BRINCANDO E TESTANDO SUA PERCEPÇÃO VISUAL! 
Acesse http://www.nitportalsocial.com.br/2014/10/nit-portal-social-artigo-brin...
As imagens Percepção Visual Figura 3 e Figura 2 foram extraídas deste 
site 
Acesse o site para ver outros testes.
1 - Fixe seu olhar no ponto vermelho no nariz da garota por 30 segundos 
2 - Vire seus olhos para uma superfície plana, o ...
Vocês podem fazer outro teste, olhem para uma imagem normal pelo mesmo 
tempo que olharam para a imagem acima, e depois ol...
Brincando e testando sua percepção visual
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Brincando e testando sua percepção visual

233 visualizações

Publicada em

Dizer que utilizamos apenas 10% das áreas de nosso cérebro, o que significa muito pouco, está cada vez mais ultrapassado. Até mesmo para os estudiosos algumas áreas do nosso cérebro representam um enigma a ser desvendado pela ciência! Portanto, se alguém lhe prometer exercícios e tratamentos para desenvolver os outros 90% restantes de sua capacidade cerebral, desconfie, afinal usando a totalidade de sua capacidade você ganharia superpoderes, o que cá entre nós isso é coisa de ficção científica... Pelo menos ainda!

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
233
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Brincando e testando sua percepção visual

  1. 1. BRINCANDO E TESTANDO SUA PERCEPÇÃO VISUAL! Acesse http://www.nitportalsocial.com.br/2014/10/nit-portal-social-artigo-brincando- e.html Percepção visual, no sentido da psicologia e das ciências cognitivas é uma de várias formas de percepção associadas aos sentidos. É o produto final da visão consistindo na habilidade de detectar a luz e interpretar (ver) as consequências do estímulo luminoso, do ponto de vista estético e lógico. (Wikipédia ) Dizer que utilizamos apenas 10% das áreas de nosso cérebro, o que significa muito pouco, está cada vez mais ultrapassado. Até mesmo para os estudiosos algumas áreas do nosso cérebro representam um enigma a ser desvendado pela ciência! Portanto, se alguém lhe prometer exercícios e tratamentos para desenvolver os outros 90% restantes de sua capacidade cerebral, desconfie, afinal usando a totalidade de sua capacidade você ganharia superpoderes, o que cá entre nós isso é coisa de ficção científica... Pelo menos ainda! A prova de que não existe uma grande área de potencial oculto no cérebro humano vem dos estudos funcionais deste órgão, feitos com a ajuda de aparelhos de ressonância magnética ou tomógrafos. Além dos dados obtidos nos estudos funcionais, outro forte argumento em favor da ideia de que usamos 100% do órgão é a lógica da evolução. Nosso cérebro chega a consumir 20% de toda a energia de que precisamos para continuar vivos. Ou seja, cérebro consome toda essa energia justamente porque trabalha muito, sem parar, cada parte com suas funções específicas. Por isso, em caso de lesão cerebral, muita gente consegue compensar ao menos parcialmente a perda, já que outras regiões do órgão assumem as funções que foram danificadas. Portanto, devemos tratar este órgão que é responsável por grande parte das funções do nosso corpo com muito carinho. Hoje existem exercícios para mantê-lo sempre a pleno vapor através da Neuróbica que consiste de ginástica para o cérebro. A Neuróbica (ou Neurofitness) é um conceito relativamente recente que tem vindo a ser desenvolvido como consequência dos últimos avanços das Neurociências. Nesta atividade procura-se proporcionar um espaço para o exercício da mente, tal como se fosse a prática de uma atividade física regular ou uma ida ao ginásio. Fundamenta-se na crença de que, tal como o corpo, para se desenvolver de forma equilibrada e plena, a mente terá que ser treinada, estimulada e desenvolvida. Esses exercícios ajudam a estimular a produção de nutrientes que desenvolvem as células do cérebro, tornando-o mais jovem e forte, e podem ser realizados em qualquer lugar, a qualquer hora. (Wikipédia) Mas voltando ao nosso assunto principal, percepção visual, vamos deixar aqui alguns testes para que você saiba como anda a sua. Volta e meia nos deparamos com testes onde é possível ler textos compostos de números e letras, outras vezes imagens que nosso cérebro é capaz de revelar de negativo em preto e branco.Quer tentar?
  2. 2. As imagens Percepção Visual Figura 3 e Figura 2 foram extraídas deste site Acesse o site para ver outros testes.
  3. 3. 1 - Fixe seu olhar no ponto vermelho no nariz da garota por 30 segundos 2 - Vire seus olhos para uma superfície plana, o teto ou uma parede vazia 3 - Pisque os olhos várias vezes, rapidamente, ao mesmo tempo em que olha para o teto ou parede Desta vez não foi o cérebro e sim os olhos! A visão é um processo químico – quando você olha para uma imagem, algumas proteínas são degradadas, e um sinal neuronal é enviado ao cérebro baseado no equilíbrio químico da células da visão. Quando você olha para uma superfície branca, a célula ainda está com o desequilíbrio químico, então o sinal dela vai ser diferente de um branco igual ao produzido por uma célula que está com o seu meio celular em equilíbrio.
  4. 4. Vocês podem fazer outro teste, olhem para uma imagem normal pelo mesmo tempo que olharam para a imagem acima, e depois olhem para uma superfície em branco: vão ver uma imagem residual negativa da foto anterior. Lógico que é com os olhos, mas o processamento da imagem é todo feito no cérebro. Do contrário, ainda estaríamos vendo a imagem de cabeça para baixo, para começo de conversa… Como podemos verificar nosso cérebro ainda é uma caixinha de mistérios a serem desvendados pela ciência! Mas sabemos que temos um verdadeiro tesouro em nossas mãos! Nem sempre pessoas nascem com sua capacidade cerebral em perfeitas condições. É o caso dos autistas. Muito parecido a um computador, o cérebro conta com um emaranhado de fios para processar e transmitir as informações. Os cientistas descobriram que, em pessoas com autismo, esses fios estão com defeito, o que causa falha de comunicação entre as células do cérebro. O autismo na verdade é um rótulo para uma série de condições referentes a um atraso no desenvolvimento infantil, dentro de áreas específicas de comunicação e interação social, que foram inseridas em um grupo denominado Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Pesquisas atuais indicam que sinais de risco para TEA podem ser detectados antes do segundo ano de vida (National Institutes of Health), sendo mais comum no sexo masculino. Apesar dos inúmeros estudos e avanços na forma de identificação e tratamento para a pessoa com autismo, sua etiologia ainda não é um consenso (Rutter, 2005). AMORA é uma instituição que nasce para unir pessoas que convivem com o autismo, familiares, amigos e profissionais da área de saúde e educação, propondo a informação como ferramenta de transformação. O acrônimo AMORA representa as diretrizes de ação ONG: Atenção Multidisciplinar, Orientação e Respeito para o autismo. Vamos conhecer melhor este trabalho? Então acesse o site da AMORA Ana Porto/Sergio Honorato Gestores Read more: http://www.nitportalsocial.com.br/2014/10/nit-portal-social-artigo-brincando- e.html#ixzz3G9Qt0dwR Follow us: @NitPortalSocial on Twitter | nitportalsocial on Facebook

×