Palestra cometti conae 2014 v5

305 visualizações

Publicada em

A pós-graduação, a produção e a socialização do conhecimento científico . Palestra apresentada na CONAE2014.

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
305
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra cometti conae 2014 v5

  1. 1. A PÓS-GRADUAÇÃO, A PRODUÇÃO E A SOCIALIZAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO SETEC/MEC Nilton Nélio Cometti Novembro de 2014
  2. 2. Fonte: Capes, Avaliação Trienal 2013. 2061 2436 2893 156 243 397 1177 1420 1792 3394 4099 5082 2007 2010 2013 Cursos Pós-graduação avaliados pela CAPES Mestrado Mestrado profissional Total Doutorado 24% 21% 63% 56% 26% 21% 18% 19%
  3. 3. Fonte: Capes, Avaliação Trienal 2013. Variação das notas dos PPG'savaliados na Trienal 2013 em comparação à Trienal 2010
  4. 4. 25965 39387 42780 3236 3591 4251 11210 12267 13879 40411 55245 60910 2010 2011 2012 Qualificação na Pós-graduação Fonte: Capes, Avaliação Trienal 2013. Doutorado 10% 37% 18% 11% 13% 9% 52% 9% Mestrado profissional Mestrado Total
  5. 5. 127860 148435 171969 49206 54181 64963 265410 292705 323382 2010 2011 2012 Produção Científica Fonte: Capes, Avaliação Trienal 2013. 10% 10% 20% 10% 16% 16% Livros Artigos em periódicos Produção técnica
  6. 6. Fonte: Indicadores do DGP do CNPq. 0,7 0,86 0,85 1,04 1,05 0,66 0,55 0,72 0,97 1,02 1,02 1,09 1,19 1,36 1,26 0,07 0,08 0,08 0,09 0,09 0,29 0,34 0,41 0,53 0,52 1998-2001 2000-2003 2003-2006 2005-2008 2007-2010 Produção científica por doutor Artigos internacionais Livros Cap. de livros Artigos nacionais Trab. congressos
  7. 7. Fonte: Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: desafios para o período 2011 a 2015. Carlos Henrique de Brito Cruz, Junho 2010. Evolução na quantidade de doutores formados anualmente.
  8. 8. Evolução na quantidade de patentes concedidas no Escritório de Patentes dos EUA à Coréia, Espanha, India e Brasil. Fonte: Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil: desafios para o período 2011 a 2015. Carlos Henrique de Brito Cruz, Junho 2010.
  9. 9. Fonte: Indicadores do DGP do CNPq. Ano Software Produtos Processos 1998-2001 0,03 0,02 0,01 2000-2003 0,03 0,02 0,02 2003-2006 0,02 0,03 0,02 2005-2008 0,02 0,03 0,02 2007-2010 0,02 0,03 0,02 Produção técnica por doutor
  10. 10. Produtividade na Ásia (média simples) Produtividade no Brasil (média simples) Elevar produtividade: desafio central da economia
  11. 11. Investimento empresarial em inovação Aumentar investimento em inovação para diminuir a distância entre o Brasil e os países que atuam na fronteira tecnológica
  12. 12. Tempo Preço histórico relativo Importados de alta tecnologia Commodities exportadas Déficit Déficit na balança comercial brasileira
  13. 13. Produtos da indústria de transformação por intensidade tecnológica – balança comercial
  14. 14. PLANO INOVA EMPRESA PLANO BRASIL MAIOR Estratégia Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação (ENCTI) Investimentos em PD&I Formação de recursos humanos e com Foco em inovação Áreas estratégicas nas Sustentar o crescimento econômico Ganhar competitividade para e EMBRAPII POLÍTICA DE INOVAÇÃO DO GOVERNO FEDERAL EMBRAPA
  15. 15. 140 unidades até 2002 Mais 214 unidades até 2010 Mais 208 unidades até 2014 Total de 562 unidades em funcionamento Expansão da Rede Federal de Educação Profissional Científica e Tecnológica
  16. 16. Ensino Técnico/FIC Graduação Pós-graduação Pesquisa aplicada Polos de inovação Extensão tecnológica Foco no atendimento às demandas sociais e econômicas locais e na formação para as redes públicas de educação Institutos Federais –Novos Desafios e Perspectivas Inclusão Social e Produção Cultural Desenvolvimento Tecnológico e Inovação
  17. 17. Exemplos de Cursos Relacionados com os Arranjos Produtivos Locais Instituição Município Característica Cursos Técnicos % Matrículas IF Rio Grande do Sul CaxiasdoSul APLMetalMecânicoautomotivo(Empresas:Marcopolo,Randon, Tramontina,Agrale) Fabricação Mecânica, Plásticos e Química 80 IF São Paulo Sertãozinho APLdeMetalMecânica(Empresas:SMAR,TGMTurbinas, CALDEMA) Mecânica, Química e Automação Industrial e Eletrônica 90 IF Pernambuco Ipojuca ComplexodeSUAPE Construção Naval, Petroquímica, e Automação industrial 77 IF Bahia SimõesFilho PolopetroquímicodeCamaçari Petróleo e Gás, Eletromecânica, Mecânica e Metalurgia 100 IF Bahia Camaçari PolopetroquímicodeCamaçari Eletrotécnica e Informática 100 IF EspíritoSanto Cariacica GrandeVitória(Vale,PortodeVitória) Portos, Ferrovias e Logística, Manutençãoeletromecânica 82 IF EspíritoSanto Aracruz Celuloseesiderurgia Mecânica,química 100 IF Santa Catarina JaraguádoSul APLMetalmecânica Eletrotécnica, Mecânica Industrial 100 IF Brasília Estrutural APLAutomotivo(CidadedoAutomóvel) Manutenção Automotiva 100 IF Paraná Paranaguá PortodeParanaguá Logística, Portos Eletromecânica, Informática 61
  18. 18. Instituição Município Característica Cursos Técnicos % Matrículas IF Rio Grande do Sul BentoGonçalves APLdeVitivinicultura(Empresas: Miolo,CasaValdugaeSalton) Agropecuária e Viticultura e Enologia 60 IF São Paulo SãoRoque APLAgroindustrial(Empresas:BomSucesso,BellaAurora,VitivinícolaGóes,VinhosPalmeiras,VinícolaRealD'Oro,IndústriadeLicoresGoldBlend) Agroindústria, Alimentos e Agronegócio 82 IF Amazonas Lábrea, Maués e Parintins Amazônia Recursos Pesqueiros e Meio Ambiente 40 IF Sul de Minas Gerais Machado,MuzambinhoeInconfidentes APLdeCafeicultura Agropecuária 38 IF Espírito Santo SantaTeresa,Colatina BaciaLeiteira Agropecuária 83 IF Espírito Santo Aracruz Celuloseesiderurgia Mecânica,química 100 IF Mato Grosso Cáceres,CampoNovodoParecis,Confresa,JuínaeSãoVicente CerradoMatogrossense Agropecuária, zootecnia, agroindústria, aquicultura 77 IF Catarinense Concórdia,Araquari, Camboriú,Concórdia,RiodoSul,SãoMigueldoOeste,Sombrio,Videira SetorAgropecuário Agropecuária, aquicultura,alimentos, agroindústria 62 Exemplos de Cursos Relacionados com os Arranjos Produtivos Locais
  19. 19. Instituto Federal Rede Federal PLANO INOVA EMPRESA PLANO BRASIL MAIOR Estratégia Nacional de CT&I Polo de Inovação Apoio a grupos de PD&I Fomento a Mestrados Profissionais Formação de servidores EMBRAPII Ações para Inovação na Rede Federal articuladas com a Política Nacional de Inovação EMBRAPA Ações articuladas com Embrapa
  20. 20. Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I ) nos Institutos Federais PESQUISA Pesquisa básica conduzida por instituições de pesquisa e indústria DESENVOLVIMENTO Pesquisa aplicada Protótipo/simulação Análises e ensaios INOVAÇÃO Novos produtos Start-up, spinoff Expansão de negócios Novas políticas Atualizaçãodocurrículodoscursos Publicações PatentesLicenças Produtos e/ou processos Apropriação de tecnologia ATIVIDADE ECONÔMICA Aumentodacompetitividade Formação de recursos humanos Novas tecnologias Novos produtos, processos e serviços Polos de Inovação = Laranja IMPACTOS RESULTADOS PD&I
  21. 21. Fonte: Livro-O quadrante de Pasteur – Adaptado por LabiakJr., S.
  22. 22. INSTITUIÇÃO DE PESQUISA EMPRESA Como ocorre a inovação tecnológica? Pesquisa básica Pesquisa aplicada Desenvolvimento tecnológico Inovação tecnológica “MARKET PULL” “SCIENCE PUSH” Demanda do mercado Pesquisa aplicada Adaptado de: Dálcio Roberto dos Reis, Gestão da inovação tecnológica, Ed. Manole, p. 57
  23. 23. INSTITUIÇÃO DE PESQUISA EMPRESA Pesquisa básica Pesquisa aplicada Desenvolvimento tecnológico Inovação tecnológica “MARKET PULL” “SCIENCE PUSH” Demanda do mercado Adaptado de: Dálcio Roberto dos Reis, Gestão da inovação tecnológica, Ed. Manole, p. 57 Como ocorre a inovação tecnológica?
  24. 24. Gráfico de Patentes de Altshuller CONHECIMENTO NATUREZA DA INOVAÇÃO Problemas rotineiros de projeto (resolvidos com o conhecimento da especialidade) Pequenas melhorias em sistemas existentes (usa o conhecimento de dentro da empresa) Melhorias fundamentais no sistema existente (usa o conhecimento de dentro e de fora da empresa) Novas invenções (usa o conhecimento sobre uma dada tecnologia) 1% Descobertas raras (usa o conhecimento científico) 50% 25% 15% 9% Adaptado de Roberto Nicolsky, abril de 2011 INCREMENTAL RADICAL NATUREZA DA INOVAÇÃO
  25. 25. Investimento ($ CAD) 2005-06 2008-09 2009-10 2010-11 2011-12 2012-13 Setorprivado 4.200.000 45.000.000 45.000.000 50.300.000 59.400.000 72.000.000 Governo Federal 28.000.000 27.000.000 28.000.000 33.700.000 72.000.000 71.400.000 Collegese institutos Seminf. 35.000.000 35.000.000 38.000.000 38.000.000 49.200.000 Governos estaduais 13.000.000 25.000.000 29.000.000 29.700.000 14.000.000 36.900.000 Parceiros internacionais Seminf. Seminf. Seminf. 295.000 1.533.000 3.500.000 Fundações Seminf. Seminf. 840.000 1.373.000 730.000 587.000 Organizaçõescomunitárias Seminf. Seminf. 168.000 319.000 831.100 407.000 Governos municipais Seminf. Seminf. Seminf. Seminf. 533.000 313.000 Total 45.200.000 132.000.000 138.008.000 153.687.000 217.027.100 234.307.000 Parcerias com empresas 515 3.602 3.795 4.444 4.586 5.444 Parceiros de inovação social Seminf. Seminf. Seminf. 289 338 821 Centrosde pesquisa 72 140 196 305 387 489 Professores envolvidosem pesquisa aplicada Seminf. 1.209 1.196 1.606 1.774 2.298 Estudantes envolvidos em pesquisa aplicada Seminf. 2.500 8.329 13.585 24.108 29.356 Áreas de especialização Seminf. 142 304 447 524 654 Instituições elegíveis -NSERC 13 51 64 84 92 96 Instituições elegíveis -SSERC Seminf. Seminf. Seminf. 38 55 59 Instituições elegíveis -CIHR 0 0 0 1 3 Redesde pesquisa 97 137 137 171 232 Política de Inovação -Exemplo de indicadores de pesquisa aplicada nos CollegesCanadenses
  26. 26. CONCEPÇÃO Política de Inovação da SETEC/MEC Cadeia produtiva Demanda de PD&I Instituição Parceira Atuação em rede Captação de recursos de parceiros empresariais Número de instituições parceiras Retorno da empresa para novo projeto Produtos e serviços técnicos e tecnológicos Professores e estudantes envolvidos em pesquisa aplicada Aumento da competitividade Indicadores de desempenho Polo de Inovação Mestrado Profissional Grupo de PD&I
  27. 27. Mestrados Profissionais na Rede Federal Nome Programa IF 1 Ciência e Tecnologia de Alimentos IFTM 2 Educação Tecnológica* 3 Ciência e Tecnologia de Alimentos IFSEMG 4 Sustentabilidade e Tecnologia Ambiental* IFMG 5 Ciência e Tecnologia de Alimentos IFRJ 6 Ensino de Ciências 7 Engenharia Ambiental IFF 8 Ensino de Ciências e Matemática* CEFETRJ 9 Educação em Ciências e Matemática IFES 10 Práticas de EducaçãoBásica CPII 11 Automação e Controle de Processos IFSP 12 Ensino de Ciências e Matemática Nome Programa IF 13 Gestão Ambiental IFPE 14 Ensino Tecnológico* IFAM 15 Desenvolvimento Rural e Gestão de Empreend. Agroalimentares IFPA 16 Educação para Ciências e Matemática IFG 17 Tecnologia de Processos Sustentáveis 18 Olericultura* IF Goiano 19 Mecatrônica IFSC 20 Educação e Tecnologia IFSul 21 Ciências e Tecnologias na Educação *Aprovados em 2014.
  28. 28. Programa IF 1 Habitação: Tecnologia e Sustentabilidade IFB 2 Tecnologia de Alimentos IF Goiano 3 Irrigação no Cerrado 4 Fitossanidade 5 Ensino de Ciências Humanas e da Natureza 6 Engenharia de Sistemas Computacionais IFBA 7 Produção Vegetal no Semiárido IF Baiano 8 Educação, Diversidade e Natureza IFBA 9 Tecnologias de Informação e Comunicação IFCE 10 Energia 11 Tecnologia Assistiva e Tecnologia em Saúde 12 Química 13 Computação Aplicada IFRN 14 Uso Sustentável de Recursos Naturais 15 Ciênciae Tecnologia Ambiental IFAM 16 Agropecuária e Ambiente Amazônico IFRO Mestrado Profissional –Novos APCN-2014
  29. 29. Programa IF 17 Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente IFTO 18 Agroecologia IFES 19 Engenharia de Controle e Automação 20 Ensino de Humanidades 21 Educação Profissional e Tecnológica 22 Tecnologias Educacionais 23 Tecnologias Sustentáveis 24 Ciência e Tecnologia de Alimentos IFSULDEMINAS 25 Cafeicultura 26 Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente 27 Produção Vegetal IFTM 28 Sustentabilidade e Tecnologia Ambiental IF Minas Gerais 29 Bovinocultura (Emrede) IF Sudeste MG, IFNMG,IF Goiano e EMBRAPA (Gado de Leite, Gado de Corte e Milho e Sorgo) Mestrado Profissional –Novos APCN-2014
  30. 30. Programa IF 30 Tecnologia e Engenharia de Materiais IFRS 31 Educação em Ciências 32 Informática na Educação 33 Tecnologia Ambiental IFSC 34 Educação Profissional, Científica e Tecnológica 35 Engenharia Eletrônica 36 Sistemas de Energia Elétrica 37 Inovação Tecnológica 38 Proteção Radiológica 39 Ciência Animal IFC Mestrado Profissional –Novos APCN-2014
  31. 31. 1)ViabilizadapelaCAPES 2)43professoresem12Collegescanadenses; 3)Início:15defevereirode2014. 4)Planodeação: -estágionossetoresdepesquisaaplicada; -duração:3meses; -objetivo:experiênciaempesquisaaplicadacomempresas; -requisitos:inglêsoufrancêsfluenteeexperiênciaemPD&I; -elaboraçãodeplanodecapacitaçãonosCollegesparanovosgrupos. Programa de Estágio no Canadá (ACCC -Associação de Collegescanadenses)
  32. 32. PROGRAMA“PROFESSORES PARA O FUTURO” CNPq-SETEC/MEC N º 15/2014(Finlândia) –R$ 3.975.000,00 CNPq-SETEC/MEC N º 41/2014 (Finlândia) –R$ 2 milhões Capacitação de professores da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica na Finlândia, permitindo vislumbrar o modelo finlandês de educação profissional, que tem como base a interação com o setor produtivo.
  33. 33. Ações Desenvolvidas PROGRAMA DE INTERCÂMBIO BRASIL-EUA (AUSTIN) •Cursos de capacitação: •Extensão •Pós-graduação •Serviços de Consultorias Técnicas •Formatação de concursos de empresas de base tecnológica foco na transferência de tecnologia e na geração de riquezas.
  34. 34. Área temática Qde. Agropecuária 62 Tecnologias para Sustentabilidade 29 Alimentos 27 Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) 24 Fármacos e Complexo Industrial da Saúde 20 Tecnologias Educacionais 20 Energia 15 Biotecnologia 13 Pesca e Aquicultura 12 Construção Civil 11 Energia Renovável 10 Nanotecnologia 9 Aeroespaciele Defesa 8 Metal-mecânica 8 Têxtil/Vestuário 6 Mineração 5 Tecnologia Assistiva 4 Economia Criativa 3 Indústria Naval 3 Automobilística 2 Energia Nuclear 2 Petróleo e gás 2 TOTAL 295 Apoio aos Grupos de PD&I -Chamada 94/2013 -SETEC/MEC –CNPq
  35. 35. CNPq-SETEC/MEC N º 17/2014 1.535 projetos submetidos Pesquisa Aplicada Extensão Tecnológica Soluções tecnológicas Torneio de Educação Profissional
  36. 36. Áreas estratégicas 1.Aeroespacial e Defesa; 2.Agropecuária; 3.Alimentos; 4.Automobilística; 5.Biotecnologia; 6.Calçados; 7.Construção Civil; 8.Economia Criativa; 9.Energia; 10.Energia Nuclear; 11.Energias Renováveis; 12.Fármacos e Complexo Industrial da Saúde; 13.Gastronomia; 14.Indústria Naval; 15.Logística; 16.Metalmecânica; 17.Mineração; 18.Nanotecnologia; 19.Petróleo e gás; 20.Pesca e Aquicultura; 21.Tecnologias Ambientais e para a sustentabilidade; 22.Tecnologias Assistivas; 23.Tecnologias Educacionais; 24.Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC); 25.Têxtil/Vestuário; e 26.Tecnologias Sociais.
  37. 37. •Lei 12863/2013 •Flexibilização da dedicação exclusiva –Lei 12772 •Fundações de apoio –flexibilização para contratações, realização de convênios com empresas e segurança jurídica –Lei 8958 •Autorização para concessão de bolsas -Lei 11892 dos Institutos Federais BASE LEGAL PARA A POLÍTICA DE INOVAÇÃO
  38. 38. FrutonativodosemiáridoutilizadonasubsistênciadecomunidadestradicionaisnaBahia.Polpa e fibra Casca 1-Em2003oIFBAidentificaopotencialnutritivodolicuri 2-Mixdeprodutosdesenvolvidosnasáreasalimentícia,energéticaecosmética 3-Cincodepósitosdepatentes 4-DesenvolvimentodeTecnologiasSociais:Máquinadequebra,ProgramaColhedoresdeLicuri,SecadorSolar,BarrasdeCereais. Licuri Resultados e Impactos -Agregaçãodevaloraolicurieaumentodageraçãodetrabalhoerenda; -CriaçãodecooperativadetrabalhadoresdoLicurinomunicípiodeCaldeirãoGrande,combenefíciopara900famílias. -ReplicaçãodasTecnologiasSociaisemoutrosmunicípiosbaianos. Formação de recursos humanos articulada com a inovação para o desenvolvimento local (IFBA e parceiros sociais)
  39. 39. VALOR TOTAL:R$ 460.000,00 PARCERIA: IntechnoDesenvolvimento e Capacitação e IFES -Instituto Federal do Espírito Santo PRODUTO: -Patentes: 3 -Licenciamentos: 1 -Spin-off –1 (IntechnoDesenvolvimento e Capacitação) incubada do IF Esp. Santo CLIENTES: SENAI, Universidades e Institutos Federais. EXPECTATIVA DE VENDAS (2014): 25 unidades EXPECTATIVA DE GANHO ECONÔMICO (2014): R$ 2,5 Milhões Contrato de Royalties de 1% da Receita Motor de Vidro Motor para uso em aulas de mecânica de combustão. Exemplo de Projeto de PD&I Articulado com a Demanda LocalIF Espírito Santo
  40. 40. VALOR TOTAL:R$ 190.000,00 PARCERIA: FANEM / IFBA –Instituto Federal da Bahia PRODUTO: Patente Registrada CLIENTES: -Hospitais Públicos e Privados; -Assistência Técnica Especializada. EXPECTATIVA DE VENDAS: 100 unidades/ano EXPECTATIVA DE GANHO ECONÔMICO: Substituição de Produto Importado(R$ 80.0000,00). Contrato de Royalties de 5% da receita. Analisador para Incubadora de Neonatos Controlador de variáveis ambientais para incubadoras neonatais. Exemplo de Projeto de PD&I Articulado com a Demanda LocalIF Bahia
  41. 41. Controle Sanitário daProdução de Ostras Identificação e contagem de microalgas nocivas que afetam a Produção de Ostras em Santa Catarina Exemplo de Projeto de PD&I Articulado com a Demanda LocalIF Santa Catarina VALOR TOTAL:R$ 3.860.000,00 PARCERIA: Cooperativa de Maricultoresde Moluscos de Florianópolis/ Ministério da Pesca e Aquicultura / CNPq e IFSC –Instituto Federal de Santa Catarina. PRODUTO: Monitoramento sanitário da produção de ostras e melhoria da qualidade da produção. CLIENTES: 657 produtores de ostras de Santa Catarina. EXPECTATIVA DE GANHO ECONÔMICO: R$ 45 milhões/ano.
  42. 42. PROJETO DE P&D –VALOR TOTALR$ 750.000,00 PARCERIA:CooperativaRegionaldeCafeicultoresdeGuaxupé(Cooxupé)/IFSULDEMINAS– INSTITUTOFEDERALDOSULDEMINASGERAIS. PÚBLICO ALVO: Coooperados da Cooxupé (maior cooperativa mundial de produtores de café) EXPECTATIVAS ATENDIMENTO (2014/2015): 11.000 agricultores, com extrapolação para cadeia cafeeira. Metodologia de Previsão de Safra Metodologiadeprevisãodesafra, paraaRegiãoSuldeMinasGerais. Exemplos de Projetos de PD&I Articulado com a Demanda LocalIF Sul de Minas Gerais
  43. 43. Programa ECCOS desenvolvido junto à Empresa Júnior VALOR TOTAL:(executado) R$ 820.000,00 PARCERIA: SAMARCO MINERAÇÃO S.A. PRODUTOS: •700 FAMÍLIAS atendidas •110 minicursos realizados •32 comunidades , 12 municípios do ES e MG •1.700 lavouras acompanhadas •aumento de produtividade de café em 36% •Redução de custos com insumos de 17% •2 SOFTWARES EM FASE DE REGISTRO •4 EMPRESAS INCUBADAS, (3 de alunos) •ABIC -MELHOR CAFÉ BRASILEIRO em 2012 •1 marca de café gourmet lançada no mercado (Montanhas do Caparaó) ELEVAÇÃO ANUAL DE RENDA REGIONAL DA AGRICULTURA FAMILIAR (ESTIMATIVA): R$1.440.000,00 Café Montanhas do Caparaó EnvolvimentodeprodutoresruraisdacomunidadedePedraMenina,DoresdoRioPreto,edaCaparaóJr.naindustrializaçãodeumprodutolançadocomercialmenteem2013. Programa ECCOS desenvolvido junto à Empresa Júnior do Curso de Tecnologia em Cafeicultura do IFES –campus de Alegre eccos ENVOLVIMENTO COMUNITÁRIO E CONSTRUÇÃO DE ORGANIZAÇÕES RURAIS SUSTENTÁVEIS
  44. 44. VALORTOTAL:R$1.250.000,00 VALORCNPq/SETEC-MEC/HEXA:R$250.000,00 PARCERIA:HEXATecnologia/IFCE–INSTITUTOFEDERALDOCEARÁ PRODUTOS:Patentes–1 Licenciamentos–1 CLIENTES:CEMAR/CELPA/ENERGISA VENDAS(2014):470 GANHOECONÔMICO(2014): R$4Milhões EMPREGOSGERADOS(2014):14–TécnicoseEngenheirosdoIFCE Religador de Sistemasde Baixa Tensão Monitoramento, detecção e proteção de falhas temporárias em transformadores elétricos. Exemplo de Projeto de PD&I Articulado com a Demanda LocalChamada 94 CNPq / SETEC-MEC -IF Ceará ProjetoP&D Start Up
  45. 45. VALORTOTAL:R$64.484,16 VALORCNPq/SETEC-MEC:R$32.678,95 PARCERIA:CARMOMAQ/IFSULMG–INSTITUTOFEDERALDOSULDEMINASGERAIS–CAMPUSMACHADO PRODUTOS:Patente1 CLIENTES:CARMOMAQ GANHOECONÔMICO(2014): Produtoinovadorparasetorprodutivocomaumentodeeficiênciaeprodutividade ESTUDANTESENVOLVIDOS(2014):Estudantesdecursotécnico(TécnicoemAgropecuária)edeGraduação(EngenhariaAgronômica). Torrador para cafés especiais Speciatto Desenvolvimento de Torrador de café. Exemplo de Projeto de PD&I Articulado com a Demanda LocalChamada 94 CNPq / SETEC-MEC -IF Sul de Minas
  46. 46. VALORTOTAL:R$79.708,00 VALORCNPq/SETEC-MEC:R$41.218,99 PARCERIA:ArcelorMittalBrasil/IFES–INSTITUTOFEDERALDOESPIRITOSANTO–CAMPUSSERRA PROCESSO:melhoriacontinuadeprocesso CLIENTES:ArcelorMittalBrasil GANHOECONÔMICO(2014): Reduçãodecustoemelhoriadeprocesso ESTUDANTESENVOLVIDOS(2014):EstudantesdeGraduação Detecção e Rastreamento de Chapas de Aço na Entrada do Forno do LTQ Realizar a detecção e o rastreamento, utilizando visão computacional, de placas de aço que são transportadas aos fornos do LTQ. Exemplo de Projeto de Extensão Tecnológica Articulado com a Demanda LocalChamada 94 CNPq / SETEC-MEC -IF Espirito Santo
  47. 47. 11ª SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (SNCT) –ESTANDE MEC Mostradeprojetosdeinovaçãotecnológicadesenvolvidosporestudantes,técnicosedocentesdosInstitutosFederaisparatrocadeconhecimentoentreosInstitutoseimpactodiretoaovisitantedaSNCT.
  48. 48. Oficina de Inovação em Saúde
  49. 49. DINÂMICA DA POLÍTICA DE INOVAÇÃO NA REDE FEDERAL Grupos de PD&I Mestrado Profissional Polo de Inovação POLÍTICA DE INOVAÇÃO
  50. 50. Contatos: Nilton Nélio Cometti nilton.cometti@mec.gov.br (61) 2022-8642 Obrigado!

×