O seminário

2.105 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.105
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
52
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
125
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O seminário

  1. 1. Nixson Machado
  2. 2. Nos meios escolares, acadêmicos, científicos e técnicos, são comuns as situações em que uma pessoa ou um grupo desenvolvem pesquisa e apresentam os resultados a um público. Esse tipo de texto, produzido oral e publicamente, é chamado de SEMINÁRIO e, tal como o texto de apresentação científica, o relatório, o texto didático, pertence à família dos GÊNEROS EXPOSITIVOS.
  3. 3.  Para a produção de um seminário, é necessária uma organização prévia, que envolve várias etapas. A primeira delas é a pesquisa sobre o tema proposto e a coleta de dados para a exposição.
  4. 4.  Como a finalidade do seminário é transmitir conhecimentos sobre o assunto pesquisado, o apresentador deve se colocar na posição de um especialista no assunto. Isso significa que deva demonstrar conhecer o tema mais que os ouvintes, pois é essa condição que lhe confere autoridade para discorrer sobre o assunto com segurança.
  5. 5.  Para conquistar a posição de especialista no assunto e ganhar respeito do público, o apresentador ou apresentadores deve adotar os seguintes procedimentos:  Pesquisar em bibliotecas; na internet; em locadoras, livros, jornais, revistas especializadas, enciclopédias, vídeos, etc.
  6. 6. O aluno deve tomar notas, resumir ou reproduzir textos verbais e não verbais que possam ser úteis. Esse trabalho objetiva a produção de um roteiro próprio do apresentador e consiste em anotar dados históricos ou estatísticos, citações, comparações, exemplos, ect.
  7. 7.  Como introduzir, desenvolver e concluir a exposição;  Quais subtemas serão abordados no desenvolvimento;  Quais exemplos ou apoio (gráficos, dados estatísticos, etc.) serão utilizados para fundamentar a exposição;  Que materiais e recursos audiovisuais (cartazes, apostilas, lousa, retroprojetor, datashow, microfone, etc.) serão necessários.
  8. 8. Redigir um roteiro que permita visualizar não apenas o conjunto das informações que serão apresentadas, mas também a sequência em que isso vai ocorrer.  Esse roteiro deve conter informaçõeschave que orientem o pensamento do apresentador, indicação de recursos audiovisuais, textos de autoridades ou especialistas que serão citados, etc.  ATENÇÃO: esse roteiro não deve ser lido integralmente, serve de apoio para que se lembre ou não esqueça de informações e tópicos básicos, além de organizar o andamento da exposição. 
  9. 9. Durante a apresentação, podem ocorrer imprevistos, como: o público não compreender o conteúdo exposto; um aparelho não funcionar; um integrante do grupo faltar ou ficar nervoso e esquecer o texto; uma cartolina cair da parede; ect.  Por isso, deve estar atento a vários aspectos simultaneamente e, de acordo com a necessidade, introduzir modificações e improvisar soluções a fim de alcançar o objetivo.  A seguir, relacionamos alguns aspectos que devem ser observados durante a sequência e o andamento da exposição. 
  10. 10.  Abertura: um dos componentes do grupo, faz a apresentação inicial e dá a palavra ao apresentador. Faz isso com palavras como “Vocês agora irão assistir ao seminário preparado por fulano,...”
  11. 11. O apresentador deve colocar-se à frente da plateia, cumprimentála e tomar a palavra.
  12. 12. O apresentador diz qual é o tema, fala da importância, esclarece o ponto de vista. Esse momento tem como objetivo despertar o interesse e a curiosidade da plateia.  É nesse momento que o apresentador ganha a plateia.
  13. 13. O apresentador segue o roteiro traçado, expondo cada uma das partes, sem atropelos. Ao término de cada uma, deve perguntar se alguém deseja fazer alguma pergunta. Na passagem de uma parte a outra, deve dar a entender que não há ruptura, e sim uma ampliação do tema. Para tanto deve usar os conectivos.
  14. 14. O apresentador retoma os principais pontos abordados, fazendo uma síntese; pode deixar uma mensagem final; agradece a atenção e passa a palavra.
  15. 15. O apresentador deve falar em pé, com o roteiro nas mãos, olhando para o fundo da sala. Sua presença deve expressar confiança e segurança.  A fala do apresentador deve ser alta, clara, bem-articulada, com palavras bem pronunciadas a fim de que a exposição não fique monótona.  Ao olhar para o roteiro, o apresentador deve fazê-lo de modo rápido e sutil, sem que seja necessário interromper a fala. Além disso, ao olhar o roteiro, não deve abaixar demasiadamente a cabeça, a fim de que a voz não se volte para o chão. O roteiro deve ser rapidamente olhado e nunca lido (a não ser no caso da leitura de uma citação). 
  16. 16. O apresentador nunca deve dar as costas para a plateia, mesmo que esteja escrevendo na lousa ou trocando uma transparência no retroprojetor. Nessas situações, deve ficar de lado e falar com a cabeça virada na direção do público, a fim de que sua voz seja ouvida por todos.  O apresentador deve se mostrar simpático ao público e receptivo a participação da plateia.
  17. 17. Nos seminários predomina a variedade culta (padrão) da língua, assim: 1- O apresentador deve evitar certos hábitos da linguagem oral, como a repetição constante de expressões como tipo assim, né?, tá!, ahnn, e gírias, pois prejudica a fluência da exposição. 2- Durante a exposição, o apresentador deve fazer uso de expressões de reformulação , isto é, aquelas que permitem explicar de outra forma uma palavra, um conceito ou uma ideia complexa. As mais comuns são: isto é, quer dizer, como, por exemplo, em outras palavras, etc. Deve também fazer uso de expressões que confirmam continuidade ao texto, como além disso, por outro  lado, outro aspecto, apesar disso, etc.
  18. 18.  Cada integrante deve ficar responsável pela apresentação de uma das partes do seminário, com o cuidado para que haja a integração entre as referidas partes.  Todo o grupo deve se “especializar” no assunto em foco. Além de conferir segurança às exposições individuais, isso permite que todos respondam com tranquilidade a qualquer pergunta do público.  Devem ser evitadas atitudes que desviem a atenção do apresentador, como conversas entre os membros do grupo, movimentos, ruídos ou brincadeiras.  Enquanto um apresenta, os outros podem contribuir manuseando os equipamentos, trocando cartazes ou apagando a lousa.

×