SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 7
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA
           PRÓ- REITORIA ACADÊMICA
 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR:
        ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA




REFLEXÕES ACERCA DA FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO EM
 PLATÃO, DESCARTES, ROUSSEAU, GRAMSCI E MARX




                         Noe Assunção
           Roseli da Silva Ramos Negreiros Botelho




                        Barra Mansa
                            2012
CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA
           PRÓ- REITORIA ACADÊMICA
 CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR:
        ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA




REFLEXÕES ACERCA DA FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO EM
 PLATÃO, DESCARTES, ROUSSEAU, GRAMSCI E MARX




                         Noé Assunção
           Roseli da Silva Ramos Negreiros Botelho




                                Atividade executada por Noe Assunção e
                                Roseli da Silva Ramos Negreiros Botelho, do
                                Curso de Pós Graduação em Gestão Escolar:
                                Administrativa e Pedagógica do Centro
                                Universitário de Barra Mansa, como requisito
                                parcial para a obtenção de nota para
                                disciplina Filosofia da Educação e Ética
                                profissional, sob a orientação da prof. Ozanan
                                Vicente Carrara.




                        Barra Mansa
                            2012
Questões de Filosofia da Educação para a primeira avaliação a ser entregue no final do curso
Pós-UBM – Prof. Dr. Ozanan Carrara.


    1. Quais são os princípios da educação platônica e seu ideal? A partir do texto
        estudado, indique os princípios que norteiam o modelo platônico de educação.
Para Platão a educação deveria caminhar junto com a ética e a política, mesmo porque um
bom governante deveria estar embasado pelo conhecimento , sob a égide da educação.
O Estado deveria ser responsável pela formação do indivíduo desde criança tanto no campo
físico, quanto intelectual e através da mesma esse indivíduo deveria viver a favor da sociedade
e da coletividade.
Num olhar atual, podemos fazer uma análise crítica da educação platônica onde se
evidenciava um caráter excludente na medida em que durante o treinamento dos indivíduos
que era longo, eram testados e aprovados apenas os que tivessem aptidões para o
conhecimento, consequentemente uma educação elitista.


    2. Mostre a relação entre política e educação em Platão.
Para Platão a educação é inseparável da ação política pois para o mesmo é através da
educação que a alma do homem-fílósofo deveria ser formada possibilitando o alcance da
condição de governante da polis.
A educação tende a adquirir um caráter político na medida em que passa a ser tarefa do
Estado administrá-la e o indivíduo para Platão é cidadão que vive e participa coletivamente da
sociedade.


    3. Explique a Metafísica que está por trás da concepção platônica de educação.
Se pensarmos na Metafísica como fundamento que está para além do mundo físico, visão do
mundo não somente naquilo que é real mas também do ilusório. Sob o viés político, Platão
defendia uma política feita com conhecimento, ética , verdade e uma educação de base sólida.
O indivíduo passaria a agir com consciência na polis, sabendo compreender conceitos
metafísicos como justiça, verdade, ações morais individuais e coletivas.
A metafísica educacional platônica se construía na renúncia do indivíduo a favor da
coletividade.


    4. Qual a diferença entre a Metafísica antiga e medieval e a Metafísica moderna
        (Descartes e Rousseau)? Qual o fator determinante entre os antigos e os
        modernos que levou à mudança de enfoque da filosofia?


A Metafísica Antiga se estruturava no reino das idéias, onde as reflexões eram voltadas para o
conhecimento do real e o aparente, isto é entre a ilusão e a verdade. Tenta desvendar como as
pessoas entendiam o mundo, incluindo nessa pauta a visão ilusória do real, a relação da
natureza com os seus objetos: espaço, tempo, causas e efeitos e etc.
Com os estudos de filósofos como Descartes e Rousseau surge um novo elemento nos
estudos metafísicos que era o “sujeito”, que se transforma num elemento determinante para a
mudança de paradigma da Metafísica da Antiguidade para a Modernidade, surgindo nesse
momento um novo modelo filosófico que se definia como a Metafísica da subjetividade. O “eu”
do indivíduo passava a ser produtor e descobridor de crenças verdadeiras, que bem
embasadas poderiam se transformar em conhecimento.


    5. Enuncie os princípios básicos que decorrem do modelo cartesiano de educação,
        ressaltando sua visão da família e da verdade.

No modelo cartesiano a educação impunha aos alunos uma disciplina que contemplava a
punição física. Não aceitava a verdade no seu caráter absoluto e sim na busca pelas
evidências de forma clara e objetiva daquilo de que é verdadeiramente verdadeiro.
Descartes via a criança como um ser inconsciente, como alguém que vivia das sensações,
predomínio das ilusões, aceitação sem questionamento da realidade. Para iniciar uma vida
racional deveria romper o mais rápido possível com esse estado infantil.




    6. Quais os princípios básicos da pedagogia de Rousseau? Que visão ele tem da
        infância e da verdade?
Rousseau atribuía à infância um estado de pureza, imaculada pela cultura, nos remetendo à
famosa frase “ O homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe”, defendia a mínima
interferência do social no modo de pensar da criança. Uma educação natural, de caráter
espontâneo como tarefas centrais, o saber, pensar e preparar o ingresso da criança no
contexto social, gradativamente sem desfigurar o caráter “virtuoso” do mundo da criança. O
apoio da família e dos pais seria necessário na formação dessa criança.
    7. Quais as críticas de Gramsci ao espontaneismo do modelo rousseauniano de
        Educação? Você acha que elas são consistentes? Por quê?

As críticas de Gramsci ao modelo rousseauniano de educação principalmente no que se refere
às crianças se estrutura na idéia do mesmo não acreditar na possibilidade do processo de
aprendizagem ocorrer de forma natural, nem que apenas o ambiente seria estimulante para
esse processo. Gramsci não concordava com a possibilidade da criança se desenvolver
intelectualmente de forma natural apenas com as suas características inatas , seria necessário
que fossem proporcionadas ações para o estímulo da aprendizagem.           Gramsci defendia o
desenvolvimento intelectual do indivíduo de forma coletiva, em constante interação com outros
indivíduos. O espontaneismo criticado por Gramsci é visto como instrumento de conformação,
um terreno propício à alienação. A educação sob o viés gramsciano se pauta nas bases
científicas, voltadas para o trabalho, conscientização dos atores envolvidos e de modo a
enfrentar as concepções ilusórias e míticas.
Comungo com as idéias de Gramsci no que se refere a uma educação crítica voltada para o
   desenvolvimento intelectual e integrado com formação profissional numa dinâmica autônoma
   ou seja a escola deveria preparar à criança para o trabalho porém separada da fábrica e de
   sua ideologia dominante, mesmo porque a educação em Gramsci deveria educar as massas
   trabalhadoras a fim de elevar o nível intelectual dos mesmos possibilitando a capacidade de se
   auto governarem.
   Enquanto educador não posso deixar de ressaltar também a importância e recorrência da
   filosofia rousseauniana na atualidade no que se refere a importância da presença e
   colaboração da família na formação moral e intelectual do indivíduo em parceria com a escola.


       8. Quais os princípios da dialética e como eles ajudam a pensar a educação?
   Um princípio primário da dialética se estrutura na idéia da contradição, como exemplo é tomar
   uma afirmativa (tese) que gera uma negativa( antítese) através do contraditório sendo
   superados por uma negativa da negativa (síntese). Perceber que os objetos e os fenômenos
   estão sempre em movimento e que os mesmos mantêm uma interação constante e que no
   interior dessas relações existem forças de unidade e de oposição articulando simultaneamente.
   A dialética se opõe ao permanente e ao estático, está sempre numa constante movimentação
   contraditória, aberta às novas abordagens, inacabada e se reinventando diariamente.
   O educador no seu cotidiano inserido no seu contexto social deverá estar sempre atentos às
   críticas e autocríticas, assumindo um caráter questionador e contestador cotidianamente .
   Perceber que as limitações do pensamento e do conhecimento são características dos Seres
   Humanos, como dizia Marx a teoria deveria estar sempre em processo de releitura e a crítica
   da prática.


09. Quais as críticas de Marx à educação burguesa? Você acha que elas continuam atuais?
   Dê exemplos.


   Para Marx a educação burguesa mantinha uma íntima relação com o Estado burguês e
   capitalista, que na teoria deveria proporcionar uma educação para todos que na realidade não
   era capaz de fazê-la principalmente pelo fato do Estado não ser do povo e sim elitista.
   O Estado capitalista não possuía caráter democrático se omitindo na concretização de políticas
   educacionais consistentes para todos. Marx via na propriedade privada e no Estado burguês
   obstáculos para a emancipação intelectual e profissional do indivíduo e consequentemente sua
   manutenção no estado de alienação.
   Um exemplo interessante que permeia por esse pensamento marxista de educação burguesa é
   a propaganda do MEC- Ministério da Educação e Cultura “Educação para todos”, onde o
   discurso de que todos têm direito de ingressar numa Universidade federal de qualidade,
   através do ENEM, se contrapõe à prática na qual os alunos das escolas públicas estaduais ou
   municipais não preparam esses indivíduos para tal empreitada. O ensino se transforma numa
   dialética entre ensino público superior de qualidade e Estado. Para Marx o Estado é elitista,
antidemocrático e incapaz de realizar na prática uma educação que estendesse a todos
   enquanto direito constitucional.


10. Mostre como o trabalho pode se tornar um princípio educativo na concepção marxista de
   educação.
   Pensar a educação numa perspectiva Marxista é pensar no princípio do trabalho
   principalmente no que se refere ao processo de superação da alienação do indivíduo numa
   determinada realidade ou estrutura social. A alienação pelo trabalho preconizada por Marx se
   percebe pela imposição dos meios de produção, donos dos meios e dominação da super
   estrutura sobre a infra estrutura, onde a mão-de-obra do trabalhador também está alienada ao
   processo de fabricação para fins de sobrevivência no qual o indivíduo não se reconhece no
   produto final desta produção.
   Marx considerava necessário a união do ensino intelectual aliado ao físico e profissional, dessa
   maneira o trabalhador adquiriria conhecimento profundo do seu ofício, compensando suas
   deficiências , se libertaria do processo alienante e se reconheceria no processo final de
   produção.
   Esta educação voltada para o trabalho, ao mesmo tempo em que proporcionaria conhecimento
   escolar e profissional à classe trabalhadora constituiria num elemento de descoberta,
   criticidade e bom relacionamento social. A base dessa educação profissional no trabalho
   deveria ser embasada num desenvolvimento total, de acordo com as necessidades e
   capacidades dos indivíduos.




   REFERÊNCIAS:


   MORILA, Ailton Pereira & SENATORE, Regina Celia Mendes. Trabalho e educação em Marx e
   Gramsci.
   Disponível:http://www.ceunes.ufes.br/downloads/2/apmorila-
   Trabalho%20e%20educa%C3%A7%C3%A3o%20em%20Marx%20e%20Gramsci.pdf
   http://www.ulsj.edu.br/


   JARDIM, Alex Fabiano Correa & BORGES, Ângela Christina & FREITAS, Gildete dos Santos et
   al. Filosofia da Educação.
   Disponível: http://www.webartigos.com/artigos/estado-e-educacao-em-platao/3646/



   GHIRALDELLI JÚNIOR, Paulo. Filosofia da educação. São Paulo: Ática, 2006. Pag. 48 a 87.


   DIAS, Antônio Francisco Lopes. Política e Educação : critica de Marx à “Educação para todos”.
   Disponível:
   http://www.uespi.br/prop/XSIMPOSIO/TRABALHOS/PRODUCAO/Ciencias%20da%20Educaca
o/POLITICA,%20ESTADO%20E%20EDUCACAO-
    CRITICA%20DE%20MARX%20A%20EDUCACAO%20PARA%20TODOS.pdf


    DALBOSCO, Claudio Almir. Paradoxos da educação natural no Émile de Rousseau: os
    cuidados do adulto.
    Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 106, p. 175-193, jan./abr. 2009
    Disponível: www.scielo.br/pdf/es/30n106/v30n106a09.pdf


    LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Complexidade e Dialética: Contribuições à práxis
    política e emancipatória em educasção ambiental.
Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 94, p. 131-152, jan./abr. 2006.
Disponível: www.scielo.br/pdf/es/v27n94/a07v27n94.pdf

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Resenha de fundamentos da educação cristã
Resenha de fundamentos da educação cristãResenha de fundamentos da educação cristã
Resenha de fundamentos da educação cristãRocha Lima
 
CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...
CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...
CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...professorcorrea
 
Práticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativasPráticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativaseduviecorr
 
Paradigma Educacional Emergente
Paradigma Educacional EmergenteParadigma Educacional Emergente
Paradigma Educacional EmergenteNorma Almeida
 
Artigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino Fundamental
Artigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino FundamentalArtigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino Fundamental
Artigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino FundamentalMarcos Mesquita
 
O nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualO nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualJulhinha Camara
 
Castorina piajet vigotsky
Castorina piajet vigotskyCastorina piajet vigotsky
Castorina piajet vigotskyLeonardo Vieira
 
Pedagogia, ciências da educação e o lugar da história
Pedagogia, ciências da educação e o lugar da históriaPedagogia, ciências da educação e o lugar da história
Pedagogia, ciências da educação e o lugar da históriaOtávio Sales
 
Ensino desenvolvimental antologia 2017
Ensino desenvolvimental antologia 2017Ensino desenvolvimental antologia 2017
Ensino desenvolvimental antologia 2017Ana Raquel de Oliveira
 
Cursinho comunitário miguel badra (1)
Cursinho comunitário miguel badra (1)Cursinho comunitário miguel badra (1)
Cursinho comunitário miguel badra (1)Gelson Rocha
 
Henri wallon
Henri wallonHenri wallon
Henri wallonuendell
 
Os paradigmas em educação
Os paradigmas em educaçãoOs paradigmas em educação
Os paradigmas em educaçãoAndréa Kochhann
 

Mais procurados (18)

Resenha de fundamentos da educação cristã
Resenha de fundamentos da educação cristãResenha de fundamentos da educação cristã
Resenha de fundamentos da educação cristã
 
CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...
CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...
CRIANÇAS NÃO PENSAM, APENAS IMITAM: Por uma prática pedagógica e avaliativa q...
 
Práticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativasPráticas performáticas nas relações educativas
Práticas performáticas nas relações educativas
 
Paradigma Educacional Emergente
Paradigma Educacional EmergenteParadigma Educacional Emergente
Paradigma Educacional Emergente
 
8 o fazer_pedagagico
8 o fazer_pedagagico8 o fazer_pedagagico
8 o fazer_pedagagico
 
Artigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino Fundamental
Artigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino FundamentalArtigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino Fundamental
Artigo - Proposta de Educação Empreendedora para o Ensino Fundamental
 
A emergência da psicopedagogia no brasil
A emergência da psicopedagogia no brasilA emergência da psicopedagogia no brasil
A emergência da psicopedagogia no brasil
 
O nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atualO nascimento da pedagogia atual
O nascimento da pedagogia atual
 
Filosofia e educação
Filosofia e educaçãoFilosofia e educação
Filosofia e educação
 
Filosofia da educacao
Filosofia da educacaoFilosofia da educacao
Filosofia da educacao
 
Castorina piajet vigotsky
Castorina piajet vigotskyCastorina piajet vigotsky
Castorina piajet vigotsky
 
Pedagogia, ciências da educação e o lugar da história
Pedagogia, ciências da educação e o lugar da históriaPedagogia, ciências da educação e o lugar da história
Pedagogia, ciências da educação e o lugar da história
 
Ensino desenvolvimental antologia 2017
Ensino desenvolvimental antologia 2017Ensino desenvolvimental antologia 2017
Ensino desenvolvimental antologia 2017
 
Cursinho comunitário miguel badra (1)
Cursinho comunitário miguel badra (1)Cursinho comunitário miguel badra (1)
Cursinho comunitário miguel badra (1)
 
Pestalozzi
PestalozziPestalozzi
Pestalozzi
 
Henri wallon
Henri wallonHenri wallon
Henri wallon
 
Os paradigmas em educação
Os paradigmas em educaçãoOs paradigmas em educação
Os paradigmas em educação
 
859 1
859 1859 1
859 1
 

Destaque

Plano do seminário -educação e tecnologia-
Plano do seminário   -educação e tecnologia-Plano do seminário   -educação e tecnologia-
Plano do seminário -educação e tecnologia-Prof. Noe Assunção
 
PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe Assunção
PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe AssunçãoPREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe Assunção
PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Avaliação de recuperação sociologia 2 ano
Avaliação de recuperação sociologia 2 anoAvaliação de recuperação sociologia 2 ano
Avaliação de recuperação sociologia 2 anoProf. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
REDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
REDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoREDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
REDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe AssunçãoO QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...Prof. Noe Assunção
 
Capítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEI
Capítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEICapítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEI
Capítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEIProf. Noe Assunção
 
Aula 2 Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Assunção
Aula 2  Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe AssunçãoAula 2  Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Avaliação trabalho informal - pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação trabalho informal -  pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAvaliação trabalho informal -  pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação trabalho informal - pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAIATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAIProf. Noe Assunção
 
CIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNERO
CIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNEROCIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNERO
CIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNEROProf. Noe Assunção
 
Aula 3 O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 3   O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 3   O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 3 O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Aula 1- O que e alienação? Prof. Noe Assunção
Aula 1-  O que e alienação? Prof. Noe AssunçãoAula 1-  O que e alienação? Prof. Noe Assunção
Aula 1- O que e alienação? Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Atividade industria cultural 1 - Prof. Noe Assunção
Atividade industria cultural 1 - Prof. Noe AssunçãoAtividade industria cultural 1 - Prof. Noe Assunção
Atividade industria cultural 1 - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Avaliação conceito de trabalho sociologia 2 ano - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de trabalho   sociologia 2 ano - Prof. Noe AssunçãoAvaliação conceito de trabalho   sociologia 2 ano - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de trabalho sociologia 2 ano - Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO
AULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃOAULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO
AULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃOProf. Noe Assunção
 

Destaque (20)

Sociologia Antonio Gramsci
Sociologia Antonio Gramsci Sociologia Antonio Gramsci
Sociologia Antonio Gramsci
 
Plano do seminário -educação e tecnologia-
Plano do seminário   -educação e tecnologia-Plano do seminário   -educação e tecnologia-
Plano do seminário -educação e tecnologia-
 
PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe Assunção
PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe AssunçãoPREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe Assunção
PREGÃO PRESENCIAL E ELETRÔNICO - Prof. Noe Assunção
 
Avaliação de recuperação sociologia 2 ano
Avaliação de recuperação sociologia 2 anoAvaliação de recuperação sociologia 2 ano
Avaliação de recuperação sociologia 2 ano
 
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe AssunçãoAVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe Assunção
AVALIAÇÃO DE SOCIOLOGIA - 1º ANO E.M - Prof. Noe Assunção
 
REDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
REDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe AssunçãoREDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
REDE SOCIAL INTERNA E EXTERNA DA UNIDADE ESCOLAR - Prof. Noe Assunção
 
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe AssunçãoO QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
O QUE SÃO DROGAS? Prof. Noe Assunção
 
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades - 2º Sociologia - Prof. Noe Assu...
 
Capítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEI
Capítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEICapítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEI
Capítulo I da Especialização em Designer Instrucional da UNIFEI
 
Aula 2 Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Assunção
Aula 2  Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe AssunçãoAula 2  Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Diferentes ou desiguais - Sociologia - 1º ano EM - Prof. Noe Assunção
 
Avaliação trabalho informal - pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação trabalho informal -  pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAvaliação trabalho informal -  pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Avaliação trabalho informal - pirataria - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 2   Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 2 Mercado de trabalho e desigualdades- 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAIATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
ATIVIDADE MÚSICA TERCEIRA NO PLURAL - ENGENHEIROS DO HAWAI
 
CIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNERO
CIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNEROCIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNERO
CIDADANIA E DESIGUALDADE DE GÊNERO
 
Aula 3 O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 3   O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe AssunçãoAula 3   O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
Aula 3 O trabalho escravo no seculo xxi - 2º Sociologia - Prof. Noe Assunção
 
Aula 1- O que e alienação? Prof. Noe Assunção
Aula 1-  O que e alienação? Prof. Noe AssunçãoAula 1-  O que e alienação? Prof. Noe Assunção
Aula 1- O que e alienação? Prof. Noe Assunção
 
Atividade industria cultural 1 - Prof. Noe Assunção
Atividade industria cultural 1 - Prof. Noe AssunçãoAtividade industria cultural 1 - Prof. Noe Assunção
Atividade industria cultural 1 - Prof. Noe Assunção
 
Avaliação conceito de trabalho sociologia 2 ano - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de trabalho   sociologia 2 ano - Prof. Noe AssunçãoAvaliação conceito de trabalho   sociologia 2 ano - Prof. Noe Assunção
Avaliação conceito de trabalho sociologia 2 ano - Prof. Noe Assunção
 
Antonio Gramsci
Antonio GramsciAntonio Gramsci
Antonio Gramsci
 
AULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO
AULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃOAULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO
AULA - CIDADÃO DE PAPEL X VERDADEIRO CIDADÃO
 

Semelhante a Reflexões sobre educação em Platão, Descartes, Rousseau, Gramsci e Marx

Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaOs Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaREDEM
 
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênioSão vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênioTania Braga
 
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.comArtigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.comEscola do Amanhã
 
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.comArtigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.comEscola do Amanhã
 
88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr
88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr
88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jrRaquel Pinheiro
 
A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...
A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...
A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...quevin Costner Esef
 
Dicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosDicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosAna Magistério
 
Vygotsky e as teorias da aprendizagem
Vygotsky e as teorias da aprendizagemVygotsky e as teorias da aprendizagem
Vygotsky e as teorias da aprendizagemCazimiro Saldanha
 
Aula iejo d om_valentino_ pedagogia da autonomia
Aula iejo   d om_valentino_ pedagogia da autonomiaAula iejo   d om_valentino_ pedagogia da autonomia
Aula iejo d om_valentino_ pedagogia da autonomiaNadia Leal
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...christianceapcursos
 
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidadeA Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidadeRichard Reinaldo
 
29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicasMimos Artesanais
 
Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas textodiegocn
 

Semelhante a Reflexões sobre educação em Platão, Descartes, Rousseau, Gramsci e Marx (20)

Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola CapitalistaOs Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
Os Valores Morais No âMbito Da Escola Capitalista
 
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênioSão vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
São vários os problemas que se perpetuam e se intensificam nesse novo milênio
 
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.comArtigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
 
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.comArtigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
Artigo simposio 5_1003_claricespereira@hotmail.com
 
Por uma educação humanizadora
Por uma educação humanizadoraPor uma educação humanizadora
Por uma educação humanizadora
 
Keila01 projeto
Keila01 projetoKeila01 projeto
Keila01 projeto
 
88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr
88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr
88040993 educacao-fisica-progressista-paulo-ghiraldelli-jr
 
G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04G ped didp_3_1_04
G ped didp_3_1_04
 
G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05
 
G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05G ped didp_3_1_05
G ped didp_3_1_05
 
Tendências pedagógicas
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
 
A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...
A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...
A produtividade escola_improdutiva _breve_reflexao_ideias_de gaudencio_frigot...
 
Dicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicosDicas conhecimentos pedagógicos
Dicas conhecimentos pedagógicos
 
Vygotsky e as teorias da aprendizagem
Vygotsky e as teorias da aprendizagemVygotsky e as teorias da aprendizagem
Vygotsky e as teorias da aprendizagem
 
Aula iejo d om_valentino_ pedagogia da autonomia
Aula iejo   d om_valentino_ pedagogia da autonomiaAula iejo   d om_valentino_ pedagogia da autonomia
Aula iejo d om_valentino_ pedagogia da autonomia
 
TEXTO 1.pdf
TEXTO 1.pdfTEXTO 1.pdf
TEXTO 1.pdf
 
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA  E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR  ...
CONSIDERAÇÕES ENTRE INDISCIPLINA E PRÁTICA PEDAGÓGICA NO COTIDIANO ESCOLAR ...
 
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidadeA Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
A Rotina na Pedagogia da Educação Infantil: Dos binarismos à complexidade
 
29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas29039 tendências pedagógicas
29039 tendências pedagógicas
 
Tendências pedagógicas texto
Tendências pedagógicas   textoTendências pedagógicas   texto
Tendências pedagógicas texto
 

Mais de Prof. Noe Assunção

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxProf. Noe Assunção
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxProf. Noe Assunção
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxProf. Noe Assunção
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.Prof. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoProf. Noe Assunção
 

Mais de Prof. Noe Assunção (20)

ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe AssunçãoATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
ATIVIDADE SENSO COMUM- Prof.Ms.Noe Assunção
 
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe AssunçãoCHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
CHEGADA DA FAMÍLIA REAL NO-BRASIL- Prof.Ms.Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO CONTRA REFORMA PROTESTANTE - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
ESTUDO DIRIGIDO REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA1- REVOLUÇÃO RUSSA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe AssunçãoATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
ATIVIDADE SEGUNDA GUERRA - Prof. Ms. Noe Assunção
 
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe AssunçãoAULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
AULA 2 SOCIALISMO CIENTIFICO.docx - Prof. Ms. Noe Assunção
 
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docxATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
ATIVIDADE REVOLUÇÃO INDUSTRIA - Prof. Ms. Noe AssunçãoL.docx
 
AULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docxAULA O LIBERALISMO.docx
AULA O LIBERALISMO.docx
 
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docxFILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
FILOSOFIA TEXTOS REVISTA EPOCA.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docxAVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
AVALIAÇÃO FINAL O QUE É FILOSOFIA - Prof.Ms. Noe Assunção.docx
 
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docxAVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
AVALIAÇÃO FINAL CIDADANIA.docx
 
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe AssunçãoQueimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
Queimando sutiã dia da mulher. Prof.Ms.Noe Assunção
 
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.Projeto de Vida. Atividade 2  identidade.
Projeto de Vida. Atividade 2 identidade.
 
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia  3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 3º ano - ensino regular - Prof. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 1 ano - ensino regular - Pro. Ms. Noe Assunção
 
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe AssunçãoMaterial impresso filosofia   2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
Material impresso filosofia 2 ano - ensino regular - Prof Ms. Noe Assunção
 
Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1Atividade clandestinas1
Atividade clandestinas1
 
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe AssunçãoAtividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
Atividade sobre o documentário "clandestinas"- Prof. Noe Assunção
 
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe AssunçãoDocumentario clandestinas  debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
Documentario clandestinas debate filosofico - Prof. Ms. Noe Assunção
 

Reflexões sobre educação em Platão, Descartes, Rousseau, Gramsci e Marx

  • 1. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA PRÓ- REITORIA ACADÊMICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR: ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA REFLEXÕES ACERCA DA FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO EM PLATÃO, DESCARTES, ROUSSEAU, GRAMSCI E MARX Noe Assunção Roseli da Silva Ramos Negreiros Botelho Barra Mansa 2012
  • 2. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA PRÓ- REITORIA ACADÊMICA CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR: ADMINISTRATIVA E PEDAGÓGICA REFLEXÕES ACERCA DA FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO EM PLATÃO, DESCARTES, ROUSSEAU, GRAMSCI E MARX Noé Assunção Roseli da Silva Ramos Negreiros Botelho Atividade executada por Noe Assunção e Roseli da Silva Ramos Negreiros Botelho, do Curso de Pós Graduação em Gestão Escolar: Administrativa e Pedagógica do Centro Universitário de Barra Mansa, como requisito parcial para a obtenção de nota para disciplina Filosofia da Educação e Ética profissional, sob a orientação da prof. Ozanan Vicente Carrara. Barra Mansa 2012
  • 3. Questões de Filosofia da Educação para a primeira avaliação a ser entregue no final do curso Pós-UBM – Prof. Dr. Ozanan Carrara. 1. Quais são os princípios da educação platônica e seu ideal? A partir do texto estudado, indique os princípios que norteiam o modelo platônico de educação. Para Platão a educação deveria caminhar junto com a ética e a política, mesmo porque um bom governante deveria estar embasado pelo conhecimento , sob a égide da educação. O Estado deveria ser responsável pela formação do indivíduo desde criança tanto no campo físico, quanto intelectual e através da mesma esse indivíduo deveria viver a favor da sociedade e da coletividade. Num olhar atual, podemos fazer uma análise crítica da educação platônica onde se evidenciava um caráter excludente na medida em que durante o treinamento dos indivíduos que era longo, eram testados e aprovados apenas os que tivessem aptidões para o conhecimento, consequentemente uma educação elitista. 2. Mostre a relação entre política e educação em Platão. Para Platão a educação é inseparável da ação política pois para o mesmo é através da educação que a alma do homem-fílósofo deveria ser formada possibilitando o alcance da condição de governante da polis. A educação tende a adquirir um caráter político na medida em que passa a ser tarefa do Estado administrá-la e o indivíduo para Platão é cidadão que vive e participa coletivamente da sociedade. 3. Explique a Metafísica que está por trás da concepção platônica de educação. Se pensarmos na Metafísica como fundamento que está para além do mundo físico, visão do mundo não somente naquilo que é real mas também do ilusório. Sob o viés político, Platão defendia uma política feita com conhecimento, ética , verdade e uma educação de base sólida. O indivíduo passaria a agir com consciência na polis, sabendo compreender conceitos metafísicos como justiça, verdade, ações morais individuais e coletivas. A metafísica educacional platônica se construía na renúncia do indivíduo a favor da coletividade. 4. Qual a diferença entre a Metafísica antiga e medieval e a Metafísica moderna (Descartes e Rousseau)? Qual o fator determinante entre os antigos e os modernos que levou à mudança de enfoque da filosofia? A Metafísica Antiga se estruturava no reino das idéias, onde as reflexões eram voltadas para o conhecimento do real e o aparente, isto é entre a ilusão e a verdade. Tenta desvendar como as pessoas entendiam o mundo, incluindo nessa pauta a visão ilusória do real, a relação da natureza com os seus objetos: espaço, tempo, causas e efeitos e etc.
  • 4. Com os estudos de filósofos como Descartes e Rousseau surge um novo elemento nos estudos metafísicos que era o “sujeito”, que se transforma num elemento determinante para a mudança de paradigma da Metafísica da Antiguidade para a Modernidade, surgindo nesse momento um novo modelo filosófico que se definia como a Metafísica da subjetividade. O “eu” do indivíduo passava a ser produtor e descobridor de crenças verdadeiras, que bem embasadas poderiam se transformar em conhecimento. 5. Enuncie os princípios básicos que decorrem do modelo cartesiano de educação, ressaltando sua visão da família e da verdade. No modelo cartesiano a educação impunha aos alunos uma disciplina que contemplava a punição física. Não aceitava a verdade no seu caráter absoluto e sim na busca pelas evidências de forma clara e objetiva daquilo de que é verdadeiramente verdadeiro. Descartes via a criança como um ser inconsciente, como alguém que vivia das sensações, predomínio das ilusões, aceitação sem questionamento da realidade. Para iniciar uma vida racional deveria romper o mais rápido possível com esse estado infantil. 6. Quais os princípios básicos da pedagogia de Rousseau? Que visão ele tem da infância e da verdade? Rousseau atribuía à infância um estado de pureza, imaculada pela cultura, nos remetendo à famosa frase “ O homem nasce bom, mas a sociedade o corrompe”, defendia a mínima interferência do social no modo de pensar da criança. Uma educação natural, de caráter espontâneo como tarefas centrais, o saber, pensar e preparar o ingresso da criança no contexto social, gradativamente sem desfigurar o caráter “virtuoso” do mundo da criança. O apoio da família e dos pais seria necessário na formação dessa criança. 7. Quais as críticas de Gramsci ao espontaneismo do modelo rousseauniano de Educação? Você acha que elas são consistentes? Por quê? As críticas de Gramsci ao modelo rousseauniano de educação principalmente no que se refere às crianças se estrutura na idéia do mesmo não acreditar na possibilidade do processo de aprendizagem ocorrer de forma natural, nem que apenas o ambiente seria estimulante para esse processo. Gramsci não concordava com a possibilidade da criança se desenvolver intelectualmente de forma natural apenas com as suas características inatas , seria necessário que fossem proporcionadas ações para o estímulo da aprendizagem. Gramsci defendia o desenvolvimento intelectual do indivíduo de forma coletiva, em constante interação com outros indivíduos. O espontaneismo criticado por Gramsci é visto como instrumento de conformação, um terreno propício à alienação. A educação sob o viés gramsciano se pauta nas bases científicas, voltadas para o trabalho, conscientização dos atores envolvidos e de modo a enfrentar as concepções ilusórias e míticas.
  • 5. Comungo com as idéias de Gramsci no que se refere a uma educação crítica voltada para o desenvolvimento intelectual e integrado com formação profissional numa dinâmica autônoma ou seja a escola deveria preparar à criança para o trabalho porém separada da fábrica e de sua ideologia dominante, mesmo porque a educação em Gramsci deveria educar as massas trabalhadoras a fim de elevar o nível intelectual dos mesmos possibilitando a capacidade de se auto governarem. Enquanto educador não posso deixar de ressaltar também a importância e recorrência da filosofia rousseauniana na atualidade no que se refere a importância da presença e colaboração da família na formação moral e intelectual do indivíduo em parceria com a escola. 8. Quais os princípios da dialética e como eles ajudam a pensar a educação? Um princípio primário da dialética se estrutura na idéia da contradição, como exemplo é tomar uma afirmativa (tese) que gera uma negativa( antítese) através do contraditório sendo superados por uma negativa da negativa (síntese). Perceber que os objetos e os fenômenos estão sempre em movimento e que os mesmos mantêm uma interação constante e que no interior dessas relações existem forças de unidade e de oposição articulando simultaneamente. A dialética se opõe ao permanente e ao estático, está sempre numa constante movimentação contraditória, aberta às novas abordagens, inacabada e se reinventando diariamente. O educador no seu cotidiano inserido no seu contexto social deverá estar sempre atentos às críticas e autocríticas, assumindo um caráter questionador e contestador cotidianamente . Perceber que as limitações do pensamento e do conhecimento são características dos Seres Humanos, como dizia Marx a teoria deveria estar sempre em processo de releitura e a crítica da prática. 09. Quais as críticas de Marx à educação burguesa? Você acha que elas continuam atuais? Dê exemplos. Para Marx a educação burguesa mantinha uma íntima relação com o Estado burguês e capitalista, que na teoria deveria proporcionar uma educação para todos que na realidade não era capaz de fazê-la principalmente pelo fato do Estado não ser do povo e sim elitista. O Estado capitalista não possuía caráter democrático se omitindo na concretização de políticas educacionais consistentes para todos. Marx via na propriedade privada e no Estado burguês obstáculos para a emancipação intelectual e profissional do indivíduo e consequentemente sua manutenção no estado de alienação. Um exemplo interessante que permeia por esse pensamento marxista de educação burguesa é a propaganda do MEC- Ministério da Educação e Cultura “Educação para todos”, onde o discurso de que todos têm direito de ingressar numa Universidade federal de qualidade, através do ENEM, se contrapõe à prática na qual os alunos das escolas públicas estaduais ou municipais não preparam esses indivíduos para tal empreitada. O ensino se transforma numa dialética entre ensino público superior de qualidade e Estado. Para Marx o Estado é elitista,
  • 6. antidemocrático e incapaz de realizar na prática uma educação que estendesse a todos enquanto direito constitucional. 10. Mostre como o trabalho pode se tornar um princípio educativo na concepção marxista de educação. Pensar a educação numa perspectiva Marxista é pensar no princípio do trabalho principalmente no que se refere ao processo de superação da alienação do indivíduo numa determinada realidade ou estrutura social. A alienação pelo trabalho preconizada por Marx se percebe pela imposição dos meios de produção, donos dos meios e dominação da super estrutura sobre a infra estrutura, onde a mão-de-obra do trabalhador também está alienada ao processo de fabricação para fins de sobrevivência no qual o indivíduo não se reconhece no produto final desta produção. Marx considerava necessário a união do ensino intelectual aliado ao físico e profissional, dessa maneira o trabalhador adquiriria conhecimento profundo do seu ofício, compensando suas deficiências , se libertaria do processo alienante e se reconheceria no processo final de produção. Esta educação voltada para o trabalho, ao mesmo tempo em que proporcionaria conhecimento escolar e profissional à classe trabalhadora constituiria num elemento de descoberta, criticidade e bom relacionamento social. A base dessa educação profissional no trabalho deveria ser embasada num desenvolvimento total, de acordo com as necessidades e capacidades dos indivíduos. REFERÊNCIAS: MORILA, Ailton Pereira & SENATORE, Regina Celia Mendes. Trabalho e educação em Marx e Gramsci. Disponível:http://www.ceunes.ufes.br/downloads/2/apmorila- Trabalho%20e%20educa%C3%A7%C3%A3o%20em%20Marx%20e%20Gramsci.pdf http://www.ulsj.edu.br/ JARDIM, Alex Fabiano Correa & BORGES, Ângela Christina & FREITAS, Gildete dos Santos et al. Filosofia da Educação. Disponível: http://www.webartigos.com/artigos/estado-e-educacao-em-platao/3646/ GHIRALDELLI JÚNIOR, Paulo. Filosofia da educação. São Paulo: Ática, 2006. Pag. 48 a 87. DIAS, Antônio Francisco Lopes. Política e Educação : critica de Marx à “Educação para todos”. Disponível: http://www.uespi.br/prop/XSIMPOSIO/TRABALHOS/PRODUCAO/Ciencias%20da%20Educaca
  • 7. o/POLITICA,%20ESTADO%20E%20EDUCACAO- CRITICA%20DE%20MARX%20A%20EDUCACAO%20PARA%20TODOS.pdf DALBOSCO, Claudio Almir. Paradoxos da educação natural no Émile de Rousseau: os cuidados do adulto. Educ. Soc., Campinas, vol. 30, n. 106, p. 175-193, jan./abr. 2009 Disponível: www.scielo.br/pdf/es/30n106/v30n106a09.pdf LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Complexidade e Dialética: Contribuições à práxis política e emancipatória em educasção ambiental. Educ. Soc., Campinas, vol. 27, n. 94, p. 131-152, jan./abr. 2006. Disponível: www.scielo.br/pdf/es/v27n94/a07v27n94.pdf