Guerradecanudos 110313121542-phpapp01

500 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
500
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Guerradecanudos 110313121542-phpapp01

  1. 1. Guerra de Canudos-Guerra de Canudos-PRÉ-MODERNISMOPRÉ-MODERNISMO
  2. 2. A chamadaA chamada Guerra de CanudosGuerra de Canudos,,revolução de Canudos ou insurreiçãorevolução de Canudos ou insurreiçãode Canudos, foi o confronto entre ode Canudos, foi o confronto entre oExército da República e umExército da República e ummovimento popular de fundo sócio-movimento popular de fundo sócio-religioso liderado por Antônioreligioso liderado por AntônioConselheiro, que durou de 1896 aConselheiro, que durou de 1896 a1897, na então comunidade de1897, na então comunidade deCanudos, no interior do estado daCanudos, no interior do estado daBahia, no Brasil.Bahia, no Brasil.
  3. 3. O episódio foi fruto de uma série deO episódio foi fruto de uma série defatores como a grave crisefatores como a grave criseeconômica e social em queeconômica e social em queencontrava a região à época,encontrava a região à época,historicamente caracterizada pelahistoricamente caracterizada pelapresença de latifúndios improdutivos,presença de latifúndios improdutivos,situação essa agravada pelasituação essa agravada pelaocorrência de secas cíclicas, deocorrência de secas cíclicas, dedesemprego crônico; pela crençadesemprego crônico; pela crença
  4. 4. numanuma salvação milagrosa que poupariasalvação milagrosa que poupariaos humildes habitantes do sertão dosos humildes habitantes do sertão dosflagelos do clima e da exclusãoflagelos do clima e da exclusãoeconômica e social.econômica e social.
  5. 5. O Exército Brasileiro saiu derrotadoO Exército Brasileiro saiu derrotadoem três expedições, incluindo umaem três expedições, incluindo umacomandada pelo Coronel Antôniocomandada pelo Coronel AntônioMoreira César, também conhecidoMoreira César, também conhecidocomo "corta-cabeças" pela fama decomo "corta-cabeças" pela fama deter mandado executar mais de cemter mandado executar mais de cempessoas na repressão à Revoluçãopessoas na repressão à RevoluçãoFederalista em Santa Catarina,Federalista em Santa Catarina,expedição que contou com mais deexpedição que contou com mais demil homens.mil homens.
  6. 6. A derrota das tropas do ExércitoA derrota das tropas do Exércitonas primeiras expedições contra onas primeiras expedições contra opovoado apavorou o País:povoado apavorou o País:
  7. 7. 1ª Campanha:1ª Campanha: 4 a 21 de novembro de4 a 21 de novembro de1896 Governador da Bahia ordena1896 Governador da Bahia ordenaexpedição para defesa de Juazeiroexpedição para defesa de Juazeiroameaçada pelos jagunços de Antônioameaçada pelos jagunços de AntônioConselheiro. Expedição com 100Conselheiro. Expedição com 100praças comandada pelo ten. Manuelpraças comandada pelo ten. ManuelFerreira. Segue até Uauá onde éFerreira. Segue até Uauá onde éderrotada na madrugada pelosderrotada na madrugada pelosjagunços no dia 21 de outubro. Ojagunços no dia 21 de outubro. Omédico enlouquece. Retirada paramédico enlouquece. Retirada paraJuazeiro.Juazeiro.
  8. 8. ACAMPAMENTO DA 1ª EXPEDIÇÃO
  9. 9. 2ª Campanha:2ª Campanha: 25 de outubro de 189625 de outubro de 1896a 20 de janeiro de 1897 Comandadaa 20 de janeiro de 1897 Comandadapelo Major Frebônio de Brito, compelo Major Frebônio de Brito, com543 praças e 14 oficiais e 3 médicos.543 praças e 14 oficiais e 3 médicos.Travessia do Cambaio, primeiro eTravessia do Cambaio, primeiro esegundo combate. Mais de 400segundo combate. Mais de 400jagunços mortos. Retirada em frentejagunços mortos. Retirada em frentea Canudos, para Monte Santo.a Canudos, para Monte Santo.Militares vaiados. Debandada geral.Militares vaiados. Debandada geral.
  10. 10. 3ª Campanha:3ª Campanha: 8 de fevereiro a 38 de fevereiro a 3de março de 1897 Expediçãode março de 1897 ExpediçãoMoreira César. Chega a QueimadasMoreira César. Chega a Queimadascom 1.300 homens. Chega a Montecom 1.300 homens. Chega a MonteSanto e dali para Canudos. AssaltoSanto e dali para Canudos. Assaltoao arraial em 2 de março. Morteao arraial em 2 de março. Mortede Moreira César. Expediçãode Moreira César. Expediçãodissolvida bate em retirada.dissolvida bate em retirada.
  11. 11. 4ª Campanha:4ª Campanha: 16 de junho a 5 de16 de junho a 5 deoutubro de 1897 Expediçãooutubro de 1897 Expediçãocomandada pelo General Artur Oscar,comandada pelo General Artur Oscar,dividida em duas colunas (Gen. Joãodividida em duas colunas (Gen. JoãoBarbosa e Amaral Savaget), uma comBarbosa e Amaral Savaget), uma com1.933 homens e a outra com 2.350.1.933 homens e a outra com 2.350.Combate de Cocorocó. Duas colunasCombate de Cocorocó. Duas colunaschegam a Canudos. Assalto ao arraial:chegam a Canudos. Assalto ao arraial:947 baixas. Chegam reforços de 2947 baixas. Chegam reforços de 2brigadas da Bahia. Bombardeio sobrebrigadas da Bahia. Bombardeio sobreCanudos.Canudos.
  12. 12. De junho até o último ataque, emDe junho até o último ataque, eminicio de outubro de 1897, procedeu-inicio de outubro de 1897, procedeu-se um massacre pavoroso, a cada diase um massacre pavoroso, a cada diamorriam tanto homens do Conselheiromorriam tanto homens do Conselheirocomo do exército, muitos outroscomo do exército, muitos outrosficaram feridos ou eram acometidosficaram feridos ou eram acometidospor doenças, neste meio tempo aspor doenças, neste meio tempo astropas do governo conseguiram cercartropas do governo conseguiram cercarCanudos e bloquear o fornecimento deCanudos e bloquear o fornecimento deágua e alimento.água e alimento.
  13. 13. A batalha cada vez mais violentaA batalha cada vez mais violentaera conduzida de maneiraera conduzida de maneirasurpreendente pelos últimossurpreendente pelos últimosconselheiristas. Mesmo com aconselheiristas. Mesmo com aresistência, um grande número deresistência, um grande número decanudenses desertou nos últimoscanudenses desertou nos últimosmomentos da guerra, deixandomomentos da guerra, deixandomulheres e crianças para trás, sómulheres e crianças para trás, sóaqueles homens mais fiéis doaqueles homens mais fiéis doConselheiro ficaram.Conselheiro ficaram.
  14. 14. O estado-maior prometeu a essasO estado-maior prometeu a essaspessoas que se elas se entregassempessoas que se elas se entregassemseriam poupadas, mas foramseriam poupadas, mas foramludibriados e mortos na frente deludibriados e mortos na frente desuas famílias. Depois disso muitossuas famílias. Depois disso muitosoutros prisioneiros foramoutros prisioneiros foramdegolados, os corpos foramdegolados, os corpos foramqueimados, assim como o quequeimados, assim como o quesobrou do povoado, segundo ossobrou do povoado, segundo osoficiais,oficiais,
  15. 15. Canudos devia ser queimada eCanudos devia ser queimada edinamitada por causa do odordinamitada por causa do odordeixado pelos corpos que foramdeixado pelos corpos que foramsucumbidos durante a guerra.sucumbidos durante a guerra.
  16. 16. Única foto conhecida de Antônio Conselheiro tirada por Flávio de Barrosno dia 6 de outubro de 1897.
  17. 17. Antes da destruição total do povoado,Antes da destruição total do povoado,o corpo de Antônio Conselheiro foio corpo de Antônio Conselheiro foiexumado, o Conselheiro havia morridoexumado, o Conselheiro havia morridoantes do fim do conflito no dia 22 deantes do fim do conflito no dia 22 desetembro de 1897, por causa de umasetembro de 1897, por causa de umadisenteria ou por ferimentos causadosdisenteria ou por ferimentos causadospela explosão de uma granada ou porpela explosão de uma granada ou porbala.bala.
  18. 18. As pessoas próximas a ele seAs pessoas próximas a ele serecusaram a enterrá-lo por causa darecusaram a enterrá-lo por causa daprofecia de que ele ressuscitariaprofecia de que ele ressuscitariadentro de três dias, por causa dodentro de três dias, por causa doodor forte acabaram o enterrandoodor forte acabaram o enterrandodepois de uma semana, quando morreudepois de uma semana, quando morreuo Conselheiro já tinha quase 70 anoso Conselheiro já tinha quase 70 anose não possuía boa saúde.e não possuía boa saúde.
  19. 19. Sua cabeça fora decapitada eSua cabeça fora decapitada elevada para Salvador onde ficoulevada para Salvador onde ficouexposta na Faculdade deexposta na Faculdade deMedicina da Bahia até inicio doMedicina da Bahia até inicio doséculo XX quando um incêndioséculo XX quando um incêndiodestruiu o prédio.destruiu o prédio.
  20. 20. Não se sabe bem, o número deNão se sabe bem, o número decanudenses que escapara, ou quantoscanudenses que escapara, ou quantostiveram um destino cruel nas mãostiveram um destino cruel nas mãosdos soldados, se sabe que muitasdos soldados, se sabe que muitasmeninas viraram concubinas aindameninas viraram concubinas aindadurante o combate, muitas criançasdurante o combate, muitas criançasviraram empregados, e outras foramviraram empregados, e outras foramadotadas pelos militares eadotadas pelos militares ejornalistas.jornalistas.
  21. 21. PRISIONEIROS DE CANUDOS; A MAIORIA ERA MULHERES E CRIANÇAS
  22. 22. A vitória sobre Canudos consolidouA vitória sobre Canudos consolidoua força do exército brasileiro, e doa força do exército brasileiro, e dogoverno republicano, no qualgoverno republicano, no qualtransformou Canudos em umtransformou Canudos em umexemplo para qualquer outro queexemplo para qualquer outro quequisesse se rebelar contra oquisesse se rebelar contra ogoverno federal.governo federal.
  23. 23. A figura de Antônio ConselheiroA figura de Antônio Conselheiroentraria para a história como umentraria para a história como umfalso pregador, louco que tentoufalso pregador, louco que tentouderrubar a república, e ao mesmoderrubar a república, e ao mesmotempo um homem devoto etempo um homem devoto ebenevolente, que quis dar aobenevolente, que quis dar aosertanejo melhores condições de vida,sertanejo melhores condições de vida,algo que o Estado não proporcionava.algo que o Estado não proporcionava.
  24. 24. O conflito de Canudos mobilizouO conflito de Canudos mobilizouaproximadamente doze milaproximadamente doze milsoldados oriundos de dezessetesoldados oriundos de dezesseteestados brasileiros, distribuídosestados brasileiros, distribuídosem quatro expedições militares.em quatro expedições militares.
  25. 25. Estima-se que morreram aoEstima-se que morreram aotodo por volta de 25 miltodo por volta de 25 milpessoas, culminando com apessoas, culminando com adestruição total da povoação.destruição total da povoação.
  26. 26. Antônio Vicente Mendes Maciel,Antônio Vicente Mendes Maciel,apelidado de "Antônioapelidado de "AntônioConselheiro", nascido emConselheiro", nascido emQuixeramobim (CE) a 13 de marçoQuixeramobim (CE) a 13 de marçode 1830, de tradicional famíliade 1830, de tradicional famíliaque vivia nos sertões entreque vivia nos sertões entreQuixeramobim e Boa Viagem, foraQuixeramobim e Boa Viagem, foracomerciante, professor ecomerciante, professor eadvogado prático nos sertões deadvogado prático nos sertões deIpu e Sobral.Ipu e Sobral.
  27. 27. Após a sua esposa tê-lo abandonadoApós a sua esposa tê-lo abandonadoem favor de um sargento da forçaem favor de um sargento da forçapública, passou a vagar pelos sertõespública, passou a vagar pelos sertõesem uma andança de vinte e cincoem uma andança de vinte e cincoanos. Chegou a Canudos em 1893,anos. Chegou a Canudos em 1893,tornando-se líder do arraial etornando-se líder do arraial eatraindo milhares de pessoas.atraindo milhares de pessoas.Acreditava que a República, recém-Acreditava que a República, recém-implantada no país, era aimplantada no país, era amaterialização do reino do Anti-Cristomaterialização do reino do Anti-Cristo
  28. 28. na Terra, uma vez que o governona Terra, uma vez que o governoeleito seria uma profanação daeleito seria uma profanação daautoridade da Igreja Católica paraautoridade da Igreja Católica paralegitimar os governantes. Alegitimar os governantes. Acobrança de impostos efetuada decobrança de impostos efetuada deforma violenta, a celebração doforma violenta, a celebração docasamento civil, a separação entrecasamento civil, a separação entreIgreja e Estado eram provas cabaisIgreja e Estado eram provas cabaisda proximidade do "fim do mundo".da proximidade do "fim do mundo".
  29. 29. PESQUISA E ORGANIZAÇÃOPESQUISA E ORGANIZAÇÃODOS SLIDES:DOS SLIDES:JOÃO JOVIANO DE MEDEIROSJOÃO JOVIANO DE MEDEIROSNETONETOTOCANTINÓPOLISTOCANTINÓPOLISTOTOMARÇO/MARÇO/20112011

×