SlideShare uma empresa Scribd logo
PROF.ª: NÍVIA SALES
CCI-HISTÓRIA 3ª SÉRIE
Cultura e sociedade década de 1950 a 1980
É POSSÍVEL AFIRMAR QUE EXISTEM
CULTURAS MAIS DESENVOLVIDAS E
MENOS DESENVOLVIDAS?
MOVIMENTOS DE CONTRACUTURA
• Segundo Tylor, é tudo o que foi
produzido, seja material ou imaterial,
pelo ser humano.
CULTURA
• Resultado dos conflitos entre gerações,
somado ao descontentamento de jovens
e de alguns intelectuais com a sociedade.
• Movimentos ocorridos em diversos
países durante as décadas de 1960 e
1980.
CONTRACULTURA
EXPLORANDO A CONTRACULTURA
• A sucessão das gerações demonstraram entre si diferentes formas de viver e de pensar.
• A ocorrência das guerras, revoluções, etc. acabavam por causar grandes mudanças na maneira dos
jovens encararem a vida. o que não é compreendido pelos mais velhos.
• Ex: Jovens no movimento das cruzadas, o contato com o oriente fez com que ele começassem a
rever seus hábitos.
• Após a segunda guerra, (1960) faz aumentar as disparidades culturais gerando conflitos ainda
maiores entre pais e filhos
• Os jovens das décadas de 1960-70 e 80 de países considerados ricos viviam a era do emprego e do
afrouxamento sexual. Esse jovens não compreendiam quando os pais relatavam suas experiências
com as guerras, fome e crises e revoluções, até mesmo a necessidade de poupar dinheiro para a
velhice.
• Nos países como África, Ásia e Oceania, com a emancipação politica a juventude passa a ansiar
por mudanças politicas, econômicas e sociais.
• O cinema e a televisão contribuíram para o contato cultural e a criação de uma nova identidade.
O MOVIMENTO POR DIREITOS CIVIS NOS EUA
• A abolição EUA ocorreu em 1863, posta em pratica em 1865,
após a guerra de Secessão.
• Somente em 1960, atingiu proporções que obrigaram a
população branca e as autoridades a promover mudanças.
• 1957 (Geórgia), fundada a Conferencia de Liderança Cristã
pelo pastor Dr. MARTIN LUTHER KING JR
• Objetivo: lutar pelos direitos civis dos negros utilizando a
estratégia da desobediência civil.
• 1961 – O Congresso da Igualdade Racial, passou a realizar
VIAGENS DA LIBERDADE.
• Tratava-se de ônibus cruzando vários estados transportando
negros e brancos como forma de afrontar as leis
discriminatórias que proibiam os negros de utilizar o mesmo
meio de transporte que os brancos.
O MOVIMENTO POR DIREITOS CIVIS NOS EUA
• 1963 (Washington) – cerca de 200 mil manifestantes em frente
ao Memorial Lincoln para ouvir Martin Luther King.
• Objetivo: pressionar o governo a revogar todas as leis
discriminatórias existentes no país.
• Outra ação organizada foi a ocupação, por negros, de lugares
públicos destinados apenas aos brancos.
• Entre Junho e agosto de 1963, registraram-se mais de 1400
manifestações e 15 mil manifestantes foram presos.
• Tais ações acabavam com violência policia, ações repressoras
passaram a ser vistas pela TV e causaram protestos. Houve
grande adesão de intelectuais e abastados da sociedade.
• Martin Luther King morre assassinado em Memphis,
Tennessee, no dia 4 de abril de 1968.
GERAÇÃO BEAT
• Geração Beat foi criada pelo escritor Jack Kerouac publicada em 11/1962
por John Clellon no New York Times.
• Seus integrantes foram denominados de BEAT ou BEATNIKS, o termo
Beat estava ligado ao Jazz e pode ser traduzido como batida ou ritmo e
Beatnik originou-se da fusão entre as palavras beat e Sputnik (satélite
soviético)
• Expressavam o estilo de vida, assim como o jazz, manifestava a repressão
sexual e cultural imposta nos EUA.
• Basicamente os integrantes da Geração Beat criticavam a vida da classe
media estadunidense, com seus padrões de consumo e suas vidas
despojadas de criticidade.
• Lutavam contra a censura imposta pelo macarthismo, contra a segregação
racial e contra as intervenções militares.
• Procuravam um estilo de vida errante e sem apego ao consumo.
A NOVA ESQUERDA NOS EUA
• Lutavam pelo fim do elitismo, pela igualdade racial e pelos combates à desigualdade material e à
violência, especialmente gerada pela guerra do Vietnã.
• As universidades foram os centros de discussão e de propagação desses ideais.
• 1962 – fundada a ESTUDANTES PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA, passou
organizar comícios pela igualdade entre negros e brancos.
• Exigiam também o fim da guerra do Vietnã e adquiriu abrangência nacional.
• Nos campis universitários surgiram grupos contra a guerra e o serviço militar obrigatório.
• Na década de 1960, mais de 50 mil jovens fugiram para o Canadá para escapar do recrutamento.
• Ganharam apoio de outros grupos e setores da sociedade, até grupos militares.
• As mulheres reavivaram os movimentos sufragistas do inicio do séc. XX, lutando agora por
igualdade de oportunidades de emprego, por igualdade nos salários e pela liberdade de responder
pelos próprios atos sem se sujeitarem à autoridade de pais e maridos.
• 1966 – Betty Friedan criou a ORGANIZAÇÃO NACIONAL DE MULHERES, objetivo era
lutar pela igualdade plena para as mulheres em todos os setores da vida social.
MOVIMENTO HIPPIE
• Extensão do pensamento Beat, surgiu no inicio da década de 1960, seu nome
se deve ao termo Hipster (estar ligado a cultura negra)
• O termo hippie foi utilizado pela primeira vez por Michael Smith, (1965), em
jornal da cidade de São Francisco.
• Assim como os beatniks, criticavam o modo de vida “americano”, as
imposições da classe governante e as guerras. Pregavam a paz e o amor.
• Como forma de criticar a sociedade comportada e hipócrita, passaram a
utilizar vestuários contrários ao que ditava a moda, estereótipos diferentes e a
sexualidade sem laços.
• Os movimentos de contra cultura geraram
e foram ampliados por uma vasta produção
Cultural, sendo a música popular seu principal
veículo.
MAIO DE 1968
• 1968 – Manifestação francesa representou o movimento de contracultura mais difícil de definir e
enquadrar como: levante, revolta ou revolução.
• O movimento de Paris teve ecos em Berkeley (EUA) e em Varsóvia (Polônia), entretanto, os estudiosos
afirmam que não houve ações coordenadas mas sim simultâneas dos movimentos.
• A própria causas parecem dividir os estudiosos, para uns o movimento francês estavam relacionados crise
politica e econômica, para outros ao desanimo dos estudantes universitários que não encontravam relação
entre o que estudavam e o mercado de trabalho.
• O movimento estudantil contou com momentos de passividade e embates, mortos, muitos feridos,
centenas de presos e destruição material se fizeram presentes.
• Slogans: “É proibido proibir”, “Sejam realistas, exijam o impossível!” e “Poder tinha as universidades, os
estudantes tomaram-nas. O poder tinha as fábricas, os trabalhadores tomaram-nas. O poder tinha os meios
de comunicação, os jornalistas tomaram-nos. O poder tem o poder, tomem-no!”.
• A sociedade francesa e a policia foram obrigadas a buscar alternativas modernizantes que se ajustassem às
ultimas déc.do séc. XX.
• Os movimentos tinham como razão a sociedade capitalista que causa descontentamento na juventude: o
conservadorismo, os conflitos armados e a falta de liberdade
MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU
MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU
• Josef Stalin governou como secretário-geral da URSS até a sua morte (1924-1953).
• Estabeleceu rígida censura e perseguição aos opositores que ameaçassem sua soberania.
• Assim como Trotsky, muitos foram exiliados e presos (gulags/campo de prisioneiros
políticos- 2 milhões )
• De 1934 até sua morte, convocou apenas dois congressos do Partido Comunista e
poucas reuniões do Comitê Central.
• Iniciou um grande movimento de propaganda se sua figura e realizações de seu governo.
• 1953, assume Nikita Kruschev, o nov líder, tinha como objetivo a aceitação dos
soviéticos. Para isso iniciou a desestalinização (diminuir a influência do líder falecido).
• Fev/1956 durante o XX Congresso do Partido Comunista Kruschev, em seu discurso
denunciou os desvios das teorias de Lenin durante o governo de Stalin. Delatou também
militares e políticos, a violência contra os opositores e o culto à personalidade de Stalin.
MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU
• Essas mudanças geraram perspectiva de mudanças nos países ligados a política soviética.
• Polônia, Hungria e Tchecoslováquia foram os principais exemplos.
• Nesse países a população clamava por liberdade de expressão, melhores salários, fim da
carência de alimentos e carvão para o aquecimento no inverno.
• Na Polônia (1956) milhares de pessoas saíram às ruas sob o lema “Deus, pão e
Liberdade”.
• Lutavam pela liberdade política e religiosa, pelo abastecimento de viveres e o fim da
intromissão da União Soviética.
• As tropas do Pacto de Varsóvia e atuação dos lideres poloneses puseram fim ao
movimento, com muitas mortes e prisões.
MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU
• O Levante Húngaro ocorreu entre os dias 23/10 e 10/11-1956, causou muitos
problemas entre a cúpula húngara e à União Soviética que viram suas autoridades serem
contestadas.
• O levante teve início com um grupo de estudantes que propôs a implantação de um
novo governo socialista e democrático, livre dos políticos húngaros servis às
determinações soviéticas e fora do Pacto de Varsóvia.
• O governo tentou acabar com o movimento com violência, e elementos contrários às
ligações do governo com o Pacto aproveitaram e derrubaram os lideres implantando um
novo governo.
• Imre Nagy, liderou o novo governo e anunciou o afastamento com o Pacto de Varsóvia
• A principio a URSS demonstrou aceitação, porém ao perceberem que isso abria
precedentes, apoiaram militarmente Janos Kadar que derrubou Nagy e obedeceu o Pacto
de Varsóvia.
MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU
• 1968 Tchecoslováquia se rebela contra a interferência soviética em seus assuntos internos
e promoveu a PRIMAVERA DE PRAGA.
• O líder Tcheco Alexander Dubcek propôs: ligação politica com URSS, mas socialmente
independente da dominação e aberta a economia Ocidental.
• Após seu anuncio Dubcek recebeu apoio iugoslavo e de outros países, assim intensificou
a postura crítica em relação a Moscou.
• 20/08/1968, as tropas do Pacto de Varsóvia invadiram a Tchecoslováquia.
• Mesmo assim Dubcker permaneceu no poder até abril de 1969, quando foi afastado e
substituído por Gustav Husak, aliado da União soviética.
REFERENCIAS
• Imagens: google.com
• CORDEIRO, Lysvania Villela. História Ensino Médio. Curitiba: Positivo,
2016.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fim da União Soviética
Fim da União SoviéticaFim da União Soviética
Fim da União Soviética
Valéria Shoujofan
 
Descolonização africana
Descolonização africanaDescolonização africana
Descolonização africana
Camila Brito
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da Ásia
Rodrigo Luiz
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
Edenilson Morais
 
Guerra do Vietnã
Guerra do VietnãGuerra do Vietnã
Guerra do Vietnã
Isaquel Silva
 
Crise da República Velha
Crise da República VelhaCrise da República Velha
Crise da República Velha
Valéria Shoujofan
 
9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)
9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)
9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)
Cléber Figueiredo Beda de Ávila
 
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistênciaCapítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Marcos Antonio Grigorio de Figueiredo
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
dmflores21
 
Independência da américa espanhola
Independência da américa espanholaIndependência da américa espanhola
Independência da américa espanhola
Murilo Benevides
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
Fabiana Tonsis
 
Focos de tensão oriente médio i
Focos de tensão  oriente médio iFocos de tensão  oriente médio i
Focos de tensão oriente médio i
João José Ferreira Tojal
 
Os anos rebeldes
Os anos rebeldesOs anos rebeldes
Os anos rebeldes
Glasiely Virgílio Silva
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
Janaína Bindá
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Victor Said
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Portal do Vestibulando
 
Ascensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismoAscensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismo
Colégio Basic e Colégio Imperatrice
 
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
 Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
Altair Moisés Aguilar
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
Aulas de História
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Kéliton Ferreira
 

Mais procurados (20)

Fim da União Soviética
Fim da União SoviéticaFim da União Soviética
Fim da União Soviética
 
Descolonização africana
Descolonização africanaDescolonização africana
Descolonização africana
 
Descolonizaçao da África e da Ásia
Descolonizaçao da  África e da ÁsiaDescolonizaçao da  África e da Ásia
Descolonizaçao da África e da Ásia
 
O golpe de 1964
O golpe de 1964O golpe de 1964
O golpe de 1964
 
Guerra do Vietnã
Guerra do VietnãGuerra do Vietnã
Guerra do Vietnã
 
Crise da República Velha
Crise da República VelhaCrise da República Velha
Crise da República Velha
 
9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)
9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)
9º Ano - Módulo 04 - A organização das Nações Unidas (ONU)
 
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistênciaCapítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
Capítulo 3 - Primeira República - dominação e resistência
 
Revoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIXRevoluções Liberais Séc XIX
Revoluções Liberais Séc XIX
 
Independência da américa espanhola
Independência da américa espanholaIndependência da américa espanhola
Independência da américa espanhola
 
Fascismo e nazismo
Fascismo e nazismoFascismo e nazismo
Fascismo e nazismo
 
Focos de tensão oriente médio i
Focos de tensão  oriente médio iFocos de tensão  oriente médio i
Focos de tensão oriente médio i
 
Os anos rebeldes
Os anos rebeldesOs anos rebeldes
Os anos rebeldes
 
História 9º ano slide Guerra Fria
História   9º ano slide Guerra FriaHistória   9º ano slide Guerra Fria
História 9º ano slide Guerra Fria
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismoPeríodo entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
Período entre guerras - crise de 1929 - nazifascismo
 
Ascensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismoAscensão do fascismo e nazismo
Ascensão do fascismo e nazismo
 
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
 Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
Descolonização da África - Prof. Altair Aguilar
 
Revolução Cubana
Revolução CubanaRevolução Cubana
Revolução Cubana
 
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjUGuerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
Guerra fria completa - YouTube Link: https://youtu.be/XhS9vFASWjU
 

Semelhante a Cultura e sociedade década de 1950 a 1980

Os movimentos contestatários
Os movimentos contestatáriosOs movimentos contestatários
Os movimentos contestatários
Zequinha8
 
A revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atualA revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atual
Escola Estadual Alonso de Morais Andrade
 
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Ócio do Ofício
 
Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013
Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013
Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013
Arquivista.org
 
1968
19681968
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
Juliana Corvino de Araújo
 
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Éricles Soares Cruz
 
SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60
SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60
SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60
Ceber Alves
 
Os Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no BrasilOs Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no Brasil
Estude Mais
 
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderesTeoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
CIRINEU COSTA
 
Contracultura - Prof.Altair Aguilar.
Contracultura - Prof.Altair Aguilar.Contracultura - Prof.Altair Aguilar.
Contracultura - Prof.Altair Aguilar.
Altair Moisés Aguilar
 
1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho
Luiz Antonio Souza
 
Utopia e barbarie
Utopia e barbarieUtopia e barbarie
Utopia e barbarie
Marina Gonçalves
 
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptxAulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
JacksonFrigotto
 
Questões.indústria cultural
Questões.indústria culturalQuestões.indústria cultural
Questões.indústria cultural
BRUNORONALDANDRADEDA
 
Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)
Wilton Moretto
 
Variedades políticas anos 70
Variedades políticas anos 70Variedades políticas anos 70
Variedades políticas anos 70
Daniele Fragoso
 
P.point anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferencia
P.point   anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferenciaP.point   anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferencia
P.point anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferencia
Julia Martins
 
Hist doc 9.3
Hist doc 9.3Hist doc 9.3
Hist doc 9.3
bleckmouth
 
A guerra fria – parte ii
A guerra fria – parte iiA guerra fria – parte ii
A guerra fria – parte ii
Fernando Fagundes
 

Semelhante a Cultura e sociedade década de 1950 a 1980 (20)

Os movimentos contestatários
Os movimentos contestatáriosOs movimentos contestatários
Os movimentos contestatários
 
A revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atualA revolução dos hábitos atual
A revolução dos hábitos atual
 
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
Cultura e sociedade década de 1960 a 1980
 
Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013
Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013
Mesa Redonda Arquivo, Memória e Ditadura - Edição 2013
 
1968
19681968
1968
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
Movimentos sociais e políticos na America Latina e no Brasil nas décadas de 1...
 
SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60
SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60
SEXO, DROGAS E ROCK N' ROLL - ANOS 60
 
Os Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no BrasilOs Movimentos Sociais no Brasil
Os Movimentos Sociais no Brasil
 
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderesTeoria do equilíbrio  a guerra interna entre os poderes
Teoria do equilíbrio a guerra interna entre os poderes
 
Contracultura - Prof.Altair Aguilar.
Contracultura - Prof.Altair Aguilar.Contracultura - Prof.Altair Aguilar.
Contracultura - Prof.Altair Aguilar.
 
1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho1.1 A Revolução russa e o trabalho
1.1 A Revolução russa e o trabalho
 
Utopia e barbarie
Utopia e barbarieUtopia e barbarie
Utopia e barbarie
 
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptxAulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
Aulas 3 e 4- Revoluções Socialistas China e Cuba.pptx
 
Questões.indústria cultural
Questões.indústria culturalQuestões.indústria cultural
Questões.indústria cultural
 
Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)Os anos de chumbo (aula 13)
Os anos de chumbo (aula 13)
 
Variedades políticas anos 70
Variedades políticas anos 70Variedades políticas anos 70
Variedades políticas anos 70
 
P.point anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferencia
P.point   anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferenciaP.point   anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferencia
P.point anos 60 – inconformismo, rebeldia e mudança conferencia
 
Hist doc 9.3
Hist doc 9.3Hist doc 9.3
Hist doc 9.3
 
A guerra fria – parte ii
A guerra fria – parte iiA guerra fria – parte ii
A guerra fria – parte ii
 

Mais de Nívia Sales

Brasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineiraBrasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineira
Nívia Sales
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
Nívia Sales
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
Nívia Sales
 
Movimentos comunistas
Movimentos comunistasMovimentos comunistas
Movimentos comunistas
Nívia Sales
 
Descolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásiaDescolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásia
Nívia Sales
 
Descolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásiaDescolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásia
Nívia Sales
 
REVOLUÇÃO MEXICANA
REVOLUÇÃO MEXICANAREVOLUÇÃO MEXICANA
REVOLUÇÃO MEXICANA
Nívia Sales
 
CCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e Persas
CCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e PersasCCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e Persas
CCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e Persas
Nívia Sales
 
ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
Nívia Sales
 
APRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULO
APRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULOAPRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULO
APRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULO
Nívia Sales
 
Iniciação cientifica no ensino de história
Iniciação cientifica no ensino de históriaIniciação cientifica no ensino de história
Iniciação cientifica no ensino de história
Nívia Sales
 
Iniviação cientifica no ensino de história
Iniviação cientifica no ensino de históriaIniviação cientifica no ensino de história
Iniviação cientifica no ensino de história
Nívia Sales
 
Projeto c..
Projeto c..Projeto c..
Projeto c..
Nívia Sales
 
Matematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambienteMatematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambiente
Nívia Sales
 
Matematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambienteMatematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambiente
Nívia Sales
 
Iniciação científica um salto para a ciência
Iniciação científica um salto para a ciênciaIniciação científica um salto para a ciência
Iniciação científica um salto para a ciência
Nívia Sales
 
Ideias de projetos de ciencias
Ideias de projetos de cienciasIdeias de projetos de ciencias
Ideias de projetos de ciencias
Nívia Sales
 
Feirasde cienciasparaqueserveme
Feirasde cienciasparaqueservemeFeirasde cienciasparaqueserveme
Feirasde cienciasparaqueserveme
Nívia Sales
 
MATERIAL PARA ESTUDO
MATERIAL PARA ESTUDOMATERIAL PARA ESTUDO
MATERIAL PARA ESTUDO
Nívia Sales
 

Mais de Nívia Sales (19)

Brasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineiraBrasil colonial sociedade mineira
Brasil colonial sociedade mineira
 
Revoluçao industrial
Revoluçao industrialRevoluçao industrial
Revoluçao industrial
 
Brasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareiraBrasil colonial sociedade açucareira
Brasil colonial sociedade açucareira
 
Movimentos comunistas
Movimentos comunistasMovimentos comunistas
Movimentos comunistas
 
Descolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásiaDescolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásia
 
Descolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásiaDescolonização da áfrica e da ásia
Descolonização da áfrica e da ásia
 
REVOLUÇÃO MEXICANA
REVOLUÇÃO MEXICANAREVOLUÇÃO MEXICANA
REVOLUÇÃO MEXICANA
 
CCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e Persas
CCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e PersasCCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e Persas
CCI/HISTÓRIA-Hebreus, Fenícios e Persas
 
ILUMINISMO
ILUMINISMOILUMINISMO
ILUMINISMO
 
APRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULO
APRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULOAPRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULO
APRESENTAÇÃO DOS ASSESSORES DE CURRÍCULO
 
Iniciação cientifica no ensino de história
Iniciação cientifica no ensino de históriaIniciação cientifica no ensino de história
Iniciação cientifica no ensino de história
 
Iniviação cientifica no ensino de história
Iniviação cientifica no ensino de históriaIniviação cientifica no ensino de história
Iniviação cientifica no ensino de história
 
Projeto c..
Projeto c..Projeto c..
Projeto c..
 
Matematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambienteMatematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambiente
 
Matematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambienteMatematica e o meio ambiente
Matematica e o meio ambiente
 
Iniciação científica um salto para a ciência
Iniciação científica um salto para a ciênciaIniciação científica um salto para a ciência
Iniciação científica um salto para a ciência
 
Ideias de projetos de ciencias
Ideias de projetos de cienciasIdeias de projetos de ciencias
Ideias de projetos de ciencias
 
Feirasde cienciasparaqueserveme
Feirasde cienciasparaqueservemeFeirasde cienciasparaqueserveme
Feirasde cienciasparaqueserveme
 
MATERIAL PARA ESTUDO
MATERIAL PARA ESTUDOMATERIAL PARA ESTUDO
MATERIAL PARA ESTUDO
 

Último

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
C4io99
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Falcão Brasil
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
FLAVIOROBERTOGOUVEA
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
VictorEmanoel37
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
DirceuSilva26
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
Ligia Galvão
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Mary Alvarenga
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
Vanessa F. Rezende
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
pattyhsilva271204
 

Último (20)

As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. WeaverAs Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
As Ideias Têm Consequências - Richard M. Weaver
 
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
Relatório de Atividades 2009 CENSIPAM
 
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdfGuia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
Guia referencial de Apoio - Planejamento Escolar 2024.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da químicaTEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
TEORIAS UECE.pdf química geral nome de cientistas famosos da química
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
Auxiliar Adolescente 2024 3 trimestre 24
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptxIV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
IV Jornada Nacional Tableau - Apresentações.pptx
 
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.Caça-palavras e cruzadinha -  Encontros consonantais.
Caça-palavras e cruzadinha - Encontros consonantais.
 
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.pptNR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
NR-12-Treinamento-Maquinas-Rotativas.ppt
 
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdfApostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
Apostila em LIBRAS - Curso Básico ENAP 2019.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 

Cultura e sociedade década de 1950 a 1980

  • 3. É POSSÍVEL AFIRMAR QUE EXISTEM CULTURAS MAIS DESENVOLVIDAS E MENOS DESENVOLVIDAS?
  • 4. MOVIMENTOS DE CONTRACUTURA • Segundo Tylor, é tudo o que foi produzido, seja material ou imaterial, pelo ser humano. CULTURA • Resultado dos conflitos entre gerações, somado ao descontentamento de jovens e de alguns intelectuais com a sociedade. • Movimentos ocorridos em diversos países durante as décadas de 1960 e 1980. CONTRACULTURA
  • 5. EXPLORANDO A CONTRACULTURA • A sucessão das gerações demonstraram entre si diferentes formas de viver e de pensar. • A ocorrência das guerras, revoluções, etc. acabavam por causar grandes mudanças na maneira dos jovens encararem a vida. o que não é compreendido pelos mais velhos. • Ex: Jovens no movimento das cruzadas, o contato com o oriente fez com que ele começassem a rever seus hábitos. • Após a segunda guerra, (1960) faz aumentar as disparidades culturais gerando conflitos ainda maiores entre pais e filhos • Os jovens das décadas de 1960-70 e 80 de países considerados ricos viviam a era do emprego e do afrouxamento sexual. Esse jovens não compreendiam quando os pais relatavam suas experiências com as guerras, fome e crises e revoluções, até mesmo a necessidade de poupar dinheiro para a velhice. • Nos países como África, Ásia e Oceania, com a emancipação politica a juventude passa a ansiar por mudanças politicas, econômicas e sociais. • O cinema e a televisão contribuíram para o contato cultural e a criação de uma nova identidade.
  • 6. O MOVIMENTO POR DIREITOS CIVIS NOS EUA • A abolição EUA ocorreu em 1863, posta em pratica em 1865, após a guerra de Secessão. • Somente em 1960, atingiu proporções que obrigaram a população branca e as autoridades a promover mudanças. • 1957 (Geórgia), fundada a Conferencia de Liderança Cristã pelo pastor Dr. MARTIN LUTHER KING JR • Objetivo: lutar pelos direitos civis dos negros utilizando a estratégia da desobediência civil. • 1961 – O Congresso da Igualdade Racial, passou a realizar VIAGENS DA LIBERDADE. • Tratava-se de ônibus cruzando vários estados transportando negros e brancos como forma de afrontar as leis discriminatórias que proibiam os negros de utilizar o mesmo meio de transporte que os brancos.
  • 7. O MOVIMENTO POR DIREITOS CIVIS NOS EUA • 1963 (Washington) – cerca de 200 mil manifestantes em frente ao Memorial Lincoln para ouvir Martin Luther King. • Objetivo: pressionar o governo a revogar todas as leis discriminatórias existentes no país. • Outra ação organizada foi a ocupação, por negros, de lugares públicos destinados apenas aos brancos. • Entre Junho e agosto de 1963, registraram-se mais de 1400 manifestações e 15 mil manifestantes foram presos. • Tais ações acabavam com violência policia, ações repressoras passaram a ser vistas pela TV e causaram protestos. Houve grande adesão de intelectuais e abastados da sociedade. • Martin Luther King morre assassinado em Memphis, Tennessee, no dia 4 de abril de 1968.
  • 8. GERAÇÃO BEAT • Geração Beat foi criada pelo escritor Jack Kerouac publicada em 11/1962 por John Clellon no New York Times. • Seus integrantes foram denominados de BEAT ou BEATNIKS, o termo Beat estava ligado ao Jazz e pode ser traduzido como batida ou ritmo e Beatnik originou-se da fusão entre as palavras beat e Sputnik (satélite soviético) • Expressavam o estilo de vida, assim como o jazz, manifestava a repressão sexual e cultural imposta nos EUA. • Basicamente os integrantes da Geração Beat criticavam a vida da classe media estadunidense, com seus padrões de consumo e suas vidas despojadas de criticidade. • Lutavam contra a censura imposta pelo macarthismo, contra a segregação racial e contra as intervenções militares. • Procuravam um estilo de vida errante e sem apego ao consumo.
  • 9. A NOVA ESQUERDA NOS EUA • Lutavam pelo fim do elitismo, pela igualdade racial e pelos combates à desigualdade material e à violência, especialmente gerada pela guerra do Vietnã. • As universidades foram os centros de discussão e de propagação desses ideais. • 1962 – fundada a ESTUDANTES PARA UMA SOCIEDADE DEMOCRÁTICA, passou organizar comícios pela igualdade entre negros e brancos. • Exigiam também o fim da guerra do Vietnã e adquiriu abrangência nacional. • Nos campis universitários surgiram grupos contra a guerra e o serviço militar obrigatório. • Na década de 1960, mais de 50 mil jovens fugiram para o Canadá para escapar do recrutamento. • Ganharam apoio de outros grupos e setores da sociedade, até grupos militares. • As mulheres reavivaram os movimentos sufragistas do inicio do séc. XX, lutando agora por igualdade de oportunidades de emprego, por igualdade nos salários e pela liberdade de responder pelos próprios atos sem se sujeitarem à autoridade de pais e maridos. • 1966 – Betty Friedan criou a ORGANIZAÇÃO NACIONAL DE MULHERES, objetivo era lutar pela igualdade plena para as mulheres em todos os setores da vida social.
  • 10. MOVIMENTO HIPPIE • Extensão do pensamento Beat, surgiu no inicio da década de 1960, seu nome se deve ao termo Hipster (estar ligado a cultura negra) • O termo hippie foi utilizado pela primeira vez por Michael Smith, (1965), em jornal da cidade de São Francisco. • Assim como os beatniks, criticavam o modo de vida “americano”, as imposições da classe governante e as guerras. Pregavam a paz e o amor. • Como forma de criticar a sociedade comportada e hipócrita, passaram a utilizar vestuários contrários ao que ditava a moda, estereótipos diferentes e a sexualidade sem laços. • Os movimentos de contra cultura geraram e foram ampliados por uma vasta produção Cultural, sendo a música popular seu principal veículo.
  • 11. MAIO DE 1968 • 1968 – Manifestação francesa representou o movimento de contracultura mais difícil de definir e enquadrar como: levante, revolta ou revolução. • O movimento de Paris teve ecos em Berkeley (EUA) e em Varsóvia (Polônia), entretanto, os estudiosos afirmam que não houve ações coordenadas mas sim simultâneas dos movimentos. • A própria causas parecem dividir os estudiosos, para uns o movimento francês estavam relacionados crise politica e econômica, para outros ao desanimo dos estudantes universitários que não encontravam relação entre o que estudavam e o mercado de trabalho. • O movimento estudantil contou com momentos de passividade e embates, mortos, muitos feridos, centenas de presos e destruição material se fizeram presentes. • Slogans: “É proibido proibir”, “Sejam realistas, exijam o impossível!” e “Poder tinha as universidades, os estudantes tomaram-nas. O poder tinha as fábricas, os trabalhadores tomaram-nas. O poder tinha os meios de comunicação, os jornalistas tomaram-nos. O poder tem o poder, tomem-no!”. • A sociedade francesa e a policia foram obrigadas a buscar alternativas modernizantes que se ajustassem às ultimas déc.do séc. XX. • Os movimentos tinham como razão a sociedade capitalista que causa descontentamento na juventude: o conservadorismo, os conflitos armados e a falta de liberdade
  • 13. MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU • Josef Stalin governou como secretário-geral da URSS até a sua morte (1924-1953). • Estabeleceu rígida censura e perseguição aos opositores que ameaçassem sua soberania. • Assim como Trotsky, muitos foram exiliados e presos (gulags/campo de prisioneiros políticos- 2 milhões ) • De 1934 até sua morte, convocou apenas dois congressos do Partido Comunista e poucas reuniões do Comitê Central. • Iniciou um grande movimento de propaganda se sua figura e realizações de seu governo. • 1953, assume Nikita Kruschev, o nov líder, tinha como objetivo a aceitação dos soviéticos. Para isso iniciou a desestalinização (diminuir a influência do líder falecido). • Fev/1956 durante o XX Congresso do Partido Comunista Kruschev, em seu discurso denunciou os desvios das teorias de Lenin durante o governo de Stalin. Delatou também militares e políticos, a violência contra os opositores e o culto à personalidade de Stalin.
  • 14. MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU • Essas mudanças geraram perspectiva de mudanças nos países ligados a política soviética. • Polônia, Hungria e Tchecoslováquia foram os principais exemplos. • Nesse países a população clamava por liberdade de expressão, melhores salários, fim da carência de alimentos e carvão para o aquecimento no inverno. • Na Polônia (1956) milhares de pessoas saíram às ruas sob o lema “Deus, pão e Liberdade”. • Lutavam pela liberdade política e religiosa, pelo abastecimento de viveres e o fim da intromissão da União Soviética. • As tropas do Pacto de Varsóvia e atuação dos lideres poloneses puseram fim ao movimento, com muitas mortes e prisões.
  • 15. MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU • O Levante Húngaro ocorreu entre os dias 23/10 e 10/11-1956, causou muitos problemas entre a cúpula húngara e à União Soviética que viram suas autoridades serem contestadas. • O levante teve início com um grupo de estudantes que propôs a implantação de um novo governo socialista e democrático, livre dos políticos húngaros servis às determinações soviéticas e fora do Pacto de Varsóvia. • O governo tentou acabar com o movimento com violência, e elementos contrários às ligações do governo com o Pacto aproveitaram e derrubaram os lideres implantando um novo governo. • Imre Nagy, liderou o novo governo e anunciou o afastamento com o Pacto de Varsóvia • A principio a URSS demonstrou aceitação, porém ao perceberem que isso abria precedentes, apoiaram militarmente Janos Kadar que derrubou Nagy e obedeceu o Pacto de Varsóvia.
  • 16. MOVIMENTOS NO LESTE EUROPEU • 1968 Tchecoslováquia se rebela contra a interferência soviética em seus assuntos internos e promoveu a PRIMAVERA DE PRAGA. • O líder Tcheco Alexander Dubcek propôs: ligação politica com URSS, mas socialmente independente da dominação e aberta a economia Ocidental. • Após seu anuncio Dubcek recebeu apoio iugoslavo e de outros países, assim intensificou a postura crítica em relação a Moscou. • 20/08/1968, as tropas do Pacto de Varsóvia invadiram a Tchecoslováquia. • Mesmo assim Dubcker permaneceu no poder até abril de 1969, quando foi afastado e substituído por Gustav Husak, aliado da União soviética.
  • 17. REFERENCIAS • Imagens: google.com • CORDEIRO, Lysvania Villela. História Ensino Médio. Curitiba: Positivo, 2016.