A salvação do pecado

260 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
260
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A salvação do pecado

  1. 1. A salvação do pecado Se obtém somente pela fé A sagrada Escritura afirma que todos pecaram (cfr. Rom. 3:23), por isso todos são escravos do pecado que cometem, conforme está escrito: "Todo aquele que comete pecado é servo do pecado" (João 8:34). Mas ela também afirma que o pecador pode ser libertado da escravidão do pecado. De que maneira? Deve somente arrepender-se dos seus pecados e crer no Senhor Jesus Cristo. Mas porque é que depois de se estar arrependido é necessário crer em Jesus Cristo? Porque Ele é aquele que foi enviado por Deus para salvar os homens dos seus pecados. O anjo que apareceu a José antes que Maria desse à luz Jesus lhe disse de facto: "Porque ele salvará o seu povo dos seus pecados" (Mat 1:21) e mesmo Jesus disse que tinha vindo ao mundo para salvá-lo (cfr. João 12:47). Mas de que maneira Jesus vem para salvar o homem do pecado? Oferecendo em sacríficio a sua carne e o seu sangue. Vamos explicar este conceito fundamental partindo do pecado. O pecado entrou no mundo através de um só homem de nome Adão e este pecado passou sobre todos os homens, por isso todos pecaram (cfr. Rom. 5:12). Mas o que faz forte o pecado no homem? A lei, porque, como disse Paulo, ela é "a força do pecado" (1 Cor. 15:56). Ainda Paulo explica isto quando diz que: "O pecado, tomando ocasião pelo mandamento, me enganou, e por ele me matou" (Rom. 7:11), em outras palavras o pecado utiliza a lei para levar a morte ao homem. A lei é boa e santa, mas o pecado se usa dela exactamente para causar a morte no homem. Para fazer uma comparação, é como se um homicida se usasse de um pedaço de madeira feita por Deus para matar um outro homem. Quem fere não é o pau de madeira feito por Deus e bom em si mesmo, mas o homicida que se usa dele para cumprir o seu criminoso desígnio. Da mesma maneira o pecado homicida se usa da lei, dada por Deus a Israel e por isso boa, para matar espiritualmente as pessoas. Portanto era preciso anular o pecado, isto é, tirar-lhe o poder que tinha sobre o homem. E Jesus fez isso mesmo com o seu sacríficio, anulou o pecado (cfr. Heb. 9:26); ele pôde fazer isto porque ele se carregou das nossas iniquidades morrendo sobre a cruz por todos nós. (cfr. Is. 53:6,11,12). Eis porque quem crê nele é libertado do pecado, porque Jesus sobre a cruz crucificou o seu (de quem crê) velho homem (cfr. Rom. 6:6-7). Portanto quem crê em Cristo morre com Cristo para o pecado; e por consequência a lei cessou de dominá-lo porque a lei tem domínio sobre o homem enquanto ele vive e não também depois que morreu. E o crente mediante o corpo de Cristo morreu para a lei, para aquela que o tinha sujeito à escravidão, para pertencer a um outro, àquele que ressuscitou dos mortos. (cfr. Rom. 7:1-6). Como já disse várias vezes, a libertação do domínio do pecado acontece pela fé em Cristo, não portanto pelas obras, sejam elas feitas antes ou depois de ter crido, ou mesmo pelo batismo que se recebe depois de ter crido em Jesus Cristo, mas somente pela fé. Eis porque a salvação é por graça, porque para a obter é necessário apenas crer naquele que liberta do pecado, isto é, Jesus. E dado que se recebe pela graça de Deus e não pelos nossos méritos, o homem diante de Deus não tem nada do que se gloriar. Ele só pode gloriar-se no Senhor, isto é, gloriar-se de ter recebido das suas mãos esta grande salvação, exclusivamente pela sua grande misericórdia. Muitos porém
  2. 2. anularam a graça de Deus fazendo depender a salvação do homem dos seus méritos, dos seus sofrimentos e outras coisas. Queremos portanto deveras reiterar neste tratado que a salvação se obtém somente pela fé. Eis algumas Escrituras que testificam de maneira inequivoca que se é salvo somente pela fé.  Paulo e Silas, quando o carcereiro de Filipos lhes perguntou: "Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?" (Actos 16:30), lhe responderam: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu a a tua casa" (Actos 16:31). Note-se como os apóstolos responderam imediatamente e de mútuo consentimento àquele carcereiro assustado: "Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo", porque isto mostra que a mensagem de salvação que eles pregavam aos homens se baseava na fé em Cristo e não nos méritos dos homens. Os apóstolos estavam calçados da prontidão que dá o Evangelho da paz, porque foram prontos a responder logo, no mesmo instante, à pergunta tão importante dequele homem, e a responder da maneira justa, de facto lhe disseram que ele teria só que crer em Jesus Cristo e seria salvo. Esta era a boa notícia que os homens ouviam da boca dos apóstolos e esta é a boa notícia que eles devem ainda ouvir.  Paulo disse aos Romanos: "Não me envergonho do evangelho de Cristo, pois é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê" (Rom. 1:16). Isto significa que é a mensagem da Boa Nova que liberta dos pecados todos os que crêem nela. E nós somos testemunhas da salvação operada pelo Evangelho naqueles que eram escravos de toda a sorte de iniquidades: homens que no passado eram fornicadores, sodomitas, ladrões, bêbados, avarentos, feiticeiros, mentirosos, foram libertados do pecado a que eles obedeciam somente pela sua fé no Evangelho.  Paulo diz aos Efésios: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Ef. 2:8,9). Nós que cremos no Evangelho da nossa salvação fomos libertados dos nossos pecados apenas mediante a fé no Evangelho; nenhum de nós pode dizer de ter sido salvo dos seus pecados por ter feito esmolas, visitas aos doentes, às viuvas e aos orfãos, ou por ter dado de comer, de beber e de vestir aos que disso tinham necessidade, justamente porque não foi em virtude de boas obras que obtivemos esta grande salvação, mas somente, e o repito somente, por ter crido no Evangelho da graça de Deus. Se se pudesse ser salvo mediante boas obras, Cristo teria morrido inutilmente, e seria portanto inútil pregar o Evangelho a todos aqueles homens que pensam alcançar a salvação fazendo o bem a si mesmos e aos outros. Mas além disso, é necessário dizer que se se pudesse ser salvo mediante boas obras, os homens teriam do que se gloriar perante Deus, porque poderiam dizer serem merecedores da salvação, em outras palavras poderiam dizer que ela foi o fruto dos seus trabalhos, e nunca diriam que ela é o fruto do tormento da alma de Cristo Jesus. Eles poderiam dizer que foram eles a sofrer para se salvarem, e não mais que Cristo, o Justo, sofreu por nós injustos para nos libertar da escravidão do pecado. Mas, como dizia Paulo aos Romanos, "Onde está logo a jactância? É excluida. Por qual lei? Das obras? Não; mas pela lei da fé" (Rom. 3:27), porque nós cremos que o homem é salvo mediante a sua fé em Jesus Cristo. Eis, porque nós não temos nada do que nos gloriar, porque fomos salvos pela lei da fé, e portanto por graça. Sim, pela graça de Deus; porque nós tivemos apenas que crer no Senhor Jesus para ser salvos.
  3. 3.  Paulo diz aos Tessalonicenses: "Mas devemos sempre dar graças a Deus por vós, irmãos amados do Senhor, por vos ter Deus elegido desde o princípio para a salvação, pela santificação do Espírito, e fé na verdade" (2 Tess. 2:13). O apóstolo dava graças a Deus porque a Deus tinha agradado, com base no seu propósito eterno, de salvar os crentes de Tessalónica. Mas como tinha salvo Deus os Tessalonicenses? Pelas boas obras porventura? Não, mas pela santificação do Espírito e a fé na verdade. Ainda uma vez a Escritura confirma que a salvação se obtém não pelas boas obras, mas pela fé na verdade. Onde estão portanto os méritos do homem? Estão excluídos pela lei da fé.  Paulo diz aos Coríntios: "Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis. Pelo qual também sois salvos..." (1 Cor. 15:1), depois diz-lhes o Evangelho que lhes tinha anunciado, e por fim diz: "Assim pregamos e assim haveis crido" (1 Cor. 15:11). Por este discurso de Paulo se deduz que os Coríntos tinham sido salvos mediante a sua fé no Evangelho e não por terem feito boas obras. Alguns deles tinham sido adúlteros, fornicadores, ídolatras, efeminados, sodomitas, ladrões, avarentos, roubadores, bêbados e maldizentes; mas tinham sido salvos dos seus pecados só mediante a fé no Evangelho, sem as obras da lei. Por isso a mensagem de Cristo é chamada a Boa Nova da paz; porque para obter paz com Deus, isto é, para serem reconciliados com Deus, os pecadores não têm que fazer obras meritórias, mas têm só que arrepender-se e crer no nome de Jesus Cristo. Aliás que boa nova seria a mensagem de Cristo se ela dissesse que para ser salvo do pecado é necessário fazer boas obras? Não estaria tudo isso em nítida contradição com a essência do Evangelho? Certamente que estaria; seria como dizer que Jesus veio para nos salvar gratuitamente, sem nos exigir nada mais senão o arrependimento e a fé nele, mas nós temos que cooperar com ele (fazer obras justas) para sermos salvos dos pecados!  Paulo diz na epístola a Tito: "Também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. Mas quando apareceu a benignidade e a caridade de Deus, nosso Salvador, para com os homens, não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo..." (Tito 3:3-5). Destas palavras de Paulo aprendem-se claramente duas coisas: a primeira é que nós fomos salvos e por isso podemos afirmar que estamos salvos, sem o perigo de pecar por presunção; a segunda é que esta salvação a obtivemos não por ter feito obras meritórias mas exclusivamente pela misericórdia de Deus o qual nos fez renascer para uma nova vida pela Palavra de Deus plantada em nós (a lavagem da regeneração) e pela renovação operada em nós pelo Espírito Santo.  Paulo diz a Timóteo que Deus "nos salvou, e chamou com uma santa vocação; não segundo as nossas obras, mas segundo o seu próprio propósito e graça que nos foi dada em Cristo Jesus antes dos tempos dos séculos; e que é manifesta agora pela aparição de nosso Salvador Jesus Cristo..." (2 Tim. 1:9,10). O apóstolo diz pela enésima vez que Deus nos salvou por graça sem que nós tenhamos feito algo de bom; mas ele diz também que Deus nos deu graça antes dos tempos dos séculos, isto é, antes da fundação do mundo. E se isso não bastasse para fazer perceber que a nossa salvação não é dispensada em razão de boas obras por nós feitas, mas exclusivamente por Deus ao qual agradou
  4. 4. salvar-nos sem que merecessemos, citamos também as seguintes palavras de Paulo aos Romanos sobre Esaú e Jacó: "Não tendo eles ainda nascido, nem tendo feito bem ou mal (para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por causa das obras, mas por aquele que chama), foi-lhe dito a ela: O maior servirá o menor" (Rom. 9:11,12), e estas outras: "Assim, pois, isto não depende do que quer, nem do que corre, mas de Deus, que usa de misericórdia" (Rom. 9:16). Perante tais palavras caem pela enésima vez todos aqueles argumentos que atribuem a salvação a obras meritórias.  Pedro disse em Jerusalém, diante dos outros apóstolos e dos anciãos: "Mas cremos que somos salvos pela graça do Senhor Jesus, do mesmo modo que eles também" (Actos 15:11). Ora, aqui Pedro disse que eles que eram Judeus de nascença eram salvos pela graça da mesma maneira que o eram os Gentios; e isto apesar deles serem circuncisos na carne e tivessem a lei de Moisés com os mandamentos de Deus. Mas porque é que Pedro não pôde dizer que eles que eram Judeus tinham sido salvos pelas obras da lei, enquanto os Gentios, que não tinham a lei, tinham sido salvos pela graça? Porque também eles Judeus para serem salvos tiveram somente que crer (e portanto não tinham merecido a salvação pela lei), da mesma maneira que os Gentios. As palavras de Pedro fazem perceber claramente que para ser salvo tem-se apenas que crer e não operar, porque a salvação de Deus é oferecida gratuitamente tanto aos Judeus como aos Gentios.  Jesus nos dias da sua carne disse estas palavras a duas mulheres: "A tua fé te salvou" (Lucas 8:48; 7:50): as disse à mulher que foi curada de um fluxo de sangue, e áquela mulher pecadora que lhe regou de lágrimas os seus pés, lhe os enxugou com os seus cabelos e lhe os ungiu de óleo. A um daqueles dez leprosos que ele curou, e a Bartimeu disse as mesmas palavras, ou seja: "A tua fé te salvou" (Lucas 17:19; 18:42). Também estas Escrituras confirmam que é somente pela fé que se é salvo e não por boas obras.  Paulo diz aos Romanos: "Esta é a palavra de fé, que pregamos, a saber: Se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque a Escritura diz: Todo aquele que nele crer não será confundido. Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo" (Rom. 10:8-13). Como podeis ver para ser salvo não é necessário fazer boas obras, mas é necessário confessar com a própria boca Jesus como Senhor, e crer com o coração que Deus o ressuscitou dos mortos. Não é simples e claro o caminho da salvação que propõe a Escritura? Com certeza que o é. Irmãos, vos exorto a permanecer ancorados à doutrina da salvação pela graça mediante a fé em Cristo Jesus, e a não vos afastardes dela porque isso significaria fazer vão o sacríficio de Cristo sobre a cruz, significaria dizer que Jesus morreu inutilmente e por isso cair da graça. Falai dela entre vós para fortificar-vos, e falai dela aos pecadores para que também eles possam arrepender- se e crer em Jesus Cristo. A fé vem pelo ouvir, e o ouvir por meio da Palavra de Deus, por isso os pecadores para crer em Cristo para a sua salvação têm necessidade de ouvir falar d`Ele, do seu sacríficio expiatório. A cruz, a cruz de Cristo seja anunciada com toda a franqueza porque ela salva o homem do pecado. Não há uma mensagem alternativa, e vós isto o sabeis muito bem
  5. 5. porque foi pela pregação da cruz que vós fostes salvos pela graça de Deus. A serviço da justiça Como vimos a Escritura diz claramente que nós não fomos salvos mediante obras justas, mas mediante a fé em Cristo e portanto pela graça de Deus. Mas a mesma Escritura também diz claramente que nós agora que estamos salvos, sendo feitos servos da justiça, devemos fazer boas obras. Paulo disse de facto aos Efésios que nós somos "feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas" (Ef. 2:10); e a Tito que Jesus Cristo "se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniquidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras" (Tito 2:14). Mas ainda antes de Paulo este conceito o tinha explicado o Senhor Jesus Cristo o qual tinha dito aos seus discípulos de tê-los escolhido para que praticassem as boas obras. Eis as suas palavras: "Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça" (João 15:16). Mas porque é que devemos ser zelosos nas boas obras? Porque Jesus disse: "Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto, e assim sereis meus discípulos" (João 15:8), e também: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus" (Mat 5:16) querendo significar que nós fazendo boas obras faremos glorificar o nome de Deus. Além disso deve-se ter presente que nós fazendo boas obras ajuntamos um tesuro no céu que constitui o prémio que o Senhor nos dará naquele dia (o que para nós é um estímulo). Jesus de facto quando disse ao jovem rico para vender tudo o que tinha e dá-lo aos pobres lhe disse: "e terás um tesouro no céu" (Mat 19:21), e Paulo disse a Timóteo para ordenar aos ricos "que façam bem, enriqueçam em boas obras, repartam de boa mente, e sejam comunicáveis, que entesourem para si mesmos um bom fundamento para o futuro" (1 Tim. 6:18,19). Concluo dizendo isto: nós crentes sabemos que pela nossa fé fomos salvos do pecado e do presente século mau, mas sabemos também que agora somos servos da justiça pelo que devemos pôr os nossos membros ao serviço da justiça fazendo toda a sorte de boas obras. Mas enquanto eramos servos do pecado não tivemos nenhum fruto das nossas iníquas obras, de que hoje até nos envergonhámos de tê-las feito, agora que somos servos da justiça, as boas obras que fazemos por amor do Senhor e dos eleitos contribuem para fazer firme e segura a nossa vocação além de nos criar um tesouro nos céus, um tesouro bem fundado para o futuro pelo que não nos arrependeremos e nunca nos envergonharemos de tê-las feito. Portanto as obras de justiça são úteis, muito úteis, ninguém as despreze. Saiba quem recusa fazer boas obras que a Escritura diz que "como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta" (Tiago 2:26), uma tal fé não tem valor diante de Deus conforme está escrito: "Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta?" (Tiago 2:20). Não se iluda pois aquele tal para dano da sua alma; as varas secas que não estão em Cristo se recolhem e se lançam no fogo para serem queimadas (cfr. João 15:6). Índice

×