www.nitportalsocial.com.br
A BANALIZAÇÃO DO ERRO!
São 17h30mim. Érika está voltando para casa após um longo dia de trabalho.
No ônibus ela lembra que...
• Já reparou que muitas pessoas banalizam os seus erros? Por que
isso acontece? Poderíamos pensar em inúmeros fatores para...
• Claro que ter uma reação positiva perante um erro é fundamental. O
desespero limita nossa capacidade de agir de forma as...
• São questões de sobrevivência como essas que ela precisará
responder caso deseje aumentar a sua permanência na empresa e...
• Hoje vamos falar sobre a instituição Visão do Bem que tem como
objetivo ajudar deficientes visuais a superar barreiras, ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

NIT PORTAL SOCIAL - A BANALIZAÇÃO DO ERRO!

249 visualizações

Publicada em

Já reparou que muitas pessoas banalizam os seus erros? Por que isso acontece? Poderíamos pensar em inúmeros fatores para responder a esta questão. Elenco dois que considero extremamente importantes:

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
249
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
10
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

NIT PORTAL SOCIAL - A BANALIZAÇÃO DO ERRO!

  1. 1. www.nitportalsocial.com.br
  2. 2. A BANALIZAÇÃO DO ERRO! São 17h30mim. Érika está voltando para casa após um longo dia de trabalho. No ônibus ela lembra que se esqueceu – mais uma vez - de preparar e enviar o relatório semanal para outra área - o seu cliente interno. Sua primeira reação é de incômodo. Após alguns minutos chateada, ela pensa: - “Não tem problema, amanhã eu envio. Eles nunca leem este relatório mesmo”.
  3. 3. • Já reparou que muitas pessoas banalizam os seus erros? Por que isso acontece? Poderíamos pensar em inúmeros fatores para responder a esta questão. Elenco dois que considero extremamente importantes: - Diminuímos a importância do nosso erro para não sermos protagonistas do problema. - Atingimos um nível tão baixo de motivação, ficamos estressados ou não conseguimos lidar com a sobrecarga de trabalho que começamos a não nos importar mais com algo que nos incomodava no passado.
  4. 4. • Claro que ter uma reação positiva perante um erro é fundamental. O desespero limita nossa capacidade de agir de forma assertiva. Entretanto, isso é diferente de não dar a real importância para o que acontece a nossa volta. Érika não pode se acostumar a cometer erros e precisa assumir com maturidade o problema, tomando as medidas necessárias para resolvê-lo. Para isso, será importante que ela reflita sobre alguns pontos muito importantes: "Quais os motivos da minha baixa motivação e que fazem com que eu não me importe mais com os erros que cometo"? “Por que e quando o meu trabalho se tornou irrelevante para o meu cliente"? “O que eu posso fazer para me sentir mais útil na empresa em que atuo"?
  5. 5. • São questões de sobrevivência como essas que ela precisará responder caso deseje aumentar a sua permanência na empresa em que atua. Não há mais espaço nas organizações para profissionais que não enfrentam com maturidade os seus erros e que não se comprometem com o seu trabalho. Precisamos sim nos incomodar com os erros que cometemos e demonstrarmos comprometimento na resolução. Somente assim aprenderemos de fato com as adversidades. Fingir que um erro não existe, achar que ele é normal ou encontrar culpados e desculpas não nos tornará pessoas e profissionais melhores. Por Denise de Moura dicas infalíveis
  6. 6. • Hoje vamos falar sobre a instituição Visão do Bem que tem como objetivo ajudar deficientes visuais a superar barreiras, limitações e por vezes, o preconceito. A ideia nasceu das dificuldades que seu presidente fundador, Natanael Joaquim, vivenciou na juventude e, inspirado por Maria de Lourdes F. Joaquim, uma pessoa muito sensível, guerreira e com senso de justiça inigualável, deu vida a esta organização que vem iluminando o caminho de muitos deficientes visuais (DV) através da música. Atualmente a ONG atende 14 pessoas que superaram dificuldades, transpuseram barreiras, acreditaram num sonho e formaram o Coral Visão do Bem, provando que a felicidade é real e que quando o sonho passa a ser um objetivo ele pode ser alcançado. A organização também oferece ajuda médica, psicológica, educacional e jurídica, entre outras. "Queremos mostrar que somos iguais, com capacidade de realizações". (Natanael Joaquim) Ana Porto/Sergio Honorato Gestores

×