificado equivocadamente como autista, hiperativo ou portador de algum distúrbio de aprendizagem, como déficit de atenção, ou de problemas de conduta comportamental;  Superdotados constituem um grupo homogêneo em termos cognitivos e afetivos” (Fleith).
  • 13. Atendimento aos alunos com Altas Habilidades • Não existe um modelo ideal, mas podemos considerar que o método adequado é um conjunto de combinações entre alternativas de atendimentos possíveis. • Agrupamento, aceleração e enriquecimento. • Necessidade de flexibilização. • Tutorias especificas; • Monitorias.