Discurso direto e indireto 1

9.076 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.076
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
53
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
233
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Discurso direto e indireto 1

  1. 1. Ensino Fundamental e Médio Discurso Direto e Indireto
  2. 2. O que é discurso?  É a atividade comunicativa desenvolvida entre interlocutores, capaz de gerar sentido.  Esta atividade comunicativa é constituída de texto e contexto discursivo (quem fala, com quem fala, com que finalidade...).
  3. 3. Tipos de discursos  DISCURSO DIRETO  DISCURSO INDIRETO  DISCURSO INDIRETO LIVRE
  4. 4. Discurso Direto  O discurso é direto quando são as personagens que falam. O narrador, interrompendo a narrativa, põe-nas em cena e cede-lhes a palavra.  O discurso direto, geralmente, caracteriza-se pela presença de verbos de elocução, que introduzem a fala da personagem (dizer, afirmar, responder, perguntar)
  5. 5. Exemplo "- Por que veio tão tarde? perguntou-lhe Sofia, logo que apareceu à porta do jardim, em Santa Teresa. - Depois do almoço, que acabou às duas horas, estive arranjando uns papéis. Mas não é tão tarde assim, - continuou Rubião, vendo o relógio; são quatro horas e meia. - Sempre é tarde para os amigos, - replicou Sofia, em ar de censura. (Machado de Assis, Quincas Borba, cap. XXXIV)
  6. 6. Discurso Indireto  No discurso indireto não há diálogo, o narrador não põe personagens a falar diretamente, mas fazse intérprete delas, transmitindo ao leitor o que disseram ou pensaram. Exemplo “A certo ponto da conversação, Glória me disse que desejava muito conhecer Carlota e pediu que a levasse comigo.”
  7. 7. O discurso indireto livre O DISCURSO INDIRETO LIVRE é um tipo de discurso misto, em que se associam as características do discurso direto e do indireto.   A fala interior da personagem (as emoções, as ideias, os sentimentos, as reflexões) insere-se em meio à fala do narrador de forma sutil, causando certa confusão em relação a quem está se pronunciando (ele ou a personagem).  Na maioria dos casos, desaparecem os verbos de elocução, travessão, dois pontos, enfim, os sinais de pontuação.  Além disso, esse tipo de discurso é mais frequente com o foco narrativo na 3ª pessoa.
  8. 8. “Como nas noites precedentes, uma fila de agricultores se formou na porta de uma padaria e o padeiro saiu a informar que não havia pão. Por quê? Onde estava o pão? O padeiro respondeu que não havia farinha. Onde então estava ela? Os agricultores invadiram a padaria e levaram o estoque de roscas e biscoitos, a manteiga e o chocolate.” (Garcia de Paiva. Os agricultores arrancam paralelepípedos.)
  9. 9. “Sinhá Vitória desejava possuir uma cama igual à de seu Tomás da bolandeira. Doidice. Não dizia nada para não contrariá-la, mas sabia que era doidice. Cambembes podiam ter luxo? E estavam ali de passagem. Qualquer dia o patrão os botaria fora, e eles ganhariam o mundo, sem rumo, nem teriam meio de conduzir os cacarecos.” (Graciliano Ramos. Vidas Secas.
  10. 10.  Esse tipo de discurso apresenta a fala ou o pensamento da personagem discretamente inseridos no discurso do narrador. “Carolina já não sabia o que fazer. Estava desesperada, com a fome encarrapitada. Que fome! Que faço? Mas parecia que uma luz existia…” “Meteu os olhos pela grade da rua. Chi! Que pretume! O lampião da esquina se apagara, provavelmente o homem da escada só botara nele meio quarteirão de querosene.” (Graciliano Ramos. Vidas Seca
  11. 11. DISCURSO DIRETO VERBOS DISCURSO INDIRETO Presente do Indicativo Todos os presentes disseram: - Não votamos nele. Imperfeito do Indicativo Todos os presentes disseram que não votavam nele. Perfeito do Indicativo O moço perguntou: - Ela não assinou o requerimento. Mais-que-perfeito do Indicativo O moço perguntou se ela não assinara (tinha assinado) o requerimento. Futuro do Presente O mecânico garantiu: - Eu consertarei a moto. Futuro do Pretérito O mecânico garantiu que consertarei a moto. Presente do subjuntivo Imperfeito do subjuntivo - Duvido que a assembléia aprove a pro- O sindicalista disse-lhe que duvidava que a posta do governo – disse-lhe o sindicalista. assembléia aprovasse a proposta do governo. Imperativo Imperfeito do subjuntivo – Passe-me o sal – pediu-me ela. Ela pediu-me que lhe passasse o sal.
  12. 12. DISCURSO DIRETO DISCURSO INDIRETO PRONOMES EU, NÓS, VOCÊ(S), SENHOR(A)(S) A garota afirmou: - Eu amo ler. MEU(S), MINHA(S), NOSSO(A)(S) - Meus pais participarão da campanha – disse o menino. ESTE(A)(S), ISTO, ISSO Isso lhe pertence? – perguntou. ELE(S), ELA(S) A garota afirmou que ela amava ler. SEU(S), SUA(S), DELE(A)(S) O menino disse que seus pais participariam da campanha. AQUELE(A)(S), AQUILO Ela(s) perguntou se aquilo lhe pertencia.
  13. 13. DISCURSO DIRETO DISCURSO INDIRETO ADVÉRBIOS Hoje, ontem, amanhã - Hoje não posso atendê-lo. - disse o dentista. Aqui, cá, aí - Não entro mais aqui! – afirmou Ivo. Naquele dia, no dia anterior, no dia seguinte O dentista disse que naquele dia não podia atendê-lo. Ali, lá Ivo afirmou que não entrava mais ali.
  14. 14. Conversão de um discurso em outro
  15. 15. Trecho original em discurso direto – Há algum tempo estou para lhe dizer isto, mas não me atrevia. Não me parece bonito que o nosso Bentinho ande metido nos cantos com a filha do Tartaruga, e esta é a dificuldade, porque se eles pegam de namoro, a senhora terá muito que lutar para separá-los. Conversão para discurso indireto José Dias falou que havia algum tempo estava para lhe dizer aquilo, mas não se atrevia. Não lhe parecia bonito que o Bentinho deles andasse metido nos cantos com a filha do Tartaruga, e aquela era a dificuldade, porque se eles pegassem de namoro, Dona Glória teria muito que lutar para separá-los.

×