DEFINIÇÕES DOS PRINCIPAIS TIPOS DE MARKETING
ANTONIA NIRVANA
PROF: CLAUBER ROSANOVA
MARKETING NO AGRONEGÓCIO
PALMAS-TO
Marketing de Serviços
Definição: Define-se Marketing de serviços como as atividades operacionais destinadas
a investigar, ...
Seja através de incentivos fiscais ou da própria iniciativa das empresas patrocinadoras, o
marketing cultural é um fator d...
Lembrando que o conceito de ciclo de vida aplica-se para a análise do crescimento e do
declínio dos equipamentos/serviços ...
o marketing verde serve também para que a empresa possa atender às diversas
legislações ambientais que vem surgindo.
Talve...
Marketing Político
Definição: Segundo Manhanelli, o Marketing Político é “ a arte de impetrar ações com
intuito de destaca...
Mesmo que o profissional não ofereça nenhum projeto ou sugestão, em seu currículo e
entrevista deve demonstrar interesse n...
Definições dos principais tipos de marketing(MKT)
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Definições dos principais tipos de marketing(MKT)

6.111 visualizações

Publicada em

Um breve trabalho sobre os principais tipos de Marketing e suas definições.

Publicada em: Marketing
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.111
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
82
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Definições dos principais tipos de marketing(MKT)

  1. 1. DEFINIÇÕES DOS PRINCIPAIS TIPOS DE MARKETING ANTONIA NIRVANA PROF: CLAUBER ROSANOVA MARKETING NO AGRONEGÓCIO PALMAS-TO
  2. 2. Marketing de Serviços Definição: Define-se Marketing de serviços como as atividades operacionais destinadas a investigar, obter e servir a demanda por assistência Profissional. Nestas atividades incluem-se as tarefas de desenvolvimento e promoção de serviços pessoais e comunitários. Objetivos do Marketing de Serviços: Investigar a oportunidade de mercado para planejar, organizar e oferecer assistência de serviços de qualidade, a preços razoáveis que possibilitem satisfação dos clientes e remuneração adequada aos profissionais. Toda a oferta de serviços devem sempre partir do exame da demanda e sua compatibilização com os recursos do profissional que vai prestar os mesmos. O marketing, sem influir nos aspectos técnicos e científicos da área indica como atingir o mercado e esquematizar a oferta de serviços. Marketing de Relacionamento Definição segundo McKenna (1991): marketing de relacionamento significa construir e sustentar a infraestrutura dos relacionamentos de clientes. É a integração dos clientes com a empresa, desde o projeto, desenvolvimento de processos industriais e de vendas. Definição segundo Berry (1983): Berry define o marketing de relacionamento como atração, manutenção e aumento do relacionamento entre empresa e cliente. Na prática é transformar clientes indiferentes em clientes assíduos e leais aos produtos e serviços das empresas. Segundo Evans e Laskin, o marketing de relacionamento é “como um processo onde a firma constrói alianças de longo prazo tanto com clientes atuais e em perspectiva, de forma que comprador e vendedor trabalham em direção de um conjunto comum de objetivos específicos". Conhecer, interagir e criar novidades para o cliente são bases essenciais para o sucesso de um planejamento em marketing de relacionamento. Marketing Cultural Definição: O marketing cultural é uma ferramenta que projeta uma empresa e promove uma marca que está envolvida com o apoio à projetos culturais e artísticos. O marketing cultural torna-se vantajoso para empresas, artistas, produtores, governos e para o cidadão espectador e participante da cultura. Neste setor, o marketing cultural utiliza a cultura como veículo de comunicação para promoção da empresa patrocinadora. O marketing cultural está relacionado também com as políticas de incentivos fiscais, como por exemplo, a Lei Rouanet.
  3. 3. Seja através de incentivos fiscais ou da própria iniciativa das empresas patrocinadoras, o marketing cultural é um fator de apoio e acesso às artes, à criatividade popular, ao conteúdo histórico e etimológico de uma sociedade e, sobretudo, da memória pública expressada em diversos suportes de expressão documental e artística. Na prática, o marketing cultural se manifesta publicamente através de grandes festivais, filmes, espetáculos de nível nacional e internacional, mas ao mesmo tempo já se destaca ao lado de projetos sociais locais que beneficiam pessoas reconhecidas através da arte. Para a empresa, o marketing cultural deve levar a sua marca para um maior número de pessoas, para que o reconhecimento e a identificação da empresa com determinada obra torne-se instantâneo na mente das pessoas. Marketing Turístico Definição: Segundo Krippendorf (1980) o marketing turístico é a adaptação sistemática e coordenada da política das empresas de turismo, tanto privadas como do Estado; no plano local, regional, nacional e internacional, visando à plena satisfação das necessidades de determinados grupos de consumidores, obtendo com isso, um lucro apropriado. Para Beni (2003) o marketing turístico é um processo administrativo através do qual as empresas e outras organizações de turismo identificam seus clientes (turistas), reais e potenciais, e com eles se comunicam para conhecerem e influenciarem suas necessidades, desejos e motivações nos planos local, regional, nacional e internacional em que atuam, com o objetivo de formular e adaptar seus produtos para alcançar a satisfação ótima da demanda. A EMBRATUR (1992) define o marketing turístico como um conjunto de técnicas estatísticas, econômicas, sociológicas e psicológicas, utilizadas para estudar e conquistar o mercado, mediante lançamento planejado de produtos, consistindo numa estratégia dos produtos para adequar seus recursos às novas oportunidades que o mercado oferece. Como pode-se observar em todas as definições apresentadas fica claro que o que se busca no marketing turístico é conhecer bem os seus clientes para que a partir disso sejam desenvolvidos produtos que venham a satisfazer suas necessidades reais e potenciais. Beni (2003) descreve as etapas que compreendem o marketing do produto turístico: 1. Descoberta daquilo que os turistas desejam (pesquisa de mercado); 2. Desenvolvimento de serviços turísticos adequados (planejamento do produto); 3. Informação aos turistas sobre o que está disponível (publicidade e promoção); 4. Orientação sobre os locais onde podem comprar serviços (canais de distribuição: operadoras turísticas e agências de viagens); 5. Definição do preço. Atualmente os destinos e as empresas turísticas tem utilizado o marketing como forma de assegurar seu diferencial, garantir o fluxo turístico, ou seja, se destacar no mercado. A tabela (para ter acesso clique em arquivo relacionado), retirada do Livro Análise Estrutural do Turismo de autoria de Mario Carlos Beni, ilustra as estratégias de marketing que devem ser utilizadas durante as fases do ciclo de vida de um produto turístico.
  4. 4. Lembrando que o conceito de ciclo de vida aplica-se para a análise do crescimento e do declínio dos equipamentos/serviços turísticos e das regiões nas quais esses se localizam. O modelo de análise compreende as seguintes fases: pesquisa e desenvolvimento, introdução pioneira, expansão e desenvolvimento, maturação e saturação e declínio. Marketing Esportivo Definição: O Marketing Esportivo é uma ferramenta utilizada para comunicar-se com clientes, prospects, colaboradores e comunidade. Tem o esporte, como forma de contato com o target e, portanto, é ligado diretamente à emoção, à paixão. Esse é o grande diferencial com relação às demais ferramentas de comunicação. Utilizado de forma precisa, o Marketing Esportivo agrega força à marca ou à empresa por meio do simbolismo com os valores do esporte, como superação, trabalho em equipe e liderança, inerentes também ao sucesso na vida corporativa e às características de cada corporação. Sendo assim, empresas de tecnologia buscam se associar ao automobilismo e empresas cujos produtos são de luxo, a esportes como tênis e golfe, por exemplo. O marketing esportivo tem, como vantagem, o fato de impactar um consumidor relaxado, em meio ao programa e não nos intervalos. Dessa forma, a empresa que faz uso dessa estratégia de comunicação é percebida, não como uma anunciante, mas sim como uma parceira, que permite com que os campeonatos ou times patrocinados possam ter sucesso e continuidade. Mais do que isso, ainda há uma lealdade muito maior a empresas que detém esta imagem. Por exemplo, na Nascar, categoria do automobilismo americano, há uma lealdade de 72% aos patrocinadores. Ou seja, 72% dos fãs da categoria assumem comprar um produto de um patrocinador em detrimento a um não-patrocinador. Além de ser uma forma de comunicação saudável, envolve sentimentos de uma grandeza insuperável que só o esporte pode oferecer. Adrenalina, alegria, conquista, vibração e emoção são alguns dos elementos que fazem da atividade um misto de aventura e poder. Não se pode esquecer o papel dos ídolos, que, nesse processo, são os verdadeiros porta- vozes do mercado, com suas mensagens traduzidas em forma de talentos esportivos. Eventos como os Jogos Olímpicos, Copa do Mundo e Superbowl, que atraem bilhões de espectadores ao redor do mundo, são bons exemplos de como o esporte surge como uma excelente forma, diferenciada, de atingir objetivos de marketing propostos pelas empresas. Esporte produz entretenimento, produz paixão. Mas é uma indústria e deve ser administrada como um negócio. Marketing Verde Definições: O marketing verde é um dos mais novos nichos do marketing, voltado a atender as demandas de seus clientes que, preocupados com o meio ambiente, exigem que as empresas realizem algumas modificações nos processos de fabricação de seus produtos a fim de ajudar na preservação e aumentar a qualidade ambiental. Além disso,
  5. 5. o marketing verde serve também para que a empresa possa atender às diversas legislações ambientais que vem surgindo. Talvez você esteja imaginando: “Há essa deve ser mais uma estratégia da empresa visando apenas o seu lucro.” Realmente, no inicio do marketing verde, mais precisamente nos anos 80 e 90, o pensamento das empresas era basicamente esse. Mas aos poucos, através das pressões sociais, legais e até mesmo da própria mudança de consciência por parte dos empresários, hoje o foco é mais voltado a preservação do meio ambiente, sendo que muitas organização tem feito muito mais do que o exigido pela lei. Um dos grandes diferenciais do marketing verde é que ele tem a oportunidade de beneficiar vários grupos, pois através de suas ações a empresa, sociedade e meio ambiente saem ganhando. É o que podemos chamar de reação em cadeia. A preocupação ambiental é mais uma tendência imposta pela sociedade e é algo que não tem data para acabar. Assim as empresas que não se adequarem a isso, podem enfrentar vários problemas que vão desde perda de vendas até multas de alto valor. Por isso esteja pronto para fazer modificações na estrutura do seu negócio e encare o marketing verde não como um atraso, mas sim como uma oportunidade de aumentar seus lucros, reduzir seus custos e ajudar o meio ambiente. Marketing Social Definição: Marketing social é a gestão estratégica da transformação e mudança social, guiada por preceitos éticos e de equidade social. A principal função do Marketing Social é facilitar a adoção de conhecimentos, atitudes e práticas sociais (CAPs), como, por exemplo, o uso de preservativo, o hábito da leitura, o respeito à faixa de pedestres, o hábito de não fumar ou beber, entre outros. O Marketing Social “é a gestão estratégica do processo de introdução de inovações sociais, a partir da adoção de comportamentos, atitudes e práticas, individuais e coletivas. Estas inovações sociais são orientadas por preceitos éticos e fundamentadas nos direitos humanos, na equidade social” (FONTES, 2001, p. 78) e no vínculo estreito com as políticas públicas. A evolução do conceito e das ferramentas do Marketing Social pode ser resumida em três gerações: • Richard Manoff (anos 60): Cerne na promoção para o comportamento das demandas sociais na área de saúde pública. • Philip Kotler (anos 80): O objetivo é a adoção de comportamentos, atitudes, valores e idéias sociais. A causa é social, mas os mecanismos do Marketing Social ainda são adaptados do contexto comercial. • Glenn Wasek, Miguel Fontes (anos 90): Marketing Social como modelo de gestão que objetiva o bem-estar social e a vinculação de intervenções sociais com avaliação de impacto e políticas públicas.
  6. 6. Marketing Político Definição: Segundo Manhanelli, o Marketing Político é “ a arte de impetrar ações com intuito de destacar um nome e suas qualidades junto aos eleitores. Isso deve ser feito de forma mais clara e definitiva possível, levando, nestas ações, informações de conteúdo que façam o eleitorado assimilá-las com o objetivo de, no primeiro instante, eleger um nome a um cargo eletivo”. O marketing político utiliza técnicas e planejamentos para adequar o candidato ao seu mercado de eleitores potencial. O candidato falaria do mesmo modo na zona nobre e periférica de uma cidade? Todas as posturas do candidato são pensadas. Marketing Pessoal Definição: Seja do ponto de vista pessoal ou profissional, o marketing pessoal é uma estratégia que visa atrair contatos e expor habilidades, visibilidade e as competências profissionais pretendidas por empresas, parceiros de negócio e projetos. O profissional que objetiva enxergar novas oportunidades através do marketing pessoal deve desenvolver a qualidade de seu posicionamento pessoal perante os demais, ter forte comunicação interpessoal, possuir e renovar sua rede de relacionamentos, cuidar de sua imagem e incentivar os demais. No momento em que o profissional se encontra fora do mercado de trabalho, as práticas de marketing pessoal são fundamentais para mantê-lo em contato com o mundo dos negócios. O marketing pessoal também possui uma série de planejamento estratégico que, basicamente, devem ser exercido pelo profissional:  Ter consciência de suas capacidade e competências técnicas adquiridas por meio de estudo e de experiências profissionais anteriores;  Determinar suas áreas de interesses;  Determinar o que de melhor pode oferecer às empresas, enxergando as necessidades de cada setor empresarial pelo qual se candidata a uma oportunidade de trabalho;  Estar sempre preparado para entrevistas de emprego;  Desenvolver um cronograma de estudos de reciclagem; Na busca por uma nova oportunidade, o profissional deve identificar o que ainda falta na empresa em que pretende trabalhar, que tipo de falhas gerenciais e de serviço interno pode ser aprimorados visando a redução de custos operacionais e maior ganho de competitividade no mercado. Depois de identificar as falhas, tente apresentar um projeto resumido que sugira possíveis soluções, inclua no projeto notícias e pesquisas públicas que sejam relevantes sobre o setor, segmento e das ações de concorrentes.
  7. 7. Mesmo que o profissional não ofereça nenhum projeto ou sugestão, em seu currículo e entrevista deve demonstrar interesse na empresa, salientando o benefício que sua contratação poderá gerar dentro da empresa. No marketing pessoal, além de conseguir marcar entrevistas via anúncio de emprego, é aconselhável fazer contatos independente da existência de vagas e de anúncios de emprego, ofereça-se para visitar a empresa e para uma entrevista, demonstre que tem interesse em trabalhar nestas empresas. As empresas atualmente buscam em seus profissionais três competências básicas: habilidade de comunicação, relacionamento interpessoal e iniciativa (pró-atividade). Além do QI(quociente de inteligência), as empresas estão interessadas em conhecer o nível de QE (quociente emocional) que está relacionado com atributos de confiança, automotivação, empatia, capacidade de aprendizado e relacionamento interpessoal. Pergunte para si mesmo: você é capaz de realizar novos contatos profissionais? É capaz de visitar empresas? De expor algo novo e atrativo para uma empresa e projeto? Tem a capacidade de liderar equipes? De trabalhar em equipes? É otimista perante os desafios de mercado? Admite seus erros? Assume responsabilidade e metas? Estuda e avalia resultados? Possui mais vontade de fazer sucesso do que de falhar? O há de melhor em você? Marketing no Agronegócio Definição: O Brasil tem qualidade e competitividade no agronegócio, não apenas no antes e dentro das porteiras das fazendas, mas também na qualidade do seu marketing. O setor de insumos, serviços, bens de produção, mídia e criação voltados ao campo atuam em termos globalizados em alto nível, mas o vácuo ainda é o marketing da produção agropecuária para a cidade. José Luiz Tejon, coordenador do Núcleo de Agronegócio da ESPM chama a atenção para o tema, afirmando que este resultado é o reflexo da falta do marketing no agronegócio. No final do ano passado, o setor acompanhou e Tejon participou como jurado, da XVI Mostra da ABMR&A de Comunicação em Marketing Rural e Agronegócio. Lá, o público pode sim conhecer belas peças e casos, desde campanhas institucionais até mídia alternativa, mas sob o ângulo do marketing originado no agronegócio e voltado aos centros urbanos, os exemplos ainda são poucos, apesar das campanhas de Comunicação da Agropecuária da ÚNICA - o etanol, e o Rally da Safra mostrarem um belo show. "Presto muita atenção no aspecto da criação quando observo estas campanhas. E desta vez eu prestei mais atenção ao conteúdo ou as expressões publicitárias utilizadas nas peças que hoje temos no mercado. É comum observarmos certa concentração "modal", nos criativos, como uma tendência da maioria. As exceções são exatamente aqueles que conseguem surpreender, avançando no tempo e abrindo novos caminhos criativos", diz Tejon.

×