Lei da palmada

193 visualizações

Publicada em

Ética

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
193
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lei da palmada

  1. 1. Componentes: Alana Caroline Gerline Lucilene Neylla Professora: Solange - Fofa
  2. 2. Lei menino Bernardo Refere-se à lei brasileira que visa proibir o uso de castigos físicos ou tratamentos cruéis ou degradantes na educação de crianças e adolescentes.
  3. 3. “Eu tenho o direito à proteção!”
  4. 4. Fome (proibida!) Abandono (proibido!) Trabalho Infantil (proibido!) Pedofilia (proibida!)
  5. 5. Palmatória (proibida!) Palmada (proibida!?...)
  6. 6. • Relatado pela deputada Teresa Surita (PMDB-RR), o projeto prevê que pais que maltratarem os filhos sejam encaminhados ao programa oficial de proteção à família e a cursos de orientação, tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de receberem advertência. A criança que sofrer a agressão, por sua vez, deverá ser encaminhada a tratamento especializado.
  7. 7. • As ‘palmadinhas’ podem causar algum trauma na criança?
  8. 8. • Argumentos e contra argumentos relacionados à lei contra os castigos físicos e humilhantes:
  9. 9. • A palmadinha é educativa!
  10. 10. • Se nenhum adulto admite levar uma “palmadinha ou tapinha” em seu processo educativo quer seja na escola, na universidade, no ambiente de trabalho, ou em casa “mesmo que algumas músicas insistam em dizer o contrário” por que seria aceitável no processo educativo das crianças?
  11. 11. • As crianças de hoje em dia já são terríveis e mal educadas. Se não for possível dar uns tapas, como ficará então?
  12. 12. • Se os tapas fossem efetivos as crianças não seriam terríveis e mal educadas, pois desde o nosso processo de colonização a prática dos castigos físicos e humilhantes vem sendo utilizada sem sucesso.
  13. 13. • Eu apanhei quando criança e sou uma pessoa bem sucedida e feliz. Tenho certeza que foi graças às palmadas que levei.
  14. 14. • Temos certeza de que os pais e responsáveis sempre buscaram fazer o melhor pela educação dos seus filhos, mesmo quando utilizaram as palmadas como recurso.
  15. 15. • Às vezes bato no meu filho para protegê-lo de cair de uma escada, de atravessar uma rua movimentada, ou quando está brigando com seu irmão mais velho. Se não posso bater mais o que faço nessas situações?
  16. 16. • A autodefesa é usada não para corrigir um comportamento, e sim para alguém se proteger de uma agressão.
  17. 17. • Não poupes ao menino a correção: se tu o castigares com a vara, ele não morrerá; castigando-o com a vara salvarás sua vida da morada dos mortos” (Bíblia Sagrada, Provérbios 23: 13-14).
  18. 18. Obrigado!
  19. 19. Referências bibliográficas: • WEBER, L. N. D; VIEZZER, A. P; BRANDENBURG, O. J. O uso de palmadas e surras como prática educativa. Paraná: 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/epsic/v9n2/a04v9n2.pdf. Acesso em: 3 out. 2015. • GARCIA, J. Lei da Palmada. Salto do Jucuí: 2012. Disponível em: http://joselainegarcia.blogspot.com.br/2012/01/lei-da-palmada.html. Acesso em: 3 out. 2015. • WIKIPÉDIA. Lei menino Bernardo: 2015. Disponível em: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lei_Menino_Bernardo. Acesso em: 3 out. 2015. • MENEGHEL, F. X; Não bata, eduque. Rio de Janeiro. Disponível em: http://www.naobataeduque.org.br/documentos/Porque%20somos%20a %20favor%20da%20lei_RNBE.pdf. Acesso em: 3 out. 1015.

×