Revista Jardim das Perdizes

3.906 visualizações

Publicada em

Revista sobre o Bairro Planejado mais moderno de São Paulo - Jardim das Perdizes.
Mais informações com Nissim nissim.n@tecnisa.com.br

Publicada em: Imóveis
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Download Here:http://www.sendspace.com/file/quqk1c
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.906
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista Jardim das Perdizes

  1. 1. ViverSão Paulo ESPECIAL Jardim das Perdizes Está surgindo na zona oeste o bairro planejado mais moderno de São Paulo GALERIA Galpões industriais viram fábricas de arte COMPRAS Atrações em shoppings e diferenciais em lojas de rua NOVOS TEMPOS Operações urbanas vão transformar o perfil da regiãoTransporte BALADAS COMER E BEBERTerminal Barra Funda Pontos descolados na Melhores restaurantes,é diferencial no acesso noite da Barra Funda bares e lanchonetes VIVER SÃO PAULO  1
  2. 2. APRESENTAÇÃO Inspiração para morar bem U m novo bairro está sendo erguido em São Paulo a partir dos mais modernos conceitos do que significa morar bem: espa- ços abertos, extensas áreas verdes (são 50 mil metros qua- drados de parques e jardins), unidades de acordo com o perfil do comprador, comodidades em áreas comuns e um projeto que, em todos os aspectos, demonstra o compromisso com o meio ambiente. É o Jardim das Perdizes, que surge em um terreno de 250 mil metros quadrados entre os bairros Barra Funda e Perdizes, no último gran- de espaço urbano existente no coração de São Paulo. ViverSão Paulo O novo bairro inspira esta edição dedicada à zona oeste da capital, com foco na região que abrange Barra Funda, Perdizes, Pompeia eEXPEDIENTE Lapa, que vivencia um acelerado processo de transformação. De-Coordenação: pois de décadas de estagnação urbana, a área está sendo beneficiadaLP360º por diferentes iniciativas que resultarão em crescimento orientado,Conteúdo e edição: aproveitando as facilidades de acesso e proximidade que são únicasEditora Contadino na capital. Mostramos o que há de melhor na região, que reúne atra-Av. Paulista, 2600 – cj. 1203 –01310-200 – São Paulo – SP ções nas áreas de cultura, compras, lazer e diversão, concentra com-www.contadino.com.br pleta infraestrutura de transporte, boas opções de escola e hospitaisReportagens e redação: que são referência em excelência no atendimento.Cadu Luongo, Denise Aleluia,Diego Martins, Gustavo Dhein, Detalhamos também o projeto do bairro Jardim das Perdizes. Mo-Leonardo Fuhrmann, Lilian Primi,Márcia Villas Boas, Marina Bueno, derno e completo, compreende 28 torres (25 residenciais, 1 corpora-Vivian Ikwueme, Tânia Rabello tiva, 1 comercial, 1 hotel) mais um strip mall. Mesmo com essa di-Edição: mensão, manterá um baixo índice de adensamento: 14 mil unidadesChristina Brentano (MTb 4.018) por quilômetro quadrado em comparação a até 23 mil na região deProjeto gráfico e diagramação: Moema, por exemplo. O projeto se inspirou na natureza para asse-Multi Design Editorial gurar a sensação de bem-viver e traz soluções que ajudam a econo-Impressão: mizar água e energia nas unidades e nas áreas comuns.PluralTiragem: Saiba mais sobre a região e conheça este que é o bairro planejado50 mil exemplares mais moderno de São Paulo. VIVER SÃO PAULO  3
  3. 3. Tecnisa/divulgação íNDICE 82 Jardim6 das Perdizes Bairro planejado 32Mercado será o mais moderno MobilidadeZona oeste abre nova de São Paulo Sonho de consumo é morarfronteira imobiliária perto do local de trabalho10 36Região EducaçãoBairros que viraram Proximidade de boas escolas éobjetos de desejo fator considerado essencial14 40 74Bairros Saúde MoradoresTransformação radical Acesso fácil a hospitais que Ex-goleiro Marcosem áreas da cidade são referência de qualidade investe em imóveis20 116 Gal OppidoDesenvolvimento MapaOperações urbanas vão Localize principais pontosimpulsionar o crescimento e atrações da região24 44 118Transporte Parques MotivosTudo converge para o Áreas verdes como Dez razões para escolherTerminal da Barra Funda sinônimo de bem-estar o Jardim das Perdizes 28 64 120 Gal Oppido Acesso Shoppings Serviço Shutterstock Grandes avenidas facilitam a Centros combinam Os melhores lugares para circulação por toda a cidade compras e entretenimento comer, beber e se divertir 48 50 60 68 72 78 modernismo cultura arte baladas carnaval Decoração
  4. 4. Peter Hertel MERCADO Nova fronteira imobiliária +119% +97% ALTO DA LAPA +120% CASA VERDE +84% BELA VISTA BARRA FUNDA +66%Vista geral da zona oeste, mostrando o potencial para o desenvolvimento imobiliário da região +56% POMPÉIA BRASILÂNDIA +55%VÁRIAS Áreas de são paulo VALORIZAÇÃO do LAPA entorno em 5 anosmostram potencial como preço do m2 de imóveis lançados PERDIZES CACHOEIRINHA em bairros da zona oeste e PIRITUBApolos de atração proximidades – R$ mil (*) SÃO DOMINGOS LIMÃO 2007A região que abrange Perdizes, Pompeia e Barra Funda, na zona 2011 3,4 6,7 JAGUARÁ oeste de São Paulo, está se tornando um polo de atração imo- 6 meses 2012 biliária. Essa mudança é reflexo direto da instalação de dois 4,7 7,3 4,3 8,0 BOM RETIRO P VILA LEOPOLDINA 4,1 9,0 5,2 8,6 STA. CECÍLIAgrandes shopping centers (West Plaza, na Água Branca, e Bourbon,na Pompeia) e dos fóruns de Justiça na Barra Funda, além da perspec- *Lançamentos residenciais verticais, unidades tipo. 6,1 9,5 REPÚBLICA Obs.: Inflação acumulada jan/2007 a jun/2012: ALTO DE PINHEIROS SÉtiva de revitalização e desenvolvimento representada por operações 33,18% (IPCA) CONSOLAÇÃO Fonte: Lopes Inteligência de Mercadourbanas da Prefeitura de São Paulo (mais informações na página 20). JARDIM PAULISTA LIBERDADE PINHEIROS 5,7 12,66  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  7 VILA MARIANA
  5. 5. Gal OppidoMERCADO Divulgação/Secovi Celso Petrucci, economista-chefe do Secovi Nova ênfase para 4 dormitórios Nos lançamentos previstos para 2012 e início de 2013, a novidade ressaltada por Celso Petrucci, economista-chefe do Sindicato da Habitação (Secovi), é a volta dos imóveis com quatro dormitórios de alto padrão, queVista dos bairros Perdizes e Pompeia a partir da Avenida Nicholas Böer ficaram esquecidos em 2011. “Estamos vindo de um grande aquecimento, que primeiro ajustou os valores e agora segue em busca de equilíbrio84% É uma região que está mudando suas ca- racterísticas, em um movimento que tam- Paulo, o mercado imobiliário luta por abrir espaço para novos empreendimentos e atu- Vendas ainda em alta entre oferta e demanda”, explica. Com isso, os imóveis com quatrofoi a valorização do bém acelerou os lançamentos de imóveis alizar a legislação que regula a ocupação do As perspectivas para 2012, segundo ava- dormitórios voltam a ter boa liquidezmetro quadrado empresariais e residenciais, impulsionando solo. “Os estoques definidos pelo Plano Di- liação do Sindicato da Habitação (Secovi), é em 2012/2013, segundo Petrucci.na Barra Funda, o preço do metro quadrado. O marco foi a retor estão subdimensionados e defasados”, de crescimento nas vendas de imóveis entreno período de construção do Centro Empresarial Água avalia Celso de Sampaio Amaral Neto, dire- 5% e 10%, com o PIB do setor se mantendo A maior demanda de mercadojaneiro de 2007 Branca, inaugurado em 2001. Composto tor Geoimovel. “Isso inflaciona o preço da acima do nacional. O diretor comercial da continua nos imóveis de doisa junho de 2012 por quatro torres comerciais de 20 andares principal matéria-prima – os terrenos – e, TECNISA, Douglas Duarte, também está dormitórios. “Para as famílias cada, acolhe empresas como a PWC (con- consequentemente, o do metro quadrado.” otimista. “Apesar de certa acomodação, recém-formadas, que já conseguem sultoria internacional PriceWaterhouseCo- Segundo Amaral Neto, os bairros mais natural e esperada, os preços vão continuar comprar a sua casa, é o tipo opers) e a multinacional Nordisk Farma- valorizados continuam sendo os tradi- subindo”, afirma. ideal de imóvel”, avalia. cêutica, entre outras grandes companhias. cionais Jardins, Moema, Vila Nova Con- A velocidade de venda também deve Essa mudança de perfil também se traduz ceição, Pinheiros e Paraíso, onde o metro crescer, segundo avaliação de Petrucci, e O diretor da Empresa Brasileira de em valorização. Pesquisa da Lopes Inteli- quadrado fica acima de R$ 10 mil. Mas há reduzir os estoques, que em 2011 ficaram Estudos do Patrimônio (Embraesp), Luiz gência de Mercado aponta alta de 84% nos áreas na zona oeste, com grandes quadras em 4 milhões de metros quadrados. Isso Paulo Pompeia, diz que a tendência 61,4% preços do metro quadrado na Barra Funda, de imóveis abandonados pela indústria, é o dobro da média anual, de acordo com crescente é de unidades de luxo nos últimos cinco anos. Lançamentos reali- que aparecem como novas e promissoras dados da Empresa Brasileira de Estudos de nessa tipologia, para casais que já zados nos seis primeiros meses de 2012 atin- fronteiras imobiliárias. Patrimônio (Embraesp). criaram os seus filhos e não veem mais giram R$ 8,0 mil, em comparação ao valor “A região da Vila Leopoldina, por exem- Segundo pesquisa do Secovi, a venda so- foi o percentual do sentido em viver em casas grandes. de R$ 4,3 mil registrado em 2007. plo, é a terceira de maior crescimento popu- bre oferta – ou o número de unidades ven- número de unidades “Em bairros como Jardins, Itaim Bibi e lacional na cidade, de acordo com o Censo didas em relação ao total lançado – referen- vendidas em relação Ibirapuera, os lançamentos com dois Novos espaços 2010. A taxa anual é de 3,9%, ante 0,5% ao te ao período de junho de 2011 a maio de ao total lançado dormitórios têm preço acima de R$ 1,2 Com as fronteiras imobiliárias concen- ano da média da cidade”, afirma o sociólogo 2012, foi de 61,4%, indice superior ao veri- de junho de 2011 milhão”, conta. A área desses imóveis a maio de 2012 tradas nas regiões sudoeste e sul de São Paulo Takito, diretor da Urban Systems. ficado no encerramento de 2011, de 56,7%. é de 125 a 208 metros quadrados.8  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  9
  6. 6. Gal Oppido Gal Oppido REGIÃOQueridinhosda zona oesteBairros são cada vez mais procuradosA Potencial zona oeste reúne bairros com trajetórias interessantes e cada vez mais procurados, tanto para moradia quanto para escritórios O metro Antigamente conhecido comoempresariais. A união dessas duas características quadrado Vila Pompeia, a origem doconfigura-se como um diferencial especialmente nome do bairro tem fontes de novosnas regiões de Perdizes, Pompeia, Barra Funda, Vila variadas, entre elas a de que imóveis emRomana e Lapa. era uma homenagem à Aretusa Perdizes tem origem na grande chácara de um Perdizes Pompeia, esposa do loteador.vendedor de garapa que criava perdizes em seu alcançou Os primeiros moradores daquintal nos anos de 1850. O hobbie do antigo pro- R$ 9 , 5mil Pompeia foram operáriosprietário deu o nome ao local, que hoje pouco guar- em junho de fábricas como Indústriasda da época de seu loteamento. de 2012 Reunidas Matarazzo e Santa O bairro tem como atrativos a proximidade do Marina, que funcionavam nacentro e a facilidade de acesso a outras áreas da capi- região.tal, além da oferta de variados serviços. Essa carac-terística contribuiu para elevar em 55% o valor do Ao longo das décadas, osmetro quadrado de lançamentos residenciais reali- operários, em sua maioriazados entre janeiro de 2007 e junho de 2012, segun- imigrantes, deram lugar ado levantamento da Lopes Inteligência de Mercado. novos moradores. O mercado Na Vila Romana, lançamentos imobiliários im- imobiliário passou a investirpulsionam o surgimento de novos polos comerciais no bairro, que ganhou oe de serviços. A área carrega em sua história ves- Shopping Bourbon, prédiostígios de um de seus antigos proprietários, o enge- de alto padrão e passou anheiro Luís Bianchi Betholdi. Ao lotear o terreno, ser comparado a Perdizes,ele o nomeou como Vila Romana em homenagem antes tido como o primo rico.à sua cidade natal: Roma. Além disso, diversas ruas Além dos empreendimentos,do bairro possuem nomes de origem italiana, como bares, restaurantes e lojas sãoAurélia, que remonta à Via Aurélia, estrada que liga chamarizes do agora charmosoa capital ao litoral; e Coriolano, general romano. e disputado bairro. Já a Lapa tem hoje a forma que começou a se dese-nhar no final do século 19, com a chegada da ferro-via e o surgimento de fábricas. Seu nome é homena-gem a uma capela que mantinha a imagem da Nossa Vista da Avenida PompeiaSenhora da Lapa. VIVER SÃO PAULO  1110  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  11
  7. 7. REGIÃO A bola da vez Gal Oppido A Barra Funda é um dos bairros pau- Funda, que reúne metrô, trens de passa- listanos mais visados para novos em- geiros das linhas da Companhia Paulista preendimentos imobiliários. Teve sua de Trens Metropolitanos (CPTM), trans- origem no loteamento da Chácara do porte rodoviário e ônibus municipal e in- Carvalho, parte de um sítio que perten- termunicipal. No mesmo ano, foi inaugu- ceu ao Barão do Iguape, nas várzeas dos rado o Memorial da América Latina, com rios Tamanduateí e Tietê, em um trecho projeto de Oscar Niemeyer. de margens muito fundas, o que moti- A Rede Record, por exemplo, se esta- vou seu nome. beleceu no bairro em 1995 e, em 2001, foi O desenvolvimento da indústria e dos finalizado o Centro Empresarial Água transportes urbanos marcou a historia Branca, condomínio composto por quatro do bairro, que foi crescendo às margens torres comerciais de 20 andares cada. No da ferrovia utilizada para escoamento da local, estão empresas como a multinacio- produção de café ao Porto de Santos. Esse nal Unilever, o jornal Valor Econômico, sistema atraiu a chegada dos primeiros a sede paulista da Siderúrgica Belgo Mi- imigrantes italianos, responsáveis, por neira e a Editora Planeta. A região da Bar- sua vez, por criar atividades e serviços li- ra Funda foi ainda a escolha para a sede gados à ferrovia, como pequenas serrarias da empresa de eletroeletrônicos Sony, da e oficinas mecânicas. No início do século ThyssenKrupp Elevadores e da Tip Top passado, empresas e indústrias já eram ca- Têxtil S/A, uma migração que indica a boa racterísticas da região. infraestrutura e o excelente custo/benefí- A transformação mais acelerada teve iní- cio da região. cio em 1988, com a inauguração da Esta- Próximo dali, na Lapa, outro centro ção Palmeiras-Barra Funda (Linha 3-Ver- empresarial atrai companhias. É o E-Bu- melha do Metrô). Um ano depois, entrou siness Park, sede da Siemens, da Alstom e em operação o Terminal Intermodal Barra da Nokia Siemens Network, entre outras. Linha de trem e, ao fundo, o Centro Empresarial Água Branca Gal Oppido Ligação sentimental Paisagem é atraçãoCarlos Goldgrub Morador da Pompeia, o Para Julio de Paula, radialista de professor universitário 40 anos, a paisagem urbana é Maximino Antônio um grande atrativo na região da Boschi, 72, afirma ter Barra Funda, local que mantém uma ligação “sentimental” seu “espírito” vivo por meio com a região por conta da arquitetura histórica. Por do clube Palmeiras. Além ter essa essência de cidade de disso, na sua avaliação, o interior, ele acredita ser possível Carlos Goldgrub bairro oferece opções conhecer o farmacêutico, o de cultura, lazer, bons alfaiate e os taxistas da região. supermercados, bares ”A infraestrutura do bairro é e hospitais – como o bacana e a região é plana. Tem São Camilo –, além da o charme do apito do trem Igreja Nossa Senhora do e ainda é possível vislumbrar Rosário de Pompeia. Terminal Intermodal é o maior da América Latina um belo horizonte”, diz. 12  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  13
  8. 8. bairrosTransformaçãoradical, Carlos Goldgrubvalorizaçãogarantida 131 %preços de imóveis tendem a ser Foi a valorização do m2 na Vila Olímpiamaiores com as mudanças no período de 2007 a 2011A transformação proporcionada por demanda dos novos frequentadores e fun- novos empreendimentos imobili- cionários das empresas que por lá se insta- ários em algumas regiões tem sur- lavam, a exemplo de multinacionais.preendido positivamente moradores e em- Essa conjunção de fatores impulsionoupresários. Se já existiam motivos de sobra em 131% o preço do metro quadrado depara a escolha na época da mudança, hoje lançamentos residenciais em cinco anos,quem reside e trabalha em bairros como de R$ 5,6 mil em 2007 para R$ 12,9 mil emVila Olímpia, Vila Leopoldina, Chácara 2011, de acordo com análise da Lopes In-Klabin, Mooca, Tatuapé, Jardim Sul e Vila teligência de Mercado. Só de 2010 a 2011, aSão Francisco comemora a boa decisão. valorização foi de 29%. Tuca Aguirre, proprietária da Tuca Boom imobiliário Aguirre – Oficina de Notícias, que pres- Na Vila Olímpia, por exemplo, o boom ta assessoria de imprensa e comunicaçãoimobiliário aconteceu após obras subter- coorporativa, optou por abrir sua empresarâneas de alargamento dos Rios Ubera- na Vila Olímpia, pois morava no bairro.ba e Uberabinha, o que ocorreu nos anos “Depois me mudei, mas optei por manter1990. Fábricas deram lugar a casas notur- o escritório. Considero que essa é uma re-nas, bares e danceterias. Grandes terrenos gião onde os negócios acontecem e tem deviraram estacionamentos para atender à tudo: lojas, restaurantes, bares.” Carlos Goldgrub VIVER SÃO PAULO  1514  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  15
  9. 9. bairros Menina dos olhos Carlos Goldgrub VALORIZAÇÃO EM REGIões A Vila Leopoldina, na zona oeste, aos pou- que se transformaramcos se transformou na menina dos olhos do preço DO m2 de lançamentos imobiliários +131%mercado imobiliário. Com localização pri- corrigido pelo INCC – R$ mil(*) PREÇOS EM ALTAvilegiada – ao lado das marginais do Tietê e POR CONTA DA +29% TRANSFORMAÇÃOdo Pinheiros –, oferta de transporte coleti- 12,9vo e espaços ociosos, a região viu galpões e +74%fábricas darem paulatinamente lugar a em-preendimentos comerciais e residenciais. +66% +12% 10 Esses fatores explicam a valorização de 66% 9,6 +53%registrada no metro quadrado de lançamen- 8,5tos residenciais realizados no bairro no perí- 7,8 7,8odo de cinco anos: de R$ 4,7 mil, em 2007, para 6,9 6,4R$ 7,8 mil em 2011, de acordo com levan- 5,6tamento da Lopes Inteligência de Mercado. 4,7 4,6 4,7 5,1 5,5 5,4O maior salto ocorreu exatamente de 2010para 2011, com valorização de 53%, de acor-do com dados da Lopes. Diferenciais A Chácara Klabin já abrigou fábricas e, CHÁCARA VILA LEOPOLDINA VILA OLÍMPIAapós um intenso processo de verticalização, KLABINé hoje conhecida por casas e prédios de alto Fonte: Lopes Inteligência de Mercado. *Lançamentos residenciais verticais, unidades tipo. Círculos brancos: variação em 5 anos. Círculos cinzas: variação de2010 para 2011padrão, ruas largas, sinuosas e arborizadas.E se esses diferenciais já são motivo de va-lorização para qualquer região, o local ga- Editora Contadinonhou ainda mais destaque com a chegada do Mudança ATRATIVIDADEmetrô em 2006 e passou a ser um dos mais de perto NO MIX DE USOSapreciados da cidade. Segundo estatísticasda Lopes, entre 2007 e 2011, os imóveis do Fátima Brochado do Valle acabou O ainda mix de galpõesbairro valorizaram-se 74% e atingiram R$ na Vila Leopoldina meio sem e comércio também atrai9,6 mil o metro quadrado. querer. “Gostei da planta de um empresários e é um diferencial imóvel em outro local, onde eu da Vila Leopoldina. Gustavo Sem perder tradição Chacara Klabin: prédios de alto padrão, ruas largas e sinuosas não desejava morar. A corretora Gonçalves, proprietário da Le Entre os mais antigos e característicos indicou então a Vila Leopoldina, Design, focada na venda debairros de São Paulo, a Mooca passou por e um apartamento que seria móveis e objetos de decoração,forte movimento de verticalização nosanos 1990 e 2000. O surgimento de condo- Privilégio raro igualzinho, com a mesma metragem e o mesmo tipo de planta”, diz. instalou sua empresa no bairro há um ano e meio, por duas razões:mínios de luxo e bares e restaurantes so- Gerciane Piovesan se encantou com as vantagens da Chácara “Gostamos muito do projeto e “É uma região que ainda temfisticados, entretanto, não significou uma Klabin. “Eu e meu marido escolhemos o bairro, primeiro, por causa também dos aspectos do bairro, galpões de tamanhos diversosmudança radical na vida dos moradores, da tranquilidade. Parece que você está em outra cidade, não tem porque sabíamos que ele estava e, ao mesmo tempo, possuique fazem questão de preservar a cultura trânsito, só quem mora por lá circula no bairro. Posso dormir na mudando”, afirma. “Na minha rua só uma rede de serviços ao redor.de imigrantes italianos, espanhóis e por- rede sem barulho. E optamos também pela localização, é bem tinha o meu prédio, agora são cinco. Além disso, está na intersecçãotugueses. Esse movimento determinou perto da Avenida Paulista, da Rodovia dos Imigrantes, ótima para Os galpões estão virando prédios das duas Marginais, o queuma valorização de 53% no preço do metro ir pra praia. E mudou bastante nos últimos anos. Na frente do meu e atraindo comércio e restaurantes. facilita muito nossa logística”, dizquadrado dos imóveis no período de 2007 prédio era bem vazio, agora já fizeram quatro prédios na rua, Tudo que a gente precisa tem Gonçalves. “A Vila Leopoldinaa 2011, que alcançou o valor de R$ 6,2 mil isso em três, quatro anos”, revela, afirmando que o lado positivo aqui e, além disso, o apartamento tem tido uma transformaçãonos lançamentos realizados. dos novos empreendimentos é a grande valorização local. valorizou bastante”, comemora. Rua Carlos Weber, na Vila Leopoldina tremenda”, avalia.16  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  17
  10. 10. Peter HertelbairrosVista do Villagio Panambi, lançado em 1998, na região do MorumbiAtração em novos bairros e condomíniosgrandes O lançamento de condomínios residen- Francisco, de 1994, por exemplo, foram vi-empreendimentose novas ciais transforma e valoriza regiões da cida- de. Esses empreendimentos surgem a partir da compreensão do mercado imobiliário sionários à sua época, tornaram-se referên- cias e objeto de desejo de muita gente. Não será diferente com o bairro Jardim Borubonáreas trazem sobre o potencial representado pela baixa das Perdizes, que está surgindo na regiãoinovação e são ocupação de áreas ricas em infraestrutura e da Barra Funda. A localização, no eixoímãs para com facilidade de acesso a transporte públi- central da cidade, é um dos pontos fortes.os moradores co e a grandes avenidas. Afinal, são mais de 250 mil metros quadra- Empreendimentos como o Portal do Mo- dos, no último terreno com essa dimensão rumbi, lançado nos anos 1970, o Villagio disponível na proximidade das regiões Panambi, de 1998, e o bairro Colina de São mais centrais de São Paulo.referências em bairros e condomínios paulistanos Empreendimento Bairro Terreno Nº de torres Produto Ano de (mil m²) residenciais (m2) lançamento Ilhas do Sul Alto de Pinheiros 28 6 169 1973 Chácara Alto da Boa Vista Chácara Flora 99 11 80 a 183 1997 Villaggio Panamby Panambi/Morumbi 233 15 152 a 400 1998 Condomínio Praça Villa Lobos Alto de Pinheiros 34 9 263 a 432 2004 Central Park Mooca Mooca 47 9 115 a 222 2006 Bairro Colina de São Francisco Vila São Francisco 360 34 72 a 212 1994 Bairro Jardim das Perdizes (*) Jardim das Perdizes 250 28 80 a 300 2012 (Barra Funda/Perdizes) As informações, perspectivas e imagens do bairro Jardim das Perdizes foram cedidas pela TECNISA e são meramente ilustrativas, podendo sofrer alterações sem aviso prévio.18  VIVER SÃO PAULO
  11. 11. DESENVOLVIMENTO De cara nova revitalização prevê parque linear no lugar de trilhos U ma avenida margeada por parque linear e ci- rompidos pela via férrea.Eles já foram feitos consi- clovia deve ser construída sobre os trilhos que derando o rebaixamento da via, assim como a nova hoje isolam boa parte da Barra Funda e limi- Estação Água Branca de trens da CPTM”, explica tam seu crescimento. O projeto faz parte de um con- Valdir Bartalini, superintendente de desenvolvi- junto de operações urbanas, projetadas pela prefeitu- mento da SP Urbanismo. ra de São Paulo, para impulsionar o desenvolvimento O projeto está em fase de estudos, que devem ser dessa região da zona oeste, criando mais áreas verdes concluídos em janeiro de 2013. A partir disso, será e facilidade de circulação para os moradores. redigido um projeto de lei para implantação legal Os trilhos serão transformados em sistema sub- da operação a ser avaliado pela Câmara de Verea- terrâneo desde a Lapa até o Brás, numa extensão dores. A mudança integra a Operação Lapa-Brás, de aproximadamente 12 quilômetros. “Os projetos que também criará condições para demolir o Eleva- que redesenham as ruas reduzem os quarteirões e do Costa e Silva (o “Minhocão”) e revitalizar todo preveem acesso aos eixos transversais, hoje inter- o entorno. 12 km de trilhos de trens deverão ser subterrâneos Ilustração indica como ficará a região com o parque linear VIVER SÃO PAULO  2120  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  21
  12. 12. 140milhões DESTAQUES DAS MUDANÇAS R$ 1. Tornar subterrânea toda a linha devem ser investidos ferroviária que hoje divide a Barra em projetos de Funda ao meio e liga a Lapa ao Brás. drenagem da região JARDIM DAS PERDIZES 2. No lugar da ferrovia, constuir uma nova avenida, larga, arborizada, com ciclovias e áreas de lazer. 3. Mudar o Terminal Rodoviário da Barra Funda para o Pátio de Trens da Lapa. CIRCULAÇÃO E FRUIÇÃO PÚBLICA ÁREAS VERDES PÚBLICAS ÁREAS VERDES PRIVADAS 4. Construir um parque linear entre o Memorial da América Latina e aMapa mostra plano urbanistico da área impactada pela Operação Água Branca Marginal do Tietê, ampliando as áreas verdes da região. 5. Instalar junto da Estação BarraCrescimento aceleradO mais áreas verdes Funda do Metrô/CPTM a futura estação do trem de alta velocidadeOutra operação urbana, a Água Branca, irá atacar de Trens Metropolitanos (CPTM), atualmente fica A Operação Água Branca criará ainda 300 mil (ligação São Paulo–Rio de Janeiro, que passará por Campinas).principalmente problemas de drenagem de solo. O projeto ao largo das linhas 7 e 8, que passam longe uma da metros quadrados de áreas verdes. Uma dessasde drenagem já está aprovado e prevê a ampliação das outra. “Há um espaço vazio entre elas. O projeto é áreas é a que está prevista no bairro Jardim dasgalerias pluviais por onde passam dois dos cinco córregos aproximar as linhas, abrindo a possibilidade de extensão Perdizes, com 50 mil metros quadrados, sendoque cortam a região e têm provocado inundações. da avenida Auro de Moura Andrade”, conta. 44 mil metros quadrados de parque no centroCom investimentos previstos de R$ 140 milhões, a Essa estação se tornará uma intersecção de linhas com do terreno (mais informações na página 90).operação Água Branca é resultado de uma lei de 1995 que o metrô, quando estiver pronta a Linha 6– Laranja, Também será transformada em parque outra área 6. Abrir novas ruas na região.está sendo revista agora. “Vamos adequá-la legalmente que liga Brasilândia, na zona norte, à estação da com 100 mil metros quadrados, onde hoje funcionae também ampliar as intervenções”, explica o arquiteto Linha 2–Azul São Joaquim, no centro. “A Operação o pátio da Companhia de Engenharia de Tráfego Ilustrações: Estúdio Canarinho 7. Ampliar galerias pluviais, paraVladir Bartalini, superintendente da SP Urbanismo. vai ajudar construindo a nova estação”, diz. (CET). “Vamos transferir a CET para uma área mais conter alagamentos.Paralelamente, o projeto prevê melhoras na circulação, Está prevista ainda a abertura de várias ruas na região, periférica”, afirma Valdir Bartalini, da SP Urbanismo.para racionalizar os deslocamentos e as linhas de para reduzir o tamanho dos quarteirões – muito grandes, Os projetos incluem ainda um novo parque entre otransporte coletivo. A estação Água Branca, da Companhia já que era uma área industrial – e melhorar a circulação. Memorial da América Latina e a Marginal do Tietê.22  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  23
  13. 13. Gal Oppido Gal Oppido TRANSPORTE NÚMEROS DO TERMINAL BARRA FUNDA 139  linhas de ônibus intermunicipais e interestaduais 60  mil passageiros acessam diariamente o Metrô 2  linhas de trens da CPTM percorrem a região 573 cidades são atendidas pelos ônibus 3,1  mil km é a distância da cidade mais longeTerminal da Barra Funda: maior da América Latina, integra diferentes vias de transporte O Terminal Intermodal da Barra Rondônia, distante 3,1 mil quilômetros. Há Funda, o maior da América latina, ainda a possibilidade de uso de ônibus ur‑Ponto de encontros é um local de encontros. Tanto en‑ banos, que proporcionam fácil acesso para tre quem viaja pelos trilhos, ruas ou rodovias todas as regiões da cidade. que dão acesso a ele, como entre diferentes Já as linhas de trem Rubi e Diamante (que opções de transporte coletivo na cidade. Me‑ ligam São Paulo a Jundiaí e Osasco, respec‑ trô, trens metropolitanos, ônibus intermu‑ tivamente) incluem a Barra Funda no per‑ HORÁRIOS Terminal Rodoviário: nicipais e interestaduais formam o portfólio curso, permitindo a transferência gratuitaMAIOR TERMINAL INTERMODAL DA à disposição dos passageiros. para o Metrô. 24 horas Estação Palmeiras- No complexo de 17 mil metros quadra‑ Além disso, a Linha 3–Vermelha do Me‑ Barra Funda do Metrô:AMÉRICA LATINA REÚNE ÔNIBUS, TRENS dos, inaugurado em 1989, atuam 34 em‑ trô liga a estação Palmeiras‑Barra Funda 4h40 a 0h19, de domingo presas que oferecem 139 linhas de ônibus ao terminal Corinthians-Itaquera (zona a sexta, e de 4h40 atéE METRÔ em um único local para 573 cidades, em seis diferentes estados, leste), cortando o centro da cidade. Nessa 1h00, aos sábados. Linhas Rubi e de acordo com a Socicam, responsável pela estação há sistema de empréstimo de bici‑ Diamante da CPTM: operação do Terminal Rodoviário. A via‑ cletas. De acordo com o Metrô, a capacida‑ 4h00 às 24h00, de gem mais longa que começa ou termina na de da estação é de 60 mil passageiros/hora domingo a sexta, e Barra Funda é a que liga a Porto Velho, em nos períodos de pico. sábados até 01h0024  VIVER SÃO PAULO VIVER SÃO PAULO  25

×